BENJAMIN FULFORD - "ATUALIZAÇÃO SEMANAL"



28.10.2019 

TERCEIRA (QUARTA?) MORTE DO AGENTE DO MOSSAD, SHIMON ELIOT "ALBAGHDADI", NA VERDADE SIGNIFICA GRANDE MUDANÇA NO ORIENTE MÉDIO

Embora apenas alguns de consumidores de Kool-Aid, da obstinada propaganda corporativa, realmente acreditem no anúncio americano de que “o mestre terrorista al-Baghdadi” tenha sido morto, mais uma vez, realmente, desta vez, significa alguma coisa, dizem fontes do Pentágono. 

O terceiro anúncio de sua morte, significa que o Presidente dos EUA, Donald Trump, “está preparado, com a ajuda russa para acabar com o tráfico ilegal de petróleo, armas, seres humanos e drogas que beneficiam Sionistas, a CIA e o Estado Profundo”, explicam elas. 




Basicamente, agora que a pretensão de combater o ISIS ou a Al Qaeda ou qualquer outra designação usada acabou, Trump agora está, abertamente, dizendo a verdade – que as guerras no Oriente Médio são sobretudo para roubar petróleo. 

O fato de Trump mencionar a Exxon Mobil, controlada pela Rockefeller como a empresa que pode desenvolver os campos de petróleo sírios, também, significa que, agora, Trump é um porta-voz oficial de grandes petroleiras. 


De qualquer forma, Gordon Duff, do Veteran's Today, que tem melhores fontes no Oriente Médio do que este escritor, diz que o agente do Mossad Shimon Elliot, também, conhecido como “al-Baghdadi”, ainda está vivo. 

Você pode ler seu excelente relatório aqui: 


Presumivelmente, ele está desfrutando de sua morte oficial em algum esconderijo, junto com seu amigo do Mossad, Jeffrey Epstein.

Essa foto do agente da CIA Tim Osman, também, conhecido como “Bin Laden”, com seus manipuladores, enviados pelos alemães, apoia o que Duff relata.


Embora não possamos confirmar se essas imagens sejam autênticas, a história que elas transmitem foi a nós confirmada por várias fontes ao longo dos anos.

Enquanto isso, num sinal de que a guerra civil não declarada nos EUA está chegando a um crescimento, a lista de políticos desaparecidos em Washington, DC continua crescendo. 

Nem a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, nem o chefe do Comitê de Inteligência da Câmara, Adam Schiff, apareceram em público, desde sua repentina viagem à Jordânia na semana passada.

O Chicote Republicano da Câmara, Steve Scalise, tentou manter a farsa com este tweet amplamente citado: Meus colegas e eu fomos confrontar Schiff cara a cara, em seu quarto, trancado no porão do Capitólio para ver o que ele estava escondendo. 

Quando chegamos lá, ele imediatamente encerrou a audiência e fugiu com a testemunha.


No entanto, um colega em Washington, DC, com um comunicado à imprensa, afirma que Pelosi, Schiff e muitos outros não foram vistos em público durante a semana passada, nem nenhum novo vídeo foi publicado. 

Até o ex-chefe da CIA John Brennan, que estava constantemente na mídia, também, não é visto em público há duas semanas, observou o jornalista. 

(Nota para os agentes gráficos de computador: Hora de começar a trabalhar).

Além disso, o fato da mídia corporativa relatar sobre os processos de impeachment em andamento na Ucrânia contra Trump, agora, mencionar outros políticos, além, de Schiff ou Pelosi dá credibilidade à ideia de que eles se foram.

Fontes do Pentágono explicam: “Na medida em que as acusações seladas chegam a 130.000, muitos notáveis podem escolher a morte em vez da desonra, Gitmo ou tribunais militares e podem receber o tratamento de Rommel”. 

(O Marechal de Campo, Erwin Rommel recebeu a opção de cometer suicídio e ser elogiado como um herói de guerra, após sua tentativa fracassada de golpe de estado contra Adolph Hitler). Portanto, fiquem de olho nos anúncios da morte prematura do herói de guerra, General James Mattis e alguns de seus colegas. 

O último anúncio oficial de morte, foi do congressista afro-americano John Conyers. 


Conyers, “que, em 2017 foi expulso por má conduta sexual”, foi morto por seus chefes da máfia de Detroit “quando o dinheiro da Síria e do Iraque começou a ser bloqueado”, disseram fontes do Pentágono. 

Questionado sobre a investigação do Russiagate na sexta-feira, Trump disse, “Eu não posso dizer o que está acontecendo”, mas “Eu vou dizer isso: Acho que você vai ver muitas coisas muito ruins. Acho que verá coisas em que ninguém acreditaria”, acrescentou. 


Na semana passada, Trump também insinuou que o ex-presidente Barack Obama teria sido executado, quando publicamente acusou-o de crime de traição. “O que eles fizeram foi traição, OK? Foi traição”. 


“O Presidente do Pentágono, que instalamos para combater a Máfia Khazariana (Hillary Clinton, etc.) reagiu ao lixo da inteligência russa que, infelizmente, foi montado por um dos nossos em Londres. 

Desnecessário dizer que há algumas pessoas muito desconfortáveis em Londres do ponto de vista da recepção”, foi como uma importante fonte do MI6 descreveu a ação em Washington, DC. 

Afinal, as agências de “inteligência” Ocidentais, acidentalmente, “trabalharam em áreas transversas”, acrescentou. Isso agora foi corrigido, disse ele. 

Enquanto isso, o resto do mundo está ficando farto de toda a atividade pueril no mundo político anglo-saxão. 

“Depois que o Estado Islâmico, finalmente, foi derrotado pelo Exército do Governo Sírio com o apoio das forças aeroespaciais da Rússia, no início de 2018, mais uma ‘morte’ de Abu Bakr al-Baghdadi, também, não terá impacto sobre a situação na Síria ou sobre as ações dos terroristas em Idlib”, disse o Porta-Voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov. 


A Tass, também, recentemente citou a “agente” russa Maria Butina dizendo que: “Os EUA perderam o seu sistema judicial.” 


A agência oficial chinesa Xinhua News, por sua vez, depois de citar Trump sobre “al-Baghdadi”, observou que, “Ao longo dos anos, al-Baghdadi foi relatado várias vezes como tendo sido morto”. 


É claro que turcos, iranianos e outros, publicamente, declararam coisas semelhantes. 

Ao mesmo tempo, o plano dos EUA de usar a Índia como contrapeso em relação a China caiu por terra, quando, na semana passada, a Índia suspendeu sua Cooperação de Defesa com os EUA. 


Isso significa que o regime dos EUA e seus controladores Sionistas estão perdendo a capacidade de controlar a trama. 

Um exemplo disso foi visto quando a candidata Democrata, Tulsi Gabbard disse num debate presidencial que os EUA estavam patrocinando a Al Qaeda. 

Ela venceu o debate com 40% de apoio, enquanto os líderes oficiais como Elizabeth Warren e Joe Biden obtiveram 7%, de acordo com uma pesquisa do Drudge Report. 

Assim, numa ação orwelliana, o Comitê Nacional do Partido Democrata anunciou que ela não teria apoio suficiente para participar do debate seguinte. 


Enquanto isso, a Califórnia voltou a arder em chamas. Fontes da inteligência militar japonesa dizem que os incêndios na Califórnia dos últimos anos, estão sendo deliberadamente programados para preparar o terreno para uma ligação ferroviária entre a Califórnia e a China, via Alasca. 

Isso foi feito como parte de um acordo para evitar a falência do governo corporativo dos EUA, dizem as fontes. 

O mapa desta ligação de incêndios anteriores mostra que eles, realmente, parecem  formar uma linha ao longo do que seria um bom traçado para uma ferrovia. 



Outra coisa a notar sobre os EUA é que um súbito e radical pico de quedas de volume de empréstimos é o mais recente e claro sinal de que algum tipo de evento financeiro cisne negro (crise ou evento de extrema raridade) é iminente. 


De acordo com fontes da família real europeia, as negociações prosseguem no sentido de “uma declaração verdadeiramente global do BIS/FMI/Banco Mundial/ONU na defesa da paz e prosperidade permanentes” a ser submetida à votação no Conselho de Segurança da ONU. 

O FMI (França e Alemanha) e o Vaticano (Maçons P2), a Suíça e a cidade de Londres estão todos envolvidos nessas negociações, dizem elas. 

Os britânicos estão pressionando para a criação de uma futura agência de planejamento com pessoal meritocrático em sua supervisão, enquanto os controladores do antigo sistema, do Vaticano querem colocar o FMI no comando, dizem elas. 

Um compromisso que atribuirá a ambos um papel foi elaborado, acrescentaram. É claro que os chineses e asiáticos teriam de aprovar, disseram as referidas fontes. 

Esta semana, os chineses realizarão uma reunião especial para discutir esse assunto, juntamente, com outras questões, dizem fontes da Sociedade Secreta Asiática. 


Por sua vez, o Complexo Militar Industrial, ao liberar patentes sobre tecnologia de “OVNIs”, reatores de fusão compactos e outras maravilhas, indicou que está pronto para uma transformação de espadas em arados. 

Como parte disso, “a Boeing pode estar sujeita a controle militar, com o ex-almirante naval, John Richardson, caindo de paraquedas em seu conselho, já que o CEO Dennis Muilenburg poderá ser demitido em breve”, afirmam fontes do Pentágono. 

O Pentágono, também, está pensando em abalar o inchado e ineficiente Complexo Militar Industrial dos EUA, compartilhando tecnologia e abrindo algumas licitações de contratos de defesa para ofertas de empresas russas, dizem as fontes. 

De qualquer maneira, podemos esperar mais dramas nas próximas semanas e meses, quando o velho sistema entrar em colapso. 

A pergunta é: Será uma demolição controlada, seguida de reconstrução, ou uma descida ao caos, à anarquia e à miséria? Nossas fontes estão dizendo que uma demolição controlada e o surgimento de algo novo e melhor, como uma fênix, é o cenário mais provável. 

As reuniões agendadas para Novembro, envolvendo o Papa, os Asiáticos e o Pentágono podem ser decisivas. 

Além disso, mesmo que eu não seja um grande fã de OVNIs e alienígenas, me disseram que este é um bom momento para manter os olhos no céu e procurar por eventos incomuns como hologramas gigantes.

Fim.


Autor: Benjamin Fulford 
Tradução: Sementes das Estrelas / Candido Pedro Jorge
Veja mais artigos do Benjamim Fulford Aqui