background

quinta-feira, 3 de maio de 2018

JENNIFER HOFFMAN - "OBRIGAÇÕES, DESCULPAS E AÇÃO" - 11.04.2018



Correndo o risco de parecer repetitiva, direi, mais uma vez, que esta será outra grande semana de energia, apesar do Mercúrio Retrógrado. Na verdade, isto estará em vigor até o final de Abril. A quantidade de energia que recebemos está diretamente relacionada com o número de pessoas que estão despertando e estamos agora  no meio de um despertar em massa sem precedentes. Tenha isto em mente se você se sentir oprimido pela quantidade de energia que está recebendo.

Parte deste movimento elevado de energia extra é causado pelas últimas semanas de Urano em Áries, onde ele fez parte da quadratura Urano/Plutão em 2012-2015 e em conjunção com Eris, deusa da discórdia e dos conflitos, nos últimos dois anos. Este ciclo começa em Março de 2011 e termina em 15 de Maio. Observe o que aconteceu neste ciclo de 7 anos que poderemos gerenciar e ancorar mais facilmente quando Urano estiver em Touro.

As escolhas se abrem com estas grandes mudanças de energia e elas podem ser desafiadoras, especialmente quando nos sentimos obrigados ou responsáveis por outras pessoas. Além dos filhos pequenos, que precisam muito de atenção e compromisso, quanta obrigação e comprometimento temos com a felicidade, paz de espírito e segurança dos outros? Como usamos estes compromissos para limitarmos o nosso crescimento e expansão, ou como uma desculpa para ficarmos onde estamos? Se você está enfrentando este problema em sua vida, então, o artigo desta semana será especialmente relevante para você.

Até que ponto temos obrigações com o bem-estar, felicidade e segurança dos outros e temos uma escolha em nossas obrigações? Neste artigo, que responde a uma pergunta feita por uma leitora, eu levanto a ideia de que cumprir essas obrigações é algo que podemos escolher fazer, ou não, e às vezes, a obrigação que assumimos podem ser as desculpas que precisamos para não seguir adiante com nossas  próprias vidas.

Querida Jennifer: Demorei muito, mas estou aprendendo a colocar minhas necessidades em primeiro lugar. Eu sou uma mãe solteira, com uma filha, e atualmente moro com minha mãe, que está tendo muitos problemas mentais e de saúde e faz uso de muitos medicamentos. Minha mãe quer que eu fique aqui com ela, minha filha é o centro de seu mundo e sua única motivação para viver e, embora eu queira ir embora, temo que minha mãe não me perdoe se eu quiser. Eu não sei o que fazer ou para onde ir agora e, embora eu sinta que preciso seguir em frente, preciso cuidar da minha mãe e ter certeza de que ela está bem. Pode me ajudar?

Resposta de Jennifer: Você provavelmente suspeitou que minha primeira resposta seria olhar para o pesado carma e as feridas de alma que estão presentes entre você e sua mãe. Eles incluem culpa, vergonha, dependência, abandono, manipulação e provavelmente mais alguns. Sempre que nos sentimos responsáveis ​​pelo bem-estar mental ou físico de alguém, uma ferida da alma surge para a cura. Você quer continuar com sua vida, e a dependência de sua mãe serve a dois propósitos - ajuda-a a lidar com a questão da ferida da alma e também lhe dá uma desculpa para não enfrentar seus próprios medos e viver sua própria vida.

Primeiro, vamos lidar com as questões do carma e da ferida da alma, porque elas são as mais importantes. Em outra vida juntas, houve uma questão de abandono criada quando você saiu em busca dos seus sonhos. Talvez sua mãe, em outro tipo de relacionamento, tenha morrido ou sido ferida, ou sua vida tenha sido afetada negativamente pela sua partida. Você se responsabilizou pela morte dela e prometeu "cuidar dela" de alguma forma. Avançando rápido para o futuro, onde ela agora é dependente de você e você teme que, se você deixá-la, algo de ruim vai acontecer com ela. Seu medo (que vem da sua culpa passada), juntamente com seus atuais problemas de saúde,  coloca-a de volta nesse ciclo cármico.

Agora vamos ver seus medos, porque eles também são importantes. Embora você realmente queira viver sua própria vida e seguir seus sonhos, você também está um pouco insegura de si mesma, de modo que os medos e condições de saúde de sua mãe não a deixam perseguir seus sonhos. Sim, você está desconfortável, mas não o suficiente, então você seguirá em frente. Juntas, você e sua mãe estão simplesmente alimentando os medos de uma e da outra, e mantendo seu ciclo cármico girando.

Há alguma saída? Sim, e começa com o que você está assumindo a responsabilidade. Sua mãe, sua felicidade e como ela escolhe viver a sua vida não são responsabilidade sua e você precisa se libertar da necessidade de fazê-la feliz, ou de se sentir responsável pela sua vida ou escolhas. Sinto, também, que ela tem problemas com a dieta e outros problemas com alimentos e não está cuidando bem de sua saúde, o que piora estes problemas. Se você começasse dando pequenos passos à frente fazendo planos para si mesma e sugerindo que ela começasse a comer alimentos mais saudáveis e a se cuidar melhor, veria uma mudança na energia entre vocês. E quando você começar a dar passos em direção aos seus próprios sonhos e liberdade, um de cada vez, você começará a curar sua parte deste ciclo cármico e se tornará mais confiante em sua capacidade de viver sua própria vida, de uma maneira poderosa e bem-sucedida. Ao se fortalecer, você permite que sua mãe seja fortalecida também. Você precisa começar isso porque agora, vocês duas estão girando em círculos, uma ao redor da outra, e nenhuma de vocês é feliz.

Eu sei que é um assunto difícil, mas você se sente assim porque há obrigações e contratos cármicos entre vocês, que têm a ver com você sacrificar sua vida por ela. Isso é realmente o que você quer fazer? Eu sinto que você quer continuar com sua vida e pensa que ela está em seu caminho. De uma maneira ela está, e de outro modo, você está permitindo que ela passe pela sua culpa.

Contratos de almas são complicados, já que eles começam com uma situação que criou culpa e depois a expandem até que ela supere tudo. Explore onde você se sente culpada pela situação da sua mãe e observe sua história. Quando você perdoar e se liberar da culpa e vergonha que podem ser a base para esta situação, por ter feito algo no passado que a magoou (e é tudo do passado), você poderá deixar essa obrigação de lado. Não se trata de "precisar" fazer isso, trata-se de eliminar a energia e criar espaço em sua vida para que você possa viver sua própria vida, não viver sua vida em obrigação para com sua mãe e sempre colocar as necessidades dela antes das suas.

Você pode fazer isso e não machucará ninguém no processo e, ao libertar-se, você também libertará a sua mãe dessa obrigação. Até que o faça, você continuará a limitar a sua vida e a viver este ciclo cármico com sua mãe e com todos os outros com quem você tiver um relacionamento, porque é a energia que você tem que curar dentro de você, então você atrairá pessoas que podem ajudá-la a curar isto. Em vez de perguntar se outra pessoa está feliz com suas escolhas e esperar pela sua resposta para que entre em ação, pergunte-se se está feliz com sua escolha e tome medidas que estejam alinhadas com suas intenções.


Autor: Jennifer Hoffman 
Facebook: Jennifer Hoffman
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Veja mais Jennifer Hoffman Aqui

Poderá também gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...