sábado, 4 de junho de 2016

Natalia Alba - "As Energias de Junho de 2016"



Após um desafiador, porém, ao mesmo tempo, abençoado período de incorporação da alma e integração dos níveis mais elevados da consciência, agora, começamos a ressuscitar para toda uma nova realidade, por estarmos plenamente conscientes de todas as ilusões humanas, que ainda obscurece a nossa capacidade de discernir o que verdadeiramente é – em todas as nossas experiências e relacionamentos.

Maio abriu o portal para que comecemos a acolher e aceitar todas as revelações de que precisamos para a própria jornada da alma. Junho vai continuar a derramar mais luz em tudo o que vamos receber. Este processo de revelação continua por todo o verão. Nos meses seguintes, tanto em nosso interior, quanto no coletivo, vamos continuar a ver mais do antigo desaparecendo, à medida que optamos por uma Realidade Superior – enquanto as Sementes da Nova Terra, que somos – acima de todas as formas de ilusão.

Durante este período de autorretrospeção e iluminação, visto que não há nada retrógrado no Universo, apenas a dádiva para nos interiorizar e nos comunicar com a nossa alma, podemos ter deixado para trás antigos companheiros, empregos e/ou outras situações que estavam nos impedindo de acessar o caminho que a nossa alma está nos orientando a tomar. Isso é porque estamos também liberando nossos velhos aspectos, uma vez que eles não nos servem mais, e o processo da alquimia interior e da liberação é agora essencial, para que adotemos novos companheiros, assim como para criar novas experiências de vida alinhadas com a nossa jornada.

Lembrem-se de que, na maioria das vezes, os relacionamentos servem para nos mostrar determinados aspectos nossos que devem ser integrados, e, que depois de assim fazermos, nossa ligação cumpriu o seu propósito. E, conforme continuamos a baixar novos aspectos da essência de nossa alma, incorporando-os em nosso veículo, nos tornamos Um com eles, não vamos mais deixar que nosso eu humano controle o que devemos liberar ou não em nossas vidas. Em vez disso, vamos parar de forçar e começar a permitir que a Inteligência Superior nos oriente, em direção ao lugar que deveremos estar em seguida, a fim de ajudar a Todos.

Devemos aceitar/integrar a dor que o fato de deixarmos o velho para trás, nos provoca, mas não devemos permanecer aí, ansiando por aquilo que deve ser descartado em nossas vidas, visto que sabemos que nunca viemos aqui para ficar apegados a alguma coisa ou a alguém, mas para acolher a totalidade, a unidade, a liberdade e a recordação constante, e como viver no Amor Divino – uma Força que jamais julga, e que liberta a todos, porque sabemos que a separação é apenas uma ilusão – que experimentamos em nosso domínio humano.

Vamos nos lembrar de que o amor que nós somos – em essência – e que vimos aqui incorporar em nosso veículo humano, é a frequência que junho sustenta: um número 15, que reduzido nos dá o número 6. Embora o número 15 seja representado, no tarô, pela carta do diabo, confirma todo o trabalho interno que vimos fazendo, ao integrar as nossas sombras, vendo além das ilusões humanas o que é real e o que não é. O número 6, do lado oposto, representado pela carta dos amantes, no tarô, o que para mim, não se refere apenas aos relacionamentos físicos, mas aos internos, que têm que ocorrer a partir de dentro, antes que isso aconteça, confirma o lugar em que estamos chegando – um estado de ser equilibrado, com base na reunião perfeita das nossas essências Yin e Yang, e portanto, de nossa contraparte.

É de fato, ao adquirir o equilíbrio perfeito e a unidade interna, que podemos realmente fundir-nos com o outro com integridade e igualdade. Caso contrário, vamos continuar repetindo os antigos padrões, atraindo as pessoas que não vão nos complementar e cocriar conosco nesta nova etapa, mas que, em vez disso, não estarão alinhadas com aquilo que verdadeiramente desejamos manifestar, agora, a partir de nossa alma. Encontrar o amor internamente, visto que não poderia estar em qualquer lugar, pessoa ou coisa externa, é para mim a mensagem principal da essência amorosa que o número 6 traz.

Em um nível cósmico, começamos este maravilhoso mês de junho com mais uma Lua Nova a 15 graus de Gêmeos, como um lembrete de que estamos agora passando das profundezas de nossos domínios internos para o nosso plano mental, e, como o elemento ar está constantemente mudando e se adaptando para o que é novo, e também, como a mutabilidade de Gêmeos nos lembra,   o que estamos sendo chamados a fazer no momento: fluir e nos adaptar à mudança, enquanto prosseguimos criando nosso novo caminho.

Esta é uma Lua que ajusta a frequência perfeita para que ancoremos em nossas vidas tudo o que criamos internamente. Estamos agora prontos, após nos tornarmos observadores de tudo o que não estava alinhado com o nosso caminho, para começar, novamente, a renovar e resgatar a clareza de que precisamos para produzir resultados, que sejam realmente provenientes dos desejos verdadeiros da nossa alma e não das visões ilusórias humanas de como as coisas têm de ser. Lembrem-se, a mudança começa internamente, não precisamos estar manifestando constantemente em nossa realidade externa, porque sabemos que, logo que criamos essa mudança interna, a nossa realidade física vai adaptar-se e mudar conforme fazemos isso.

Mercúrio, em movimento direto novamente, neste mesmo signo, faz com que a comunicação e tudo que está aguardando internamente para nascer, flua livremente. Visto que estamos ainda em profunda comunhão com a nossa alma/Eu Superior, e a mensagem para nós neste momento é dar à luz aos nossos desejos, após as energias intensas que nos convidaram a nos interiorizarmos e simplesmente refletir acerca da autenticidade de nossa visões e criações internas – nos expandindo para novos horizontes, sabendo agora que o nosso caminho está sendo iluminado, em todos os momentos, pela Verdade Superior, e que apenas temos que optar por acolher e seguir isso com a confiança divina.

Em 13 de junho, Netuno, o planeta da ilusão e da intuição, ficará retrógrado. Com Netuno retrógrado, navegamos agora entre nossos domínios interiores, ao trazer para a superfície o que estava oculto e era desconhecido, e que precisa ser unificado. Podemos cair em sentimentos ilusórios, enquanto esse Planeta não nos garante sermos salvos, quando escolhemos mergulhar profundamente em sua águas, mas essa é uma oportunidade para que utilizemos o seu poder para nos libertar de todas essas ilusões – que o nosso eu humano cria. E, em 17 de junho, com a segunda quadratura Saturno/Netuno, podemos cair em velhas armadilhas, mas, às vezes, apenas temos que mergulhar nas profundezas de nosso ser e reconhecer a ilusão que surge novamente, com uma clareza maior do que realmente é autêntico para nós.

É um momento perfeito para purificar o nosso corpo emocional do velho e discernir se os nossos sentimentos estão vindo de um lugar mais elevado de amor, compaixão e integridade – para nós mesmos e para os demais – ou se ainda estamos baseando nossos desejos em emoções primárias e egoicas, que não nos servem, nem ao Todo. Por outro lado, as energias netunianas também nos concedem a criatividade e o dom de expandir nossas capacidades intuitivas, visualizando a partir de novas criações e comunicando-nos com o Eu Unificado que, em verdade nós somos, ao recuperar antigas memórias ocultas das profundezas de nossa alma, para ajudar-nos e ao Todo.

De 17 de junho até o fim do mês, com o ponto culminante em 20 de junho do solstício de verão, estaremos em uma passagem cósmica muito intensa, para finalmente desfazer antigos padrões e aceitar a Verdade, visto que todos os eventos planetários que acontecem nas últimas duas semanas, serão todos acerca da revelação do que ainda é invisível do nosso ponto de vista humano, principalmente com a segunda Lua sagitariana, e libertar-nos de todas as ilusões.

Esta segunda parte do mês traz sensibilidade e uma conexão profunda com o nosso Eu Unificado/Alma/Equipe de Guias. É um período de profunda contemplação interior e rendição. Começamos com Vênus entrando em Câncer neste   mesmo dia,     juntamente     à   segunda   quadratura de Saturno/Netuno, seguida por uma segunda Lua Cheia em Sagitário e o solstício do verão/inverno.

As energias que vamos integrar, ancorar e estabilizar estão além do que conseguimos imaginar. Guardiães dos portais estarão ocupados abrindo os portais e ancorando essas novas ondas de luz. Mais tarde, virão a incorporação e a estabilização e devemos sempre permanecer na Presença luminosa de nosso Eu Superior/Alma para lidar com tudo o que este precioso momento nos revela, bem como os novos desafios – oportunidades – que serão apresentados em nossa nova jornada.

Tudo o que recebemos neste poderoso período, dos Reinos Superiores/Internos,   será tudo o que precisamos para avançar e liberar o velho. É tudo o que não estamos vendo plenamente de nossa perspectiva humana limitada e que a nossa Alma/Eu Unificado/Guias vão nos mostrar, se escolhermos nos libertar da limitação que nos impusemos. Isso pode desestabilizar-nos em algum momento, mas sabemos que somos apenas canais para purificar todas essas energias vindouras, que precisam de ser liberadas, consequentemente, permanecemos centrados em nossos Corações Superiores, sabendo que é somente desta forma que podemos ajudar o Todo, por sermos nós mesmos estáveis e por permanecermos em nosso estado natural de bem-aventurança e paz.

Em 17 de junho, também, Vênus, o planeta da abundância e do amor, entrará no signo amoroso e cuidadoso de Câncer. Essa é uma nova mensagem para incorporarmos o amor em todos os aspectos de nosso ser e em nossas vidas. Vênus, em Câncer, é criativo, o que juntamente a Netuno vão nos ajudar a trazer para a vida novas criações da alma. É estimulante e gosta de cuidar não somente de nossos relacionamentos com nossos entes queridos, mas também o primeiro e mais importante deles todos – o que mantemos com nós mesmos. Lembrem-se de que o amor começa por amar a pessoa que somos, todos os nossos aspectos, sem qualquer julgamento, visto que é apenas por nos amar e nos aceitar completamente, que podemos realmente estar em um relacionamento e dar a partir de um lugar de amor e não de dependência.

É também um momento maravilhoso, com Vênus em Câncer, para nos reconectar à nossa criança interior e curar antigas feridas que vêm nos impedindo de nos amarmos plenamente – questões relacionadas com abandono, perda e tudo o que mexe com as nossas feridas mais profundas. É essencial que se curem essas feridas internas, antes de compartilhar nossas vidas com um parceiro e ter relacionamentos autênticos e integrados. Olhem internamente, sejam honestos consigo mesmos e percebam se vocês têm que dedicar mais tempo para curar-se e conduzir todo o amor que vocês sentem dentro de vocês e que Vocês são, em direção a si próprios, primeiramente.

Outro importante alinhamento cósmico, que estará acontecendo nesse mesmo dia, é a segunda quadratura Saturno/Netuno em 17 de junho. Será um momento fundamental para avançarmos além de nossas visões humanas limitadas, e descobrir como nos libertar do que estiver nos escravizando, o que nada mais é senão as próprias criações sob falsas ilusões. Ambos os Planetas são formidáveis forças opostas, ambos representam um aspecto nosso – assim como faz todo o cosmos – que, se polarizado, pode nos levar a extremos e desequilíbrios. Nossa tarefa é conduzir essas energias ao equilíbrio, encontrando a unidade interna e em nossas vidas físicas, em lugar da fragmentação e do caos.

Saturno rege o mundo material, convidando-nos a ser disciplinados e construir estruturas seguras em nosso mundo físico. Por outro lado, temos Netuno, o sonhador, aquele que transcende o que é tangível e que possui forma, a fim de mergulhar fundo em nosso ser, no etéreo, que não é visto com os nossos olhos físicos, mas que é tão importante quanto o que podemos tocar fisicamente.

Ambos os planetas, em sua natureza oposta, criam o equilíbrio perfeito. Somos os que agora têm também que criar a mesma harmonia desses diferentes poderes, que também residem em nós, fundindo-os como Um. As Forças Cósmicas não ditam a nossa realidade, nem limitam quem nós somos. Somos responsáveis por todas as limitações que nos impusemos, assim como somos também imensuravelmente poderosos para transformar tudo isso, ver a verdade e começar a viver na possibilidade.

Neste momento, podemos também ter a tendência de permanecer em nosso passado, conforme visitamos o que o nosso eu humano escondeu há muito tempo, visto que se recusa a aceitar o que é. Deixem pra lá. Não julguem o ser divino perfeito que vocês são, que conhecem o melhor. Aceitem esses sentimentos como parte de quem vocês são e transcendam essa dualidade, ao lembrar-se de que, é somente por vivermos em nossos corações e vermos a sabedoria que aí está, que podemos nos libertar do temores, e continuar nos expandindo em nosso verdadeiro propósito. Às vezes, é quando revisitamos o velho, que conseguimos reconhecer realmente o que deve ser mudado, e então, nunca é aquilo de que sentimos medo, mas uma bênção para reconhecermos a dor – não ficar com medo de nossos sentimentos, mas transcendê-los com uma compreensão superior e compaixão por nós mesmos.

Em 20 de junho, temos ambos: a segunda Lua Cheia a 29 graus de Sagitário juntamente ao Sol entrando no cuidadoso signo de Câncer, e o solstício do verão/inverno. A Luz dessa Lua Cheia, que é uma continuação da primeira Lua em Sagitário, em uníssono com o solstício do verão/inverno, nos dão a mesma mensagem: render-nos ao divino e a tudo o que se está revelando para nós e aceitar com gratidão tudo o que foi mostrado durante essa passagem.

Essa segunda Lua sagitariana é a nossa segunda dádiva do Universo, para fazermos a distinção entre o que é real e o que deve ser descartado. Todos esses alinhamentos cósmicos nos convidam a nos perguntar: “Liberamos e nos esvaziamos para que possamos agora adotar uma nova vida? Libertamo-nos das antigas programações mentais, recuperando as verdades superiores que estavam há muito ocultas em nosso DNA? Ou estamos ainda apegados a determinado resultado ou a determinada pessoa, sabendo que é nossa natureza estar em um constante estado de fluxo?” Esta Lua Cheia vai nos ajudar a recuperar nova orientação – revelando tudo o que precisamos para integrar neste momento, por meio da recordação da alma, e que só temos de escolher conscientemente olhar essas “sombras” na face, lembrando-nos de que elas não são “más”, uma vez que estão apenas mostrando algo que precisamos para iluminar/ativar, internamente, todo esse conhecimento esquecido.

O Sol, que representa o nosso Eu Superior, entra agora em Câncer juntamente ao solstício de verão, para aqueles que vivem no hemisfério norte, e inverno para os que residem no hemisfério sul. Somos convocados a fundir o que ainda estiver fragmentado, ao nos amar e nos cuidar, conforme o signo de Câncer nos relembra, bem como liberar o que restar do velho e tudo o que não estiver alinhado com quem nós nos tornamos.

A Luz do solstício pode causar um enorme impacto em nosso ser interior e em nossos veículos físicos, conforme nos ajuda a purificar nosso eu inferior, enquanto continuamos baixando novos aspectos de nosso Eu Superior. Chegou a hora de darmos esse passo final, de saltar para o desconhecido, e começar a viver nesta Nova Era de amor e autenticidade, ao deixar para trás as antigas maneiras e embarcar em uma nova aventura de automestria e de como cocriar o nosso novo caminho sem trazer de volta   os antigos padrões de pensamentos.

E como estamos constantemente em um processo de transformação e de expansão interior, neste momento, as antigas feridas podem surgir internamente, enquanto acolhemos os novos aspectos da Verdade, que para isso, temos o Curador Ferido, Quíron, em movimento retrógrado, em 27 de junho. Lembrem-se retrógrado é apenas outra percepção humana limitada, que temos a partir da Terra. Quíron vai nos ajudar a curar-nos, lembrar-nos de que somos os próprios curadores, e que é somente por meio de nosso trabalho interno, da aceitação da dor e da liberação, que podemos realmente nos curar, ninguém mais pode, a não ser o poderoso ser divino que reside internamente.

Podemos nos sentir mais emotivos e mais ainda com Netuno – também retrógrado no sensível Peixes, mas tudo está acontecendo para que possamos iluminar nossas sombras internas e nos curarmos de todas as ilusões humanas, que apenas continuam fragmentando o nosso ser e colocando o nosso poder na ilusão de que outras pessoas podem nos curar ou nos capacitar. No coletivo, Quíron, também nos convida a todos para nos unirmos como Uma Consciência Unificada, em vez de promover a antiga sensação de separação e consciência de vítima.

Também podemos optar por nos tornar fortes – nos lugares rompidos – em vez de nos sentir como meros fantoches, movidos pelas cordas, ao assumir o controle de nossas vidas e nos educar para não repetir mais os mesmos antigos padrões. Trata-se de uma poderosa energia de cura, que podemos direcionar para curar nossa percepção humana da polaridade, bem como nossas dores mais profundas do passado, que estão ainda nos perseguindo, nos impedindo de fluir plenamente, e de aceitar o nosso estado natural de bem-aventurança e paz interior.

Encerramos o mês com o guerreiro, Marte, em Escorpião, em movimento direto novamente. Marte representa o nosso poder interno, e como confrontamos os nossos desafios, se com força e sabedoria ou com o comportamento impulsivo que a sua força potente pode também nos oferecer. Somos, agora, convocados a direcionar toda essa energia ígnea para queimar o velho, com gratidão, por aquilo que ele nos ensinou, e, em vez de sermos impulsivos e forçar que as coisas aconteçam, apenas fluímos e canalizamos essa força para construir, não para destruir, visto que, após toda essa reflexão, enquanto ele estava retrógrado, agora temos uma visão mais elevada do que devemos desfazer, enquanto Marte mergulha nas profundezas de nosso ser, ao estar em Escorpião, de modo que estamos prontos, agora, para agir a partir desse mesmo lugar mais elevado de sabedoria, clareza e criação consciente.

A dádiva cósmica que este mês de junho nos oferece, é acolher a liberdade de todas as maneiras, continuar dando formas às nossas visões interiores e continuar nos expandindo em nossos dons anímicos. Quando agimos a partir de um lugar total de confiança divina, rendição e alinhamento com o nosso Eu Superior/Alma – sentimentos, pensamentos e nossas ações alinhados como Um, e finalmente somos capazes de baixar/manifestar os resultados que estamos tão ávidos para materializar em nosso mundo físico e que sempre tivemos o poder de criar, apenas optamos por remover o nosso poder com os antigos padrões limitados.

Lembrem-se, se vocês foram forte o bastante para criar resultados que não ressoam com vocês, nem com o lugar em que estão, vocês são até mais poderosos para transmutar todas essas frequências passadas que vocês mantêm em um lugar superior e dar à luz algo que esteja realmente alinhado com quem vocês se tornaram agora.

Desejo a todos vocês um mês de junho abençoado, abundante e amoroso, caríssimos!

Com amor e luz, sempre,

Natalia Alba.


Autor: Natalia Alba  
Fonte: http://www.starseedsoul.com/
Facebook: Aqui
Tradução: Ivete Brito – adavai@me.com –
Veja mais Artigos Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...