EMMANUEL DAGHER – “PREVISÃO DA ENERGIA”

EMMANUEL DAGHER – “PREVISÃO DA ENERGIA”

Compartilhe esse artigo

PREVISÃO DA ENERGIA – SETEMBRO DE 2019


UMA TEMPORADA DE ROMANCE

Bem-vindo a um mês e a uma temporada totalmente novos!


À medida que as energias começarem a mudar para uma nova direção, Setembro estará repleto de muitas surpresas, então vamos passar direto para isto!


UMA CONEXÃO MAIS PROFUNDA


As energias que chegam neste momento estão nos dando a oportunidade de fortalecer nossa conexão com a Fonte de toda a vida.


Como isso será para a nossa vida cotidiana?


O objetivo de todo ser humano – o objetivo que levamos ao longo do tempo e do espaço – é simplesmente retornar ao Lar.


“O retorno ao Lar para nós mesmos” é outra maneira de dizer que escolhemos conscientemente lembrar e nos conectarmos com a nossa essência principal. E que reconhecemos plenamente nossa Unidade com a Fonte de Tudo O Que É.


O retorno ao Lar se trata menos de alcançar um destino, e mais de uma mudança na consciência que só pode acontecer se aceitarmos estar no presente.


O retorno ao Lar para nós mesmos nos permite transcender as ilusões de separação, do medo e outros condicionamentos baseados na sobrevivência. Isso nos ajuda a nos conectarmos e incorporarmos a paz inabalável que sempre esteve por trás de tudo.


Não é interessante contemplar isso? Por trás de todo medo, preocupação, falta, dúvida e outros condicionamentos baseados na sobrevivência, a paz incondicional (amor) está sempre presente.


Como isto faz o seu Espírito sentir quando você lê esta declaração? Parece mais expansivo? Ou parece mais constrito?


A mente pode tentar criar histórias que limitem sua capacidade de explorar sentimentos de paz incondicional. No entanto, isso ocorre apenas porque está tentando se manter segura e confortável, fazendo o que funcionou no passado, que é usar padrões de enfrentamento orientados para a sobrevivência.


Se isso acontecer, agradeça à mente por tentar protegê-lo e a si mesma da melhor maneira possível. A mente apenas deseja ser reconhecida e amada por você.


Como ela recebe reconhecimento e amor de forma consistente, será menos provável que recorra a padrões de pensamento baseados na sobrevivência para obter um efeito de choque, apenas para chamar sua atenção.


Setembro nos oferecerá a oportunidade de começar a mudar nosso relacionamento com a mente, para que possamos voltar ao Lar e experimentarmos a profunda conexão com o Espírito / Fonte / Universo que desejamos desde o dia em que nascemos neste planeta e na existência tridimensional.


Quando refletimos sobre a palavra romance, geralmente pensamos nela como duas almas se unindo para compartilhar uma troca íntima, aberta e vulnerável de amor.


Essa é uma maneira bonita de ver o romance, mas essa não é uma visão completa.


Essa visão sempre nos deixará desejando e ansiando por algo dos outros que eles simplesmente não podem nos dar.


É por isso que a maioria das pessoas passa pela vida sentindo que está faltando alguma coisa. Essa necessidade cria um vazio interior que simplesmente parece não ser preenchido.


A necessidade de encontrar algo fora de nós mesmos para preencher esse vazio pode nos deixar no modo de busca indefinidamente, pois nunca nos sentimos realmente estabelecidos e em paz.


O remédio para tudo isso é cultivar o tipo de romance que nos dará a paz, satisfação, alegria, amor, prosperidade e bem-estar que sempre procuramos.


O único tipo de relacionamento amoroso que sempre nos dará essas bênçãos é o que temos conosco.


Você se apaixonou ultimamente?


Você já teve tempo para honrar e reconhecer sua magnificência?


Você já teve tempo para amar cada parte de você, de dentro para fora?


Quando nos apaixonamos profundamente por um parceiro, é muito difícil ver alguma falha nele nos estágios iniciais do namoro. Nós vemos apenas a essência pura da alma que ele é.


O que aconteceria se nos déssemos esse mesmo presente?


Seríamos capazes de sair do auto-julgamento mais rapidamente e ver plenamente nossa perfeição? Mesmo aquelas partes de nós que acreditávamos serem imperfeitas?


Agora estamos em um momento em que podemos curar todas essas crenças pré-históricas feitas pelo homem sobre o romance não ser um trabalho interno. Crenças que dizem que é egoísta amar a nós mesmos – que é arrogante ou não espiritual.


Todas essas crenças podem ser resolvidas, curadas e alquimizadas agora.


Elas serviram ao seu propósito. Elas nos ajudaram a chegar onde estamos agora, em nossas vidas individuais e em nossa consciência coletiva.


Não precisamos mais desses padrões arcaicos, porque eles não estão mais alinhados com a direção em que nosso mundo e Universo estão se movendo.


Nós evoluímos e continuaremos a evoluir exponencialmente nos próximos dias, semanas, meses e anos. Superamos as partes primárias de nós mesmos que preferem permanecer nas ilusões de separação e medo.


Isso não é quem nós somos, ou que já fomos em nossa essência, e nos levou a esquecer quem somos, para chegarmos a esse ponto na história da humanidade, para que possamos lembrar novamente.


Assim, nos próximos dias, semanas e meses, teremos a oportunidade de abandonar muitos dos padrões de crenças ultrapassados ​​que uma vez permitimos impedir que sejamos nossos eus mais autênticos e satisfeitos com a alma.


Deixe que esta seja a sua temporada, escolhendo se tornar a principal prioridade em sua vida.


Deixe que esta seja a temporada em que você se comprometa a se amar e se honrar a partir de agora, da maneira que sempre desejou que um parceiro fizesse por você.


Permita que as energias curativas de apoio que chegam neste momento dos céus e hostes celestes o elevem, de modo que você desperte no amor todos os aspectos de seus corpos emocional, mental, físico e etérico.


Você merece isso. Isto é o que o Universo / seu Espírito sempre desejou que você desse a si mesmo.


Se você nunca tiver certeza de como, peça apoio extra ao seu EU SOU / Eu Espiritual e à própria Fonte de Energia. Eles estão além de prontos, aptos a apoiá-lo.


Então, como nos apaixonamos?


Um relacionamento amoroso conosco exige três coisas simples:


1. Reconhecimento completo do nosso eu interior e exterior – isto significa que estamos totalmente comprometidos em ver, ouvir e dar atenção a todos os aspectos do nosso corpo / mente / espírito.


Se estamos julgando nosso corpo por ser “muito pesado” ou “muito magro”, não estamos reconhecendo e honrando totalmente nosso corpo.


Quando isso acontecer, agradeça à mente por recorrer a velhos padrões de enfrentamento para se manter segura e imagine seu corpo sendo representado por seu eu de 3 anos de idade.


Abrace essa criança e segure-a em seus braços pelo tempo que for necessário, até ter uma sensação de suavidade / paz em seu corpo e mente.


2. Compromisso completo com nós mesmos – Isso significa que estamos optando por nos tornarmos uma prioridade em nossas vidas. Estamos optando por cultivar uma prática diária que nutra o nosso corpo / mente / Espírito.


Reflita sobre algumas das coisas que você adorava fazer quando criança.


Você gostava de cantar, pintar, desenhar, dançar, passar um tempo na natureza, praticar esportes, construir coisas? Tudo o que gostamos de fazer é uma pepita de ouro que ajuda a nos levar de volta ao nosso verdadeiro eu.


Permita-se integrar essas bênçãos de volta à sua vida agora.


3. Alinhamento com o presente – Embora “estar presente” pareça um conceito trivial, pode ser bastante desafiador para a maioria das pessoas, porque até agora fomos condicionados a viver em um mundo baseado na sobrevivência.


Quando estamos na sobrevivência, não somos nós mesmos. Tornamo-nos uma concha de nós mesmos, vivendo fora de nossos corpos e do momento presente.


Essa concha vive com medo do futuro ou permanece persistentemente no passado. Nunca é capaz de receber plenamente ou estar no momento presente.


A própria alegria é a capacidade de receber e estar plenamente no presente.


É por isso que podemos perceber que aqueles que meditam e passam algum tempo se alinhando com o que os ajuda a estar totalmente presentes, também estão felizes e em paz consigo mesmos.


Apaixonarmos por nós mesmos inclui nos dar permissão total para nos alinharmos com o presente, para que também possamos nos conectar com a alegria e a paz interior que sempre estiveram disponíveis para nós.


À medida que desenvolvemos um relacionamento amoroso romântico conosco, acontece algo bastante espetacular: o mundo ao nosso redor começa a mudar, a curar e a refletir a maneira como estamos aparecendo.


Isso inclui o alinhamento com um parceiro que nos ame tão plenamente quanto escolhemos amar a nós mesmos. Inclui o alinhamento com uma carreira que nos liberte e nos permita expressar ao mundo os aspectos mais verdadeiros de nós mesmos.


Também inclui atrair para nós bênçãos e milagres diários que afirmem nossos sentimentos de conexão com toda a própria vida.


E à medida que muitos de nós se moverem nessa direção, nosso planeta e o mundo também se curarão e refletirão uma nova consciência para a humanidade – uma que opere dentro dos parâmetros libertadores do amor.


Isso não parece mágico e expansivo?


Agora é a hora de seguirmos nessa direção. É isso o que o Universo mais deseja para nós – lembrarmos quem somos e passarmos o resto de nossas vidas honrando, amando e reconhecendo a magnificência de quem somos.


Porque, ao fazermos isso, estamos oferecendo ao Universo / Espírito a maior honra e respeito.


Como em qualquer romance, as coisas podem demorar um pouco para florescer. Ser gentil, paciente e gentil com a mente, enquanto aprende a se abrir para receber o amor de nós, será bastante útil.


Nos estágios iniciais de um romance, as coisas costumam vir à tona, como nossas antigas inseguranças, dúvidas e julgamentos. Estes são apenas mecanismos de autoproteção.


Se isso acontecer, saiba que é porque emoções e padrões de pensamento profundamente enterrados estão chegando à superfície para serem reconhecidos, honrados, curados e resolvidos.


Com essa consciência, não nos encontramos mais nos esquivando das emoções e pensamentos que se manifestam, mas os aceitamos e honramos como parte do processo de cura.


Não é extraordinário saber que não há nada que sua mente possa fazer ou dizer que nos justifique sermos duros e julgá-la?


Mesmo quando se julga, agora temos consciência suficiente para saber que é permitido fazer isso, e tudo o que nos pedimos é amá-la através desse processo.


Muito foi compartilhado nesta previsão. Estou empolgado em saber como você escolhe trabalhar com as oportunidades que temos agora para mudar para o amor próprio de maneiras que nunca experimentamos antes!


Que este Setembro o leve ao Lar e permita que seu coração, mente e espírito se sintam amados incondicionalmente, sempre.


Até a próxima vez,


Milagrosamente seu,


Emmanuel


Autor: Emmanuel Dagher
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais Emmanuel Dagher Aqui
Compartilhe esse artigo

About Author