VOVÓ MARIA CONGA - "SE A DOR É DOIDA, POR QUE A VENERA?"