terça-feira, 12 de julho de 2016

Mestre Hilarion - "Ama teu próximo como a ti mesmo" - 07.07.2016



Amados irmãos,

As experiências que vocês tão vivenciando neste momento em Gaia são efeitos residuais do jogo de luz e sombra que vocês aceitaram e planejaram jogar.

Vemos muitos ainda se lamentando porque nada mudou. E isso é muito importante, porque ao se lamentarem estão liberando sua frustração, que necessariamente não é pela mudança externa, mas interna.

O que suas almas anseiam é sentir a mudança dentro de vocês. Querem sentir conforto, alegria, serenidade e tudo o mais que vossos corações anseiam para que sejam felizes em qualquer lugar ou situação.

Alguns se sentem altamente incomodados com o modelo de vida que estão vivendo, mas não sabem exatamente o que fazer ou para onde ir. Para estes o conselho é: vão para o interior de si mesmos, descubram dentro de vocês o que realmente falta.

E eu respondo: falta se encontrarem com seus eus superiores, falta aceitarem o amor que bate à sua porta e você não vê, porque não está ainda pronto para vivenciar a liberdade e a verdade que este amor lhe traz.

Mas não veja isso como um dilema, isso simplesmente é o seu momento. É aquele momento em que você se põe a questionar sua vida e a si mesmo.

E que momento abençoado é este, porque agora você esta verdadeiramente se confrontando com seus egos e suas criações. A insatisfação, a frustração, a decepção e desilusão são sinais claros de que você está de fato encarando sua realidade.

E se há incomodo é o sinal mais claro de que você está mais uma vez saindo do torpor que o modelo de vida tridimensional impõe a todos que aceitam fazer esse jogo na escola de crescimento espiritual.

E você se enfurece porque tem a clara sensação de que já viveu essa história e não quer mais passar por isso de novo. Esse jogo já cansou, você não quer mais jogar e ainda assim se vê envolvido por toda monotonia e ilusões da tridimensionalidade.

E nós comemoramos porque se sente assim. De fato, a sensação de já terem vivido isso é real. Vocês são mestres experientes, já passaram por isso em outras escolas da alma e é por isso que de repente tudo parece ser tão entediante.

Mesmo sabendo disso, porque nós lhes dizemos isto o tempo todo, ainda assim isso não lhes dá alívio. Há um desânimo, um peso no ar, uma sensação de vazio que nada parece preencher.

Uma espera, com um certo grau de expectativa. Uma vontade de jogar tudo pro alto e ir... mas ir pra onde?

Observem queridos que estiveram tanto tempo ocupados com suas faxinas internas, com egos e crenças, procurando, buscando e agora é o momento de olhar o que restou.

E para muitos o que restou não agrada, não é o suficiente. Vocês querem mais, muito mais e pensam que isto está relacionado ao local onde estão, às pessoas com quem se relacionam, às atividades que estão fazendo.

E sim, isto tudo pode estar correto, também. Mas a verdade é que sua alma está gritando por amor. É só o que ela quer e é só que vai satisfazê-los. E neste ponto de sua jornada o amor que sua alma quer é o seu amor próprio.

E como é difícil para vocês amarem a si mesmos. Vida após vida negando e escondendo esse auto amor e agora, vêm os mestres, os seres de luz e lhes dizem que devem se amar.

Mas isso não começou conosco. O nosso irmão Maior, Jesus Cristo, já lhes disse isso e mesmo assim vocês não conseguiram entender o recado.

Como assim, amar o próximo como a mim mesmo? Exatamente, meus amados. Observem como estão amando o seu próximo e saberão como estão amando a si mesmos.

Lembrem-se que todos são nossos espelhos. Observe como você está se relacionando com as pessoas próximas a você. Elas te irritam, te fazem sorrir, elas te sensibilizam ou te frustram? Faça esta análise e terá uma visão bastante realista de como você se ama.

Os seus relacionamentos são espelhos de sua auto-estima. Não se sintam culpados por não conseguirem “amar” a todos, mesmo porque se assim se sentem é porque ainda estão vivenciando o amor tridimensional, que é condicional por sua própria natureza.

Não se sinta obrigado a amar a todo mundo, mas ame livremente todo e qualquer ser. Isso parece um paradoxo, mas não é. Ser obrigado a amar implica em conviver com pessoas ou situações que o frustram ou lhe trazem algum tipo de sofrimento.

E amar livremente é ser capaz de vibrar amor incondicional por todos os seres e ainda assim sentir-se capaz e livre para romper relacionamentos ou mudar as situações que lhes são incomodas.

Quando estiverem prontos para agir, de forma consciente, começarão a fazer os movimentos dessas mudanças. Este será um momento impar, de grande alegria para vocês e para nós, porque estarão assumindo novamente o leme de suas vidas e da sua auto-mestria.

O amor próprio não é um sentimento que se busca. Ele brota naturalmente dentro de nós quando nos dispomos a nos libertar de tudo o que nos faz infeliz.
E é isso que vocês vêm fazendo, queridos, estão se libertando das amarras, das prisões que lhes impediam de assumir a sua própria luz. E este foi e ainda é para quem está começando agora, um trabalho árduo.

Vocês acumularam muita dor e sofrimento e se acostumaram ao amor-sentimento condicionalisado: toma lá e dá cá. Mas isso não é o amor verdadeiro. E se não é verdadeiro não deveria ser tão doloroso pra vocês deixar de amar assim.

O amor incondicional é benevolente, ele cria uma energia de alegria, paz e liberdade. Não obriga ninguém a viver o que não quer. Ao contrário, ele liberta tudo e todos para que busquem o seu caminho próprio de amor.

Então amados, preencham o vazio de suas vidas com amor. Conversem com seus corações para descobrir o que os faz realmente felizes. Lembrem-se que todas as respostas estão dentro de vocês e que para tudo há um momento certo de acontecer.

Se vocês estão vivenciando algo parecido com o que descrevemos aqui, sorria e parabenize-se. Estão a um passo da liberdade que o amor traz quando ele transborda de seus corações.

Eu sou Hilarion e amo vocês.


Canal: Laura Vendas 
Veja mais mensagens do Mestre Hilarion Aqui

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...