quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Jennifer Hoffman - "Trata-se de amor agora" - 18.02.2016



Você teme o Dia dos Namorados, com as fotos de casais felizes que se surpreenderão com presentes atenciosos, darão ou receberão flores, terão um jantar romântico, e passarão o dia com alegria, porque eles estarão recebendo amor do seu alguém especial? Quem é que se lembra no Dia dos Namorados, do ex-parceiro, da antiga mágoa, ou da cadeira vazia na sua mesa de jantar? O Dia dos Namorados é uma comemoração do amor emocional, que é diferente da energia do amor. Esta é a diferença entre “fazer” amor e “ser” amor. Estamos sempre na existência do amor, ainda que não tenhamos um exemplo do amor emocional (o “fazer” amor) presente em nossa vida.

A partir de um nível da mente/coração, nós ansiamos pela expressão e a emoção do amor porque somos seres físicos. Se não pudermos ver, ouvir, sentir, saborear e tocar algo, ele não existe para nós em nosso mundo físico. Mas o amor emocional é criado a partir do amor energético. Achamos que se tivermos um companheiro para nos mostrar amor, então, teremos o amor. Mas a única maneira pela qual podemos criar esta parceria em seus aspectos mais elevados é estarmos na energia do amor, o que pode, então, manifestar-se como expressão física do amor emocional.

A qualquer momento que criamos uma ligação amorosa através de nossas emoções, sem primeiro estarmos na energia do amor, nós convidamos a cura. Os últimos dez a quinze anos (ou mais) foram difíceis em nossas vidas românticas. Os relacionamentos ou terminaram ou desapareceram. É como estar em nosso caminho espiritual com um grande cartaz pregado em nossa testa escrito “Sem Serviço”, deixando que todos ao nosso redor saibam que não estamos disponíveis para relacionamentos. E ainda que tentássemos, os relacionamentos que atraímos foram sempre curativos ou difíceis, criando para nós ou para o outro (ou para ambos), problemas mais difíceis que, uma vez que eles tinham acabado, deixou-nos felizes pela paz e pela solidão da vida de solteiro. A qualquer momento que buscamos o amor através das emoções, em primeiro lugar, conectamo-nos com o amor que cura as nossas feridas emocionais, em vez do amor que expande a nossa energia do amor.

Mas, agora estamos nos perguntando se algum dia, teremos um relacionamento de amor comprometido e a resposta é “sim”: nós teremos. Para responder à pergunta de “quando”, que é o que sempre queremos saber, ele acontecerá no momento certo e perfeito. Sei que parece uma resposta padrão, mas não queremos apenas “qualquer” parceiro. Queremos o certo. E temos que estar alinhados e em integridade com o tipo de amor que queremos. Pense no tipo de amor que você quer receber de alguém e se pergunte se você está dando esta medida exata de amor para si mesmo agora. Se não estiver, você não pode esperar recebe-lo de outra pessoa. Todos são o nosso reflexo e isto inclui um reflexo do amor.

Nossos novos paradigmas do amor, que estabelecem a base para todos os nossos relacionamentos, devem ser iguais no dar e no receber. Não podemos mais ser o doador e esperarmos que, eventualmente, alguém seja curado o suficiente para nos amar em troca. Ou que iremos amá-lo o suficiente e assim ele nos amará por gratidão e reconhecimento. Precisamos entrar nos relacionamentos saudáveis e íntegros, a fim de, também, atrairmos companheiros saudáveis e íntegros. Todo o trabalho em torno do amor e dos relacionamentos que fizemos não fica confirmado quando podemos praticá-lo com outra pessoa: ele começa conosco. Será que podemos nos amar em primeiro lugar, para que possamos criar este nível de amor em nossas vidas? Este é o primeiro passo para criarmos o amor em nossas vidas. Todos refletem de volta para nós o nosso amor próprio e se não tivermos algum, este reflexo ficará em branco.

E o tipo de relacionamento que manifestarmos, refletirá também os nossos limites, nosso nível de frequência e vibração, e refletirá para nós o nosso nível exato de amor próprio. Assim como você não vê alguém com uma cor de olho e de cabelo diferente quando você olha para si mesmo em um espelho, você não se conectará com alguém que seja mais amoroso em relação a você, do que você é para com você mesmo. Tudo começa conosco, e nós dissemos que queremos ser mais poderosos e conectados, e esta é a integridade que este nível de conexão requer. Agora, será que podemos acreditar que o relacionamento que queremos está se dirigindo para nós e continuarmos a acreditar nisto, ainda que não vejamos resultados imediatos? É aí onde a nossa fé e confiança obtêm um teste.

Coloque a sua intenção por um relacionamento que seja uma partilha de energia, crença, pensamentos e emoções, onde ambos os parceiros estejam ancorados na energia do amor. A energia do amor é uma força poderosa que, quando compartilhada a partir de um ponto de nosso ser capacitado, irá nos abençoar com os relacionamentos (e o amor em ação) que queremos. Quando nos amamos, o que significa nos aceitarmos plenamente e nos conhecermos como perfeitos e já amados, e começarmos a partir do ponto, estamos movimentando a energia para manifestarmos o amor no mundo físico.

Seu amor próprio expande a energia do amor no mundo, e esta é uma ótima razão para começar a se amar tanto quanto queira que alguém o ame. E quando você fizer isto, enviará também um convite para receber o amor que a pessoa certa e melhor perceberá e responderá, exatamente com a quantidade e o tipo de amor que você quer.


N.T.: O Dia dos Namorados, conhecido em muitos países como Dia de São Valentim e nos Estados Unidos como Valentine's Day, é um dia dedicado à troca mútua: seja um cartão, um chocolate, uma jóia, um perfume, uma rosa, um abraço, ou até mesmo um simples cumprimento que faz com que cada um de nós sinta que naquele momento é lembrado, seja como amigo, companheiro, amante... enfim, são momentos mágicos que nos fazem felizes e que farão parte de nossa história.

Enquanto na Europa e na América do Norte comemora-se o Dia de São Valentim ou Valentine's Day a 14 de Fevereiro, no Brasil celebra-se o Dia dos Namorados a 12 de Junho, véspera do dia dedicado a Santo Antonio.

Autor: Jennifer Hoffman 
Fonte: http://enlighteninglife.com/
Tradução: 
Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais Jennifer Hoffman Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...