sábado, 2 de janeiro de 2016

Jennifer Hoffman - "Onde estão meus Anjos quando eu preciso deles?"



Querida Jennifer, Eu tenho pedido a orientação dos meus anjos e guias espirituais e sinto que eles nunca me responderam. Não é justo que me sinta tão desamparada quando pensava que eles aqui estivessem para me ajudar e me oferecer orientação quando dela precisasse. O que eu posso fazer para obter respostas mais claras e consistentes deles? Será que eu tenho alguns anjos e guias me apoiando?

Resposta de Jennifer:

Obter as respostas dos seus guias e anjos depende dos tipos de perguntas que você está fazendo, como as está fazendo e como você está ouvindo. Eles podem apoiá-la e guiá-la, mas não quando você está pedindo com medo e desespero, a partir de sua crença na desconexão, ou de sua raiva de si mesmo por fazer esta jornada.

Quando estamos com medo, nossos anjos estão próximos, mas eles não podem se conectar. Quando pedimos mais, mais e mais e não paramos de pedir, não estamos em silencio para ouvir as suas respostas.

Se esquecermos que eles ressoam ao nível da alegria e é preciso que estejamos abertos a novas soluções e transformações, nós não nos colocamos ao nível em que eles possam se conectar conosco.

Eles podem ajudá-la a encontrar um novo caminho quando você abre esta porta para eles.

Os anjos e guias são a nossa equipe de apoio. A sua presença é sempre uma parte da nossa jornada, mas somente quando nos lembramos de que somos todos um, todos conectados e nunca desconectados da Fonte.

Quando nos desviamos do caminho de nossa própria luz, pensando que não temos todos os recursos disponíveis para criar qualquer coisa que queiramos, superando qualquer obstáculo, impedimos o nosso acesso a qualquer orientação espiritual, até a da nossa equipe pessoal de apoio.

Como você está pedindo ajuda?

Está pedindo que eles a salvem, dizendo-lhes o que fazer, para levá-la ao lar ou cuidar dos seus problemas?

Estas são coisas que eles não fazem. Como seres espirituais, eles não podem atravessar a barreira da 3D, mas eles podem entrar em seu espaço energético quando você abrir a porta, liberando os seus medos e estando aberta para a iluminação.

Perguntas que eles podem responder são algo como: “Mostrem-me o que eu não posso ver nesta situação”. Ou: “Ajudem-me a ver onde estou limitando a minha conexão ou compreensão.”. Então, você obterá as respostas. Você também tem que chegar ao ponto onde deixa de falar e permite que as informações cheguem até você.

Como o Arcanjo Uriel costumava me dizer: “Nós a ouvimos na primeira vez.”

Sei que a jornada aqui pode parecer muito solitária, mas na verdade nunca estamos sozinhos, contanto que a nossa consciência esteja aberta as nossas conexões multidimensionais. A dimensão em que vivemos pode ser opressiva se estivermos focados na densidade. Mas há sempre uma solução que podemos co-criar com o Universo, da qual os nossos anjos e guias fazem parte, desde que fiquemos na consciência de nossa conexão.

Parte da raiva que você sente em relação aos seus anjos e guias é a raiva em relação a si mesma, por se sentir tão impotente, por não alcançar os seus sonhos, por estar com medo e por não avançar com muita rapidez em sua jornada.

Qual é o objetivo desta jornada que precisa aprender para que possa se lembrar de usar a sua orientação divina de maneiras mais poderosas?

Se não estiver obtendo as respostas às suas perguntas, faça perguntas diferentes. E então deixe de perguntar. As respostas virão no silêncio e na quietude e paz do seu coração, não na conversa temerosa e inquieta da mente.

Em seu próprio silêncio, o que você pode acessar somente quando não está com medo, você obterá as respostas que precisa e então quando for capaz de saber como se conectar com os seus guias e anjos, as respostas as suas questões estarão sempre disponíveis a você.


Autor: Jennifer Hoffman 
Fonte: http://enlighteninglife.com/ / http://urielheals.com/
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais Jennifer Hoffman Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...