quinta-feira, 9 de junho de 2016

Emmanuel Dagher - "Liberdade Completa" - 31.05.2016



Amor e bênçãos!

As energias a que tivemos acesso nestas últimas semanas criaram um caminho claro para nós, oferecendo revelações surpreendentes sobre como podemos experienciar a completa liberdade.

Este tipo de liberdade esteve ausente de nossa consciência pessoal e coletiva por milhares de anos. Mas, no final da década de 50 e no início da década de 60, aspectos dela começaram a retornar à consciência humana, e esteve se fortalecendo desde então.

Na verdade, como resultado dos vários e importantes encontros globais do coração que ocorreram neste ano – juntamente com a ancoragem da rede da Estrela Sagrada, promulgada em nome de toda a humanidade, em 15 de Abril, nas Nações Unidas – uma grande abertura e despertar ocorreram em nossa consciência pessoal e coletiva.

Este despertar finalmente permitiu que a mente coletiva da humanidade se abrisse e se conectasse com a freqüência da completa liberdade, que está agora entrando em nossa consciência.

Eu menciono especificamente a mente aqui, porque os nossos Espíritos sempre operaram no reino da completa liberdade.

A liberdade completa não foi ainda plenamente compreendida nas mentes da humanidade, porque a mente coletiva se ensinou há muito tempo a operar e a ter conforto nos padrões de sobrevivência.

Estes padrões levaram à crença de que a nossa mente tem limitações, e deve participar através de regras específicas. Isto também levou a mente a ser condicionada com a crença de que qualquer coisa que ela vê como um risco ou perigo em potencial que estamos enfrentando na terceira dimensão é muito real. Portanto, ela deve se proteger a qualquer custo.

É onde os padrões de sobrevivência da humanidade começaram.

O RETORNO DA LIBERDADE COMPLETA

Os antigos padrões de sobrevivência, profundamente enraizados, com que estivemos nos identificando, estiveram se manifestando nas últimas semanas. Você percebeu?

Isto está acontecendo porque estamos sendo convidados a dar uma boa olhada se queremos continuar a repetir estes padrões de sobrevivência, ou se estamos preparados agora para nos movermos em uma direção de liberdade completa do passado – libertação das ilusões da limitação e do medo que uma vez criamos para nós mesmos.

Uma das maneiras mais eficazes com que podemos começar a avançar para a liberdade completa, é questionar os pensamentos de julgamento ou de medo que a nossa mente tem sobre si mesma, sobre os outros e a vida em geral.

Por exemplo, digamos que a sua mente tem um pensamento que diz algo como:

“Ninguém me compreende.”

Você já teve um pensamento semelhante a este, em algum momento de sua vida?

Se um pensamento como este surgir, pergunte a sua mente o seguinte:

“Será que isto é 100% uma verdade Universal de que ninguém o entende? E ainda que isto seja completamente verdade, você quer que as coisas permaneçam assim?” Responda simplesmente aqui um sim ou um não.

Se você respondeu com um sim, eu o convidaria a considerar o seguinte:

Existe alguma chance de que em algum nível inconsciente, você tenha escolhido ser mal interpretado, a fim de se separar dos outros, como uma forma de se manter seguro e protegido?

Se houver até uma possibilidade de 5% de que a experiência de você ser mal interpretado seja simplesmente uma defesa que a sua mente criou para se manter segura, para evitar se sentir vulnerável em torno de outros, então, isto poderia ser um momento de mudança de vida para você.

Porque, quando compreendermos que cada experiência em nossas vidas é um resultado da nossa escolha desta experiência em algum nível de nosso ser, estejamos conscientes disto ou não, então, não precisaremos mais nos envolver em padrões de vítima/sobrevivência como a nossa verdade.

No momento em que percebermos que isto nunca se referiu aos “outros” que não nos compreendem, mas sim, sobre nós que não nos entendemos, então, resgataremos o nosso poder e nos tornaremos o Criador de nossa vida novamente.

Vamos observar outro pensamento que pode ter estado profundamente enraizado em nossa consciência:

“Como uma pessoa espiritualizada que oferece serviços de cura, sinto que é errado aceitar dinheiro por estes serviços.”

Se você já teve um pensamento assim, pergunte-se:

“Será que eu sei que isto é uma verdade absoluta? E se assim for, o que me levou a acreditar que esta ideia seja verdadeira?”

Veja o que surge para você. Poderia ser um pensamento que resulta de uma educação religiosa nesta vida, ou de uma crença que vem de uma vida passada, em que você equiparou a pobreza a ser mais espiritualizado.

Poderia ser que você viu tantas pessoas fazerem um uso errôneo do seu poder, especialmente quando se tratava de seu relacionamento com o dinheiro, que você decidiu julgar e colocar a culpa no próprio dinheiro, considerando-o indigno do seu tempo, energia ou espaço.

Mas você pode imaginar como o seu melhor amigo ficaria traumatizado se você o culpasse por todos os problemas do mundo? Bem, o dinheiro não é diferente! Ele tem uma consciência. Ele sente e responde aos nossos sentimentos em relação a ele, e quer ser útil a nós.


O dinheiro foi originalmente concebido como um símbolo que representa uma troca de energia. Esta troca é parte de um sistema de equilíbrio da Energia Universal, conhecido como o Princípio da Circulação. Isto também significa que a energia que o dinheiro representa é viva e sempre foi viva.

Você pode imaginar o que acontece, quando tratamos de qualquer área da vida de uma forma que seja cruel e sem amor, portanto, separando-a de nós.

Se fizéssemos isto a um melhor amigo ou a um parceiro, eles correriam em outra direção e nunca gostaria de nos ver novamente.

Quando encaramos a crença que diz: “Como uma pessoa espiritualizada que oferece serviços de cura, eu não devo aceitar dinheiro”, podemos claramente ver que isto é um julgamento que decidimos fazer.

Como resultado deste julgamento, nós não apenas nos bloqueamos de permitir uma troca de energia que honre o nosso tempo e esforços. Nós também desonramos a energia do próprio dinheiro, que é simplesmente a energia de dar e de receber amor.

Esta decisão pode ter sido baseada em nosso julgamento de como algumas pessoas tratam o dinheiro (com ganância, por exemplo). Nós, então, decidimos julgar o dinheiro em termos que não nos honram, ou ao papel sagrado do dinheiro no mundo.

Você pode ver que quando começamos a questionar os nossos pensamentos, criamos uma abertura em nossa consciência, através da qual podemos nos expandir para níveis mais elevados de consciência e, finalmente, para a liberdade completa.

Se você estiver sentindo qualquer resistência em relação ao que já leu, ou experienciando qualquer culpa ou tristeza sobre os julgamentos e crenças que manteve no passado, saiba que estas ideias foram formadas durante um tempo em que estávamos simplesmente fazendo o melhor que podíamos com o que sabíamos na época.

No passado, a nossa mente simplesmente escolheu operar no modo de sobrevivência, que é outra maneira de dizer que ela decidiu fazer de sua própria proteção a sua prioridade final.

Mas e se não mais se precisar usar padrões de separação e medo para se proteger?

E se a mente puder finalmente se lembrar de que o nosso Espírito nos manteve seguros o tempo todo, mesmo quando pensávamos o contrário?

Será que isto não libera espaço para tentarmos novas coisas que nos ajudarão a nos expandir para maiores estados de vivacidade, consciência e ser?

A mente se tornou muito confortável ao se identificar com padrões de sobrevivência, de modo que quando aberturas celestiais ocorrem em nossa consciência pessoal e global, ela experiencia muito desconforto.

Nosso único trabalho quando isto acontece, é ser uma presença compassiva para a mente, enquanto ela se ajusta e afasta os velhos padrões. Isto requer que simplesmente observemos a resistência da mente, sem tentar corrigi-la, mudá-la ou salvá-la.

Apenas observe e lhe envie amor, e a mente não mais se sentirá como se precisasse resistir às mudanças que estão acontecendo. A mente pode então, em seu próprio tempo, relaxar em nosso afeto e compaixão, como uma criança se sentiria segura nos braços amorosos de seu pai ou cuidador.

OS EFEITOS DE ACOLHER A LIBERDADE COMPLETA

Enquanto continuamos a fazer o nosso trabalho interno e deixamos ir os padrões de sobrevivência, acolhendo a liberdade completa para que seja os nossos Eus Divinos plenos, podemos notar algumas mudanças, tais como:

- Liberamos a necessidade de culpar todos pelos problemas que se apresentam em nossas vidas.

- Assumimos plena responsabilidade de que em algum nível, escolhemos passar por cada experiência para aprendermos e evoluirmos com ela, e para recebermos esclarecimento sobre o que realmente queremos criar.

- Liberamos a necessidade de agradar os outros apenas para nos adequarmos e sermos amados.

- Expressamos a nossa verdade de forma que esteja em alinhamento com o nosso bem maior.

- Tentamos coisas novas que nos ajudam a expandir.

- Entramos em novos relacionamentos baseados em honrar e celebrar a liberdade do outro, em vez de sermos possessivos e controladores.

- Desenvolvemos uma profunda conexão com o Espírito que ultrapassa toda a lógica.

- Tornamo-nos a primeira prioridade em nossas vidas.

- Não mais nos escondemos – aprendemos a operar a partir de nossa parte mais autêntica e honesta.

- Começamos a viver a vida com plenitude, ao invés de apenas passarmos por cada dia nos sentindo sem inspiração, e passarmos por movimentos do que nos foi dito que “devemos fazer”.

- Temos um profundo sentimento de amor e de compaixão por toda a vida, incluindo por nós mesmos, por nossa criança interior, por outras pessoas, pelas nossas experiências, e a nossa jornada.

- Operamos em um mundo de abundância e alegria eternas.

- Criamos o bem-estar e o equilíbrio físico, mental e emocional em todas as áreas de nossas vidas.

Assim, da próxima vez que a sua mente tentar convencê-lo de que as energias pelas quais estamos passando são desafiadoras, lembre-se de alguns resultados surpreendentes de ser livre!

Então, seja esta presença compassiva para a sua mente, de modo que quando problemas emocionais se manifestarem, ela possa superá-los com mais facilidade.

ILUMINAÇÃO

Se você esteve participando de seu trabalho interno durante os últimos meses como resultado de todas as mudanças que estão acontecendo ao nosso redor, você pode ter notado o desejo de rir mais ultimamente, de se divertir e de apenas se sentir como uma criança novamente.

Isto é uma confirmação de que você está entrando na próxima fase de sua jornada, que é ser um ser iluminado.

Um dos maiores efeitos de experienciar a liberdade completa é que nos tornamos seres iluminados.

Iluminação não se trata de passar toda a sua vida, sentado no alto de uma montanha, rezando. Mas se isto lhe trouxer alegria e satisfação, poderia muito bem ser levado a isto.

Iluminação simplesmente significa “iluminar-se”, (alegrar-se)

A maioria das pessoas, especialmente aquelas que são uma parte do movimento espiritual/da nova era, têm uma tendência a se levarem e a vida muito a sério.

Minha observação pessoal é que isto é por causa de sua natureza empática, e o desejo de querer “corrigir a humanidade”. Elas decidem que têm que salvar o mundo, assim elas colocam uma grande responsabilidade em seus ombros, que não era para elas realmente assumirem.

Se você está ainda optando por criar este tipo de realidade para si mesmo, pergunte-se:

Como isto me serve para acreditar que eu tenho que salvar o mundo?

Veja o que surge. No fundo, poderia ser que você acredita que precisa se salvar, incluindo se salvar de ter que sentir a dor do outro.

Mas, na realidade, como você pode salvar alguém que já é perfeito?

O Universo, o seu Eu Superior, são perfeitos. Eles nunca foram nada menos do que isto. É apenas que a mente precisava se distrair através dos anos, para se manter em uma realidade que ela sentisse que era segura. Assim, ela assumiu a necessidade de corrigir e de mudar as coisas – tentar fazer tudo certo, para que ela pudesse se sentir segura novamente.

Na verdade, no momento em que deixamos ir a necessidade de resgatar – no momento em que escolhemos nos iluminar (alegrar), apreciar a vida e não mais nos afligirmos pelas pequenas coisas – alcançamos um estado iluminado de ser.

Você pode imaginar como será o mundo quando todos baixarem a sua guarda e se permitirem se divertir? Apreciar alegremente os dons que a vida lhes oferece?

Bem, acredite nisto ou não... esta é a realidade para a qual estamos nos dirigindo. E ela começa com cada um de nós. Ela começa com cada um de nós, optando por nos comprometermos, aceitarmos que agora iremos aproveitar a vida. Termos diversão e brincarmos novamente.

Isto é a completa liberdade!

Assim, você está disposto a entrar em uma realidade de liberdade completa?

Até à próxima vez,

Paz e progresso,

Emmanuel


Autor: Emmanuel Dagher
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais Emmanuel Dagher Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...