Bashar – “CONSCIÊNCIA CRÍSTICA”

Bashar – “CONSCIÊNCIA CRÍSTICA”

Compartilhe esse artigo
Iniciaremos esta interação, esta comunicação,
neste dia de seu tempo, mais uma vez agradecendo a cada um individualmente e a
todos coletivamente por nos permitir esta oportunidade de nos comunicarmos com
sua civilização desta maneira, nesta ocasião.

Sempre estas comunicações são uma expansão, uma
expansão de nossa consciência do universo, no sentido em que conseguimos ver,
através de vocês, muito mais maneiras diferentes que o universo tem de
expressar-se a si mesmo devido às qualidades únicas de vocês. Isso para nós é
uma dádiva.

Nós os agradecemos por compartilhar isso e
gostaríamos de começar esta comunicação neste dia de seu tempo, com o seguinte
conceito. Reconhecemos que, ao canalizarmos ou ao nos comunicarmos através de
um lugar em particular de seu planeta nesta ocasião, a facilidade especial pela
qual vocês estão tendo esta sessão tem a ver com os conceitos de uma
consciência em seu planeta, chamada de
 consciência crística. Gostaríamos de comentar um pouco mais sobre essa ideia neste tempo, de
acordo com o espírito do lugar e com o tempo e a energia dentro dos quais vocês
estão.

Em primeiro lugar, de maneira nenhuma queremos
dizer, ao falar de consciência crística, como vocês a chamam, que ela é em
algum grau para ser considerada como mais ou melhor do que qualquer outra
maneira de pensar. Vocês descobrirão que de nossa perspectiva, aquilo que vocês
chamam de consciência crística teve, tem e terá muitas diferentes espécies de
manifestações em seu planeta. A consciência crística e a natureza de Buda são
as mesmas energias, a mesma consciência.

De fato, aquilo que vocês reconhecem como
consciência crística manifestou-se e encarnou-se em seu planeta de muitas
maneiras diferentes e sob diferentes formas. Em sua definição fundamental o que
vocês chamam de consciência crística ou natureza de Buda é simplesmente o
espírito coletivo do mundo, de todas as suas consciências combinadas. Portanto,
vocês também são consciência crística, natureza de Buda, o Grande Espírito,
nesse sentido.

Como muitos de vocês estão começando a perceber,
o conceito total não é tanto o conceito religioso da consciência crística, mas
o despertar do espírito de unicidade, o espírito de amor, o espírito de
criatividade dentro de cada um e de todos vocês. Esta é a chamada Segunda
Vinda. É claro que não é a segunda, pois isso já aconteceu muitas vezes. Isso
foi apresentado a vocês e refletido para vocês de muitas maneiras e estilos
diferentes daquilo que vocês chamam de origem das religiões em seu planeta,
embora o que vocês chamam de religião em seu planeta nunca tenha sido a
intenção de nenhum daqueles nos quais essas religiões foram baseadas.

O que vocês chamam de Jesus, o que chamam de
Buda, o que chamam de Krishna, o que chamam de Wahoca, o que chamam de Maomé e
todos os outros a que quiserem dar nome — nunca tiveram a intenção de começar o
que vocês agora têm em seu planeta sob o formato de uma religião. Eles nunca
esperaram seguidores. Estavam dizendo a cada um de vocês que poderiam ser o
mesmo que eles, ser como eles, agir da sua maneira. A frase “Eu Sou o
caminho” simplesmente significa “Sejam assim” e estarão
refletindo a mesma energia, a mesma consciência, a mesma ideia. Não significa
seguir. Não significa criar um ritual em torno deles. Significa que vocês são
um, que todos podem fazer as mesmas coisas.

Isso foi dito, na realidade, literalmente por
muitos desses grandes instrutores de seu planeta. Mas, é claro que, devido a
certos tipos de pensamentos de separação, de limitação e de crenças negativas,
muitos de vocês sentem que não merecem reconhecer essa chama dentro de vocês,
essa energia dentro de vocês, essa luz dentro de vocês.

Portanto, vocês se segregam desses ensinamentos,
colocando-os em um pedestal mais alto do que aquele onde se colocam; não se
consideram iguais a eles e assim criam rituais em torno deles, simplesmente
agindo como seguidores em vez de fazedores, que é o que eles queriam partilhar
com vocês, entregar a vocês — que vocês são tudo, nesse sentido, capazes de
manifestar tudo, até mais do que eles manifestaram em seu planeta, cada um
deles em especial.Reconheçam que uma das razões pelas quais vocês têm em seu
planeta essa assim chamada era transformacional, Nova Era, seja como for que
desejem chamá-la, é que há um novo reconhecimento, um novo despertar de vocês.

Esse despertar é uma compreensão que não é sobre
seguir alguém ou sobre rituais, mas sobre ser uno, sobre agir como se soubessem
que são a Consciência Crística, a natureza de Buda, o espírito de Krishna.

O que vocês chamam de Deus, o que chamamos de
Tudo Que Existe, o Infinito, como o quiserem chamar não importa, porque tudo é
verdade. Lembrem-se de que quando falam sobre a ideia de alguma coisa ser
onipotente, então ela é tudo o que pode ser e tudo o que vocês podem possivelmente
imaginar ser; todas as representações são verdadeiras. Se fosse menos, então
não haveria o Tudo Que Existe por definição.

Dessa forma, vocês podem chegar até ela a partir
de qualquer número de diferentes caminhos, mas simplesmente reconheçam que são uma
parte dela, que ela é uma parte de vocês. Vocês são simplesmente uma expressão
diferente dela. Não estão separados dela. Ela não está separada de vocês. É
tudo um único acontecimento energético, embora possa haver diferenciação e
diversificação dentro dele, o que é belo em si.

É no reforço dessa individualidade que vocês
verão a maior unidade e harmonia aparecerem em seu planeta. Pois vocês não
podem ter verdadeira harmonia se não tiverem força em cada um dos componentes
individuais, de maneira que cada um representa a si mesmo como é na verdade,
como foi na verdade criado para ser.



Cada um de vocês é único por uma razão. A
unidade não significa que vocês devam se tornar homogêneos e perder suas
características identificadoras. Não. Significa que cada um de vocês tem que
ser forte o suficiente dentro de si mesmo para respeitar sua individualidade ao
máximo e respeitar todas os outros reflexos individuais do Infinito. Porque
eles são todos reflexos do Infinito, e se eles realmente existem, eles têm uma
razão para existir. Se não houvesse nenhuma razão para existirem, se eles não
fossem aspectos do Infinito, eles não poderiam, por definição, existir.

A ideia que iremos discutir com vocês esta
noite, não importa que tipo de questionamentos vocês tenham, é fundamentalmente
sua capacidade de reconhecer e de se tornar mais cônscios do conceito de que
vocês são seres auto-capacitados que têm assegurada a ideia única, como todos
os seres têm, da livre escolha e da escolha de serem seus eus próprios,
completos.

Não o que os outros dizem que devem ser, mas
seu eu próprio verdadeiro, completo, com excitamento, com integridade, com
alinhamento, intenção e ação. Ao escolher assim, vocês se tornam sua peça única
do quebra-cabeça que, quando colocada junto às outras peças únicas, formará
impecavelmente a figura inteira do infinito Tudo Que Existe.

Somente sendo essa peça inteira é que vocês
poderão preencher o pedaço que é a forma de sua peça em especial. Se vocês
tentarem ser uma peça de quebra-cabeça que não são, não preencherão aquele
pedaço e não ajudarão a criar a figura completa.Tentar ser alguém que não são,
só porque alguém diz que vocês têm que ser isso ou aquilo, é a coisa mais
difícil que podem fazer. Toda a dor, sofrimento e resistência que vocês
experienciam em sua vida, vem do tentar ser alguém que não são.

Ser quem realmente são, ao agir em sua alegria,
seu excitamento, seu amor, com integridade, alinhamento, intenção e ação,
acabará na verdade por ser a coisa mais fácil que podem fazer, porque então
tudo o que o universo terá que fazer é ajudar a ideia de vocês em sua maneira
criada originalmente, em vez da ideia de vocês como algo que realmente não
são.Fundamentalmente, tudo o que experienciam sobre si mesmos é em algum
sentido vocês, porque vocês são também um aspecto do Infinito. Mas, cada um de
vocês têm uma ressonância, uma freqüência, uma vibração que é sua canção única.
Sejam verdadeiros para essa canção. Cantem essa canção, e haverá um grande coro
e harmonia em seu planeta. É simples, se vocês permitirem que seja.

Nós os agradecemos por nos permitir partilhar
nesta ocasião estes pensamentos e reflexões. Queremos lembrar-lhes que estas
são somente nossas perspectivas, conforme vemos seu mundo e vocês, de que vocês
podem fazer estas coisas, se decidirem fazê-las. Mas, nunca lhes diremos o que
fazer. É o seu planeta. Afinal, temos nossas próprias vidas para viver, nosso
próprio planeta para cuidar. Não queremos o seu, muito obrigado.

Mas, em troca da dádiva que nos fizeram esta
noite, ao permitir que nos comunicássemos desta forma nesta ocasião, peço-lhes
agora, de que maneira poderemos ajudá-los? Vocês podem começar.Eu posso agir
muito logicamente: se fizer isso e aquilo, este será o resultado. Se não for o
resultado, então posso ajustar meu pensamento e me movimentar para a coisa
seguinte. O que não estou integrando são os sentimentos conectados com
desapontamento ou humilhação que isso causou.

Qual é a relação entre emoções e sentimentos, e
pensamento lógico, e de que maneira isso se relaciona com viver de maneira
espiritual?

Quando algo acontece que não seja de acordo com
o plano, sei que tudo irá dar certo, e que acabará se realizando, portanto é
fácil para mim movimentar-me a partir daquele momento para o segundo seguinte e
continuar até a próxima coisa. Mas, de alguma forma, estou ficando paralisado
por não reconhecer nem lidar com as emoções.

A
analogia do elevador

Vocês estão basicamente simplesmente carregando
a bagagem da expectativa com vocês, naquilo que estão fazendo. A ideia é que
sim, vocês podem ter um objetivo, mas existem muitas maneiras surpreendentes de
poderem atingi-lo, além daquela que seu pensamento é capaz de compreender.

Portanto, a ideia é, sim, vocês podem ter um
plano ou um caminho, vocês podem ter uma estrutura geral que acreditam que irão
seguir, mas se não chegarem à fruição precisa exatamente daquela forma, isso
quer dizer que existe algo talvez maior, mais rico e mais surpreendente do que
sua mente é capaz de atingir.

Quando perceberem isso, naquele momento vocês
farão com que não seja percebido como um erro ou um desapontamento, mas que
vocês de repente serão elevados a um nível inesperado de clareza. Vocês
permitirão a si mesmos serem surpreendidos e inspirados, serem emocionados e
abalados, e sua curiosidade se tornará viva e dirá: “Isso não foi como o
esperado, portanto alguma coisa maior está para acontecer.”

Esse estado os elevará para ver o caminho mais
claro, a figura maior. Vocês podem apertar o botão e tomar o elevador tanto
para cima como para baixo. Quando chegarem no fim de um corredor, não esperem
um elevador, mas é sua a escolha do caminho a seguir.

Só porque não esperaram o elevador não significa
que tenham que descer até o porão e se lastimar: “Oh, existe um elevador!
Isso significa que o único caminho que posso seguir é para baixo.”

Os elevadores também vão para cima. (Às vezes
eles vão lado a lado, mas isso não chegamos a compreender!) A ideia é que,
simplesmente, à chegada de um elevador inesperado, vocês têm uma escolha entre
os botões para subir e para descer. Escolham o que preferirem. Aceitem
reconhecer que nunca é uma interrupção, nunca um bloqueio, mas uma flecha
apontando para uma direção inesperada, possivelmente plena de muito mais do que
vocês estavam imaginando.

Então, vocês se emocionarão, serão iluminados e
também lhes será permitido ver a figura maior por sua própria escolha, porque
tomarão o elevador sempre para cima, para o terraço, de onde há uma bela vista
da ideia inteira. Será que isso os ajuda?

Certamente que sim.

É realmente uma forma de responder a sua vida,
em vez de reagir a ela.

Negar a
emoção…

Não, não. Vocês aceitam reconhecer que se
escolherem sentir de determinada maneira, precisam permanecer naquele
sentimento a fim de compreender o que o sentimento está lhes mostrando sobre
suas crenças. Sentimentos são sempre reações ou respostas a crenças.A crença
está ali primeiro, portanto se vocês têm um sentimento negativo ou um
sentimento que não preferem, isso é uma reação a alguma coisa que vocês
acreditam ser verdadeira. O sentimento os coloca frente a frente com o fato de
que vocês têm essa crença.

Se não preferirem o sentimento, se não
preferirem a crença, essa é uma oportunidade para se examinarem, para descobrir
que bagagem de expectativas vocês estiveram carregando, e se não a preferirem,
podem deixá-la cair e pegarem uma nova bagagem.Usem o sentimento como uma
oportunidade. Nunca evitem o sentimento, fiquem com ele. O sentimento está ali
para mostrar-lhes o que precisam compreender sobre si mesmos, de maneira que, ao
compreendê-lo, vocês possam transmutar o sentimento. Vocês não se livram de
sentimentos, vocês os mudam.

Vocês têm apenas uma única energia com a qual
trabalhar, é isso.


Todas as coisas que vocês sentem, todas as
coisas que fazem ou todas as coisas que pensam, são a mesma energia única.
Vocês podem apenas mudá-la de uma coisa para outra. Não podem livrar-se dela ou
varrê-la para debaixo do tapete; precisam ficar dentro dela e deixar que ela
lhes mostre o que está lá. Não a neguem. Então, ela lhes ensinará.Vocês
atravessarão o processo e serão [iluminados]por ele. Ganharão mais prática em
compreender que seus sentimentos estão aí para ajudá-los, e terão menos reação
e mais resposta a eles. Então eles, lentamente mas com certeza — ou rapidamente
e com certeza — se transformarão de sentimentos negativos em sentimentos
positivos em sua vida.

Isso ajuda a esclarecer a situação para vocês?

Sim, ajuda.
Canal: Darryl Anka 
Quem é Bashar? Veja aqui
Compartilhe esse artigo

About Author