quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Jennifer Hoffman - "Os mansos e os mestres - Poder pessoal com ação inspirada" - 16.12.2015



A tradução da palavra “manso” na Bíblia, onde Jesus disse: “Os mansos herdarão a Terra”, sempre me incomodou, porque a Igreja sempre a usou para implicar subserviência, obediência e submissão, nenhum dos quais eu sou muito boa, no conceito pior e mais incapacitante.

Como podemos ser tanto o manso quanto o poderoso, tentando evitar incorporar o pior dos abusos do poder que vemos no mundo enquanto estamos ancorados em nossa mestria? A chave se encontra na compreensão do que este mundo realmente significa e como ela integra o nosso poder.

A verdadeira palavra, como escrita no texto original, era a palavra Grega “praus” que tem um significado muito diferente de ser fraco e impotente. Ela realmente significa auto-controlado ou autoconsciente, e o seu contexto não implica que devemos ficar quietos e submissos.

Pelo contrário, implica na confiança tranqüila e profunda do auto-capacitado, autoconsciente e auto-controlado. Estes são os que herdam a Terra, ou que estão no controle da energia da Terra.

Uma pessoa “mansa” tem o poder interior e ela não tem que expor a opressão para provar como ela é poderosa. A autoconsciência é a maneira mais poderosa de ser, porque sabemos quem somos e que podemos aceitar o nosso poder de uma maneira tranqüila que não requer confirmação, permissão ou aprovação de outros.

Temos as mesmas reservas sobre ser um mestre ou magistral, mas no sentido oposto. Ser um “mestre” não significa ser dominador, o centro da atenção, e aquele que respira todo o ar da sala. No mundo de hoje, nós vemos estes que são “mestres” como aqueles que são responsáveis pelos problemas do mundo, que usam o seu poder de modo egoísta, pelo próprio interesse. E o interesse próprio é o oposto da autoconsciência.

Uma pessoa interessada em si mesma acredita que ela precisa controlar a energia de todos para garantir que ela receberá o que ela quer. Uma pessoa autoconsciente está no controle de sua própria energia e sabe que isto é tudo o que ela precisa para criar a sua realidade.

Mestria implica em autodomínio, estar no controle de nossa energia, ter fortes limites de energia, e saber quem somos, que é parte da autoconsciência. É assim que podemos ser mansos e mestres ao mesmo tempo, porque ambos são incluídos na verdadeira autoconsciência.

Assim, como nós associamos ser manso e mestre em uma grande arremetida de autoconsciência?

Aqui estão as três maneiras que precisaremos usar em 2016 se quisermos que ele seja realmente um ótimo ano (e pode ser):

1 – Saiba quais são os seus limites energéticos. 

Que tipo de energia você quer em sua vida? Isto é parte dos seus limites energéticos, que existem para controlar o fluxo e a direção de sua energia, e não o de outras pessoas. Sem limites a sua energia se dispersa e ninguém pode saber onde você está, ou onde está ancorado. As pessoas em sua vida que você acha que tentam lhe dizer o que fazer, estão apenas respondendo a sua falta de limites. Meu limite de energia favorito é: “Todos em minha vida me amam, me respeitam e me honram.”

2 – Veja-se como uma pessoa poderosa e defina o que isto significa para você. 

Se você avalia o seu poder comparando-se a outras pessoas, você sempre se sentirá impotente. Se você avalia o seu poder, criticando-se e se julgando por todas as coisas que não tem em sua vida, irá sempre se sentir inadequado e incompleto. Você cria poderosamente a sua realidade em todos os sentidos e quando decide o que ser uma pessoa poderosa significa para você, você pode começar a usar a sua energia para criar isto.

3 – Reconheça-se como um mestre, celebrando a si mesmo, os seus dons, talentos, sua singularidade e o que o torna especial. 

Um mestre não é a pessoa mais poderosamente insistente na sala. Ela é aquela que exala autoconsciência, alegria, calma, confiança e paz. Seja a pessoa que todos querem copiar, tornando-se a pessoa que você desejaria ser – isto é onde se encontra a sua mestria. O que vem à mente quando você diz “Eu gostaria de ser mais...................“ é um bom lugar para começar a sua jornada da mestria.

O que significa ser “manso” para você?

Se isto inclui ser obediente, educado, colocando-se por último, enquanto você satisfaz as necessidades de todos, você pode não querer ser “manso” e é assim que você pode ter definido o seu caminho espiritual. Assim, você se nega o poder, a alegria e o bem-estar que você tenta criar para os outros, porque você acha que o paradigma do Curador Martirizado é o caminho a seguir. E, como sabemos, isto não é muito divertido.

Todos nós tentamos evitar sermos pessoas controladoras que acham que são exemplos de poder, assim rejeitamos o poder e tentamos ser humildes, negando que somos poderosos. Isto começa com a autoconsciência e decidirmos o que é adequado e melhor para nós, isto é o que ser “manso” implica.

O que ser mestre significa para você? É algo que você aceita ou tenta evitar? Será que a palavra mestria ressoa com controle, domínio e manipulação?

Podemos ver muitos exemplos disto no mundo, mas significa realmente estar no controle de sua própria energia, estar consciente do seu poder, reconhecendo-se pelos seus dons e por quem você é, e tendo fortes limites energéticos.

Você pode se ver como uma pessoa poderosa?

Podemos ser mansos e mestres quando estamos autoconscientes, reconhecendo quem nós somos e nos comemorando como extraordinários. Não há ninguém como você no universo, assim seja a pessoa mais confiante na sala. Aceite ser manso e mestre, sendo autoconsciente e resplandecendo intensamente a luz do seu verdadeiro ser.

Torne-se um exemplo de vida poderosa, capacitada, autoconsciente, para que você crie uma vida que ressoe com a alegria, o amor, a paz e a prosperidade. Isto será uma grande oportunidade para nós em 2016, e podemos começar a acolher isto agora.


Autor: Jennifer Hoffman 
Fonte: http://enlighteninglife.com/
Tradução: 
Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais Jennifer Hoffman Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...