sexta-feira, 22 de julho de 2016

Jennifer Hoffman - "Entrando em novos espaços energéticos" - 12.07.2016



Se você esteve sentindo os efeitos das grandes mudanças e transmissões de energia que tivemos na semana passada, não fique muito à vontade ainda, porque elas continuarão durante esta semana. Estamos em um ciclo de energia muito ativa e dinâmica, agora estamos nos dirigindo rapidamente para novos paradigmas e portais da multidimensionalidade através da transformação da velocidade da luz (literalmente). Você está vendo isto acontecer em sua vida e de que maneira? Você está sobrecarregado com as mudanças ou se sentindo preso, ou está em algum lugar intermediário, à espera do momento adequado e perfeito para agir?

Estivemos movimentando muita energia e agora é o momento de entrarmos nos novos espaços energéticos que criamos. Mas, como eu aprendi em minha recente mudança de país, há uma grande diferença entre os dois, e eles são dois processos separados. Comparado a “mudar-se”, a parte do movimento é fácil, pois requer tempo e esforço para se estabelecer em um novo lugar. Há um processo com a mudança, que pode tornar menos frustrante, mais eficiente e menos confuso e este é o tema do artigo do boletim desta semana.

Como com tudo no universo, há um processo ao movimentar a energia dentro e fora de nossos espaços energéticos, e nem sempre é um processo gracioso e fácil. Na verdade, às vezes a parte da mudança pode ser tão frustrante e desafiadora que podemos nos perguntar se fizemos a escolha certa ao movimentar a energia em primeiro lugar. Nós o fizemos, mas, simplesmente, não passamos de um espaço energético para outro (o que acreditamos que acontece). Em vez disto, temos que considerar cuidadosamente que aspectos de nossa “velha” energia nós iremos colocar em nosso novo espaço energético, o que funciona, o que simplesmente não se encaixa, e, então, fazer os ajustes adequadamente. É um processo que requer tempo, pensamento e vontade de adotar novas perspectivas sobre nós mesmos, nossas “coisas” e estabelecer novas intenções que incorporem os novos potenciais que criamos para a nossa vida com o nosso movimento da energia para criarmos uma nova base.

Afastar a energia de nossos espaços energéticos é relativamente fácil. Nós apenas decidimos o que queremos manter e o que estamos preparados para deixar ir, então, arrumamos o que sobrou e começamos a jornada para o nosso novo espaço. Então, chegamos lá e percebemos que não somente temos que desempacotar tudo o que trouxemos conosco, temos outra série de decisões a tomar – o que irá se ajustar em nosso novo espaço e onde colocá-los, e o que simplesmente não se encaixará, assim temos que liberá-los. É como entrar em uma nova casa onde você tem que encaixar os seus móveis no espaço e se livrar das coisas que não funcionam, não se encaixam, ou não parecem adequadas. Estou no processo de fazer isto agora com a minha nova casa e tem sido um pouco frustrante.

Desde que acreditamos que um movimento para as dimensões mais elevadas é feito com graça e facilidade, o que significa que é gracioso e fácil, quando se torna muito deselegante e difícil, pensamos que algo está errado com o processo, que fizemos uma escolha ou movimento errado, ou que estamos agindo errado. Nada disto é verdade, a mudança tem o seu próprio processo.

Se você já mudou de casa, sabe que todas as casas têm diferentes formatos e energia, e as coisas de sua antiga casa podem não se encaixar em sua nova casa, seja no espaço ou com a energia. Então você tem que passar pelo ciclo de manter/liberar novamente, e decidir se os manterá ou abrirá mão deles. Isto não é uma escolha fácil de fazer quando é algo que você valoriza e que fez o esforço para trazer junto com você.

Todos os nossos pertences (físicos e energéticos) são funcionais, memoráveis e úteis e quando entramos em novos espaços, físicos ou energéticos, estes aspectos podem mudar. O que foi funcional em nosso antigo espaço pode não ser no novo, o que foi uma vez memorável pode não ser e o que foi uma vez útil não é mais útil em uma comunidade de praia do sul. Estamos preparados para mover a energia quando o que estivemos trabalhando não mais se encaixa ou nos convém, quando temos que nos afastar do caminho da energia e a atual energia não pode capacitar as nossas novas intenções. É quando sabemos que é o momento para a transformação energética. É o momento de movimentar a energia.

Então, chegamos a um novo espaço energético e temos que criar a nossa nova vida a partir deste espaço. Embora pensemos que é um processo lateral, não é. Fizemos um grande salto vertical na freqüência e na vibração e isto exige que criemos um novo propósito para nossas coisas físicas, mentais, emocionais e espirituais. Ajuda se nos lembrarmos de nossa intenção original para mover a energia e isto proporciona clareza no próximo nível de escolhas sobre o que estaremos mantendo e o que poderemos agora liberar.

A escolha de liberar deve se basear no ajuste energético e não em nossas emoções, embora o processo possa ser bastante emocional. A lembrança de nossa intenção desviará um pouco a energia emocional, parte da qual pode estar baseada no arrependimento, na culpa e no medo. Temos sempre medo de não concluirmos totalmente uma lição, de que criaremos um karma adicional, que todos precisam ser curados, que precisam ser completos, inteiros, e que temos que fazer um encerramento conosco antes que possamos avançar, e que se não realizarmos estas coisas, teremos que repetir a lição. Ou temos medo de que iremos liberar algo de que precisaremos mais tarde. Mas não temos que temer nada disto quando nos desligarmos de nossos medos e tivermos uma perspectiva mais elevada com base em nossa intenção e o que iremos alinhar com ela. Então, a escolha é clara e não há arrependimento.

Mover a energia é um processo, entrar em um novo espaço energético é outro, e quando nos lembramos de que não iremos ficar surpresos com o quanto esta transição pode ser difícil. Não é um pequeno passo lateral para outra freqüência, é uma transição para uma nova vida, multidimensional, com uma freqüência e vibração mais elevada que requer uma mudança na perspectiva, intenções claras, uma disposição para permitir que aconteça o alinhamento com a nossa intenção, e o conhecimento de que a graça e a facilidade nem sempre é gracioso e fácil. Mas os nossos esforços serão recompensados com a abertura de novos potenciais e um novo espaço energético que está totalmente alinhado com a nossa intenção para uma vida cheia de alegria.


Autor: Jennifer Hoffman 
Fonte: http://enlighteninglife.com/
Facebook: Jennifer Hoffman
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais Jennifer Hoffman Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...