domingo, 25 de junho de 2017

OWEN K. WATERS - "QUE CRIOU O CRIADOR?" - 18.06.2017



O Tao Te Ching é famoso por afirmações mentais sobre a natureza da consciência final - declarações como,

"Tao é tudo e ainda nada".

Algumas pessoas, em pânico, com uma sensação de confusão esmagadora de tais declarações, se sentem compelidas a tomar medidas definitivas ... muito grandes na direção oposta!

Você deve perguntar, no entanto, como é possível que o estado final de consciência seja tudo e ainda nada?

Bem, e se ele começou como essencialmente nada - apenas um senso passivo de consciência - e então decidiu se tornar ativo e criar O Universo? Então, sua essência estaria em tudo no Universo. O que esta afirmação significa é que o Tao - a consciência original do Tudo que É - encontrou uma maneira de criar O Universo.

Melhor ainda, o Tao Te Ching continua a listar as etapas necessárias para tornar possível essa Criação:

"Tao produziu Um; Um produziu Dois; Dois produziram Três; Três produziram tudo. "

Vamos seguir esses passos por sua vez.

Tao produziu um

Tao, como consciência original, é um estado de bem-estar omnipresente. Este foi chamado de Absoluto, Divindade, Brahman, Espírito Universal e muitos outros nomes. Pessoalmente, eu gosto do termo Ser Infinito para descrever o que existia antes que a consciência original formasse o Criador.

Ser Infinito. Completo, imóvel, ser perfeito que, agitado por uma curiosidade, decidiu formar uma versão ativa de si mesmo, para formar o Criador de todas as coisas.

Um produziu dois

O desafio foi COMO. Como é possível criar o universo como o conhecemos quando trabalhamos com apenas uma ferramenta ... a consciência?

Agora, se você dividir a consciência em dois tipos distintos, então você tem o início de algo com o qual você pode trabalhar. Esses dois tipos podem ser descritos como pensamento e sentimento, intenção e atração, yang e yin, ou mesmo expansão e contração.

Você poderia chamá-los de aspectos de pai e mãe, mas essa não seria a melhor analogia, pois os seres humanos têm uma mistura de ambos os tipos de consciência. Estamos falando aqui sobre princípios científicos puros e não misturados. Princípios tão diferentes uns dos outros como a eletricidade é do magnetismo. Duas energias distintas, muito diferentes quanto as energias da barra de um ímã, formam o para raios.

Dois produziram três

Agora você tem dois tipos de consciência separadas e complementares, o que você pode fazer com elas como energias? As barras dos ímãs não fazem nada a menos que você aproxime um pedaço de metal condutor perto deles. A eletricidade estática não faz nada a menos que você lhe dê um canal onde ela pode se descarregar e fazer uma grande faísca. Fazer envolve ação. Você precisa do princípio do movimento para fazer as coisas acontecerem.

Agora, note como todas as energias físicas do Universo viajam à velocidade da luz. Quão conveniente que todos viajem a essa velocidade exata. É quase como se eles fossem projetados para fazer isso ... e eles foram.

Não é por acaso que O Universo se está expandindo à velocidade da luz. É assim que o princípio do movimento é criado, e é por isso que as energias físicas viajam exatamente naquela velocidade.

O Universo é alimentado através de seu Sol central, com suprimentos constantes de energia expansiva de yang e energia contrativa yin. Os dois se contra-equilíbram e, se fossem fornecidos em quantidades iguais, O Universo ficaria no mesmo tamanho. Seria estático, e as energias nunca se moveriam em qualquer lugar.

Mas eles não estão em equilíbrio, e esse é o truque inteiro. O Universo é alimentado com uma energia ligeiramente mais expansiva de yang do que a energia contrativa Yin para que ela se expanda com a velocidade cuidadosamente controlada que chamamos de velocidade da luz. O princípio do movimento - a terceira parte da Trindade Criativa - foi criado por este ligeiro desequilíbrio nas duas primeiras energias.

Três produziram todas as coisas

Com os três princípios da Trindade Criativa, tudo mais poderia ser adicionado na criação do Universo. Os reinos da existência poderiam ser criados em diferentes densidades. As energias podem ser usadas para trazer significado para essas camadas de existência. As galáxias podem ser projetadas e criadas, os sois, planetas, todas as formas de vida, uma lista continua ad infinitum.

O Ser Infinito se manifesta como variedades infinitas de si mesmo.

Como detectar o Ser Infinito

O Universo consiste nesse senso subjacente de ser expressado em inúmeras maneiras. Todas as coisas na Criação são feitas a partir da consciência e, portanto, são conscientes de alguma forma. Mesmo uma pedra ou uma partícula subatômica tem senso, consciência e sentimento.

Sua própria consciência básica, o senso subjacente de ser, que faz você saber que você existe, é sua própria experiência da consciência do Ser Infinito.

De onde veio o Ser Infinito?

A resposta à pergunta, "Quem veio primeiro - o ovo ou a galinha?" É fácil. A galinha veio primeiro, e foi criada para ser auto-reproduzida.

Uma pergunta menos óbvia é: "O que veio antes do Ser Infinito?"

Para encontrar a resposta, veja a definição de Ser Infinito. É consciência original. É passivo, perfeito, mas plenamente consciente de todas as coisas. É a consciência em todas as coisas.

É o principal elemento. Que não pode ser nada. Não pode ser um vácuo de nada, porque então, não seria algo.

Como o Criador é composto de consciência, assim como tudo na Criação, isso nos diz que o algo original tem que ser a consciência.

Também tem que ser infinita porque, se fosse finito, então, algo mais existiria além disso.

O termo Ser Infinito encapsula ambas as propriedades - o alcance infinito e a sua natureza como consciência.

Enquanto a consciência do Criador é ativa, a consciência original e subjacente do Ser Infinito é passiva. É o tudo.

O Ser Infinito é o último estado de consciência além do qual nada pode existir. Na quietude silenciosa de sua plena consciência, é a perfeição.

Nada precedeu o Ser Infinito. É o original.

Owen K Waters


Autor: Owen K. Waters 
Fonte: http://www.spiritualdynamics.net /
http://www.infinitebeing.com/   
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais Owen K. Waters Aqui

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...