background

sábado, 23 de dezembro de 2017

JENNIFER HOFFMAN - "CERTO, ERRADO E A VERDADE" - 18.12.2017



Olá a todos, tem sido uma verdadeira montanha-russa nas últimas duas semanas e estou ainda processando toda esta energia, como você. Muito está acontecendo no mundo agora como parte do “grande despertar”, que está dando origem ao que eu chamo de “grande transformação da consciência”. Todos querem conhecer a verdade e ter uma verdade que não seja adulterada, não propagada e não manipulada. E isto cria os seus próprios problemas, pois temos que nos diferenciar da verdade e queremos estar “certos”, a partir das sombras da negação da verdade em que encontramos conforto, para enfrentarmos a verdade que não queremos ver.

Nesta semana temos o início de um novo ciclo, que anuncia as grandes mudanças futuras em 2020. Saturno está entrando em Capricórnio onde ele se unirá a Plutão em 2020. A última vez que tivemos uma conjunção Saturno/Plutão foi em 1511, na época em que Martinho Lutero escreveu 95 teses sobre a corrupção na Igreja Católica. Seus protestos criaram o movimento “protestante” e perturbaram o equilíbrio do poder na Igreja. Saturno entrou em Capricórnio, em Fevereiro de 1988: você poderá obter uma reciclagem destas situações.

Existem alguns desafios de equilíbrio do poder surgindo, que irão revelar um novo nível da verdade no mundo, e isto desorientará muitas pessoas. O que é verdade e o que não é verdade? O que é certo ou errado? Quem está falando a verdade? A desintegração da 3D sempre dá lugar ao caos, assim, fique firme e vejamos até onde vai esta jornada.

Algumas pessoas farão grandes esforços para afirmar que elas sabem mais, que estão certas e que conhecem a verdade. Mas a verdade é uma coisa engraçada, tanto quanto queremos conhecer a “Verdade”, tudo o que podemos saber com certeza é o que é  verdadeiro para nós. A verdade de outra pessoa é apenas dela. Podemos concordar ou compartilhar de uma opinião sobre isto, mas a verdade, como a beleza, está no olho do espectador. E quando eles nos pedem para validar a verdade deles, o que eles estão realmente pedindo é a validação de que eles são dignos de nossa validação, aceitação, e, finalmente, de nosso amor.

Recentemente, tive uma discussão bastante acalorada com uma amiga que estava tentando me convencer de que eu estava errada sobre algo. Ela estava bem irritada por não concordar com ela, porque no que me dizia respeito, eu não estava errada. Eu apenas tinha uma perspectiva diferente do que ela, que era a minha verdade e isto estava em conflito com a verdade dela.

Eu também notei que eu não estava tentando tanto convencê-la de que eu estava certa, como ela estava insistindo que eu estava errada. Isto não se referia a certo ou errado, mas sim à verdade.

Quando a minha amiga insistiu que eu concordasse com ela, sabia que isto era pessoal e que ia bem além de mim e deste pequeno incidente. Para ela, mais uma vez, ela tinha que se provar e a sua verdade e eu era mais uma pessoa a não concordar com ela. Embora eu concordasse com ela em princípio, eu simplesmente não concordava com a verdade dela.

Desde que ela estava tornando isto muito pessoal, tive que me perguntar quem a tinha tornado tão errada em sua vida que ela precisava ter a sua verdade validada, ouvindo-me repetir isto de volta para ela.

Por que não era suficiente para ela conhecer sua verdade e se sentir confortável com isso? Porque não se tratava de sua verdade, mas sim de me fazer concordar que era verdade.

Em tempos de mudança e incertos, quando as verdades que nos sustentaram por tanto tempo de repente não são mais verdadeiras, precisamos restabelecer uma base onde nos sintamos seguros e validados. Uma verdade mutável pode ser que alguém que amamos não nos ama mais, ou o trabalho que nos sustentava não precisa mais de nós, um amigo decide que não quer mais nossa amizade, ou temos que reconhecer que estivemos vivendo uma vida que não nos faz felizes.

Podemos encontrar uma nova verdade, mas que não seja o que realmente queremos. Queremos que alguém nos diga que estamos certos, que somos verdadeiros, dignos e merecedores. Então, procuramos a verdade quando tudo o que realmente queremos é validação, aceitação e amor.

Porque essa é a nossa maior necessidade, sermos valorizados e valiosos, validados por outros, para que possamos saber que existimos e que somos ouvidos, amados, apreciados e saber que alguém, qualquer um, concorda com a nossa verdade. E nosso medo é que a verdade revele o que sempre tivemos medo de descobrir, que não somos dignos, adoráveis ou merecedores.

É possível estar confortável com a nossa verdade, mesmo que ninguém mais ache que é verdade?

Depende do que seja, mas como a verdade é pessoal, desde que seja verdade para nós, que estejamos alinhados com ela, que seja autêntica e nos deixe felizes, essa é a única verdade que precisamos saber.


Autor: Jennifer Hoffman 
Facebook: Jennifer Hoffman
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais Jennifer Hoffman Aqui

Poderá também gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...