quinta-feira, 28 de julho de 2016

Talita Rebello - "O despertar individual acontece em espirais" - 25.07.2016




De quando em quando somos expostos a situações que nos fazem confrontar, novamente, as crenças limitantes que acreditamos abolidas.

A cada enfrentamento, uma nova perspectiva. A cada enfrentamento, o ego é identificado com mais facilidade, a ponto de sorrirmos e pensarmos: danadinho!!!

Antes tentávamos loucamente nos adaptar às ditaduras de beleza e sucesso, hoje olhamos nossos parâmetros pessoais antigos e, não raro, pensamos: mas por que nos esforçávamos tanto para ficar tão iguais?

Iguais. Adaptados. Encaixotados. Estandardizados. Apagados.Chatos. Desinteressantes.

No afã de pertencer, desrespeitamos a nossa essência, as nossas vontades. Tornamo-nos mais um… mais um a repetir os padrões sociais e familiares, mais um a correr em círculos para atingir as expectativas alheias.

Por isso o processo de despertar envolve percorrer a estrada em direção a si mesmo, conhecer-se, empoderar-se, amar-se, acolher-se. Saber-se diferente e, justamente por isso, insubstituível. Sim, INSUBSTITUÍVEL!!!

Existe alguma coisa que só você – ninguém mais – pode fazer por este planeta e pelas pessoas à sua volta.

Você só precisa despertar!

Despertar é exibir toda a sua autenticidade.

Despertar é escapar do “homem médio” e passar a criar métricas de “desvio padrão”.

Despertar é não mais se esforçar, não mais se sacrificar.

Despertar é deixar ir todos os tipos de garantias ou métodos de controle.

Despertar é reconhecer a própria perfeição: não existe um ideal a ser perseguido, não há nada que você precise se tornar. Você já é!

E quando a sua espiral passar de novo por esse ponto, será possível reconhecer o quanto caminhou e, quem sabe, entrar novamente em contato com o desejo profundo que te moveu ao despertar, impulsionando fortemente o próximo passo.

A autenticidade é um presente que você dá a você mesmo e a todos nós!

Lembre-se, somos todos necessários!

“Sabe, as máquinas nunca têm peças sobrando. Elas têm o número e o tipo exato de peças que precisam. Então, eu imagino que, se o mundo inteiro é uma grande máquina, eu devo estar aqui por algum motivo.” (A Invenção de Hugo Cabret, Brian Selznick)

Talita Rebello


Autor: Talita Rabello 
Fonte: https://www.facebook.com/talita.rebello
Veja mais Talita Rabello Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...