quinta-feira, 13 de abril de 2017

O GRUPO ARCTURIANO - "CAMINHOS PARA O REEQUILÍBRIO DAS ENERGIAS FEMININA E MASCULINA E A REABERTURA DO CORAÇÃO" - 09.04.2017



Saudações, queridos. Viemos em amor trazer orientação para todos aqueles que estão tentando tão arduamente dar sentido ao que está se passando no mundo e como isso se relaciona com a ascensão. Não acreditem que não há progresso porque, como já explicamos antes, as densas e pesadas energias criadas pela humanidade através de séculos vividos sob o medo e com os corações fechados precisam ser limpas de forma global e pessoal para que as energias do amor incondicional se manifestem.

Deus, Fonte, Consciência Divina, ou qualquer forma que vocês escolham para denominá-La, é inteira e completa, um equilíbrio de energia masculina e feminina. O Divino feminino é o aspecto Deus/Mãe do UM, enquanto o Divino masculino é o aspecto Deus/Pai do UM. Grande parte do mundo continua a reconhecer e venerar somente o aspecto Deus/Pai, relegando a outra metade de Deus como sendo irrelevante ou mesmo não existente. Muitas religiões continuam, ainda nos dias de hoje, a promover essa interpretação grosseiramente falsa da verdade.

As energias do Divino feminino estão centralizadas no coração, fluem como amor incondicional e são absolutamente necessárias para o todo. Sem o aspecto feminino de Deus, vocês têm um mundo guiado predominantemente pelo lado esquerdo do cérebro, de um paternalismo desprovido de amor, que é exatamente o que vocês estão testemunhando em tantos lugares. Corações fechados não permitem que fluam as energias receptivas, intuitivas e criativas do Divino Feminino, resultando num desequilíbrio e sobrecarga de energias masculinas – as energias ativas daquele que deve ser, fazer e ter a lei e poder.

Esse desequilíbrio pode facilmente ser observado ao redor do mundo e particularmente se manifesta no oriente médio, onde maior parte as mulheres ainda vivem sujeitas ao domínio e caprichos do masculino. Num certo ponto da evolução espiritual de todos, vem uma conscientização acerca desses desequilíbrios e eles começam a questionar intuitiva e silenciosamente muitos conceitos e crenças antes aceitos como normais.

Homens e mulheres que viveram suas vidas com os corações fechados, bloqueando a completa expressão das energias do Divino Feminino, acharão que o processo do despertar é um momento confuso e doloroso porque eles construíram suas identidades e seu valor próprio sobre o mito de ser o masculino mais importante do que o feminino. Entretanto, o processo de abrir o coração só pode começar quando a pessoa se dá conta de que ele está fechado.

Alguns exemplos de traços de personalidade de homens e mulheres que se limitaram apenas ao masculino são: assumir o controle de toda situação, sendo seu lugar ou não, dominar e sentir necessidade de sempre dizer aos outros o que fazer, considerando apenas suas próprias opiniões e crenças como sendo corretas e mantendo a atitude de “ou faz do meu jeito ou cai fora”, sem atentar para os sentimentos, necessidades ou crenças dos outros.

Homens e mulheres também podem ficar sobrecarregados de energia feminina que se manifesta como sendo uma pessoa que consistentemente transfere para outros, na crença de que não são merecedores de ter opiniões e escolhas ou de que não são capazes de pensar de forma independente.

Por causa dessas crenças, elas constantemente entregam seu poder pessoal para outros. Muitas vezes são aqueles que aberta e emocionalmente “amam” tudo e todos de modo falso e frequentemente irritante porque não existem as qualidades do masculino para trazerem o equilíbrio. 

A maior parte das pessoas é uma combinação dessas qualidades, com corações parcialmente abertos ou abrindo-se agora, conforme as energias da ascensão forçam a limpeza da velha memória celular. Esses desequilíbrios estão começando a ser reconhecidos global e pessoalmente porque a humanidade agora está suficientemente evoluída para corrigi-los. Se uma pessoa espiritualmente pronta e desperta simplesmente ignora a necessidade de incorporar equilíbrio em sua vida, as “chamadas para despertar” vão conduzi-la a experiências que forçam a pessoa a utilizar as necessárias energias masculinas ou femininas.

Por exemplo: Uma mulher excessivamente feminina que sempre dependeu de seu marido e de outros para dizer-lhe o que fazer pode subitamente encontrar-se sozinha e ser forçada a ativar seu aspecto masculino, a fim de sobreviver. Ela fica apavorada no início, mas logo descobre que pode fazer isso. Gradualmente, os velhos medos se dissolvem e ela progride do seu estado de consciência anterior e evolui para outro novo e mais equilibrado.

Indivíduos que viveram vida após vida como sendo de um gênero, em algum ponto, chegam à conclusão de que ele/ela precisa viver como sendo do outro gênero, a fim de evoluir espiritualmente dentro do necessário equilíbrio. Portanto, ele/ela escolhe encarnar no gênero que é preciso, mas, uma vez na terra, esses queridos, agora sem saber de sua escolha, passam a acreditar que deve existir uma razão médica para sua confusão de gênero.

A confusão de gênero é o resultado de indivíduos que experimentam a ressonância da energia dominante de vidas passadas ainda ativas na memória celular e, por isso, concluem que, de alguma forma, eles estão no corpo errado.

Os indivíduos que estão despertando para a verdade do equilíbrio, mas que tem vivido até agora de acordo com as estritas crenças tridimensionais, observando os papéis de homens e mulheres, vão sentir muito medo de sair do molde. Quando a família, os amigos, a igreja de uma pessoa ainda estão fortemente apegadas a conceitos de gênero, seu despertar deve ser feito silenciosamente dentro de si mesmo. Se ele não resistir, sua consciência começará a se abrir suavemente e mudar para um novo e mais alto entendimento dos verdadeiros papéis de homens e mulheres.


Aceitar o feminino como sendo exatamente tão importante quanto o masculino pode ser um processo esmagador para aqueles que foram criados em sociedade que promovem os machos como sendo mais valiosos do que as fêmeas. No entanto, muitos estão agora prontos para compreender e aceitar a vital importância da energia da Mãe Divina – as energias receptivas, intuitivas, criativas e de amor incondicional manifestando-se em todos os níveis: físico, emocional, mental e espiritual. 

Da mesma forma, de igual valor e importância são as energias do Divino masculino – o ativo, aquele que é, aquele que faz, o pensador. Essas facetas da energia do Divino Pai são igualmente necessárias para a completa e inteira expressão de Deus. Elas estão destinadas a trabalhar paralelamente com a energia feminina, de forma que todas as ações são equilibradas com amor incondicional.

Uma mulher equilibrada parece e age de forma feminina, mas respeita a si própria, está apta a dizer não, reconhece seu próprio poder inato e não tem medo de assumir o controle quando necessário com ações que refletem as necessidades, não os desejos, de todos os envolvidos. Um homem equilibrado é aquele que toma decisões e aprecia as atividades do masculino, mas não tem medo de amar e ser amado, respeita os outros e não sente a necessidade de dominar para vivenciar seu valor próprio.

Nós não estamos falando de mulheres que tentam ser homens ou de homens que tentam ser mulheres. Falamos da evolução da humanidade para uma inteireza espiritual, através da aceitação e expressão de ambas as “metades” da Unidade Divina. Uma mulher equilibrada continuará a parecer e se comportar de modo feminino, da mesma maneira que um homem equilibrado continuará a agir e parecer masculino, mas uma vez que ambos os centros estejam abertos (lado esquerdo do cérebro e coração), mulher e homem serão capazes de viver e expressar ambos os aspectos em cada situação.

A consciência tridimensional continua a difundir, através de filmes, TV, jornais e revistas, jogos e publicidade, conceitos de “homem de verdade” como sendo somente aqueles que são duros, dominantes e poderosos sem levar em consideração quem pode ser ferido no processo. Muitos ainda aceitam esses mitos, os quais, em sua maioria, são difundidos por aqueles que se beneficiam de alguma forma pela sua continuação.

A razão pela qual existem tantos suicídios de militares atualmente é que, depois de assumirem compromissos no entusiasmo do serviço, esses queridos frequentemente se encontram experimentando grande conflito interno porque seus corações começaram a se abrir ou já estão abertos. Eles são chamados de heróis quando voltam para casa e temem desapontar a família, os amigos e aqueles que lhes são queridos e que ainda sustentam crenças de que guerra e violência são soluções viáveis. Eles não podem encontrar saída para seu dilema e, então, partem para a única solução que eles conhecem.

A mídia continua a divulgar conceitos da mulher ideal como aquela que é fisicamente perfeita e bela, mas um tanto sem cérebro, e que precisa de um homem para ter algum valor. O homem ideal é divulgado como sendo fisicamente forte e poderoso, incumbindo-se de cada situação a “seu” modo, bem como sendo rico e bonitão, e, junto com a mulher ideal, vive feliz para sempre. Esses conceitos estão desaparecendo rapidamente para a maioria, mas ainda existem muitos, até mesmo em meio aos evoluídos, que pensam sobre si mesmos como sendo a metade de um casal e necessitando da “pessoa certa” para que se sintam inteiros.

Vocês são e sempre foram inteiros e completos, seja com ou sem outra pessoa. Nunca se esqueçam disso. Muitos que entraram em relacionamentos, acreditando que encontrariam felicidade e completude para sempre estão agora aprendendo as necessárias lições de autocompletude da forma mais dura, através de experiências difíceis.

É preciso chegar para cada alma em evolução um tempo de equilíbrio entre as energias masculina e feminina que já estão presentes inteiramente dentro de cada indivíduo: as características do masculino de autoproteção e apoio ao ser feminino, e as características do feminino de amor-próprio e receptividade às ideias do ser masculino, nenhum deles subserviente ao outro.

Através de vidas de experiências baseadas em dualidade e separação, os indivíduos aprenderam que a vida era menos dolorosa se eles fechassem seus corações, o que resultou na criação do desequilíbrio que vocês testemunham no mundo hoje. Há muitas mensagens escritas e canalizadas que falam sobre se ter um coração aberto. Estas não são apenas palavras bonitas porque o coração é o lugar onde o Divino Feminino permanece até ser reconhecido.

Um coração aberto e equilibrado com o masculino permite à alma viver em sua plenitude ao invés de apenas sobreviver como uma metade.

Nós somos o Grupo Arcturiano.

P.S.: Para quem se interessar em saber mais sobre as energias masculina e feminina, Patricia Cota Robles postou recentemente um maravilhoso vídeo a respeito desse tema. (Em inglês)

https://higherdensity.wordpress.com/2017/04/05/patricia-cota-robles-vlog-4-how-did-we-create-such-a-patriarchal-society-4-2-17/ 


Canal: Marilyn Rafaelle 
Tradução: Sementes das Estrelas / Amanda Cordeiro e Suzel Mendonça
Revisão: Sementes das Estrelas / Amanda Cordeiro
Veja mais mensagens do Grupo Arcturianos Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...