BENJAMIN FULFORD - "ATUALIZAÇÃO SEMANAL" - 29.04.2019



TENTATIVAS DE INICIAR UMA GUERRA ENTRE MUÇULMANOS E CRISTÃOS REPERCUTE MAL CONTRA SIONISTAS

O recente massacre de Cristãos no Sri Lanka, além, de ataques contra igrejas e mesquitas, se transformou num erro fatal para os sionistas, confirmam várias fontes. Numa reação, o Departamento de Defesa dos EUA está lidando com verificações de antecedentes para erradicar cidadãos, agentes, bens e sayanim israelenses (hebraico para “ajudantes”), dizem fontes do Pentágono.

Em todo o mundo Muçulmano, as transmissões de TV árabes e iranianas citaram este escritor e outros, como dizendo que o ISIL representa o Serviço Secreto de Inteligência de Israel. “Quase todos os árabes acham que o ISIL seja cria de Israel e dos governos regionais”, confirmou uma importante personalidade da televisão árabe. Isso significa que quando o "ISIL" assumiu a responsabilidade por vários ataques recentes, o regime satânico de Israel de Benjamin Netanyahu cometeu suicídio internacional e perdeu todo apoio regional, especialmente entre os Judeus (em oposição aos satanistas que fingem serem Judeus).

Fontes do Pentágono dizem que “O Judeu, The York Times” foi forçado a publicar o seguinte cartoon editorial:
“A Edição Internacional do NYT e o dachshund alemão, formam outro apito de cachorro para a Europa, Ásia e o resto do mundo, depois do Sri Lanka, de que o Sionismo = terrorismo”, explicam as fontes do Pentágono. As fontes acrescentaram que: “Trump não é tão cego” e que “qualquer ultraje de Trump é apenas teatro kabuki, como a comunidade de inteligência militar, patriotas e a Europa pós Notre Dame consideram Israel”.

“Agora, o antissionismo se tornou corrente, na medida em que Ilhan Omar, os Democratas e o New York Times nivelaram conversa”, dizem as fontes. Como parte do ataque aos Sionistas, “o Departamento de Justiça pode processar o Judeu bilionário de Chicago e Governador de Illinois,  J.B. Pritzker por fraude fiscal”, acrescentam as fontes.

Além disso, o Relatório Mueller será seguido por uma blitzkrieg antissionista, incluindo o relatório do Inspetor-Geral do Departamento de Justiça e a desclassificação da FISA, disseram as fontes. "Trump, aparentemente está guardando Israel para o final", acrescentam.

Falando em Israel, um oficial militar dos EUA envolvido em negociações sobre as colinas de Golan disse que o exército israelense “está farto de Bibi [Benjamin Netanyahu] e incapaz de manter Golã de qualquer maneira.” Os militares dos EUA estão negociando com um advogado da Liga Árabe os detalhes do retorno do Golã para a Síria, disse.

Israel, Sionismo, bancos centrais e a Coréia do Norte, também, foram importantes tópicos de discussão entre representantes de sociedades secretas asiáticas e a Sociedade Dragão Branco (SDB), ocorrida na semana passada. O representante da Sociedade Secreta Asiática disse que uma guerra limitada  poderá acontecer em breve com a finalidade de  “unificação da península coreana”.

Esta fonte, também, de forma independente, confirmou que o forte norte-coreano Kim Jong-un trouxe um avião de caça F-35, dos EUA, como presente quando se encontrou com o Presidente russo, Vladimir Putin, na semana passada. A Rússia respondeu concordando em apoiar a Coréia do Norte em sua mudança pela reunificação da Península, disse a fonte.

Por sua vez, a SDB informou que uma guerra como essa precisaria acontecer em conjunto com um ultimato de rendição de Israel, a fim de garantir que a situação não se agravasse involuntariamente numa Terceira Guerra Mundial.

A fonte da sociedade asiática, também, observou que o Primeiro-Ministro do Japão, Shinzo Abe e seu partido, no poder, seriam substituídos por uma coalizão de partidos de oposição no próximo ano,  medidana em que o novo Imperador assumisse o poder. No entanto, a SDB apontou que a oposição, assim como o partido no poder, estava repleto hacks nepotistas de baixo QIs que não seriam capazes de lidar com os problemas fundamentais do Japão como uma diminuição da população e queda nos padrões de vida.

A SDB informou que o Banco do Japão teria que ser nacionalizado e seu sistema financeiro teria que ser redefinido; caso contrário, forças especiais interviriam e removeriam todo o corpo político corrupto japonês.

A fonte da sociedade asiática concordou que isso teria que acontecer, depois de ouvir como o incrível sucesso de Cingapura deveu-se em grande parte ao fato de que lá não existe um banco central.

Em seu livro, From Third World to First, Lee Kuan Yew, fundador de Cingapura, explica por que ele determinou que “Cingapura não deveria ter um banco central que pudesse emitir dinheiro e criar moeda”. Isso foi porque "nós estávamos determinados a não permitir que a nossa moeda viesse a perder o seu valor". Eez disso. Cingapura usou“ um currency board que apenas emitiu dólares de Cingapura, quando apoiado por seu valor equivalente em moeda estrangeira (com base em uma cesta) ”(pág. 72). Em outras palavras, Cingapura tem uma moeda apoiada pelo dinheiro ganho com a venda de coisas reais para o mundo real. “Não gastar mais do que arrecadamos em receita tem sido um princípio orientador”, explica ele mais adiante (p. 232).

No mesmo livro, Lee cita o ex-ministro das Finanças, Lim Kim San, dizendo: "Um banco central é uma saída fácil para um ministro das finanças que quer conciliar [seus números] quando tem um déficit em seu orçamento".

O que é interessante é que, quando Cingapura se separou da Malásia, o Ministro das Finanças da Malásia, Tan Siew Sin, disse: "Se o sistema do banco central é um sistema inferior, é claro que é um erro cometido por todos os países industrializados do mundo Ocidental." (pg 231).

Sin pecou e foi em frente e criou o Banco Central da Malásia que, agora, está envolvido num escândalo de corrupção gigantesco, envolvendo os suspeitos do costume, como o Goldman Sachs e os Rothschilds. Desde a sua independência, em 1965, o dólar de Cingapura, baseado na realidade aumentou em 300% contra o ringgit da Malásia. Além disso, tendo começado num nível igual, o PIB per capita de Cingapura,  agora, é  US $ 58 mil, em comparação com os US $ 9,9 mil da Malásia.

Por sua vez, o dólar americano, perdeu 84% de seu valor, desde que foi retirado do padrão ouro, em 1971. Desde então, o padrão de vida real, para 90% dos americanos, também, caiu drasticamente.

O apelo generalizado dos desenhos animados de Ben Garrison, a seguir, também, demonstra que o mundo, como Cingapura há muito tempo atrás, agora, está acordando para o golpe da escravidão babilônica por dívida dos bancos centrais sionistas.


Economistas e especialistas de renome como David Stockman, diretor do Escritório de Administração e Orçamento do Presidente Ronald Reagan, estão finalmente descobrindo as coisas. Stockman observa como os bancos centrais (incluindo o da China) criaram US $ 15 trilhões "a partir do nada" desde a crise do Lehman de 2008.


Esta quantia de US $ 15 trilhões é o dinheiro que foi criado usando títulos de “ouro” falsos, forjados por Wilfredo Saurin.


Esse dinheiro acabou e novas tentativas de falsificação sionista estão sendo sistematicamente reprimidas. Em vez disso, uma redefinição financeira global está sendo preparada, de acordo com as fontes envolvidas no planejamento. No entanto, um alto funcionário do MI6, encarregado de estabelecer o sistema financeiro quântico diz que o novo sistema não será anunciado de repente.

“O reset não funciona assim. É um projeto de mudança, portanto, o sistema atual é executado de forma tática, enquanto o novo sistema é desenvolvido de forma estratégica. Os dois então se juntam. É como construir uma nova rodovia ao lado de uma estrada mais antiga, na verdade ”, diz ele, “o algoritmo para implantação também inclui os ativos fora da contabilidade e a peça de redefinição da dívida”, explica ele. A moeda resultante será um híbrido de moedas existentes. Isso provavelmente explica por que recentemente as moedas mundiais têm se movido dentro de uma faixa estreita em relação umas às outras.

O Ocidente, especialmente os EUA, deve se apressar com o reset e é melhor que seja assim, porque, independentemente, o resto do mundo está seguindo em frente. A fonte da sociedade secreta asiática disse que a Ásia vem avançando e construindo alternativas às instituições dominadas pelo Ocidente, como a ONU, o FMI, o Banco Mundial, etc. Observou que um projeto de construção massivo estava em andamento no Laos para criar a nova Ásia - centrada na ONU de lá.

A Iniciativa Cinturão e Estrada (BRI),  da China, de trilhões de dólares, também está ganhando tanto impulso que, em breve, apenas os EUA serão o único país que não farão parte dela.

O russo Vladimir Putin, falando na cúpula da semana passada do BRI, explicou que os EUA estavam sendo isolados por seu "crescente protecionismo, com restrições unilaterais ilegítimas impostas ultrapassando o Conselho de Segurança da ONU ou, pior ainda, guerras comerciais".

Por outro lado, Putin observou: “Os conceitos da Grande Parceria Eurasiática e do Cinturão e Estrada estão enraizados nos princípios e valores que todos entendem: Uma aspiração natural das nações de viverem em paz e harmonia, beneficiando-se do livre acesso às últimas realizações científicas, desenvolvimento inovador, preservando sua cultura e identidade espiritual única”.


Em sua reunião, na semana passada, com a sociedade secreta asiática, a SDB sugeriu a falência do corrupto e agora profundamente dividido sistema político sionista de Washington, D.C.

Em vez disso, os asiáticos poderiam trabalhar com a Comunidade Britânica e a comunidade de inteligência militar Ocidental para criar uma futura agência de planejamento para trabalhar em harmonia com o BRI. O representante asiático apoiou esta proposta. Um método real e concreto para fazer isso acontecer, também, foi proposto, mas por razões de segurança operacional, não podemos divulgar isso aos nossos leitores ainda.

Para encerrar, notamos que o novo Presidente "Judeu" da Ucrânia, comemorou sua vitória com um sinal satânico de mão.




Podemos supor que muitos dos satanistas estão se preparando para retornar à sua pátria khazariana, na Ucrânia. Por sua vez, os Judeus estão prestes a libertar Israel e se libertarem de milênios de escravidão babilônica.


Autor: Benjamin Fulford 
Tradução: Sementes das Estrelas / Candido Pedro Jorge
Veja mais artigos do Benjamim Fulford Aqui