segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

O Amanhecer da Consciência - "Fluência"



Minha vida não é uma oportunidade, apenas fluência natural da verdade…

Também não há de ser a mim um privilégio, recordei –me sendo Eu a própria vida…

A vida não me foi concedida, foi emanada do coração da Fonte. … Cujo nome pode ser Deus, pode ser simplesmente Vida… E se Eu Sou da Fonte, de Deus, ou da Fonte de Vida de Deus… Porque não chamar de “Eu”? Porque não Ser o horizonte?

Se Eu tenho em mim o Amor como essência, Eu Sou fruto do Amor…

Se o Amor foi o átomo de um sonho Divino, e se Eu me reconheço no Amor assumido… Eu Sou a manifestação deste sonho, tanto quanto Eu Sou o destino…

Não há mais como, estando assim desperto e por tanto Amor que sinto, separar-me do que Eu Sou… Se eu posso amar a Deus, em comunhão comigo…

Minha inspiração advém da Criação, do mesmo ímpeto de Criar…

A Criação é soberana, por Ser a origem, mas é abundante e sábia em humildade…

Está naquela sutileza que posso perceber ao abrir as comportas do coração, para o Amor jorrar…

Posso observar, em meio a uma calçada de concreto, numa construção fria de aparente realidade, uma pequena planta crescer rompendo à lógica cega numa fresta. …. Simplesmente por Ser Vida intermitente…  Mesmo que se tente interrompê-la, ela segue manifesta…

Se Eu posso perceber Vida em pequenas nuances, porque não vê-la em tudo?

Porque não vê-la em mim por fim, como o começo de meu mundo ?

Se Eu posso cria-lo por saber, que do criar sou oriundo…

E a partir do Amor profundo, ao invés de resgatar ou corrigir, com a visão entorpecida de irrealidade…

Inebriar-me novamente à própria Vida , diluindo Deus em mim, e irradiando liberdade…

Fred Cury


Autor: Fred Cury 
Veja mais O Amanhecer da Consciência Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...