quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Saul - "O Amor sempre perdoa os erros" - 07.02.2016



A humanidade está num ponto de inflexão. Esse é o ponto de equilíbrio entre o negativo e positivo, ou mais realisticamente, onde o medo e o Amor se invertem.

Por eras, a humanidade viveu no medo que efetivamente é uma tela de fascinação e egoísmo que bloqueia a Luz do Amor. O Amor é o campo de energia infinita da Criação em que tudo já criado ou a ser criado tem a sua existência eterna, não existindo outro lugar! O medo é apenas um véu pendurado entre vocês e a Luz infinita, colocando-os na sombra. Ficar na sombra é temeroso, porque Deus é Luz, Vida e Seu abraço amoroso sem o qual nada pode existir, nem por um momento.

Quando estão no medo, na sombra, no escuro, imaginam que monstros possam atacar e matá-los, pois suas imaginações são muito poderosas. Acreditam na escuridão e, a falta de Luz mesmo que seja irreal, constrói defesas para se protegerem e, assim, adicionam à escuridão e aos seus sentimentos de temor.

A separação da Fonte significou deslizar sob um véu imaginário e perderem de vista à Realidade e então, desde aquele momento têm tentado encontrar seus caminhos de volta. Todavia, se sentiram culpados pela separação da Fonte e temeram não lhes fosse permitido voltar. Então, estabeleceram muitos organismos, que inventaram numerosos rituais autoritários para aplacar e apaziguarem Deus que acreditavam que tinham ofendido muito seriamente.

Mas Deus é Amor e, Amor não pode ser ofendido. O Amor da de si ilimitada, eterna, e incondicionalmente, que são suas naturezas, porque vocês também são Amor - Que é tudo que existe! - E vocês também. No entanto, o véu escondeu a verdade, a Luz, o Amor que é o Deus de vocês. E porque causaram uma aparente separação da Fonte,estão cheios de culpa e medo.

Deus sabia o que iria acontecer, quando quiseram experimentar a separação d’Ele, e, por isso, imediatamente providenciou o caminho de casa. O caminho é o vínculo inquebrável com Deus, através do Espírito Santo. O Espírito Santo é a tranquila voz interior, o sentido intuitivo que faz o sábio aconselhamento, sugerindo quando estão calmos e aberto para ele, sugestões de como lidar com as questões que digam respeito a vocês ou seus entes queridos, ou até mesmo como responder adequadamente a alguém durante uma conversa. 

O Espírito Santo está sempre com vocês, pronto para oferecer orientação. No entanto, muitas vezes ignoram ou rejeitam as sugestões que recebem dele, porque não se alinham com o que seus egos oferecem que, muitas vezes, no momento, parecem mais atraentes, pois parece que irão lhes trazer benefícios pessoais - como, por exemplo, a satisfação derivada de mostrar que alguém está errado ou de ganhar numa argumentação–entretanto, depois se arrependem de terem feito essa escolha, quando essas atitudes resultaram em abalos de algum relacionamento.

O Espírito Santo sempre aconselha a amar, aceitar e perdoar aos outros em qualquer que seja a situação, pois todos são UM e vocês fazem aos outros, o que fazem para si mesmos. Ao se sentirem amados, aceitos e perdoados, estarão felizes. A vontade de Deus para convosco é a felicidade eterna e a do Espírito Santo, é a comunicação pessoal de cada um de vocês com Ele.

Seus conselhos sempre os orientam em direção à paz e felicidade. Todavia seus egos apreciam conflitos e, assim,os direciona em direção a eles. Ao seguirem a orientação do Espírito Santo, ela irá lhes trazer paz e contentamento, se seguirem o stress da orientação do ego, o medo e a decepção surgirão.

Frequentemente, seguem a orientação do ego porque se sentem menos adequados, pouco importantes, ou com medo e, então, acham que estando de "pé por si mesmos", atacando os outros ou se defendendo deles, seja algo como estarem defendo suas honras.

Na verdade, a opinião dos outros sobre vocês não tem sentido. O que importa são suas próprias e honestas opiniões de si mesmos, quando admitem suas falhas e erros, bem como suas bondades e generosidades. Então, olhando para si mesmos de forma justa e honesta, se perdoarem completamente por todos os pensamentos, palavras ou ações tomadas decorrentes da falta de amor e julgamentos. Como seres humanos, é impossível que não cometam erros. É através dos erros que aprendem e crescem espiritualmente.

A maioria das culturas humanas, frequentes educam suas crianças de forma errada, quando, em vez de amorosamente apontar os erros cometidos para, em seguida, lhes mostrar como corrigi-los. Como resultado, crescem no temor de cometerem erros que, no entanto, continuam a cometê-los e, depois tentam deserdá-los ou culparem os outros. (Veem crianças pequenas fazendo isso frequentemente!), que é muito estressante.

Agora, como adultos, estão numa posição para refletirem sobre suas vidas até agora e, ao fazê-lo podem ver que foram tratados injustamente, mas era assim com todo mundo, incluindo especialmente seus pais, mais velhos e superiores! Percebendo que podem ver a inevitabilidade da necessidade de uma pessoa culpar e envergonhar os outros, a fim de distraí-lo da consciência dos seus próprios e vergonhosos erros, renegam ou culpam os outros.

Vendo que todos estão lutando com problemas semelhantes de amor próprio e autoestima... podem começar a perdoar, primeiro a si mesmos e depois aos outros. Quando realmente perdoam um erro, em vez de fazerem uma aceitação relutante dele, enquanto ainda imputam culpa, irão se encontrar sentindo-se mais em paz e menos orientados a julgar ou culparem, seja a si ou aos outros.

Então, surgirá a consciência de que não julgam e culpam, porque amar e perdoar lhes traz-lhe satisfação e autoaceitação que não é perturbada, mesmo quando cometem erros e acham que podem perdoarem, imediatamente, a si mesmos.

É incrivelmente libertador admitir que tenham cometido erros, porque negar ou justificá-los drena enormes quantidades de suas energias, deixando-os esgotados, deprimidos e experimentando uma poderosa falta de autoestima. Também fica um grande temor de que seus erros sejam descobertos – coisa que provavelmente aconteceu com frequência durante suas infâncias–quando ficavam envergonhados.

Qualquer tentativa de envergonhar alguém, mesmo que por uma satisfação momentânea, voltará para assombrá-los quando estiverem envergonhados, ou através da culpa quando,naturalmente, perceberão suas incapacidades de amar.

Se alguém importante para vocês erra, analisem a situação, chamando sua atenção de uma maneira suave e silenciosa e, se possível ofereçam ajuda para corrigi-lo. Isso é amor comportamental, que pode transformar inimigos em amigos, que lhes trará uma merecida consciência de suas naturezas, boas e amorosas. Consciência de suas próprias bondades naturais, que fornece energia renovada e motivação para continuarem a operar a partir do seus centros divinos, onde Deus reside.

Cada um tem o poder de mudar o mundo, mudando a si mesmo e muitos estão agora fazendo, tornando a intenção diária de apenas ser amoroso. Às vezes falham, todavia, rapidamente se apercebem e renovam suas intenções, na medida em que perdoam a si mesmos por quaisquer falhas momentâneas.

As principais lições apresentadas a vocês durante suas vidas terrenas são que os erros são cometidos e precisam ser perdoados. Se você optarem por não perdoar tornar-se-ão devorados por ressentimento e amargura, lhes parecendo que estão sendo tratados injustamente e assim você tenderão a se lançarem contra outros, ampliando ainda mais esses sentimentos.

O Amor sempre perdoa erros, na verdade, ignora-os porque são irreais, apenas parte da ilusão. Só o Amor é real! E em que na verdade divina, devemos nos alegrar! Só o Amor é real e todos - atualmente encarnados na Terra como seres humanos –são e,o Amor Próprio é infinitamente amoroso. É Deus, a Fonte, eternamente amando ternamente sua criação que, em si é cada um de vocês, sem exceção.

Com muito amor, 

Saul.


Canal: John Smallman 
Tradução: Sementes das Estrelas / Candido Pedro Jorge
Veja mais mensagens do Saul Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...