terça-feira, 6 de março de 2018

BENJAMIN FULFORD - "JOGO FINAL DA CABALA, NA MEDIDA EM QUE O TRIBUNAL NUREMBERG II SE INSTALA" - 05.03.2018



A facção da máfia khazariana que tentou iniciar a III Guerra Mundial e matar 90% da Humanidade, agora, está em suas últimas pernas, concordam várias fontes. O sinal mais claro disso, foi uma ordem executiva e um anexo de 636 páginas, publicado em 01 de Março pelo Presidente dos EUA, Donald Trump e pelo Departamento de Defesa, que prepara o caminho para os tribunais no estilo de Nuremberg. 

https://www.whitehouse.gov/presidential-actions/2018-amendments-manual-courts-martial-united-states/

https://www.regulations.gov/document?D=DOD-2017-OS-0032-0003

A essência dessas ordens, foi para que todos os civis dos Estados Unidos estejam sujeitos à justiça militar e que os militares possam contratar peritos jurídicos não militares, para ajudarem nos futuros tribunais, de acordo com fontes do Pentágono. A seguinte cláusula na página 2 do Anexo 2, é de particular interesse, na medida em que descreve um exercício de jurisdição militar como: "Um governo que governa temporariamente a população civil em seu território ou uma parte do seu território, através de suas forças militares, uma vez que a necessidade venha a exigir . (Lei marcial)". 

Fontes do Pentágono explicam que "Trump assinou a Ordem Executiva 3/1, para alterar o manual da corte marcial, para obter ajuda civil e preparar o público para os tribunais militares Nuremberg II, da cabala, antes da verdade e da reconciliação". Parece que, pelo menos, alguns assassinos em massa não vão se sair apenas com um pedido de "desculpas".

Na semana passada, o outro grande movimento do governo Trump, foi o de disparar as primeiras salvas de uma guerra comercial. A primeira explosão foi um anúncio de que os EUA aplicariam tarifas de 25% e 10%, respectivamente, nas importações de aço e alumínio.

Isso, no mínimo, é estranho, uma vez que o movimento se destina principalmente aos aliados dos EUA. O Canadá, que apresentou um déficit comercial de US $ 7,7 bilhões com os EUA em 2017, representa 16% e 41%, respectivamente, de importações de aço e alumínio dos EUA. A China, que teve um superávit comercial de US $ 288 bilhões com os EUA em 2017, representa apenas 2% e menos de 1%, respectivamente, de importações de aço e alumínio dos EUA. As outras grandes vítimas dessas tarifas planejadas são supostos aliados como: Japão, Coréia do Sul e Brasil.

Também, está claro que este movimento não está conectado aos militares dos EUA. O secretário de Defesa dos EUA, James Mathis, enviou uma carta ao Departamento de Comércio, observando que os militares dos EUA usam somente 3% da capacidade de fabricação de aço e alumínio dos EUA e que ele estava preocupado com o "impacto negativo dessa medida sobre os nossos principais aliados".

https://www.commerce.gov/sites/commerce.gov/files/department_of_defense_memo_response_to_steel_and_aluminum_policy_recommendations.pdf

Superficialmente, parece que os cowboys, no Trump Commerce Department, estão mais ansiosos para intimidar os países fracos do que lidar com o déficit comercial de US $ 800 bilhões por ano.

Se a luta fosse realmente comercial, então os EUA deveriam adicionar à esta medida,  as tarifas dos equipamentos e máquinas eletrônicas, no valor US $ 262 bilhões que, todos os anos importam da China. Os cowboys do Comércio não segmentaram a China, porque precisam garantir que esta lhes empreste mais dinheiro para manter a falência dos EUA ao largo.

A verdadeira razão para o ataque do regime Trump contra o Canadá e outros aliados, é que esses países querem ver o governo corporativo americano falido e substituído por um regime completamente diferente. Lembrem-se de que, os europeus, incluindo o Reino Unido, a Alemanha, a Itália, a Suíça, a França, bem como o Canadá, se separaram dos mafiosos khazarianos que controlavam o sistema financeiro dos EUA, para irem trabalhar com a China em seu AIIB/BAII e, agora na iniciativa One Belt, One Road (OBOR). A iniciativa OBOR, no valor de US $ 8 trilhões, é cerca de 60 vezes maior que o famoso Plano Marshall. Agora, os Estados Unidos estão perdendo a ação.

No próximo grande movimento do xadrez geopolítico, a negociação de futuros de petróleo usando Yuan apoiado por ouro, começará na China em 26 de Março. Isso irá adicionar outro golpe aos controladores financeiros do petrodólar que, agora, controlam apenas os EUA, Japão, Israel e, a Arábia Saudita. Todas as indicações são de que a Arábia Saudita e o Japão estão prestes a mudarem de lado, então, logo apenas restarão os EUA e Israel.

Fontes da CIA e do Pentágono dizem que o mercado de ações irá quebrar, para falir os remanescentes  cabalistas nos EUA e em Israel e preparar o caminho para um novo sistema financeiro, garantido por ativos, para o Ocidente  complementar aquele que a China está prestes a lançar.

Por sua vez, militares dos EUA estão contornando o Departamento de Comércio e abrindo negociações diretas com a China, de acordo com um funcionário do Pentágono envolvido nessas negociações. Militares dos EUA, estão pensando em negociar suas alta tecnologia, principalmente nos campos da energia e da aeronáutica, em troca do pagamento da dívida e financiamento para a reestruturação total da economia dos EUA e sua infraestrutura, diz a fonte. Também, existe em andamento, sérios planos para iniciar uma contrapartida Ocidental do projeto chinês OBOR, que criará um boom econômico sem precedentes, diz ela.

Por outro lado, os militares dos EUA receberam promessas de salários e um orçamento maior do resto do mundo, como recompensa  por sua ajuda na limpeza da máfia khazariana. Dessa forma, são os membros não militares do regime de Trump - aqueles  que poderiam perder seus empregos - que estão usando de ameaças de uma guerra comercial para extorquir dinheiro de aliados dos EUA.

Do mesmo modo, é o pessoal não militar do governo dos Estados Unidos que está por trás das constantes ameaças histéricas de iniciar uma guerra com a Coréia do Norte. Os militares dos EUA, com razão, dizem que uma guerra com a Coréia do Norte seria um desastre total e estão ativamente trabalhando para garantir que isso nunca aconteça. Em vez disso, de acordo com a princesa Kaoru Nakamaru, prima do imperador Hirohito e um canal japonês para a Coréia do Norte, os militares dos EUA concordaram em se retirar da Coréia do Sul e permitir a unificação coreana.

A verdadeira razão para a histeria entre certas partes do establishment dos EUA, é claro que não é a Coréia do Norte, mas sim os tribunais militares em vias de destaque, citados no topo deste relatório. Para se ter uma ideia do tamanho desses tribunais, no momento, existem mais de 18.500 acusações lacradas, um número que é mais de 10 vezes maior do que a quantidade de pessoas relacionadas e levadas a julgamento em Nuremberg, dizem fontes do Pentágono. Além disso, a lista de "atores malignos" que tiveram seus ativos congelados pelo Departamento do Tesouro dos EUA, com base na ordem executiva do Trump de 21 de Dezembro, agora, está com 1.108 páginas.

https://www.treasury.gov/ofac/downloads/sdnlist.pdf 

Num outro passo, o governo militar dos EUA rebaixou autorizações de segurança de 130 membros do regime Trump, incluindo seu genro Jared Kushner. Agente do Primeiro-Ministro israelense Benyamin Netanyahu e do Mossad/Chabad  na "Casa Branca, Jared está ficando limitado com a perda de segurança máxima secreta e é alvo de operações de contrainteligência", explicam as fontes do Pentágono. Além disso, ainda, acrescentam: "Até mesmo, Ivanka [Trump], está sendo investigada pelo FBI, por seus laços com o Mossad/Chabad, enquanto Trump é forçado a colocar o país acima da família e abandonar Ivanka".

Enquanto colocar o país em primeiro lugar, Trump pode, por um longo prazo, ser  mantido a frente de  um regime estável nos EUA, assim como Vladimir Putin e Xi Jinping, respectivamente são na Rússia e na China, dizem as fontes.

Além disso, na medida em que os militares dos EUA se preparam para a meritocracia, "rebaixaram a CIA para um departamento da NSA garantindo total controle militar do aparelho de inteligência", dizem fontes do Pentágono. Embora a ideia de um governo militar seja alarmante para muitos, fontes militares dos EUA enfatizam que será apenas uma medida provisória, até que os gângsteres sejam removidos do poder e uma saudável governança civil possa ser posta em prática.

Enquanto isso, tem muita coisa acontecendo com as antigas ordens militares e sociedades secretas. Muito, ainda não pode ser relatado, todavia, pode-se confirmar que negociações envolvendo a Cidade de Londres, os Templários, os Cavaleiros de Malta, ordens militares Russas, Illuminati Gnósticos, Maçons P2 e outros, estão acontecendo. Existe um consenso geral entre eles de que a forma de como estamos administrando este planeta precisa ser fundamentalmente reformada e renovada.

Fim.


Autor: Benjamin Fulford 
Tradução: Sementes das Estrelas / Candido Pedro Jorge
Veja mais artigos do Benjamim Fulford Aqui

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...