background

quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Selácia - "Repensando a dor e a perda em 2020"



TORNADO DO CAOS E MUDANÇA

À medida que nossa sociedade revela mais desintegração e caos - muitas normas de vida interrompidas ou indisponíveis - é necessário repensar no impacto do luto e da perda e encontrar maneiras melhores de lidar com isso. Neste artigo, irei apresentar uma visão ampla de nossa situação sem precedentes e fornecer os principais recursos.

Daqui a alguns anos, quando olharmos para 2020, perceberemos a magnitude das coisas queridas que precisamos deixar para trás, os ajustes implacáveis ​​que tivemos que fazer e, para alguns de nós, os entes queridos que perdemos .

Por enquanto, no entanto, como estamos no meio do que chamarei de "tornado do caos e da mudança" - figurativamente dentro do tornado - não somos capazes de compreender o cenário completo de nossa situação. De certa forma, isso provavelmente é uma coisa boa, pois nosso ego teria um colapso sabendo dos detalhes e sendo incapaz de impedir o mundo de mudar.

REPENSANDO A DOR E A PERDA

Embora a dor e a perda façam parte da condição humana, os mecanismos de enfrentamento do passado são como um pequeno curativo em uma ferida aberta gigante que ainda sangra.

Por que agora é tão diferente?

Em primeiro lugar, a pandemia chegou no início de 2020, transtornando nossas vidas e nos forçando a constantes adaptações. A incerteza está em alta. É muito mais do que uma pandemia, é claro, mas isto teve um grande impacto em nossa experiência diária. Essa crise, e como ela influenciou a nossa visão da realidade, influencia nossas reações a outras perdas e crises.

Exemplos:

Doença ou morte de entes queridos e animais de estimação - não relacionados à pandemia - podem ser mais difíceis de processar quando já estamos lidando com mudanças de vida relacionadas à pandemia

Perder o emprego, estressante por si só, pode ter um impacto ainda maior em nosso bem-estar no ambiente incerto de hoje.

Mesmo algo que queremos fazer, como mudar para uma nova casa, pode envolver desafios únicos se coisas como a entrega de móveis em casa não estiverem disponíveis.

Para as pessoas que perderam entes queridos para o coronavírus, muitas vezes incapazes de estar com eles no final, há uma tristeza inconsolável e, às vezes, raiva sobre a grande má gestão da pandemia pelas autoridades.

Há uma nova palavra muito usada em 2020 - a dor do coronavírus

O que é isso? É um luto pandêmico que envolve a perda da rotina diária e de coisas familiares. Isto será diferente para cada pessoa, mas o impacto geral é o mesmo para todos nós.

Este é um exemplo de como funciona:

Você não pode ir aos seus lugares habituais ou ter o mesmo tipo de contato físico com as pessoas que está acostumado a ver

Há uma sensação de perda e talvez de desorientação - pois você está acostumado com suas rotinas

Pensamentos negativos surgem sobre as mudanças

Emoções como a ansiedade ou a raiva entram em jogo, catalisando mais pensamentos negativos.

Antes que você perceba, sua energia cai e você pode se sentir cansado e simplesmente querer tirar uma soneca, pois sua criatividade está indisponível e você não está inspirado. Soa familiar?

O QUE PODEMOS FAZER?

Sugiro que atualizemos nosso pensamento sobre o luto e a perda - levando em consideração o panorama das megamudanças da humanidade que ocorrerão em 2020. As pandemias virão e partirão, assim como outras coisas que não podemos prever com antecedência - todas essas coisas que exigem que sejamos flexíveis e de mente aberta enquanto encontramos maneiras de nos adaptarmos.

Devemos ter uma visão de longo prazo, pois não se trata apenas de 2020 ou da duração da pandemia. Quanto mais pensamos a curto prazo, na verdade, mais difícil será para nós lidarmos com a perda e a desorientação de mudar a forma como vivemos.

Devemos descobrir uma série de mecanismos de enfrentamento para que possamos aplicar neste ano e nos anos seguintes. A base disso envolve o desenvolvimento e a aplicação de qualidades espirituais: adaptabilidade, flexibilidade, abertura, paciência, gratidão, ser capaz de perdoar e estar disposto a mudar de ideia. No processo de desenvolvimento dessas qualidades, também desenvolvemos mais autocompaixão e amor próprio. Essas coisas influenciam nossa capacidade de ser resilientes em crises - este ano e além.

Provavelmente, você já está desenvolvendo essas qualidades espirituais. Se for esse o caso, saiba que essas qualidades levam vidas para se desenvolver. Portanto, se você já está familiarizado com elas e atualmente é capaz de aplicá-las algumas vezes, isso reflete vidas de desenvolvimento espiritual. Isso significa que você se preparou há muito tempo para estar aqui agora, e que tem mais recursos do que pode perceber agora! Permita que esse conhecimento fique registrado em seu coração e em seu ser, e use-o como inspiração para os próximos passos.


Autor: Selácia
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais Selácia Aqui