domingo, 31 de janeiro de 2016

P'taah - "Sexualidade e Relacionamentos"


Questionador: Bom Dia, P'taah.

P’taah: Amados, bom dia a vocês. Como vai, esta noite do seu tempo?

Questionador: Muito boa, obrigada, P'taah.

P’taah: Realmente, amados. Então, meus queridos, como eu poderia lhes servir neste dia?

Questionador: Nós temos diversas questões para lhe fazer, P'taah, mas uma que surgiu para mim, é o desejo sexual e o nosso tipo de natureza obsessiva, como podemos superá-la? Ao que está relacionado? Poderia nos falar um pouco sobre isto?

P’taah: Está bem. Vejam, que o componente da satisfação do desejo sexual está no fato, não tanto acerca da sensação, mas da realização, se pudéssemos dizer, um ideal. Nós dissemos muitas vezes antes que, sejam quais forem os problemas - isto é, os problemas em torno da carência, em torno de não ter o suficiente, de não ter poder, etc - como estes problemas se apresentam na vida, hoje em dia, naturalmente, eles também se apresentarão em sua vida sexual, porque a sexualidade não é um componente ou faceta separados de vocês. Então, é onde vocês se sentiriam que estão sem poder.

Muito freqüentemente este medo de ineficiência se apresentará na sexualidade, quer sendo usado em um modelo sexual, sendo o usuário ou o que abusa, ou usando a sexualidade para validar quem vocês acham que não são. Então a sexualidade não é tão franca, porque ela realmente depende de seus próprios problemas. Então ela poderia se tornar obsessiva, onde a natureza do sentimento de carência se torna mais forte, ou, onde vocês têm uma natureza obsessiva ou cumulativa acerca das coisas de algum modo.

SEXUALIDADE COMO DIVERTIMENTO

Questionador: P'taah, eu não tive um relacionamento sexual verdadeiro durante muito tempo, e eu estou realmente prestes a brincar com a idéia. Estou apavorado! Qual é o melhor modo de se trabalhar através deste tipo de medo e ter algo que seja belo e maravilhoso?

P’taah: Bem, amado, veja, isto não tem nada a ver com a sexualidade, mas com o terror de ser pego em outro relacionamento que não lhe sirva.

Questionador: Ah, isto é muito verdadeiro.

P’taah: Se você pudesse ter um relacionamento sexual que é apenas "brincadeira", sem a complicação do relacionamento, como isto pareceria à você?

Questionador: Eu acho que seria um ótimo ponto de partida.

P’taah: Realmente, mas entenda, isto não é onde você esteve antes.

Questionador: Não, não.

P’taah: Porque em sua sociedade, em sua estrutura de tempo, a idéia de simplesmente ter relacionamentos sexuais como brincadeira, diversão, até como amizade amorosa, sem maiores embaraços, é muito estranho, porque tem sido considerado que, para uma mulher se engajar neste tipo de diversão, não é "bom". De fato, em seu tempo, houve rótulos específicos para jovens mulheres que simplesmente divertiram-se muito livremente na arena sexual.

(Risos).

Questionador: Sim, definitivamente houve. E eu acho que há suficiente deste estigma, se você desejar, em minha consciência que poderia ser mais difícil do que eu gostaria de acreditar, para chegar a este ponto. Mas para mim, isto tem um apelo imenso.

P’taah: Realmente. Então, por um lado, há o desejo de ir e se divertir, e por outro, o terror de ser estigmatizado como sendo "menos do que".

Questionador:  Sim.

P’taah: Está bem, então isto é para vocês considerarem, amado, hum?

Questionador: Porque, pelo que eu compreendo, seja qual for o relacionamento que vocês criem, é realmente apenas um espelho.

P’taah: Absolutamente.

Questionador: E assim há algo para eu olhar, considerar. Eu aceito isto.

SEXUALIDADE EM SUA MAIOR SATISFAÇÃO

Questionador: P'taah, eu estou tendo um problema com esta coisa toda, no momento. Eu estou em um relacionamento sexual, e eu achei que eu posso ir àquele lugar onde a sexualidade não é apenas diversão, mas é como uma união do Deus/Deusa/TUDO O QUE É. Mas isto faz uma troca de energia muito poderosa.

P’taah: Amado, isto é a sexualidade em sua maior realização, e diríamos, sua mais grandiosa expressão.

Questionador: Sim, mas o que eu estou achando é - e obviamente isto deve ser um reflexo para mim, mas eu não tenho visto como ainda - que a outra pessoa não seja capaz de entrar em um relacionamento tão intenso. Quero dizer, esta pessoa sente a intensidade da conexão sexual, mas isto tem a ver com quem esta pessoa é para mim, o mérito desta pessoa e meu poder/o poder desta pessoa, então nem sempre é fácil encontrar alguém para...

P’taah: Correto, não é. Cada um de vocês vem de seu próprio espaço interior e, amado, você passou muitos anos agora realmente olhando quem vocês são e, diríamos, trabalhando - embora não gostemos de usar esta palavra - nos problemas que têm conduzido a sua vida em tempos passados. E assim, nós também comentaríamos da coragem que vocês têm se permitindo expor esta idéia de sua própria grandeza, vendo-a não como um poder pessoal de um modo, mas como uma expressão de sua fonte divina.

E eu tenho atraído para mim um relacionamento onde a outra pessoa não é capaz de apenas relaxar ao participar deste jogo comigo.

Realmente. Bem, veja, porque esta, está na verdade, no terror da carência, amado. E então isto é para você somente ficar firme em seu próprio ser, e eventualmente decidir se ou não você ficará neste relacionamento, e permitirá a sua companheira, ser como ela é no relacionamento. Você compreende?

Questionador: Sim.


P’taah: Veja, você não está no relacionamento para fazer as coisas melhor para alguém mais. Você está no relacionamento porque você está no relacionamento, e você traz tudo de quem você está no relacionamento. Como alguém mais está, não lhe compete, de certa forma.

Questionador: Eu sei. Isto é uma coisa difícil para nós.

P’taah: É.

SE HÁ MUITAS POSSIBILIDADES, EM QUAL VOCÊ DEVERIA SE FOCALIZAR?

Questionador: Isto me traz a outra questão que nos foi dada. É de alguém que está em um relacionamento. Ela sabe que vocês têm falado disto muitas vezes, mas gostaria de mais clarificação na parte que a outra pessoa participa dele. Sua pergunta particular era: "Se há várias possibilidades acontecendo ao mesmo tempo, e há uma probabilidade que já foi perfeita em outro momento, eu só focalizo no que é perfeito, ou importa o que a outra pessoa pensa?”.

P’taah: De um modo, não. Naturalmente, há sempre outras possibilidades que aquela na qual você se encontra neste momento. Entretanto, seja no que você se encontre neste momento, é perfeito para este momento. O que não significa dizer que você não pode mudá-lo. Você certamente pode.

Quando você realmente vem para esta idéia de que tudo fora de você mesma, é uma criação subjetiva, então você pode ver que quando você encontra alguém, e este alguém inicialmente parece tão maravilhoso, tão perfeito, tão sem defeito, de uma forma, você se apaixona. E quando o relacionamento evolui através do tempo, ele vai se reduzindo, definhando ante nossos olhos. Subitamente este modelo de perfeição, torna-se muito repreensível, e as trivialidades do dia a dia, tornam-se como montanhas, onde você não pode suportar este ou aquele hábito. E você pergunta: "Como pode esta pessoa ter mudado tanto?”.

Bem, naturalmente a pessoa não mudou. O que mudou é a sua idéia de quem é a pessoa e talvez vendo isto sem o carimbo de sua idéia de "perfeito". Então você é deixado com a pessoa que sempre esteve lá, e então é para você olhar para esta nova idéia desta pessoa e dizer, "Isto funciona”, ou "Isto não funciona para mim”.

Questionador: Mas de um modo, não há nunca uma pessoa objetiva, porque se tudo é uma realidade subjetiva...

P’taah: Isto é verdade, não sempre, e é somente de acordo a como você reage ao que você percebe, entende?

Questionador: Sim.

P’taah: E quando o relacionamento continua e continua a ser satisfeito, quando ele é atencioso e gentil, com honra, com respeito - em outras palavras, mostrando-lhe esta parte maravilhosa de você mesma também - então este quadro mais amplo poderia freqüentemente ser mais do que este pequeno quadro que se desenrolou ao vir a conhecer alguém. Você compreende? Mas é sempre subjetivo.

MUDANDO O RELACIONAMENTO AO FOCALIZAR NO QUE VOCÊ QUER

Questionador: Uma das coisas que ela enfatizou muito em sua pergunta foi, poderia ela mudar o relacionamento ao focalizar no que ela realmente quer? Eu leio isto como um pouco de material de informação. Você poderia falar um pouco sobre isto?

P’taah: Bem, isto poderia mudar a dinâmica do relacionamento ao olhar para as interações no relacionamento com novos olhos. Isto é, ao invés de focalizar-se no que está faltando no companheiro, focalize-se naquilo que é maravilhoso no relacionamento, ou, na realidade, na faceta maravilhosa do companheiro. Entende? Pois, assim como você se focaliza no negativo, isto é tudo o que será no relacionamento. Quando você pode focalizar-se naquilo que é o positivo, e estar no sentimento do positivo e sendo reativo ao positivo, então naturalmente o relacionamento tem uma chance muito melhor de ser completo e feliz.

Questionador: Então, quando você diz, "estar no positivo”, não é necessariamente falar sobre como você quer que a pessoa mude. É como a Canção da Manhã, olhe para o que é bom.

P’taah: Amado, o ponto essencial é que você não pode esperar que alguém mude.

Questionador: Exatamente.

P’taah: E isto não lhe compete. Quem são as pessoas e como elas são é que lhe diz respeito. Seu interesse é somente como você é com esta pessoa. Como você é, não como esta pessoa é. É do mesmo modo que muitas pessoas que estão nesta jornada espiritual têm querido destruir um relacionamento muito bom, de muitos anos, porque o companheiro não está na busca espiritual. Dizemos, não lhe diz respeito. Seu interesse é ser quem você é, e realmente ser, nós diríamos, empreendedores dentro do relacionamento, mas estar consciente, em todos os momentos, de que as pessoas têm o direito soberano de ser quem elas são.

E SE ALGUÉM ESTÁ LIMITANDO A SUA HABILIDADE DE SER QUEM VOCÊ É?

Questionador: Não obstante, você pode sentir como se alguém estivesse limitando a sua habilidade de ser completamente quem você é, mesmo embora você...

P’taah: Sim, você pode. Onde você não pode discutir isto e dizer, "Parece-me que suas expectativas em relação a mim são muito limitadas, e isto não me faz feliz”, você poderia dizer sobre como isto é para você, como realmente você poderia fazer com qualquer outro aspecto de um relacionamento. Ser honesto e ter comunicação aberta é o segredo aqui, sempre.

Questionador: Mas você acha que seria melhor ficar dentro disto e olhar para o que está dentro de si, fazendo se sentir limitado, quando ao contrário, tentar mudar ou liberar a outra pessoa e encontrar alguém mais, quem seria mais expansível?

P’taah: Amado, sempre, sempre, este é o caminho mais válido, e onde você não quiser, então realmente você vai de relacionamento a relacionamento.

Questionador: Sim.

P’taah: Naturalmente, há algumas situações onde é mais benéfico partir, onde você não pode chegar a uma resolução harmoniosa, percebe? Se vocês fossem todos, diríamos, mestres na vida, então realmente não importaria quem está com você. Você sempre encontraria alegria, felicidade e harmonia, entende? Mas vocês não são mestres ainda, todos vocês. (Risos).

Questionador: Realmente não, não.

P’taah: Então, na realidade não é necessário permanecer e estar em uma situação ativamente infeliz, onde você não pode encontrar resolução - resolução dentro de si. Entende?

Meus amados, já foi um tempo suficiente para este Agora. Aguardamos ansiosamente para continuarmos esta discussão. E assim com o maior amor, que nós enviamos para cada um de vocês. Namastê. 

P’taah


Canal: Jani King
Quem é P'taah? Veja Aqui
Fonte: www.ptaah.com - ptaah@ptaah.com
Tradução: Regina Drumond reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais mensagens de P'taah Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...