terça-feira, 11 de outubro de 2016

Jenny Schiltz - "Atualização de Energia: Voltando para casa" - 06.10.2016



Já faz um tempo desde que eu publiquei uma atualização de energia, porque estive passando por mudanças profundas. É realmente um momento extraordinário, não somente de mudanças físicas, como também mudanças profundas na forma como pensamos o mundo e nós mesmos. Disseram muitas vezes que este período é o momento em que a verdade vem à luz. Na maioria das vezes em que vi essa referência foi seguida de revelações futuras, no governo, produtos farmacêuticos e corrupção por todo o mundo. Todavia, isso refuta o que está realmente acontecendo com as energias. Estão nos mostrando a verdade profunda em nosso interior. Estamos sendo expostos completamente. Tudo o que pensávamos que entendíamos, nossa própria base está sendo abalada. Nossa sombra, nossa criança interior, não permanecerão mais no segundo plano, estão se erguendo para nos mostrar nossos padrões, onde nos limitamos e onde ainda retemos uma dor profunda. Não podemos mais minimizar nossas experiências porque elas tiveram um enorme impacto. Isso não significa que precisamos refazê-las ou revivê-las, é simplesmente dizer: chegou a hora de a verdade surgir.

Quando eu digo que a sombra deve vir à luz, eu quase quero revirar meus olhos e dizer: “Eu fiz a sombra funcionar, eu me acolhi”. No entanto, apesar de todo o trabalho, sei, em meu coração, que estou agora explorando outro nível. Quando primeiramente iniciamos esta jornada, começamos a olhar para quem somos, nossos lados luminosos e sombrios, e às vezes, a oscilação de humor parecia levar-nos para uma ou outra extremidade do espectro. Cada oscilação está nos mostrando quanta luz podemos ser e também exatamente quanto está oculto.

Conforme olhamos para ambos os lados do espectro, começamos a aceitar a nossa luz e também a nossa sombra. Começamos a curar-nos. Não é que a luz supere a sombra, é simplesmente que aprendemos a amar todas as nossas partes. O que estava oculto, está agora sendo amado, aceito e integrado ao todo.

Conforme nos fundimos mais com a nossa luz e com a nossa sombra, as oscilações de humor diminuem. Contudo, quando elas ocorrem, parecemos ir cada vez mais fundo. Explorando os recessos mais profundos de nosso subconsciente e onde as crenças, a tagarelice e a programação foram criadas.

Aquilo que surge, não se apresenta apenas para que vocês saibam que ele está ali, mas para que vocês vejam onde os afetou, os condicionou e os reprimiu. “A verdade vos libertará” possui muito significado agora. Nosso trabalho é olhar para o que nos está sendo mostrado, não para ver o(s) evento(s) mas para ver quais as crenças que criamos ou adotamos e como isso nos afeta neste momento. Uma vez que se perceba, pode-se então substituí-las.

Curar-se, tornar-se íntegros, é um processo e nos é mostrado apenas o que estamos prontos para curar agora. Espera-se um pouco. O objetivo é nos curar, integrar a sombra e a luz; amar cada parte nossa completamente de modo que sejamos a encarnação ambulante da essência de nossa alma.

Com a linha do tempo acelerada agora ancorada, há uma pressão sobre nós para vermos nossa sombra, amá-la e acolhê-la. Então, podemos começar a reescrever os padrões, ao escolher de modo diferente, ao ver a falta de lógica que os criou.

Para muitos, durante essas explosões de energia, há momentos de puro regozijo, de se sentir conectado. Temos o gostinho dessa luz superior e para onde estamos indo e isso parece maravilhoso. À medida que vocês progridem nesta jornada, as vezes e a duração em que vocês fluem nessa frequência fica cada vez mais longa. O que é difícil é lidar com o choque, a queda nos sentimentos de tristeza, desespero ou desconexão. Perguntei ao meu aspecto mais elevado por que enfrentamos essas depressões e ela me explicou que a cada aumento de luz (frequência) tudo o que não pode mais ser sustentado nessa luz deve partir. Toda a nossa sombra, nossas feridas profundas surgem, cada vez mais ruidosas, de modo que possam ser solucionadas e equilibradas internamente.

Compreendam que, para sermos a pura essência da nossa alma, completamente encarnada, todas as nossas partes precisam fundir-se de volta ao todo: Nossa sombra, criança interior, pedaços da alma deixados para trás e os aspectos do eu. Eles devem todos ser curados, reconciliados e fundidos internamente. Essa não é uma tarefa pequena, e exige tempo e esforço enormes para trazer tudo nosso ao lar. Quando não reservamos tempo para fazer o trabalho da criança interior, mergulhar nos recessos de nossa sombra ou achar os pedaços da alma deixados para trás, isso vai tornar-se visível em nossa realidade. Reiteradamente nos será mostrado novamente, em nossos relacionamentos e nos diálogos internos o que nossos padrões e feridas são, até que possamos reunir todas as peças.

Utilizar intenções antes de dormir tem sido uma enorme ajuda para mim. Cada noite eu faço uma verificação, conforme vou dormir, e deixo que os meus guias saibam como estou física, emocional e mentalmente e no que eu preciso de ajuda. Não importa se vocês são capazes de ouvi-los, saibam que eles os escutam. Comecei pedindo ajuda para trazer todas as minhas partes do lar, que me mostrassem as partes da sombra que estavam profundamente ocultas e quais tagarelices e crenças precisavam partir. Tem sido uma viagem e tanto, mas uma em que estou realmente compreendendo o que preciso curar e como curar.

À medida que vocês experimentam a bela energia que chega, que lhes permita um mundo cheio de possibilidades. Conforme vocês então experimentam as depressões, que lhes permitam mostrar onde vocês criaram limitações e liberem-nas. Essa energia está mudando tudo, não da noite para o dia, não em um piscar de olhos, mas a cada momento. Vocês estão voltando ao lar, o lar são vocês, a sua plena essência, permitam-se ver o que não é mais sustentável internamente.

Recentemente fui levada a ver uma experiência da infância sob uma nova luz. Sempre suspeitei que houve mais para um banho invasivo e inadequado dado por meu tio a mim, mas eu não me permitia olhar mais profundamente. Quando eu o fiz, mais me foi mostrado e compreendido. Percebi que, embora o incidente estivesse fora de meu controle, meu eu de seis anos sentia de modo bem diferente. A criança sentia uma profunda culpa, vergonha e uma falta de confiança. Durante uma jornada xamânica, mostrou-se-me que essa criança ainda vivia sentindo essa dor profunda e não achava que era digna de fazer parte de mim agora. A guia, a quem chamo de ‘avó’, trouxe essa criança até mim, durante uma jornada, e quando eu olhei em seus grandes olhos castanhos, a sua dor era tolerável. Ela abaixou a cabeça com vergonha. Eu a agarrei e a segurei, acariciei os seus cabelos e contei-lhe a verdade – a verdade era que ela não tinha motivo para sentir vergonha, nem culpa e que ela podia confiar me mim, em nós. Que eu a perdoava por tudo o que ela sentisse que precisava ser perdoada, mas que ela não tinha nada para ser perdoado. Ela era amada e não tinha feito nada de errado. Ela olhou em meus olhos e percebeu o que isso significava, deu-me um sorriso. Eu a vi então fundir-se com o meu chacra cardíaco, tornando-se parte de mim novamente. A avó me disse que era meu trabalho garantir que a criança se sentisse salva, amada e segura. Resolvi escrever no espelho do meu banheiro como um lembrete: “Você é amada, você está segura e você pode confiar em você”. Eu digo isso em voz alta toda vez que vejo, permitindo que mergulhe em meu âmago e conforte a criança. Outro dia, eu acordei e vi muito claramente em minha mente uma menininha de cabelos louros, pulando corda, feliz, enquanto cantava: “Miss Mary Black, Black, Black, All dressed in black…”eu ri e pensei… estou em casa.

Envio-lhes muito amor e apoio enquanto passamos por este profundo trabalho. Muito obrigada a todos que compartilham esta mensagem, isso significa o mundo.

Jenny


Autor: Jenny Schiltz
Tradução:  Ivete Brito – adavai@me.com – www.adavai.wordpress.com
Veja mais Jenny Schiltz Aqui 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...