background

quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Owen K. Waters - "O ego silencioso "



Na cultura de hoje, a palavra ego geralmente é aplicada a traços de personalidade disfuncionais. Se uma pessoa é controladora, detestável ou faz uma birra, diz-se que seu ego é o culpado.

Atributos disfuncionais do ego surgem da Velha Realidade da consciência de separação. A humanidade passou milhares de anos explorando os efeitos da separação de outras pessoas, a separação de outros estados de consciência e separação da fonte espiritual interior.

A consciência de separação causa medos profundos; receios de que não haverá amor, terra ou recursos suficientes. Destes medos, surgem a inveja, a ganância e a agressão. Não é de admirar que, após milhares de anos de conseqüências e pesadelos, a humanidade esteja pronta para avançar para a fase de cura da existência na Terra.

A nova realidade emergente traz a consciência centrada no coração. A palavra-chave da nova consciência é integração, e não separação. Nas próximas décadas e séculos, a humanidade encontrará maneiras de resolver diferenças e questões de separação de maneiras inspiradas pelo amor incondicional e pela compaixão. A violência pode gerar violência, mas é baseada na ilusão da falta. O amor gera amor e, sendo baseado em um componente muito real da Criação, ele tem o poder real.

Na Velha Realidade, os sacerdotes trabalhavam para controlar suas congregações, repreendendo-os com acusações de que eles são pecadores sem valor. Hoje em dia, alguns professores que afirmam ser espirituais repreendem o seu público com acusações de que eles têm problemas de ego ruim. De fato, eles afirmam que ter qualquer ego é ruim, ruim, ruim. As pessoas na platéia, mesmo as almas gentis com corações maravilhosos, deveriam começar a duvidar de si mesmas. Afinal, eles supõem, o professor supostamente esclarecido deve saber mais do que eles. E, assim, o verme do controle começa a penetrar em suas mentes.

A Nova Realidade não se trata de ter poder sobre alguém.Trata-se de auto-capacitação, trata-se de poder com todos, não contra eles. O ego de uma pessoa espiritualizada não é um problema. É uma parte essencial do sistema humano, criado expressamente pelo Criador de toda a vida, a fim de experienciar a autoconsciência, a partir de um número infinito de pontos de vista.

O Ser Infinito é a consciência abrangente, a partir da qual o universo foi criado. Tudo no universo é feito de consciência. Assim como cada floco de neve é ​​único, cada pessoa também é. Seu principal objetivo na vida é experienciar a vida de um ponto de vista único e individual.

Você não pode cortar uma parte de si mesmo. O ego não pode ser jogado fora e esquecido. É o seu senso essencial de identidade. Mesmo se alguém fosse bem-sucedido em rejeitar uma parte de si mesmo, chegaria um momento em que ele teria que recuperar essa parte perdida e integrá-la de volta a si mesma de maneira saudável e holística.

Você é uma expressão do Ser Infinito, à medida que ele se experiencia a partir de todos os pontos de vista possíveis. A melhor maneira de servir a si mesmo e ao Ser Infinito, a fonte dentro de todos nós, é viver a sua vida para o seu próprio potencial pessoal mais elevado.


Autor: Owen K. Waters 
Fonte: http://www.spiritualdynamics.net /
http://www.infinitebeing.com/   
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais Owen K. Waters Aqui