background

sexta-feira, 18 de maio de 2018

PAI JOAQUIM DE ENOQUE - "A ÉTICA" - ABRIL / 2018




Pai Joaquim de Enoque chegou por incorporação no Gabriel RL em uma sessão onde membros da equipe Sementes das Estrelas estavam reunidos. Mesmo que, no momento, ele se expressasse em seu dialeto original, a escrita foi feita de acordo com a norma padrão da Língua Portuguesa para o emprego de ajustes gramaticais facilitadores da compreensão da mensagem.

-----------------------------------------------------------------------

Na data apontada no título acima, Pai Joaquim de Enoque fez uma reunião com alguns membros do PVSE (Portal Vórtex Sementes das Estrelas), aqueles que na ocasião foi possível reunir. O objetivo dele era entregar o conceito de ÉTICA e algumas orientações práticas nesse tema para serem utilizadas em nossas vidas e, principalmente, em situações de desequilíbrio. Pai Joaquim esclareceu e estabeleceu protocolos para ser adotado por todas as Sementes das Estrelas, muito especialmente aquelas que “carregam as tochas”, que são os “portadores dos fósforos” - os que estão na linha de frente atuando como mostradores do caminho para os que estão chegando. Segue abaixo uma síntese desses protocolos com alguns trechos transcritos e outros comentados (tentamos aqui conservar um pouco da linguagem característica dos Pretos Velhos).

Pai Joaquim de Enoque havia pedido, antecipadamente, que se providenciassem velas para esse momento. Pediu-nos para, nas nossas reuniões, evitar o uso de luz artificial (luz elétrica) e iniciou sua fala explicando a respeito disso. Disse ele que usar “luz baixa” (luz de velas) tendo velas acesas (que é luz natural) em reuniões dessa natureza é preferível porque os espíritos que andam na “sombra” não enxergam luz artificial. A luz de uma vela e a luz que sai do coração das pessoas presentes no ambiente, ambas são naturais. O Pai reiterou enfaticamente que a luz de uma vela não é artificial, assim como “a luz que sai do coração de vocês” - disse ele. Por isso, ter ambas nas reuniões é muito importante, pois elas favorecem duas coisas: a primeira é que os espíritos enxergam. A segunda é que facilita a sintonia do aparelho para incorporar. E quando a luz natural (velas, no caso) se ajunta à luz natural dos seus corações, “ali se forma um farol de luz genuinamente aceso e facilita a trajetória. É como se estivessem em um túnel e uma luz acende. Tal como quando vocês fecham os olhos, vocês entram numa escuridão harmônica” - ele completou.

Em seguida, Pai Joaquim avisou que tudo o que iria ser dito naquela reunião, era para ser reverberado com os demais sustentadores dessa força e com toda a equipe desse Portal, pois o assunto é de interesse geral: ÉTICA. E disse ele, “... nós queremos falar, simplesmente e diretamente ‘na cara’”, e perguntou: “O que é Ética?” Houve várias tentativas de respostas, umas mais ligadas ao conhecimento acadêmico, algumas voltadas às relações interpessoais e outras melhor alinhadas com o caminho espiritual, ao que o Pai acrescentou: “Vocês todos sabem disso... na teoria, mas quando o ‘laço aperta’, vocês ‘des-éticzam’” tudo (ele criou essa palavra para dizer que abandonamos a ética). E explicou que a base de uma ética é uma postura elegante e amorosa que não venha a reverberar negativamente no próximo, de forma a constranger ou desestabilizar um campo individual ou geral. (Da sua explicação, foi possível inferir que ocasionar qualquer tipo de constrangimento a outra pessoa não é nada ético, porque o constrangimento acaba por negativar completamente o campo vibracional daquele que foi constrangido e, automaticamente, toda a área de abrangência desse ser que, talvez, seja metros e metros).

Pai Joaquim informou que estava fazendo essa reunião a pedido do Simiromba, o Pai Seta Branca. Para quem não sabe, é o mesmo Francisco de Assis, Tutancâmon, João Evangelista, Comandante Capelino. (Mais informações sobre Simiromba aqui: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/04/homenagem-ao-vale-do-amanhecer-pai-seta.html)

No uso da sua autoridade e, na voz, um tom de firmeza, Pai Joaquim pediu a todos, principalmente aos que no agrupamento são Sustentadores de Projetores e líderes de movimentos, que prestassem muita atenção às suas posturas e observassem se estão caminhando “fincados” nesse pilar (pilar ético, obviamente). E para explicar, Pai Joaquim foi construindo esse diálogo:

 “Se chega alguém que não está de acordo com essa vibração, com essa energia (a ética), como agir?” E perguntou ele: “Há ética em vocês, meus filhos? Porque ética é também não se envolver no drama do outro, nas ‘picuinhas’ do outro, nas fantasias do outro, nos movimentos do outro. É manter ‘aquela postura’ - e nós vemos! Nós vemos também dentro do ‘WWW’ (ele quis dizer grupos de internet e chats) de vocês. Não pensem que ali naquele ‘falador de vocês’ no ‘WWW’, naquela janelinha (o chat) que vocês falam todos ao mesmo tempo, não pensem que vocês não estão sendo vistos em cada palavra que dizem ali! Nós estamos olhando! Cada vez que vocês ‘falam mal’ de alguém, nós estamos olhando! E ‘conta ponto’. Cada vez que vocês se desestabilizam por um movimento interior que vem justamente para ‘testar’ vocês, nós estamos observando, e ali os grandes mestres ficam somando pontos. Isso pode parecer muito linear, meus filhos, mas é assim que acontece. Estamos somando pontos para ver qual de vocês dali tem uma capacidade maior em ética, que é uma face do Amor. Para quê? Para receber mais uma ‘consagração’, que é uma consagração que vai ajudá-los a resolver muitos problemas na vida. Se vocês estão com a vida ‘travada’, nós já falamos, a vida não está indo bem... Está aquela ‘coisa apertada’, e vocês oram para nós, oram para Jesus e parece que nada dá certo. Prestem atenção na postura ética de vocês. Prestem atenção em como vocês estão se comportando, para que conte os pontos libertadores, meus filhos. Pontos que vão destravar a vida de vocês. Que vão liberar aquele dinheiro que está preso na justiça. Que vão libertar vocês de um cobrador encarnado ou desencarnado. Que vão trazer a resolução de um problema, que vão curar uma doença ou impedir que uma doença se manifeste. E vocês, como avatares - que para uns pode ser como um desenho animado, uma brincadeira - mas isso é sério, meus filhos! Vocês são guias de povos! E esse menino - ‘menino-menina’ - não veio para cá para brincar. Ele está reunindo todo o povo que, com ele, vai levar cura, libertação e sabedoria. Olha o tamanho da responsabilidade de vocês, meus filhos.  E esse menino tem uma grande responsabilidade que assumiu de trazer a Luz para vocês. E nós não vamos passar a mão na cabeça dele, não! Ele está aqui para mostrar a responsabilidade dele e a responsabilidade de cada um. É um poder que está sendo ancorado na Terra, meu filhos! É um poder que, talvez vocês não saibam, mas está parando guerras, está desativando ogivas nucleares, está impedindo incêndios, deslizamentos... 

- Ah, mas eu vi um deslizamento ali.

 Um, que era para ser dez, e vocês anularam nove.

- Oh! É tudo isso? Acho que esse ‘véio’ aí está falando para as paredes à toa...

 Mas é isso o que vocês fazem, meus filhos! Vocês vieram para isso.  Para ajudar na ascensão desse Planeta, não foi? E vocês conduzem um povo, cada um de vocês com sua falange que, desta falange vai sair mais outra e outro guia de povo, e outro, e outro, e ‘outro ao quadrado’. Então prestem atenção na responsabilidade de vocês, meus filhos, que é muito grande nessa Terra. Grande demais para vocês não estarem mais se envolvendo com ‘picuinhas’, com ‘mimimis’, com ‘frescura... ’”

Pai Joaquim aconselhou a todos para que não queiram separar seus avatares dos seus Eus individuais. Disse ele: “Vocês estão aqui para ancorar aquela essência (a do avatar) para agir como tal, naquela postura. E quando nós vemos um de vocês ‘levando o baile’ de espírito que, com todo respeito, ainda está lá embaixo levando o baile de alguém que está sob influência desse mesmo espírito?! Pelo amor de Deus, meus filhos! Salve Deus! Não há tempo mais para isso.”

Ele recomendou aos avatares e a todas as demais pessoas que aprendam a calar e a não entrar em discussão quando virem que uma pessoa está falando do outro o que não deve. Nas palavras dele, “Se vocês virem pessoas ‘falando mal’ disso, daquilo ou do outro, que aquela ali ‘anda de forma torta’, ‘deixa eles’ na força deles! E quando vier a lei e ‘der uma rasteira’ nele, você não vai estar no meio, filho.”

Para explicar melhor, o Pai tomou o Gabriel como exemplo, dizendo: “Esse menino - que é o MENTOR - e nós também vamos chamá-lo de MENTOR - vocês já prestaram atenção que, às vezes, ele vê uns movimentos e fica calado? Isso não é um exemplo? ‘O pau está comendo’ e ele está calado! Olha lá! Eu sei! Eu sei que tem avatar aqui dentro que diz: ‘Olha lá! Calado! Ó! Não diz nada. É negligente!’ Só de falar isso aí, já ‘levou uma rasteira'. O problema que ele tem que era para ter resolução, com isso, já se estendeu mais um ano. A melhor forma de vocês ajudarem a vocês mesmos dentro desse Portal é mantendo suas posturas éticas.

- Ah, quer dizer que eu não posso mais chamar alguém para ter uma conversa e ter uma explicação?

Quando isso é para acontecer, há uma sincronicidade amorosa, não desarmônica. Quando é para esse menino aqui (o Gabriel) chamar a atenção de alguém... Vocês já o viram chamar a atenção de alguém na frente de pessoas?  Olhem o exemplo, meus filhos!”

Nós, da nossa parte, não podemos deixar de comentar sobre os cuidados que os Seres de Luz aplicam em cima do Sementes das Estrelas observando os nossos movimentos para trazerem as necessárias orientações. E cabe aqui uma pergunta: estamos ou não estamos assistidos pelas Altas Esferas de Luz?  Sim, estamos absolutamente certos que sim. E, sabendo que somos observados e assistidos, foi possível extrair do discurso do Pai Joaquim alguns temas bastante pontuais, coisas que, certamente, eles estão vendo acontecer no agrupamento. E para ajudar, trazem também os protocolos, tudo isso por amor a nós e para cumprir suas promessas de ajuda. Vamos discorrer sobre os temas nos tópicos abaixo:

FOFOCAS

Disse o Pai Joaquim: “Essa mensagem, meus filhos, é para vocês pararem de ‘lengalenga e de disse-me disse-me’. Tem um problema para resolver dentro do movimento? Se querem resolver um assunto, alguma coisa? Resolvam como avatares.” - Esse é um protocolo muito importante. Todos vocês são avatares, saibam disso! Então ajam como avatares.

SURTOS

“Se uma pessoa surtou e está ‘chutando o balde’, está ‘falando mal’ do mentor, do aparelho Gabriel, observem que o próprio Gabriel se cala. Tem, realmente, forças contrárias trabalhando contra e se alguém quiser defender, façam-no com elegância, a elegância espiritual. Não como aqueles brigadores de rua, que ‘vira para um lado e que vira para o outro, que arranca pedaço de dedo e do joelho’. Mas, se for brigar, briguem com postura. Briguem com elegância, meus filhos! Como é que briga com elegância? ‘Como esse veio aqui, ó! ’ É uma ‘briga’ que a pessoa quer ouvir”. Elegância espiritual é a postura apropriada, mesmo nas contendas.

CRÍTICAS

Criticar o trabalho e a postura das outras pessoas também não é ético. Pode ser apenas a manifestação do ego inflado de quem está criticando. Alguns vêem isso como crítica construtiva. Mas quando a pessoa faz a crítica centrada em eu coração, “... a pessoa que ouve não fica com raiva. Ela ouve e depois agradece, porque você está emanado uma força, um poder e uma moral elevada. Não uma falsa moral que você chega e fala... ‘Ah, mas você fez isso e fez aquilo, para desmoralizar o outro! ’ Sempre que você vier para tentar desmoralizar na falsa idéia de que está ajudando, na verdade está sendo levado por um ego que se acha superior ao outro. Você quer saber quando você está agindo com antiética? É quando ‘o rolo’ começa... Porque se você está numa postura de avatar, a pessoa que ouve, não fica com raiva de você. Ela ouve você e ela agradece depois. Sabe por quê? Porque você está emanando uma força, um poder e uma moral elevada. Não uma falsa moral que você chega e fala... ‘Ah, mas você fez isso e fez aquilo, para desmoralizar o outro! ’ Sempre que você vier para tentar desmoralizar na falsa idéia de que está ajudando, na verdade está sendo levado por um ego que se acha superior ao outro”. Para ser ética, a crítica deve ser centrada na sincera amorosidade.

PREPOTÊNCIA

Pode acontecer que alguém não esteja ressoando com o trabalho de algum irmão e diga: “- Ah, eu vou ensinar Fulano!” - Esse leva uma rasteira da força.  Que força? A força que está por aí esperando só para dar uma rasteira. Só esperando!” Há sempre uma força preparada para dar uma “rasteira” no que for não-ético.

ATAQUES

Os Trabalhadores da Luz costumam estar comumente sob ataques tanto na área da materialidade quanto na área energética. Pai Joaquim disse: “Vocês não fazem idéia das forças que têm aqui nesse movimento, principalmente para derrubar esse menino-menina (Gabriel). Vocês não fazem idéia! Quem está mais perto vê os movimentos que acontecem para isso. Ah, se o ‘cabra’ não tem a firmeza!... Porque esse aqui é um trabalho sério! Quem não agüentar... ‘Ô, Joaquim, eu não agüento, não! ’ - Pois vá embora, filho, porque a tendência é piorar.”

Ele disse que “vai piorar porque vai chegar mais Luz ao Planeta, e quanto mais Luz, consequentemente, as forças que não querem essa Luz e a resistência dessa força ‘vai cair de pau em cima’. E só vai agüentar quem tiver ‘costa larga’ mesmo”. Aqui, Pai Joaquim foi incisivo, e disse: “Quem não agüentar e que estiver aqui ou estiver ouvindo no ‘WWW’ pode ir embora. ‘Ah, eu acho... ’ - Eu acho? Se acha, então já vá. Porque quem está aqui na firmeza, diz: ‘- Eu estou aqui e eu sustento! ’ Porque, se não, meus filhos, podem ir! Não precisam nem perder tempo porque quando o laço aperta, quando você não está firmado, filho, ‘fincado’ aqui na sua verdade, na sua força, nos três pilares que esse ‘menino-menina’ fala a ética, moral e espiritual, sabem o que acontece, filhos? O projetor continua projetando, projetando, projetando e você surta. Não agüentam, filhos, e pedem para sair”.  Para o trabalho com a Luz, firmeza é um necessário pilar.

RESISTÊNCIA

“Luz é... Imagine um negócio girando bem rápido e você está de fora, só olhando. É quase como aquela metáfora do sapo na água quente.” (Se você puser um sapo numa panela com água fria e colocá-la no fogo, a água vai se aquecendo aos poucos e o sapo vai se adaptando. Ele não sairá da panela. Mas se você tentar colocá-lo direto numa panela de água fervente, o calor da água o fará pular para fora, rapidamente).

“O ‘negócio’ está girando, está girando, e você só olhando. Se você pula lá dentro, a força te joga lá longe. Naquela força lá, o giro te joga longe, pois você não está ‘fincado’! Agora, fica lá dentro se segurando ali, num movimento devagarinho, devagarinho, devagarinho você se harmoniza com aquilo dali, ó! E vai girar... E você se torna aquela ‘coisa’ ali. É que você está ‘fincado’ e quanto mais rápido girar, mais força vai ter. Quanto mais Luz descer, mais iluminado você será. Agora, se não está ‘fincado’ e está com ‘firula’, quanto mais Luz descer, você vai enlouquecer, meu filho... Porque a Luz vai vir para te empurrar para frente para você caminhar, para tirar toda a treva que tem lá. Aí, a treva sobe, você não consegue assimilar Luz e trevas, o que é que sai e o que é que entra, você entra num liquidificador e fica doido, meu filho”. A famosa expressão que todos conhecem “o joio e o trigo”, basicamente se enquadra aqui, pois a pessoa estará lidando com isso. “Está claro? Voltemos agora lá para a ética. É a ética que vai mantê-los fincados, sustentados”. A ética é a força-resistência que nos mantêm fincados na Luz.

AMOROSIDADE

Pai Joaquim abordou com seriedade a questão das intrigas e a melhor forma de lidar com elas. Sobre isso, ele simulou outro diálogo:

“- Olha! Está tendo um ‘rolo’ ali e tem pessoas ‘se pegando! ’

 - Ah, é? Eu vou lá ver o que é que é! - E entra lá perguntando, ‘o que é está acontecendo’?  E alguém comenta:

- A fulana ‘não vale nada! É uma porca’. 

Pronto. Isso é o suficiente. Levou rasteira! Você caiu, meu filho! O Mentor já deu essa mensagem. Ele dá todo dia a mensagem dele. Vocês têm o maior exemplo. Todo mundo que ‘desce o maior pau’ nesse ‘menino/menina’... Por que ‘menino/menina’? Por causa do equilíbrio perfeito entre as duas polaridades. Quantos de vocês já não viram aqui pessoas ‘descendo o pau’ nesse menino no ‘WWW’? Vocês já viram alguma vez ele revidar? Vocês já viram, ao menos, ele comentar, nas páginas, embaixo de alguém que o ataca? É isso que vocês têm que fazer, porque vocês são avatares poderosos como ele. Não tem diferença. Podem até responder, mas respondam com elegância. Saber o que estão falando, e falar com amorosidade nas palavras. Amorosidade na sua verdade. Ao tentar falar com alguém que está em desarmonia, há que se verificar o quanto de Luz e Amor você vai colocar nas suas palavras, pois se você sentir que não está pronto, nem fale nada. Todos vocês aqui, quando o ‘sangue sobe’, o coração dispara. Esse é o sinal. Disparou o coração? Sai da cena! Respira, porque você não está em ética e amorosidade ‘coisa nenhuma’. ‘Sai fora’, então! Viu alguém ali ‘falando mal’, ‘descendo o pau’ no mentor? Se subir o sangue, o coração disparar, nem vá responder! É só não entrar na vibração! Vocês não têm que ficar perdendo tempo com ‘firula’ de espírito. Talvez seja melhor rir da situação”. Proferindo palavras com elegância ou rindo da situação, ampliamos a amorosidade.

COMPANHEIRISMO

Pai João pede que prestemos atenção a uma situação: “Todos um dia já riram ao ver uma pessoa cair ao tropeçar. Mas como é que posso saber se posso rir ou não? Se ela estiver rindo e você perceber que é um riso espontâneo, e ela está rindo dela mesma, você pode rir junto. Mas, olhem, meus filhos! Vocês não costumam olhar nos olhos! Olhem no olho e vejam a energia da pessoa, e se ela está constrangida. Se ela estiver, caia junto dela. Ela caiu? Finja que você caiu também! Se a pessoa está constrangida porque caiu, caia junto. Inventa um ‘trupicão’ e caia junto. Diga, ‘ô meu irmão, caí também aqui! Me dá sua mão e vamos levantar juntos’. Qualquer situação que você perceber que a pessoa não está achando graça, faça isso. Ética, é isso, meus filhos! É amorosidade, é doçura.. É ética!

- Ah, está tendo um rolo lá na minha falange.

Salve Deus!  Vá lá na amorosidade, in box e diga ‘deixa pra lá’. Ou, é ‘assim, assim, assim’. Se o coração estiver disparado, não vá.

- Ah, mas eu vou continuar fazendo isso.

 Salve Deus! Usa a espada de Miguel. Corta na hora! Na rasteira!”

O constrangimento na alma de um irmão pode ser amenizado com mansidão.

ISCA

Pai João contou um fato que ocorreu com ele: “Eu já cheguei em caverna vestido de espírito zombeteiro e tinha muitos lá. Cheguei lá no meio deles e aí, ó... Falei: Vocês ‘tudo’ aqui não vale nada! Nem sabem o chão que pisam! Nenhum! Eles nem sabiam que havia um cavaleiro em cima de mim, só esperando... Vieram todos para cima de mim num ‘bolo’ só, e o cavaleiro jogou sobre eles uma rede magnética e os levou todos para cima. O ‘véio’ foi para lá para servir de isca.”

Ele usou essa história para exemplificar que todo Trabalhador da Luz pode, ocasionalmente, servir de isca. Já que somos pescadores de homens, “então, vocês sejam as iscas, meus filhos! Sejam as iscas amorosas. Sejam inteligentes. Sejam ‘a isca’, pois têm situação em que vocês são, realmente, chamados para estarem no meio de onde o negócio ‘está pegando’. Estão aqui, ‘falando mal’ de fulano e de sicrano e você, por ‘coincidência’, estava no meio. Você entrou lá e, na primeira brecha, você muda de assunto. Faz ‘cara de paisagem’ e diz ‘vocês viram o que saiu na Globo? Tem um meteoro novo por perto da Terra.’ E muda o assunto. Vocês não têm mais tempo para perder com esse tipo de conversa. O assunto de vocês agora é Como é que nós vamos salvar o mundo? Como é que nós vamos salvar a galáxia? Como é que nós vamos linearizar os clusters? Como é que vamos explicar o agrupamento de aglomerados do universo? Esses são os assuntos de vocês, a partir de agora.” Ao pescar homens para a Luz, sejamos a própria isca.

........

Pai Joaquim terminou suas explicações conservando em seu discurso o perfeito equilíbrio entre a leveza e a austeridade. Afinal, o assunto não era para brincadeiras. Durante toda a palestra não perdeu seu bom humor, mesmo tratando desse assunto tão delicado.

Ele riu e brincou um pouco mais com alguns assuntos aleatórios e, ao se despedir, advertiu: “Espero não ter que voltar aqui para repetir a mesma coisa.” E nós, da nossa parte, também esperamos... Por isso sugerimos que todos nós nos comprometamos a ler e a reler esse texto quantas vezes forem necessárias, até que cognizemos e reverberemos, completamente, esse ensinamento - “Ética a Pai Joaquim de Enoque” - e cumpramos responsavelmente mais esse Protocolo de Luz.


Transcrição/Compilação: Solange Yabushita
Colaboração: Tânia Campos
Veja mais canalizações minhas Aqui
Mais mensagens dos Pretos Velhos Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...