sexta-feira, 6 de outubro de 2017

JENNY SCHILTZ - “TEMPO DE RENDIÇÃO E DE GRANDE MUDANÇA” - 02.10.2017



Este blog vem acontecendo por um longo tempo porque estive pesquisando palavras para ajudar a comemorar este momento. A única forma que posso descrever este momento, com precisão, é dizer que é de rendição. Nunca enfrentamos esse tipo de energia antes e tudo está literalmente mudando. Trata-se de nos pedir que libere e receba simultaneamente tudo o que somos, tudo ao mesmo tempo. Pede-nos para liberar o modo como pensamos que as coisas devem ser neste processo; como deveriam parecer e como deveriam olhar (principalmente lá fora).

Reafirmar e criar limites

Desde o eclipse de agosto muito coisa se abriu, há um contato maior e frequências mais elevadas. As mudanças que essas frequências estão fazendo em nós e em nossa Terra são astronômicas.

Pode parecer que vocês estão sendo bombardeados por mil raios diferentes de energia ao mesmo tempo. Se não tivermos limites e permitirmos que tudo isso entre em nosso campo, vamos nos sentir muito desenraizados e mal-humorados. Não só precisamos de limites em nossa realidade de vigília, como também precisamos de limites na realidade invisível. Parte disso é para que pratiquemos nossos limites e possamos perceber quais as frequências que combinam com a vibração pessoal da nossa alma. Não precisamos mais tomar as frequências de outras pessoas, podemos nos conscientizar delas, de modo que possamos ajudar, mas não é nosso trabalho assumi-las. Não precisamos mais deixar que as explosões de energia nos derrubem e nos impeçam de funcionar. O que a minha equipe me disse é que está tudo certo para qualquer um de nós dizer que não consegue lidar com isso. Que se eu não posso lidar com essas atualizações com FACILIDADE e GRAÇA, então, elas precisam ser desaceleradas. Isso é o que significa praticar a sua mestria.

É importante notar que as atualizações são diferentes da limpeza. E quando alguém está passando por uma profunda limpeza, pode se sentir completamente sobrecarregado e implorar que pare, e, no entanto, não faz porque não pode. Se qualquer um de nós tiver frequências internas que não possam permanecer nas linhas de tempo superiores, elas surgirão reiteradas vezes até que sejam solucionadas e liberadas. Isso é para que possamos combinar a frequência vibratória onde estamos atualmente descansando e encontrando conforto.

Se vocês estiverem se sentindo completamente sobrecarregados, com dores no corpo, sofrimento emocional e a mente dando voltas, isso pode não ser em função das atualizações, mas sim, o corpo se purificando. Quando a pessoa está se sentindo derrubada devido à limpeza, é um bom momento para realmente cavar fundo e ver o que está precisando ser visto. Em seguida, olhem e veja onde essa linha de pensamento, programação ou crença começou. Se começou a partir do momento em que vocês nasceram, então, precisa ser curado a partir daí e não simplesmente verificar como isso os afeta no momento presente.

Ancorar no novo

Muitos estão no processo de separar-se de uma realidade e ancorar em outra. Aqui está um link para mais informações (Temporary 5D timeline now available) sobre a mudança das linhas de tempo. Durante esta etapa, as coisas podem ficar realmente complicadas. Itens podem ser perdidos, transações podem desaparecer, inclusive e-mails e números de telefone. Temos apenas que rir da confusão e nos render ao processo. Fisicamente, dentro da forma, isso pode ser bastante desafiador. É que sentimos tonturas, a sensação de não estar completamente na Terra e com isso pode surgir lesões. Portanto, se vocês estão se sentindo trôpegos, torcendo os tornozelos, tendo dores nos quadris e nos joelhos, são sinais de que vocês realmente precisam ancorar-se. Muitas pessoas estão utilizando cristais e aterrando para ajudar a ancorar em sua nova localização.

Assim como é preciso desconectar-se de uma realidade, deve-se ancorar em outra. O que descobri ser melhor para mim é tomar uma respiração profunda desde o topo da cabeça, como se meu chacra coronário tivesse pulmões. Realmente, tomar uma profunda respiração, inspirando em tudo o que há e depois exalando em direção à base dos meus pés com a intenção de ancorar solidamente na linha do tempo ou na realidade que se adequar melhor a mim. Seja o que for que funcione melhor para vocês está perfeito, basta saber que ficamos facilmente sem ancoragem agora com todas as mudanças que ocorrem.

Manter a Luz

Muitos estão descobrindo novas atribuições, novos papéis e capacidades que surgem, e com isso, vem muito entusiasmo e um pouco de confusão. Conforme praticamos o nosso poder e incorporamos tudo o que somos, estamos constatando que o nosso mundo está mudando muito. Uma sensação de não precisar mais se esforçar para obter algo, mas de que está tudo dentro, apenas esperando para ser desembalado. Confiar no processo é uma necessidade absoluta, mas este é também um momento para ser forte de exercitar o que se quer e o que se precisa. Manter a luz não é mais uma expressão, mas um requisito dessas energias. Qualquer coisa menos do que isso e pode-se sentir bastante emaranhado nas emoções de outras densidades.

Quero compartilhar uma experiência pessoal que me ajudou a compreender a importância de manter a luz e a minha vibração:

Eu estava em meditação, quando me vi andando em uma estrada e estava acompanhada do meu Eu Mais Elevado. Estávamos conversando e surgiu um gigantesco barranco. Não havia jeito que eu pudesse atravessá-lo, mas o meu Eu Superior persuadiu-me a dar um salto e atravessá-lo. Em minha mente, eu estava pensando que seria uma experiência semelhante a Jesus caminhar sobre a água. Então, dei um passo e caí… caí completamente no fundo do barranco. Após superar meu choque inicial, percebi que o fundo mantinha todas essas emoções dolorosas e pessoas lutando: dor, trauma, ganância, carência, guerra, violação…o que se mencionar, estava lá. Pude sentir isso penetrando em mim, reduzindo minha vibração e meu corpo físico estava doendo. Comecei a entrar em pânico e ouvi o meu Eu Superior dizer: “Faça o seu melhor. Percebi que ela queria que eu deixasse brilhar a minha luz. Comecei a enviar ondas de amor do meu chacra cardíaco. Independentemente se foi recebido ou se isso ajudou, visto que cada pessoa tem a própria jornada, eu estava simplesmente enviando sem me apegar a um resultado. Descobri que as energias não estavam mais se infiltrando em mim, meu corpo cessou de doer e fiquei impressionada em me encontrar lentamente subindo aquele barranco. Quando cheguei em cima, eu estava do outro lado e o meu Eu Superior deu-me parabéns. Então, ela me disse para olhar para o barranco. Algumas das almas tinham se envolvido na luz e no amor incondicional e estavam utilizando isso como uma corda para avançar. Ela me disse assim: “Se você tivesse ficado perdida naquelas frequências, você não poderia ter ajudado ninguém. Acima de tudo, faça o que você faz melhor e não se sinta culpada porque não se perdeu nas emoções.”

Foi uma lição muito importante, relatada de uma maneira que eu captei completamente.

Também é hora de olhar para tudo e determinar o que vocês não querem. E isso pode ser importante, principalmente se vocês não estão seguros acerca do que querem. Ser capaz de definir o que não se adequa mais à sua realidade é muito, muito importante. Então, uma vez que aquilo que não serve mais foi determinado, deem os passos para seguir adiante. O que venho testemunhando, com os meus clientes e comigo mesma, é que, uma vez que se comprometa e se tome as ações, as portas se abrem e as energias nos impulsionam.

É também compreensível que, mesmo que as coisas não pareçam estar no fluxo, elas de fato estão fluindo. Recentemente tive uma cliente que seguiu a orientação para fazer uma grande mudança geográfica. Ela achou um apartamento que pensava ser conveniente, mas com a mudança, constatou ser horrível. O apartamento tinha questões ambientais que teriam causado problemas em seu sistema sensível. Ela então, exigiu que o corretor de imóveis encontrasse um novo apartamento que fosse adequado, mas havia uma espera de duas semanas em que ela teria que morar em um hotel. Seu sistema de orientação lhe disse para fazer uma viagem e que aproveitasse, visto que ela estaria em um hotel de qualquer maneira.


Como vocês podem imaginar, o humano está querendo saber onde ela errou. Como perdeu a orientação? Como saiu do fluxo? O espírito, por outro lado, estava em êxtase. Eles estavam emocionados porque ela se recusou a se comprometer e ficar em um apartamento ruim. Eu não consigo dizer-lhes quantas vezes os trabalhadores da luz permaneceram em situações menos que as ideais, porque sentiram que deviam estar ali para injetar luz. Isso é praticar o auto sacrifício e não a mestria. O espírito ficou também feliz porque ela escolheu esse resultado, ou passou no teste, se vocês quiserem, porque eles tinham um propósito maior para ela na viagem. Nem uma vez durante todo o evento ela esteve fora do fluxo. Somente a percepção humana é que sente dessa maneira.

O espírito me disse que se pode estar no fluxo e ainda ter eventos que são considerados indesejáveis. Pensem no pneu furado que os impediu de estar em um acidente desagradável a alguns quilômetros à frente. A única vez que saímos do fluxo é quando não nos honramos. É que a confiança e a fé entram em tudo o que está acontecendo para o seu bem mais elevado.  Isso é render-se ao fato de que não conhecemos o cenário maior.

Honrar o corpo enquanto estiver online

O corpo está também solicitando um papel maior em nossas vidas. Durante muito tempo, disseram-nos que não somos o corpo, que somos muito mais e isso é verdade. Todavia, o corpo é uma parte essencial disso estamos ascendendo com o corpo, um ponto que não podemos nos esquecer. É o corpo que contém o DNA ancestral e as lições das vidas passadas. Nossas células detêm os traumas desta e de outras vidas. O corpo é que foi descartado, julgado e abusado muitas vezes na jornada terrena. Nossa alma simplesmente observou as vidas, o corpo realmente as viveu. É o corpo que está sendo transformado, à medida que nos tornamos mais cristalinos e menos à base de carbono. É o corpo que está passando por isso, enquanto acolhemos mais de nossa alma e o que isso significa em termos físicos.

Somos convidados a unir nossa consciência com a consciência do corpo. Somos convidados a escutar o corpo, honrá-lo e ajudá-lo a liberar de qualquer forma que pareça adequado. Temos a tendência a ficar zangados com os distúrbios corporais, todos os sintomas da ascensão, dores e nos sentir fora do centro durante essas intensas atualizações. Isso não é diferente de quando ficamos indignados ou temerosos quando a Terra se purifica por meio de furacões, terremotos, inundações e incêndios. É o momento em que começamos a nos conectar, escutar e nos permitir, e à Terra, experimentar o que precisa ser enfrentado com plena confiança.

Reservem um momento, fiquem tranquilos e simplesmente perguntem: Corpo, o que você precisa?” e, então, deixem que  a resposta venha como uma voz, uma imagem, um sentimento ou uma emoção. Na primeira vez que fiz isso, ouvi uma voz suave, porém muito clara: Eu preciso que me ame e preciso de mais água”.

Quando comecei a trabalhar com a energia dos meus órgãos reprodutivos, visto que eu estava tendo flutuações hormonais, eu imediatamente vi símbolos que se relacionavam ao pecado original. Essencialmente, minha criação católica e a doutrinação de que as mulheres foram a causa da queda do homem se instalaram em meu corpo. Conforme estamos ancorando o Feminino Divino cada vez mais, é muito importante que eu trabalhe com o corpo e o com as crenças que foram guardadas nas células.

Ao negligenciar esse aspecto da minha jornada, quer não querendo estar no corpo, quer não vendo a contribuição e o valor do corpo, isso impediria o meu processo.  Minhas flutuações hormonais eram uma pista de que essa área precisava de atenção, amor e cura. Nunca em milhões de anos eu realmente pensei que uma parte da minha forma mantivesse condicionamentos de meus anos anteriores, isso não é algo que minha mente tivesse inventado. Eu, portanto, confiei no corpo para me mostrar a disfunção.

Chega-se à compreensão de que a dor, a ansiedade e a depressão não são seus inimigos. São de fato amigos que nos ajudam a orientar em uma direção. Nosso trabalho é compreender os motivos por trás do que sentimos, e agirmos para corrigir a situação, por meio de ações ou mudanças de percepção.

À medida que avançamos, o corpo precisará estar na frente e no centro como o veículo divino de nossa alma.

Envio-lhes muito amor e a coragem para que se rendam a tudo que vocês são. Obrigada a todos que compartilham e apoiam este trabalho. Isso significa o mundo.

Jenny.


Autor: Jenny Schiltz
Tradução:  Ivete Brito – adavai@me.com – www.adavai.wordpress.com
Revisão de texto: Sementes das Estrelas / Valéria Albuquerque 
Veja mais Jenny Schiltz Aqui 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...