quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Benjamin Fulford - "Um esforço combinado está em andamento para acabar, neste ano, com o regime da máfia khazariana" - 04.01.2016


A situação geopolítica atual, especialmente no Oriente Médio, Europa e Estados Unidos, é tal que, está mais do que pronta para uma mudança de regime. O maior evento de 2016 bem que poderia ser a queda do governo da máfia khazariana, nos Estados Unidos. Com esta fonte primária do mal e da guerra destituída do poder, a paz mundial, em 2016, também poderá ser possível. No entanto, isso não pode ser feito observando passivamente os acontecimentos mundiais; este ano, todo o mundo deve fazer todo o possível para assegurar a libertação planetária.

O regime de Washington DC, que usa Obama como seu fantoche e porta-voz, está profundamente dividido, embora, ainda muitos apoiem o regime de Obama. No entanto, o fato é que em 11 de março de 2011 este regime presidiu o massacre em massa de inocentes no Japão.


Aqueles americanos que consideram o assassinato de estrangeiros como de política external egítima, no entanto, devem se lembrar de que este regime não processou nenhum dos responsáveis pelo assassinato de milhares de americanos, em 11 de setembro de 2001, nem de falar a verdade sobre este evento.

Da mesma forma, este regime não atuou de nenhuma forma na prisão dos criminosos de Wall Street, responsáveis por fraudes de  trilhões de dólares, que empobreceu a maioria dos americanos.

O governo russo também tem pública e oficialmente acusado a máfia khazariana que, ilegalmente, tomou o poder nos EUA, de estabelecer instalações de guerra biológica por toda antiga União Soviética. Quando tais acusações são feitas por intermédio de diplomacia pública, é um sinal de que o acusador está pronto para provar suas acusações. Nas forças armadas dos EUA, os Chapéus Brancos também confirmaram a criação desses laboratórios de guerra biológica.

Estas instalações foram criadas, como parte de um plano para utilizar doenças, fome e a guerra, para eliminar 90% da população mundial. Portanto, não se enganem que, apesar de tentar colocar um rosto relativamente benigno no poder, a máfia khazariana governante dos EUA, foi pega em flagrante, tentando assassinar bilhões de pessoas. Isso significa que, praticamente, estão tentando matar todo mundo que está lendo essas linhas, além de seus amigos e suas famílias.

A maioria dos cidadãos do mundo é pacífica e relutante em se envolver em atos de violência. No entanto, o fato de quando alguém está tratando matar sua família, legalmente lhes da autorização mata-los em legitima defesa. Em si, deixar de enfrentá-los para defender suas famílias constitui um delito.

A Sociedade do Dragão Branco e seus aliados estão no processo de luta contra esse bando genocida. Como parte disso, na próxima semana, formalmente, irá exigir a Chodoin Daikaku, o responsável por algumas das maiores sociedades de artes marciais do mundo, aos chefes de organismos de inteligência e militares de todo mundo que atuem em legítima defesa e destruam de uma vez por todas essa genocida máfia  khazariana.

Muito já foi feito, especialmente, no Oriente Médio, onde todas as forças aéreas mercenárias khazarianas, como as da Turquia, Israel e Síria, foram inutilizadas por uma aliança entre russos, chineses e Chapéus Brancos do Pentágono.

De acordo com o Pentágono e fontes chinesas, a China aprovou uma nova lei antiterrorista, que permitirá que seus agentes cacem bandidos khazarianos em qualquer lugar do mundo "em conjunto com as forças especiais americanas e russas". Os chineses já enviaram forças especiais para a Síria, perto da fronteira de Israel, nas Colinas de Golã, segundo essas fontes. A Rússia, Chapéus Brancos do Pentágono e forças especiais chinesas, na Síria, no Iraque e em outros lugares, estão ativamente caçando e matando israelenses, turcos, sauditas e, "até mesmo ianques do lado errado", dizem fontes do Pentágono. Os chineses, também, estão tomando um interesse especial em caçar os Uigures, que operam na Síria e no Iraque.

Os regimes khazarianos de adoradores de satanás da Turquia e Arábia Saudita, agora estão em apuros. A Arábia Saudita, na semana passada, basicamente, "assinou sua própria sentença de morte", com a execução do popular Xiita Imam Nimr al-Nimr, de acordo com agentes da CIA. O mundo real muçulmano não se esqueceu do massacre do regime Saudita, no Hajj (Peregrinação à Meca), no ano passado. Desse modo, reconhecem que o regime saudita não está apto para proteger a Terra Santas islâmica. Essa é a razão da Arábia Saudita fazer uma chamada para uma aliança "antiterrorista" de 34 nações islâmicas, que só terá, na melhor das hipóteses, palavras elogiosas. Já foi decidido que a Arábia Saudita será dividida e, é apenas uma questão de tempo, antes que o rei Salman e seus adjuntos estejam com suas próprias cabeças no cepo do carrasco, disseram.

Entretanto, a Turquia está assistindo seus planos de recriar o Império Otomano falharem miseravelmente. O Curdistão, incluindo uma grande parte da Turquia, está a caminho de se converterem numa nação independente, desfazendo uma das maiores injustiças da Primeira Guerra Mundial. Na própria Turquia, os problemas econômicos, incluindo uma moeda fraca, inflação, queda das receitas provenientes do turismo e escassez de mercadorias, está criando condições para um golpe militar, dizem fontes do Pentágono.

Por sua vez, os russos, estão pensando seriamente numa grande invasão por terra da Turquia e Arábia Saudita, como uma maneira de acabar com a heresia radical islâmica e do terror sem fim que produz, de acordo com fontes do FSB da Rússia. A Igreja Ortodoxa Russa, o poder real na Rússia, agora apoia esta guerra santa como necessária para a defesa do Cristianismo e do verdadeiro Islã. Considerando que os militares dos EUA não irão lutar contra a Rússia para defender o atual regime turco, a OTAN não será obstáculo para tal movimento.

Também há uma limpeza muito eficientes de agentes khazarianos acontecendo na Líbia e Nigéria. Na Nigéria, o exército dos Estados Unidos ajudaram as forças locais a derrotar o Boko Haram. O nome "Boko Haram", aliás, significa "os livros são proibidos", que nos diz que tipo de pessoas elas são.

Na América do Sul, uma caça humana está em andamento contra o homem de confiança de Bush/Clinton envolvido em narcóticos, "El Chapo". Esta é parte da atual campanha para cortar todo o dinheiro da droga, que tem apoiado os mafiosos khazarianos e seus megabancos.

O Brasil, também despertou para os perigos representados pelos khazarianos e cancelou um acordo de 2 bilhões e duzentos milhões de dólares feito com uma empresa israelense para garantir a segurança dos Jogos Olímpicos. A empresa envolvida, a Segurança Internacional e Sistemas de Defesa, têm sido associada a esquadrões da morte das ditaduras sul-americanas. Os brasileiros também estão plenamente conscientes de que era uma empresa israelense, a Magna BSP, foi cúmplice no ataque nuclear terrorista e tsunami de 11.03.2011, contra o Japão.

Fontes da a sociedade secreta asiática dizem que agentes de inteligência chineses do ministério de segurança do Estado, também estão agora nos EUA, Israel e em outros lugares em busca de vingança pelo ataque com uma  a microbomba nuclear na cidade de Tianjin, no verão passado.

Também, dentro dos EUA, pode-se observar a rápida perda de poder da máfia khazariana de muitas maneiras. Por um lado, o porta-voz presidencial da Corporação dos  EUA, Barack Obama, foi forçado pelos Chapeus Brancos do Pentágono a recuar das sanções sobre mísseis que havia anunciado contra o Irã.


Além disso, a mídia corporativa nos Estados Unidos está sendo obrigada pelos Chapéus Brancos do Pentágono e agências de divulgar as batalhas anti-khazarianas acontecendo dentro da estrutura de poder dos Estados Unidos. Um resultado disso foi artigo amplamente divulgado de Seymour Hersh, dizendo (como este boletim vem relatando em detalhes) que os militares dos EUA estavam desafiando as políticas do "establishment" político de Washington DC no Oriente Médio. Além disso, fontes do Pentágono dizem que Rupert Murdoch Marduk:


Que foi obrigado a publicar um relatório no Wall Street Journal, sobre a batalha em andamento entre a NSA e os khazarianos e, que isso inclui que a NSA está espionando membros do Congresso que trabalham para máfia khazariana.

O regime controlado pela máfia khazariana de Israel, tardiamente despertou para o fato de que eles estão perdendo o controle dos EUA e que o resto do mundo, desde há muito tempo se tornou prudente, acerca de seu comportamento antissocial, a nível internacional. Foi por isso que, quando Israel tentou representar uma falsa bandeira em Tel Aviv, na semana passada, para fazer parecer que também estava "sob ataque do ISIL", absolutamente ninguém se deixou enganar.

O governo israelense começou a ler o que está escrito na parede, de modo que recentemente tentou se distanciar de seus aliados turcos e sauditas. O aparato de segurança israelense reconhece que, com a perda do apoio dos EUA, a sobrevivência de Israel dependerá da vontade de quem ganhar a batalha em andamento no Oriente Médio. Atualmente, isso provavelmente significa que os israelenses terão que começar a se curvarem para a Rússia. Em qualquer caso, os futuros regimes de Israel, Arábia Saudita e Turquia estão em jogo durante o próximo ano.

No decorrer deste ano, o futuro da Europa, também estará cada vez mais ligado à Rússia, na medida em que os militares dos EUA não estejam dispostos a lutar uma guerra com a Rússia em favor dos Rothschild. A elite khazariana europeia já cortou seus laços com os americanos e aceita a adesão ao Banco Asiático de Investimento e Infraestrutura, inspirado pela China (BAII).

No entanto, a verdadeira pergunta para 2016 continua ser: O que irá acontecer na guerra financeira de alto nível que foi travada nos últimos anos? Nesta frente, o mais recente desenvolvimento vem do governo japonês decidir se juntar secretamente ao Banco Asiático de Investimento e Infraestrutura, inspirado pela China (BAII), segundo dizem agentes do BAII (dirigidos pelo Japão), nas Filipinas. Se isso acontecer, os governantes financeiros khazarianos de Wall Street e Washington DC serão isolados e enfrentarão a derrota final.

Durante o final do ano, a loja maçônica P2,do Vaticano e os comunistas chineses solicitaram ajudada SDB para negociar a rendição dos mafiosos financeiros khazarianos. A SDB está insistindo num Jubileu (um cancelamento de todas as dívidas públicas e privadas), a redistribuição dos ativos ilícitos khazarianos e a criação de uma Agência de Planejamento do Futuro meritocrática. A SDB, também insiste que de forma transparente, seja disponibilizada uma quantia de, pelo menos, 7 trilhões de dólares para o financiamento de uma campanha maciça para acabar com a pobreza, deter a destruição ambiental e futuramente estabelecer a humanidade no caminho de uma expansão exponencial.

Enquanto a rendição dos khazarianos não for concluída, a SDB e seus aliados continuarão sua ofensiva multidimensional.


Autor: Benjamin Fulford 
Fonte primária: http://benjam20infulford.net
Fonte secundária: 
Tradução: Sementes das Estrelas / Candido Pedro Jorge
Veja mais artigos do Benjamim Fulford Aqui


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...