domingo, 13 de março de 2016

Mabel Cristina Dias - "As Leis da Cocriação" - 11.03.2016



Existem leis universais que regem a criação e que são velhas conhecidas dos iniciados nas escolas de mistério, em todas as épocas da história. Recentemente, foram trazidas a público: A Lei da Atração e a Lei da Manifestação. Há quem as ame, há quem as odeie e isso tem uma explicação lógica.

A Lei da Atração diz: todo pensamento ou sentimento vibram, emitem um sinal e atraem de volta um sinal correspondente. Coisas com vibrações semelhantes se atraem. Dessa forma, lhe traz situações, pessoas, coisas e experiências que correspondem à vibração que você emite habitualmente.

A Lei da Atração diz que você tem a capacidade de criar a realidade em que vive, através dos seus pensamentos e sentimentos dominantes. Você cria sua própria experiência. Não é vítima de nada, é criador de tudo o que lhe acontece de bom e de ruim.

Magia ou delírio? Funciona ou não?

As Leis da Atração, da Manifestação e a nova física afirmam a mesma coisa: você (ou o observador consciente) cria sua própria realidade.

Isso soa mal para quem se considera vítima das situações e do destino. E o que dizer sobre criarmos um acidente ou a própria doença? Além de doentes deveríamos nos sentir culpados por isso? Como um bebê cria sua própria realidade? E o que dizer daqueles que tentaram criar fortuna da noite para o dia só com a força do pensamento e não tiveram êxito? Como entender todas as implicações por trás dessas leis?

Para ter as respostas a todas as perguntas é necessário saltar de paradigma. Para dominar as leis da cocriação é preciso antes expandir a percepção sobre a realidade.

Vejamos:

1 - “Pedir” é sentir.

Quando deseja criar algo ou alguma experiência, você não precisa pedir com palavras, basta intencionar. Pensamentos e sentimentos são ondas e vibram em determinadas frequências. Uma intenção forte é aquela em que pensamentos e sentimentos são focados e coerentes como um laser.

Mesmo que deseje que determinada coisa não aconteça, está pedindo por ela mesmo assim. Isso porque a está incluindo em seu campo vibracional quando dá atenção a ela.

Pensar repetidamente sobre o que quer é desnecessário. Basta sentir que aquilo que deseja já existe, mesmo sem ter se manifestado ainda. A onda que porta a possibilidade que se quer manifestar já existe no campo quântico. Creia, sem nenhuma dúvida e sem ansiedade em relação ao tempo que levará para que se manifeste na sua realidade. Essa certeza é o início da atração.

2 - Semelhante atrai semelhante.

A Consciência Una ou o Todo só entende a linguagem das vibrações e vai responder ao seu “pedido” com vibrações semelhantes, ou seja, de mesma frequência.

Basta não oscilar seu querer, que os sinais começam a chegar após determinado tempo. Na verdade, a onda se forma instantaneamente em outra dimensão da realidade. O tempo que leva para percebê-la só depende de você. Não atrapalhe a recepção emanando ondas de frequências diferentes às iniciais. Isso aborta todo o processo.

Até que comece a perceber seu “pedido” se manifestando na realidade, ocupe-se mantendo o foco no que quer, sustentando o sentimento de que já aconteceu, sendo grato por isso. Quando agir, siga a inspiração que recebe quando se alinha intencionalmente com a Consciência Una.

3 - Permita receber o que “pediu” (A lei da Manifestação)

Existe um fluxo de bem-estar e abundância no Universo. Você pode permiti-lo ou resistir a ele. O sentimento é o segredo que permite receber ou não o que pediu.

Quando o sentimento é intenso, seja ele positivo ou negativo, sua intenção e capacidade de manifestação são grandes.

Quando os sentimentos que predominam são positivos, você está permitindo a realização do que quer.

Quando são negativos, você está rejeitando o que quer, pela falta de alinhamento vibracional com sua Essência, que é alegre, abundante e amorosa.

Você deve vencer a resistência que o ego impõe e paulatinamente deixar a sua Essência, que vibra mais próximo à Consciência Una (amor, felicidade, abundância), atuar para que possa receber o que deseja.

Na prática, perceba a todo instante como está se sentindo. Essa será a melhor forma de saber qual está sendo a sua escolha neste momento. Quanto melhor se sente, mais está permitindo a conexão e a realização de seu desejo.

Muitas vezes você não manifesta o que quer porque está fixado em um padrão de vibração incoerente com seu desejo. Essa fixação se dá pelo hábito mental de reclamar, condenar, culpar, temer.

A única coisa que precisa fazer é, lenta e gradualmente, abandonar os pensamentos e sentimentos negativos que se habituou a cultivar (raiva, frustração, culpa, intolerância, etc.). Isso inclui a atenção que você dá às noticias ruins nas mídias. Se você não tem ainda equilíbrio suficiente para não se deixar afetar negativamente, evite-as completamente.

Preste atenção aos seus sentimentos e escolha intencionalmente os pensamentos que o façam sentir-se bem, a respeito de tudo.

Quando não se sentir bem, busque imediatamente qualquer coisa que lhe cause bem estar. Rodeie-se de coisas boas para você: pessoas, lugares, animais, natureza, músicas, livros, filmes.

No começo isso ajuda, pois aumenta sua vibração. Conforme você aprende a se manter alinhado com o Todo, menos precisará disso.

E o mais importante: o seu alinhamento lhe trará não o que seu ego quer, mas tudo o que sua alma precisa e pode obter. Aceite isso e relaxe.

Na escala da criação temos três situações:

1 - Vítima: A maioria das pessoas se encaixa aqui. A pessoa não se sente responsável pelo que lhe acontece. Sente-se vítima dos pais, do cônjuge, do governo, do clima, das suas doenças, do patrão, das crises econômicas. Seu sentimento é de impotência e derrota. Pode oscilar entre a raiva e a depressão.

2 - Criador: Uma pequena parcela das pessoas já consegue perceber que não é uma vítima, que pode criar sua própria realidade. Tenta criar com o ego, somente pela intenção. Às vezes consegue, mas nem sempre. Oscila entre a euforia quando consegue o que quer e a frustração quando não consegue.

3 - Cocriador: Uma parcela ínfima das pessoas já sente que cria uma realidade extraordinária quando entra em fluxo (conexão) com o Todo. Quando se rende totalmente a esse fluxo, cria tudo o que sua alma pede, sem o mínimo esforço. O sentimento é de êxtase contínuo.

Mabel Cristina Dias


Autor: Dra. Mabel Cristina Dias 
Fonte: 
www.mabelcristinadias.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/dramabelcristinadias/
Veja mais Artigos Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...