sexta-feira, 31 de março de 2017

LOUISE HAY - "A AVENTURA DA VIDA" - 29.03.2017



“O Amor está em toda parte, e eu sou amorosa e amável”: Apego-me a esta nova afirmação e a repito, com frequência, e, então, ela se tornará verdade para mim. Agora, pessoas amorosas irão entrar em minha vida, as pessoas já em minha vida se tornarão mais amorosas comigo e eu me encontrarei expressando facilmente o amor com outros.

A vida neste planeta é uma aventura – desde o momento em que nascemos, até o momento em que damos o nosso último suspiro. A vida é uma brincadeira excêntrica – assustadora, emocionante, tediosa, pacífica e amorosa. A Vida é uma busca. A Vida é uma emoção. A Vida é romance. A Vida é uma travessura.

Todos nós experienciamos todas as emoções possíveis, e, muitas vezes, não gostamos de estar no jogo da vida. Podemos ter medo e tentar nos proteger da crítica. Podemos nos esconder, mas, então, podemos perder a maravilhosa aventura que está disponível para nós. Todos têm medo de algo, mas podemos fazê-lo de qualquer maneira.

Parte da aventura da vida é superar os nossos medos e sair do outro lado – mais fortes e ainda mais triunfantes. Ninguém é mais corajoso e aventureiro do que um bebê que luta para passar através do canal do nascimento – luta pela sua primeira respiração, ou uma criança que dá os seus primeiros passos.

Você não pode se esconder da Vida. A Vida está aqui para você vivê-la em sua plenitude. Tome a coragem em suas mãos e saia pela Vida. Peça o que quiser. Acredite que você o merece, e, então, permita que a Vida lhe dê. Certifique-se de que você está disposto a receber. A Vida não pode lhe dar se as suas mãos estiverem fechadas. Abra a sua mente, abra o seu coração e os seus braços. A Vida o ama e apenas quer lhe dar o melhor. Isto começa por se amar e pedir ao Universo o que você deseja e precisa. Às vezes, nós nos esquecemos de que somos todos crianças neste mundo e as crianças sabem instintivamente como pedir o que elas precisam.

Não importa a sua idade, há uma pequena criança em seu interior que precisa de amor e de aceitação. Se você é uma mulher, não importa o quanto você seja autossuficiente, você tem uma menininha que é muito meiga e que precisa de ajuda. Se você é um homem, não importa o quanto seja machista, você ainda tem um menininho em seu interior que anseia por afeto e carinho.

“A coisa mais aterrorizante é se aceitar completamente” – C.G.Jung

Quando crianças, quando algo dava errado, tendíamos a acreditar que havia algo de errado conosco. As crianças desenvolviam a ideia de que se elas pudessem agir direito, então, os pais e cuidadores as amariam e não as puniriam. Com o tempo a criança acredita: há algo de errado comigo. Eu não sou boa o suficiente. À medida que envelhecemos, carregamos estas falsas crenças conosco. Aprendemos a nos rejeitar.

Há um pai dentro de cada um de nós, bem como uma criança. E na maioria das vezes, o pai repreende a criança – quase continuamente! Se ouvirmos o nosso diálogo interno, poderemos ouvir a repreensão. Podemos ouvir o pai dizer à criança o que ela está fazendo de errado ou como ela não é boa o suficiente. Precisamos permitir que o nosso pai se torne mais carinhoso com a nossa criança.

Permita que a Vida o ame e se permita amar a Vida.

Com Amor,

Louise


Autor: Louise Hay 
Fonte: http://www.louisehay.com/
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais Louise Hay Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...