background

quinta-feira, 1 de março de 2018

JENNIFER HOFFMAN - "CONCLUSÃO E ENCERRAMENTO - COMO LIBERAR E AVANÇAR" - 28.02.2018



Outra semana agitada à frente, enquanto concluímos o mês de Fevereiro, que pareceu um mês muito longo, considerando que é o mês mais curto do ano e entramos em Março e no novo ano astrológico. Temos uma lua cheia nesta semana com a pesada atividade de Peixes, assim fluirá muita energia espiritual e como coincide com o final do ano do zodíaco, você pode esperar muitas oportunidades de encerramento e de conclusão. Março será um mês de avanço, assim, é o momento de soltar aquelas questões pendentes que o mantém preso ao passado e de começar a pensar sobre o que deseja fazer a seguir.

O encerramento e a conclusão são dois grandes temas no momento e são alguns dos nossos aspectos mais desafiadores, principalmente porque precisamos do encerramento e da conclusão para que uma situação termine. Quanto mais expectativas tivermos da situação, mais próximos ficamos das pessoas envolvidas, e quanto mais desejamos que funcione de forma diferente, pode fazer com que o encerramento e a conclusão fiquem muito difíceis para nós. Há uma maneira de lidar com isto graciosamente e não permitir que você fique preso em outro ciclo de cura, ou que você seja impedido de avançar. Este é o tema da mensagem desta semana.

Qualquer situação onde precisamos terminar as coisas, seja um relacionamento, uma situação de vida, uma parte de nosso caminho de vida, uma crença ou mentalidade, queremos concluir e completar isto, e que não tenhamos arrependimentos, sofrimento, tristeza ou trauma. E, no entanto, isto quase sempre acontece, apesar de nossos melhores esforços e nossos mais profundos desejos de terminar uma situação, lutamos em “concluir” porque uma parte nossa quer saber se as coisas poderiam ser diferentes. Como podemos avançar? Ao entendermos a conclusão e o encerramento e aprendendo como liberar e avançar.

Podemos completar qualquer situação quando nos lembramos de que a nossa participação é somente metade do problema. Quem quer ou o que quer que esteja envolvido desempenha um papel e quando é uma pessoa, devemos reconhecer o seu potencial energético, sua capacidade de luz e o seu livre arbítrio. Embora seja difícil aceitarmos que alguém não deseje o que oferecemos, não se trata de nós, trata-se deles e de sua capacidade de se imaginar em uma determinada frequência, luz e energia. Apesar do que pensamos sobre o potencial dos outros, é a sua capacidade e vontade de compreender este potencial que decidem os resultados de nossas jornadas compartilhadas.

Então, para concluirmos, devemos nos permitir saber que fizemos o melhor possível e também a outra pessoa, mas o melhor dela e o nosso melhor não correspondiam. Os relacionamentos agora devem ser energeticamente compatíveis, ou não podem avançar. E a conclusão exige que compreendamos e saibamos que estamos na vida de alguém como um mostrador do caminho, e, às vezes, a maneira como lhe mostramos não é o caminho certo para ela.

Podemos ter o encerramento após a nossa conclusão, depois de aceitarmos as escolhas de alguém, ao abrirmos mão de nossas expectativas e desejos do potencial e das habilidades desta pessoa e nos recusarmos a nos envolver em desejos. Porque é isto o que fazemos quando pensamos que se nos esforçarmos muito, tentarmos muito, poderíamos ter mudado a situação. E esse pensamento nos mantêm presos nos ciclos de cura que não servem ao nosso caminho da ascensão. Pense nestas situações difíceis como um esforço final para completar o nosso Karma com os outros.

Esta jornada Kármica nos levou através de muitas vidas oferecendo a alguém a luz, a verdade, uma experiência de um potencial mais elevado, o que eles sempre rejeitaram. Se quisermos a conclusão e o encerramento temos que reconhecer a escolha deles de permanecer na escuridão e na densidade que eles acreditam que seja adequadas para eles, não importa o quanto consideremos errada esta escolha.

A bênção da conclusão e do encerramento é quando finalmente liberamos, criamos espaço para que outros entrem em nosso espaço energético que pode ser o amigo, o parceiro e as conexões que nos elevam, nos apoiam e nos reconhecem, que não precisam de cura, não desejam o trauma e o drama, e quem pode nos dar, assim como receber de nós.


Autor: Jennifer Hoffman 
Facebook: Jennifer Hoffman
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais Jennifer Hoffman Aqui

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...