sábado, 4 de junho de 2016

Geoffrey Hoppe - "Siga em frente... Para além dos problemas" - Maio / 2016


Geoffrey Hoppe, canalizador de Adamus (Saint Germain) e Tobias

Eu adoro fazer os workshops do Círculo Carmesim, provavelmente mais do que qualquer outra coisa que a Linda e eu fazemos. É a nossa chance de conhecê-lo pessoalmente e aos outros Shaumbra, para olhar nos seus olhos, ouvir suas histórias e compartilhar algumas risadas e lágrimas. Eu admito que fico um pouco nervoso, porque eu raramente sei o que o Adamus vai falar. Imaginem…., preparar-me para três dias intensos, com cerca de 80 pessoas de todo o mundo e não saber o que vamos fazer. No passado, em meus dias no mundo dos negócios, eu preparava meu discurso e depois ensaiava inúmeras vezes antes do evento ao vivo. Eu odiava falar em público, então eu me preparava ao máximo para evitar embaraços. Agora, só posso preparar a minha energia e, em seguida, confiar no que vai acontecer nos próximos dias. O engraçado é que sempre funciona e muito melhor do que eu jamais poderia ter planejado.

BOA Aventura, no Havaí, foi um evento estelar. Eu pensei que ia ser semelhante ao curso Integração da Luz, dois meses atrás, em Sydney, mas é claro que Adamus tinha suas próprias idéias. No início da primeira sessão, Adamus fez sua caminhada habitual ao redor da sala, olhando para todos os participantes nos olhos. Ele disse à platéia que eles pareciam desgastados e cansados e quase todos na sala acenaram com a cabeça em concordância, embora eu estivesse desconfortável com sua franqueza. Muitos deles tinham voado do outro lado do mundo para chegar ao Havaí, mas eles estavam cansados da sua jornada de vida também. Esta coisa de iluminação pode ser exaustiva.

E (sem mas aqui), E.... poucos dias depois, durante uma das sessões de discussão com Adamus, ele disse ao público que algo muito singular havia acontecido neste encontro. Ele disse que foi a primeira vez em qualquer reunião, desde o tempo de Tobias até agora, que as energias predominantes dos participantes não se tratavam de seus assuntos e problemas humanos. Ele explicou que, no passado, mesmo que o workshop fosse sobre Permissão Quântica ou Integração da Luz ou qualquer outra coisa, os Shaumbra traziam suas questões humanas - e talvez de forma adequada por causa dos desafios da vida - e que estas questões cotidianas da abundância, saúde, relacionamentos e auto-estima eram as energias predominantes na sala, independentemente do tema do workshop. Os participantes vinham com uma agenda enorme e desejo de resolver seus problemas humanos e isto, na verdade, moldava a direção geral do workshop.

Adamus anunciou que, apesar do cansaço que ele viu nos participantes do workshop BOA Aventura alguns dias antes, seus problemas humanos não ofuscaram o tópico do workshop.

Aqui está o que Adamus disse sobre esta descoberta:

"Uma coisa engraçada aconteceu no nosso encontro. Fiquei bastante satisfeito e fiz um relatório para o Clube dos Mestres Ascensos. Em todos os encontros Shaumbra, fossem com Tobias ou comigo, em todos os encontros que já tivemos, o grande número de questões e problemas que vocês traziam consigo mudava a natureza do encontro.”

"Este encontro é diferente. No outro dia, quando começamos, vocês não trouxeram seus problemas. Vocês não trouxeram seus problemas, medos, suas tempestades e neuroses e tudo o mais. Vocês não os trouxeram. Poderia haver alguns, mas vocês não disseram: Eu estou indo para este workshop para resolver este problema na minha vida, resolver aquele problema. Isso foi um grande passo. Foi a primeira vez para os Shaumbra que não havia essa enorme sobrecarga na platéia. (Aplausos da audiência) Vocês devem bater palmas para si mesmos. Sim.

 "E não foi alguma coisa que eu fiz. BOA Aventura poderia ter sido apenas uma sessão de muito choro. Vocês não vieram aqui para isso. De fato, vocês disseram: Chega disto tudo. Chega. É hora de seguir em frente. Vocês perceberam que ainda pode haver alguns problemas, mas disseram: Não vamos mais focar neles. Não vamos mais processar esses problemas. Vocês não vieram aqui para ficarem sentados na cadeira, dizendo: Espero que ele diga alguma coisa ou espero que tenhamos uma merabh e que algum milagre ocorra. Vocês disseram: Vamos seguir em frente. Vamos para além disso. Vamos começar com estar na vida. Vamos ser livres."

De acordo com Adamus, depois de quase 15 anos fazendo workshops e Shouds, um enorme avanço ocorreu no Havaí. Em nome de todos Shaumbra, os participantes do BOA Aventura caminharam para além das questões e problemas humanos, em vez de colocar a sua atenção na iluminação incorporada. Tivemos 12 sessões em 4 dias e foi uma das canalizações mais fáceis que eu tinha feito em um longo tempo. O estranho é que eu estava muito cansado todas as tardes, então eu achei que era necessário (e relaxante) tirar uma soneca no meio da tarde tropical, mas isso poderia não ter nada a ver com o workshop.

Eu acho que todos Shaumbra devem comemorar essa notícia porque é indicativo do que todos nós estamos fazendo. Estamos caminhando para além do emaranhado dos problemas humanos. Não que não vamos tê-los, mas eles não vão ser o foco predominante de nossas vidas. Vamos fazer o "E" com eles, o que significa que vamos perceber que eles estão aí, mas vamos também perceber que eles são resolvidos. Esta é a nova dualidade. Está aí E não está. Vocês podem realmente brincar com os dois ao invés de ser singular. Esse é o jeito do Mestre.

Eu irei até o ponto de dizer que o foco da maioria de sua energia e atenção em suas questões humanas (abundância, saúde, relacionamentos e auto-estima) é um pouco egoísta por parte da faceta humana. Deixando-se ficar preso em questões humanas é indulgente e limitante. Você privar-se da sabedoria, o que Adamus chama de "néctar da alma". No Keahak, outro dia, ele disse que a única razão pela qual nós temos desafios em nossas vidas é para sermos capazes de utilizar a energia da criação para solucioná-los. É como a razão com que as pessoas fazem palavras cruzadas: Para resolvê-las. Mas não têm que ser duros ou cruéis ou punirem-se. Pode ser estimulante e revigorante. Imagino que alguns Shaumbra estão virando os olhos por causa disso, mas, francamente, eu prefiro tirar o meu foco dos problemas humanos muito antigos e obsoletos, para colocá-lo no uso das energias da criação. Eu prefiro expandir a estagnar. Em vez de arrumar desculpas para mim mesmo porque eu não posso seguir adiante (infância difícil, não inteligente, sem abundância, pausas ruins na vida), eu prefiro reunir minhas energias da criação e seguir em diante com resolução e sabedoria.

Foi um longo tempo para chegar até aqui, meus amigos Shaumbra. Todos nós já tivemos alguns tremendos fardos da vida, que às vezes pareciam intransponíveis. Mas foi uma ilusão perversa. Somos Mestres na Nova Energia. Nós criamos a nossa realidade a partir da consciência, não da força ou do poder. Onde colocamos nossa consciência é onde a nossa realidade começa. Isto não é "pensamento positivo". É permissão. Há uma enorme diferença entre os dois. Um usa a força e o outro usa as energias naturais - as energias que já estão aqui para servir-nos quando nós permitimos.

Eu não acho que teremos outro Shoud ou workshop, no Círculo Carmesim, onde os antigos problemas sejam uma grande nuvem que paira sobre a sala. Estou animado para estar com vocês no que vem a seguir. Eu amo fazer os workshops, então vocês podem imaginar o sorriso enorme que eu tenho no meu rosto agora. Estamos seguindo em frente, para a vida sem poder, onde tudo vem a nós.


Autor: Geoffrey Hoppe 
Tradução: Léa Amaral – lea_mga2007@yahoo.com.br
Veja mais Geoffrey Hoppe Aqui

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...