background

segunda-feira, 18 de junho de 2018

SUZANNE LIE – “ATRAVÉS DA MATRIZ: OS ARCTURIANOS” – 15.06.2018

2º Capítulo

Quem é Shara Lynn?

Quando finalmente encontrei tempo, na verdade foi a coragem, para abrir o livro, que era uma forma de um diário, e comecei a lê-lo, percebi que ele foi escrito por alguém conhecido como Shara Lynn. Eu não tinha ideia de que iria desenvolver um relacionamento tão profundo e próximo com alguém que eu tivesse conhecido em um diário.

Eu percebo que estou evitando documentar minha experiência. Talvez seja porque você, significando que você leia a minha história, irá me achar um pouco louca. Eu continuo querendo fazer deste diário que eu encontrei, uma ficção, mas então eu continuo ouvindo a voz distante da minha avó dizendo: "Um diário é uma verdade que alguém pode não estar pronto para conhecer."

Se estou falando com minha avó “do outro lado”, acho que posso acreditar que a Shara Lynn no Diário, que também está “do outro lado”, também pode ser real. Eu também percebi que, para documentar e compartilhar minha história, tenho que acreditar que é real, porque a estou experimentando assim.

Eu também sinto que preciso lhe dizer, caro leitor, que eu NUNCA pensara no “outro lado” antes da morte da minha avó. Eu era uma estudante universitária e seguia as regras da "sociedade regular". Lá estou eu de novo, falando como eu costumava chamar, de "uma coisa esquisita". Eu sinto que quero avisá-lo de que o que estou escrevendo parece mais uma ficção científica, mas para mim é um fato científico.

OK, OK, irei agora apresentar o “O Diário”, como eu o chamo, compartilhando com você, significando qualquer “você” que o encontre e o leia. No entanto, devo ser honesta comigo mesma. Portanto, irei lhe dizer, caro leitor, exatamente o que aconteceu comigo.

Eu pude sentir uma mudança em mim quase tão logo abri o Diário, mas ja´falei o suficiente sobre mim, e agora irei contar-lhe sobre o que li no Diário. Não sei quem o escreveu, mas o narrador da história é uma jovem chamada Shara Lynn. Começarei com o que foi escrito na primeira página:

Caros leitores possíveis:

Eu, Shara Lynn, estou prestes a lhes contar uma história que devo contar. Não sei por que devo contar, mas essa história me assombrou noite e dia, até que eu a escrevi.

Uma vez que eu tenha documentado o que está acontecendo comigo e o que está ocorrendo no “outro mundo” ao qual fui apresentada, posso finalmente encontrar a paz para ir trabalhar, ter uma conversa normal com um amigo, e / ou dormir um pouco.

Foi a minha incapacidade de dormir que me levou, ou forçou-me, a anotar essas experiências mais incomuns que tenho tido. Peço que você não me julgue tão duramente quanto eu me julguei ao passar por essa experiência.

No entanto, agora devo admitir que experimentar, sonhar e lembrar o que parece ser algum tipo de “realidade paralela” mudou minha vida para sempre. Sim, tem sido uma mudança para o bem porque agora me entendo mais do que nunca quando eu era “apenas um ser humano normal”.

Portanto, eu, Shara Lynn, prometo documentar todas as minhas experiências neste Diário. Eu não sei o que irá acontecer, ou o que está acontecendo comigo agora. Tudo o que sei é que, de alguma forma, eu me encontrei em “O Fluxo do Grande Intermediário”. De fato, mesmo agora, estou falando de “O tempo que flui do Grande Intermediário”.

Por alguma razão, da qual não tenho certeza, eu, Shara Lynn, fui escolhida, de alguma forma, e por alguma fonte desconhecida, para ser a Emissária. A Emissária é aquela que pode conscientemente “intermediar” aquilo que está se fechando e aquilo que está quase se abrindo. Esta área é chamada de “O Tempo de Fluxo do Grande Intermediário”

Lamento se estou falando de maneira confusa, mas ainda não cheguei a um acordo com o que está ocorrendo em nosso mundo. Eu sou apenas uma adolescente, nem mesmo uma jovem, então, não entendo por que fui escolhida para documentar esse evento. Acho que fui escolhida porque fui a primeira a perceber essa grande mudança.

Ou seja, eu fui a única que conseguiu percebê-lo claramente. Shalone, nossa líder e velha mulher da Medicina, conhece há muito tempo “O tempo que flui do grande intermediário”. Ela esperou, meditou e serviu a todos nós, para nos ajudar a nos preparar para esse evento.

Shalone conseguiu sentir o "tempo que flui" do Grande Intermediário, mas seus olhos agora estão escuros, sua audição prejudicada, e ela tem que dormir muitas horas, pois ela tem mais de 100 anos de idade. Portanto, ela me escolheu para ser seus olhos e ouvidos, pois ela sabe que eu estou entre os poucos em nosso mundo que podem perceber o tempo fluindo do Grande Intermediário.

De fato, a maioria das pessoas não sabe sobre esse "tempo que flui" e nunca experimentou o Grande Intermediário. O que quero dizer com “Nosso Mundo?” Parece que ontem mesmo eu acreditava que havia apenas um mundo, e nossa pequena comunidade era o ponto focal de toda a realidade.

Mas agora que eu vi a grande cena, percebo o quanto eu era inocente e ingênua  antes de ter meu primeiro vislumbre de “O Grande Intermediário”. Tentei contar a várias pessoas sobre o que eu experienciei, mas apenas Shalone escutou-me. Na verdade, parecia que eu amedrontava os outros quando tentei contar-lhes a minha experiência.

Shalone me disse que a mudança é uma das coisas mais assustadoras para muitos adultos. Foi por essa razão que eu, uma jovem adolescente que mal é uma mulher, fui escolhida para ser a Emissária entre a realidade que sempre conhecemos e o fluxo do Grande Intermediário.

Ninguém, nem mesmo Shalone, sabe o que está do outro lado do Grande Intermediário. Alguns acreditam que não há nada do outro lado, e alguns acreditam que um novo tipo de realidade está nos esperando do outro lado do Grande Intermediário.

No entanto, apenas Shalone e eu sabemos sobre o "tempo que flui". Não sabemos muito sobre esse  fluxo de tempo, mas sabemos que existe porque o experimentamos. Shalone me disse para escrever um diário, e para não dizer ao nosso povo, ainda, que eu vi o outro lado do Grande Intermediário, especialmente, não contar a ninguém sobre o "fluxo do tempo".

Shalone me disse que, se alguém estiver pronto para saber dessas informações, elas virão até a mim. Essa diretriz me fez sentir mais segura porque, na verdade, eu não poderia contar a ninguém, pois não tenho nenhuma maneira em que possa descrevê-la. Além disso, eu acho, mas não tenho certeza, de que eu realmente vi “O Outro Lado” do Fluxo do Tempo, e talvez eu tenha sonhado com isso, ou até mesmo imaginado isso.

Shalone, em sua grande sabedoria, disse-me que a única maneira de perceber o Grande Intermediário e o Outro Lado é através do tempo que flui de nossos próprios sonhos e imaginações. Ela me disse que quando sonhamos e imaginamos, expandimos a faixa de frequência de nossas percepções.

Eu não entendi o que ela quis dizer com essa frase, mas aprendi a ouvir o que ela diz. Então, eventualmente, eu entendo isso. Além disso, Shalone fica bastante chateada quando faço perguntas.

Ela sempre me diz: “Não sei por quanto tempo terei essa forma. Portanto, você não pode se tornar dependente de mim para ajudá-la. Eu posso lhe ensinar como olhar e ouvir com um Coração Aberto e Visão Superior. Depois de ter feito isso, vou deixar este mundo e ir para casa.



Sempre que Shalone menciona a palavra "Lar", uma luz aparece em seu rosto. Eu tentei perguntar a ela sobre essa luz, mas ela diz: "Você deve encontrar essa resposta por si mesma, pois eu logo estarei partindo."

3º Capítulo

O OUTRO LADO

Eu aprendi a não chorar quando Shalone diz que ela está indo para o LAR, pois isso a deixa muito chateada. "Você está chorando por mim ou por si mesma?" Ela pergunta com uma voz irritada. "Você deve ser forte e ouvir tudo o que tenho para lhe dizer."

Portanto, não choro nem faço muitas perguntas. Mesmo que eu não consiga ouvir sua voz suave e lhe peça que repita o que ela me disse, ela diz: “Você deve ouvir com seu Coração e ver com seu Terceiro Olho. Essa é a única maneira de você me ouvir quando eu estiver do "Outro Lado".

Claro, ela se recusa a me dizer o que é o "Outro Lado". Em vez disso, ela me diz com uma voz um pouco irritada: “Você deve seguir o tempo que flui do Intermediário, se você desejar encontrar o Outro Lado. Além disso, você deve descobrir como fazer isso por si mesma, pois é assim que você irá me ouvir quando eu sair deste "mundo".

Eu finalmente sei que é melhor não lhe perguntar o que ela quer dizer com “este mundo” e “Outro Lado”, mas é por isso que eu não acredito mais que toda a realidade é apenas o nosso pequeno lugar. Mais uma vez, não posso compartilhar essa informação com ninguém, ou eles ficariam com muito medo e raiva.

Muitas vezes, eu me pergunto por que tantas pessoas em nosso mundo ficam tão assustadas com o desconhecido. Shalone me disse uma vez que o desconhecido, ou qualquer pessoa que queira falar sobre o desconhecido, assusta a maioria das pessoas. Eu definitivamente achei essa afirmação verdadeira. Portanto, o problema é que, uma vez que conheçamos uma verdade, nossa vida se torna muito solitária.

É claro que nem sempre é solitário agora, pois ainda posso conversar com Shalone, mas não muito, assim como com os pássaros, animais, árvores, nuvens e especialmente com os lagos tranquilos. Mais uma vez, Shalone me avisou para NUNCA contar a ninguém que eu posso me comunicar com a Natureza dessa maneira. Mais uma vez, outra razão pela qual eu ficarei terrivelmente solitária quando ela for embora.

"Não, não", diz Shalone depois de ler minha mente. Ela faz muito isso, ler a minha mente, quero dizer. Shalone diz repetidas vezes, enquanto eu continuo esquecendo dessa verdade, que a chave para entrar no Grande Intermediário é saber que você NUNCA está sozinho.

"Só porque alguém é invisível aos seus olhos físicos, não significa que essa pessoa não exista", Shalone me lembra novamente. Eu entendo essa afirmação, pois eu sempre fui capaz de falar com os Espíritos da Natureza, o que a maioria das pessoas nunca consegue perceber. De fato, quando eu ando na floresta, muitas vezes, ouço os espíritos da natureza me chamando. Mas então eles se escondem de mim.

"Por que você me chama se você vai se esconder de mim?" Eu pergunto de uma maneira frustrada. Eu sei que não estou frustrada com os Espíritos da Natureza, mas muitas vezes fico frustrada comigo mesma.

"Agora, agora, querida", diz Shalone, pois ela pode instantaneamente sentir a minha frustração. “A frustração é a raiva de baixo nível e ela diminuirá suas percepções. Você sabe que se você perder sua capacidade de falar com todos os Espíritos da Natureza, você ficará MUITO solitária ”.

Eu tenho que admitir que ela está correta. Os Espíritos da Natureza e Shalone foram meus melhores amigos durante toda a minha vida.

“Quando eu for embora”, Shalone me lembra, “você falará comigo da mesma maneira que fala com os Espíritos da Natureza. De fato, você encontrará a minha essência fluindo ao redor e através dos Espíritos da Natureza, pois quando eu partir, eu também permanecerei, pois irei navegar "no tempo que flui do Intermediário". Entenda, querida, "partir" é um conceito tridimensional.

Acho que é melhor eu falar sobre a terceira dimensão agora. Algumas pessoas pensam que a terceira dimensão é o mundo físico, mas também é muito, muito mais do que isso. A “terceira dimensão” é uma realidade na qual escolhemos ver aquilo que sempre conhecemos, e ignoramos o que é novo.

Por exemplo, aqueles que só ressoam na terceira dimensão não podem ver ou ouvir Shalone, e definitivamente não podem perceber, ou até mesmo estar cientes de “O Grande Intermediário”. Além disso, sem a consciência do “Grande Intermediário, “não há possibilidade de que eles percebam “O outro lado ”.

"O Outro Lado" é aquilo que se encontra no "Grande Intermediário". Mais e mais crianças estão nascendo com a capacidade de perceber "O Grande Intermediário" e "O Outro Lado". De fato, eu posso ver quando eles “deixam o tempo” para visitar “O Outro Lado”. Eu digo “deixam o tempo”, porque “O Outro Lado” não tem tempo.

Eu sei disso, de fato, porque atravessei “O Intermediário” e entrei no “Outro Lado”. Quando estou lá, parece que eu tenho uma vida longa, longa. No entanto, quando volto ao meu mundo, acho que é como se nunca tivesse saído.

"Como pode ser isso?" Eu perguntei a Shalone muitas vezes. Mas ela nunca responde a essa pergunta. Ela apenas sorri e diz: "Maravilhosa amada, o que você aprendeu lá?"

"O que eu aprendi lá?" Eu devo perguntar a mim mesma. “Bem”, digo a mim mesma, “acho que tudo o que aprendi é que ainda não estou pronta para ficar lá. E então, assim que volto, esqueço tudo o que experimentei. Por que não consigo me lembrar? ”, pergunto a Shalone.

Mais uma vez, ela sorri e diz: “Você ainda não está pronta, querida. Quando estiver pronta, você se lembrará ”.

Eu não gostaria de ser rude com ela, mas que tipo de resposta é essa? Para o que eu não estou pronta? E se eu não estou pronta, então, por que eu vou lá? Tento não fazer mais a Shalone essa pergunta, pois ela sempre a ignora, como se não me ouvisse.

No entanto, eu posso dizer pelo brilho nos olhos dela que ela me ouviu e optou por não me responder. Portanto, estou tentando encobrir minha frustração com respeito e paciência. Claro, Shalone pode ler minha frustração e, com paciência e gentileza, olha bem em meus olhos para dizer: "Do que você tem medo?"

Quero ficar com raiva e dizer que não tenho medo de nada, mas como nunca falaria com Shalone daquela maneira, sua pergunta vibra em meu coração e flerta com minha mente. "Por que não estou pronta?" Pergunto às árvores, ao céu, à água, aos pássaros, à grama e aos raios de luz que me seguem através da floresta.

Então, se eu estiver muito quieta e NÃO fizer outra pergunta, começo a ouvir com o coração e entender com minha mente que estou apenas começando algo novo. Portanto, preciso ser paciente comigo mesma. Logo depois disso, Shalone vem a mim para me dar um abraço longo e silencioso.

Ela então se vira e me deixa em meu próprio silêncio desconfortável. "Mas por que esse silêncio é desconfortável?" Eu tento me perguntar. É então que o meu Eu Interior me dá um “abraço interior” e me lembra de que as perguntas são uma ilusão do meu mundo tridimensional.

É quando eu me lembro que é só quando paro de fazer perguntas que me lembro que as respostas estão sempre dentro de mim. Quando eu sou capaz de ser paciente e permitir que as respostas cheguem, eu gradualmente me torno consciente de “O Grande Intermediário” flutuando em minha consciência.

Então, “O Grande Intermediário” me lembra que na verdade é uma frequência da realidade que entra em mim como um sonho. No entanto, estou totalmente desperta e posso ver simultaneamente o meu mundo físico ao meu redor. Então, vejo uma possível entrada para outro mundo, mas só posso decidir se, e quando, escolherei nele entrar.

Até agora, não entrei. Às vezes eu fico muito próxima do “limiar entre os mundos”, mas depois um amigo me liga, eu me lembro de algo muito importante que devo fazer, ou eu caio fora da experiência, como se alguém “caísse” de uma árvore.

No entanto, não há queda ou aterrissagem no solo. Em vez disso, essa realidade possível, que é como uma flor quase pronta para florescer, simplesmente desaparece. Então, tudo o que vejo é meu mundo cotidiano e meu corpo cotidiano.

“Por que, por que eu mesma paro? Do que tenho medo? Quase todas as vezes, Shalone aparece de repente diante de mim, me dá um abraço e diz algo do tipo: “Boa tentativa. Da próxima vez você poderá ficar mais tempo.”

Ela então sai antes que eu tenha a chance de fazer qualquer pergunta, mesmo sabendo que ela não iria respondê-la. "Aquilo que você procura é encontrado no interior", é a resposta que ela tem para todas as minhas perguntas. Um dia irei entender o que ela quer dizer com isso.

Eu também sei que é nesse dia que ela desaparecerá da minha vida.

Suzanne Lie

DEMAIS CAPÍTULOS DESTA SÉRIE CLICANDO AQUI

Autor / Canal: Suzanne Lie PhD 
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais Os Arcturianos por Suzanne Lie Aqui

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...