O Amanhecer da Consciência – “Livres por viver”

Compartilhe esse artigo

Vivermos. Um propósito grandioso.


Todas as propostas subliminares que exploram nossa atenção. As coisas menores do mundo irreal que amedrontam e entristecem, agridem e enrijecem. O que fazem-nos esquecer da suavidade de nossas almas e do irradiar de nossos corações. Do que desejamos. Do que realmente somos. Do verdadeiro reino ao qual pertencemos. Do poder de nossas orações.


O que nos leva a chorar no presente, é o passado que sempre retorna. Um passado batendo amiúde à porta, não permite seguir adiante. E o desejado sorrir no agora, será sempre um futuro distante.


Não vivemos para olhar o que não queremos sentir. Não vivemos para morrer, mas para a plenitude de Ser e pelo Ser se expandir.


Não vivemos para adaptarmos quem somos a uma matriz de tendências. Ninguém que não nos vê, pode dizer quem somos. Somente nós nos enxergamos, sem as aparências. Escolhemos ao que vibramos, ao que elevamos, ao que viemos. É de nossas naturezas.


Nada pode transformar Seres Divinos, moldando seus destinos. Se somos seres, somos Divinos. Transformadores por origem e vem da luz nossos princípios.


Sejamos completos, não em partes. Somos vida criativa em unidade, continuidade. Ao bel prazer da falsa vantagem dos cegos, nunca haveremos de pertencer. Por sabermos bem ao fundo. Somos vida e somos tudo. Não por exigência. Mas por excelência; Vivemos.

Fred Cury

Autor: Fred Cury 

Veja mais O Amanhecer da Consciência Aqui

Compartilhe esse artigo

About Author

Neva (Gabriel RL)