sábado, 19 de dezembro de 2015

Maria Madalena - "Vivenciando a Energia de Buda" - Beijing, China - Agosto / 2015



Queridos amigos, queridos irmãos e irmãs, eu sou Maria Madalena, sua irmã e amiga. Estou feliz de estar aqui com vocês hoje. Vocês são seres lindos, todos vocês. Gostaria que cada um pudesse enxergar sua própria beleza através dos meus olhos, pois certamente se preocuparia menos com o que outras pessoas pensam de si, e sentir-se-ia mais livre. Você está muito preocupado consigo mesmo o tempo todo. Vive se perguntando se está fazendo a coisa certa, se tem o conhecimento certo; entretanto tudo o que precisa para encontrar seu caminho na vida está dentro de você mesmo. Você possui um radar no interior do seu próprio ser; este guia interior está dentro do seu abdome.

Gostaria de falar hoje sobre a importância de se conectar com seu abdome e tornar-se realmente presente nesse nível. É triste que muitas mulheres não se sintam confortáveis em seu próprio abdome, que, no corpo, é a sede das emoções. O abdome é também a sede da intimidade e sexualidade, e é onde os bebês são concebidos e se desenvolvem. Portanto, a área do abdome está profundamente interligada com a vida na Terra.

Às mulheres é dito que é importante doar e abrir o coração para as necessidades das outras pessoas. De fato, grande parte da espiritualidade está centrada no despertar do coração. Mas vejo várias pessoas, especialmente mulheres, sofrendo justamente por terem o coração aberto demais, e não fechado. O coração delas está muito aberto e facilmente estende as mãos para seres e energias ao seu redor, mas o abdome está relativamente fechado. No abdome reside um grande poder; é o poder de dar à luz, o poder de se conectar verdadeira e profundamente com a Mãe Terra e os grandes ritmos da vida.

As pessoas em geral – e vocês como cultura – tornaram-se temerosos destas grandes forças da vida, porque elas ultrapassam o controle da mente e da vontade. As mulheres instintivamente sabem como lidar com estas forças, mas se alienaram da capacidade de sintonizar-se com seu próprio poder.

Peço, então, a cada um de vocês – a cada homem e a cada mulher – que se conecte mais profundamente com o centro do seu abdome. Simplesmente conscientize-se dessa área e da sua respiração descendo até lá a cada inspiração. Seu abdome é sua âncora, energeticamente falando. Ele lhe dá as raízes que o enraízam em você mesmo. Desça mentalmente ao seu abdome e poderá sentir suas pernas tornarem-se mais aterradas e pesadas.

Agora imagine que dentro do seu abdome há um grande “olho”. Este “olho” observa tudo com muita calma e clareza. Em comparação com as energias do seu coração e da sua mente, a energia desse “olho” no centro do seu abdome é muito calma e silenciosa, muito sólida e estável. Pense nos ritmos da natureza e como eles ocorrem com facilidade e regularidade. As Estações vêm e vão e todas fluem naturalmente por si mesmas. Você faz parte deste ritmo da natureza, então conecte-se com a consciência feminina em seu abdome.

Agora, volte esse “olho” do seu abdome para cima e olhe para a área do seu coração. Como seu coração se sente? Você consegue realmente amar a si mesmo, dar atenção a si mesmo e cuidar de si mesmo? Dentro do seu abdome, você sabe que precisa haver um equilíbrio entre dar e receber porque esta é a lei da natureza. Seu abdome sabe que de nada adianta doar demais, e que isto não respeita o equilíbrio natural de energia. Imagine que você está numa situação do seu cotidiano, na qual sente sua energia sendo drenada ou esgotando-se. Imagine-se nessa situação e, então, olhe para ela com o olho do seu abdome, enquanto se mantém presente em seu abdome. A partir daí você pode observar essa situação de um modo muito impessoal e calmo.

De certa forma, isto é realmente engraçado, porque geralmente se considera que a parte inferior do corpo, os centros inferiores de energia, estão conectados com o ego. Na verdade, seu abdome tem uma sabedoria que vai além do ego. Ele pode lhe ensinar a estar realmente disponível para si mesmo e proteger-se quando necessário. Sinta como seu abdome deseja cuidar de você. As mulheres não são muito boas para cuidar de si próprias. E os homens que possuem um lado feminino forte, um lado sensível, podem ter este mesmo problema. 

Para esclarecer e ajudar você com esta questão de sensibilidade e de perda de energia para forças externas, eu gostaria de invocar uma imagem que é familiar para a sua cultura – a imagem e energia de Buda. A energia de Buda é muito serena e calma, muito ancorada e conectada com a Terra também. A sabedoria de Buda pode ser facilmente acessada a partir do abdome. Simplesmente imagine como seria se você fosse como Buda, se tivesse aquele tipo de presença, aquele tipo de serenidade, de tranquilidade. Consegue sentir a paz brotando do interior do seu abdome?

Buda tinha um coração aberto; seu coração estava cheio de compaixão pelos outros seres vivos. Mas, embora se preocupasse com o sofrimento deles e desejasse ajudá-los a amenizá-lo, ele se mantinha centrado em seu próprio ser. Permita que este poder, esta energia, flua através de você; ela faz parte da sua cultura. Se você conectar seu coração com seu abdome, toda a questão da sensibilidade será diferente para você.

Muitas vezes, ao estender as mãos para outras pessoas a fim de ajudá-las, você absorve a energia delas e pensa que pode oferecer-lhes a solução para seus problemas. Nunca lhe ocorreu que é muita presunção assumir que você tem a solução? Pode ser que você não saiba qual é a solução correta para elas. Talvez esteja apenas ansioso para restabelecer a harmonia, para ver um sorriso em suas faces, ou para receber a aprovação delas. Abandone essa ansiedade, esse desejo. Não resolva o problema dos outros. Quando se conectar com o “olho” no seu abdome, você verá coisas e sentirá compaixão, mas não se sentirá tão inclinado a resolver os problemas dos outros.

A chave para a verdadeira compaixão por outras pessoas é sentir empatia por elas e, ao mesmo tempo, manter a confiança no fato de que elas possuem a solução para seus próprios problemas. Ao se convencer da força que elas possuem, você terá paz de espírito. Perceberá, a partir do nível do abdome, que os processos de crescimento levam tempo, e que você mesmo se encontra num processo de crescimento. Muitas vezes, sua necessidade de ajudar, de doar, de ser útil para os outros está relacionada com sua própria insegurança… um medo de não ser suficientemente bom e, por isto, ter que fazer alguma coisa ou ser alguém para outra pessoa. Na verdade, você é mais útil para os outros quando se conecta com essa natureza Búdica dentro de si mesmo. A serenidade, a tranquilidade que você irradia, então, os confortará.

E isto tem um significado para você também; significa que você é suficientemente bom, mesmo quando não está fazendo nada, nem ajudando alguém, e mesmo quando você não significa nada de especial para qualquer outra pessoa. Você é bom do jeito que é, porque você é uma parte da natureza. Assim como uma árvore, ou uma flor, ou uma montanha, você tem o direito de ser, simplesmente porque faz parte do todo. Você não precisa provar que é você mesmo. Um animal ou uma flor não sentem necessidade de se defenderem para poderem ser. Eles estão simplesmente lá; você está simplesmente aí. Você é uma extensão do espírito, da unidade, e isto basta!

Curiosamente, embora isto devesse ser tranquilizador para você, é um tanto chocante para o seu ego. Sua parte ego quer ser alguém, quer ser útil, quer fazer uma diferença. Mas é isto que sua alma realmente deseja de você? Não. Porque sua alma está em paz consigo mesma. Sim, ela procura expressar-se no mundo exterior, deseja compartilhar a si mesma como uma flor compartilha sua beleza, mas ela não precisa provar nada nem justificar sua própria existência. Compreenda apenas que não há tanta coisa a conquistar na sua vida como você pensa. Você realmente pode relaxar um pouco mais. Você é uma parte do todo, e nada pode mudar isto.  

Descanse neste sentimento natural que permeia toda a natureza. No seu dia-a-dia, sempre que se preocupar com questões a resolver, problemas a solucionar, formas de lidar com outras pessoas, inspire profundamente de vez em quando, e conecte-se com seu abdome. Seu corpo é um portal para muita sabedoria. Sempre que se sentir esgotado ou tenso, encontre formas de relaxar seu corpo, porque isto o levará mais facilmente de volta à sua âncora, à sua fundação.

Gostaria de encerrar esta mensagem simplesmente dizendo que adoro cada um de vocês. Amo sua beleza e gostaria que brincasse um pouco mais na sua vida, como as criancinhas que ainda não têm consciência de que precisam conquistar alguma coisa ou ser alguém. Na verdade, esta é a maneira mais fácil se conectar com sua alma e ser você mesmo sem vergonha nem culpa.


Canal: Pamela Kribbe           
Tradução: Vera Corrêa /  veracorrea46@ig.com.br
Veja mais mensagens de Maria Madalena Aqui - E mais mensagens canalizadas por Pamela Kribbe Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...