sábado, 30 de julho de 2016

Owen K. Waters - "O ego silencioso" - 28.07.2016



Na cultura de hoje, a palavra ego é geralmente aplicada a traços disfuncionais da personalidade. Se uma pessoa é controladora, detestável ou se tem acessos de raiva, diz-se que o seu ego é o culpado.

Os atributos disfuncionais do ego surgem da Velha Realidade da consciência da separação. A Humanidade passou milhares de anos explorando os efeitos da separação de outras pessoas, da separação de outros estados de consciência e da separação da fonte espiritual interior.

A consciência da separação provoca medos profundos: medos de que não haverá bastante amor, terra ou recursos. A partir destes medos surgem a inveja, a ganância e a agressão. Não é de se admirar que, após milhares de anos de consequências aterrorizadoras, a humanidade esteja pronta para avançar para a fase de cura da existência na Terra.

A Nova Realidade emergente traz a consciência centrada no coração. A palavra-chave da nova consciência é  integração, não  separação. Nas próximas décadas e séculos, a humanidade irá encontrar maneiras de resolver as diferenças e questões da separação, de formas que sejam inspiradas pelo amor incondicional e a compaixão. A violência pode gerar violência, mas baseia-se na ilusão da falta. O amor gera amor e, baseando-se em um componente muito real da Criação, tem o poder real.

Na Velha Realidade, os sacerdotes trabalhariam para estar no controle de suas congregações, repreendendo-as com acusações de que eram pecadores indignos. Naqueles dias, alguns professores que se afirmavam como espiritualizados,repreendiam severamente as suas audiências com acusações de que elas tinham problemas de ego. Na verdade, eles afirmavam, ter qualquer ego, sob qualquer condição, é ruim, ruim, ruim. Pessoas na platéia, mesmo as almas gentis com corações maravilhosos, começavam a duvidar de si mesmas. Afinal de contas, elas supunham, o professor supostamente esclarecido deveria saber melhor do que elas. E, por isso, o “verme” do controle começava a percorrer o seu caminho em suas mentes.

 A Nova Realidade não se trata do poder sobre alguém. Trata-se da autocapacitação, do poder com todos. O ego de uma pessoa espiritualizada não é um problema. É uma parte essencial do sistema humano, criado expressamente pelo Criador de toda a vida, fim de que ele experiencie a autoconsciência a partir de um número infinito de pontos de vista.

O Ser Infinito é a consciência abrangente, da qual o universo foi criado. Tudo no universo é criado da consciência. Assim como cada floco de neve é único, assim é cada pessoa. O seu objetivo principal na vida é experienciar a vida a partir de um ponto de vista único, individual.

Você não pode remover uma parte de si mesmo. O ego não pode ser rejeitado e esquecido. É o seu senso essencial de identidade. Ainda que alguém fosse bem sucedido em rejeitar uma parte de si mesmo,chegaria um momento em que ele teria que recuperar esta parte perdida e integrá-la novamente em si mesmo, de uma forma saudável, holística.

Você é uma expressão do Ser Infinito, enquanto ele se experiencia a partir de todos os pontos de vista possíveis. A melhor maneira que você pode se servir e ao Ser Infinito, à fonte dentro de todos nós, é viver a sua vida em seu próprio potencial, pessoal e mais elevado.

Comemore quem você é, porque não há ninguém exatamente como você em todo o universo.


Autor: Owen K. Waters 
Veja mais Owen K. Waters Aqui

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...