MENSAGEM MENSAL DE MATTHEW WARD



15.10.2019

Chemtrails; das Alterações Climáticas; Criador, Deus: diferenças; linhagem de almas, evolução espiritual; livre-arbítrio, manifestação.

Com saudações amorosas de todas as almas nesta estação, este é Matthew. Temos boas notícias – o spray que forma Chemtrails não tem mais elementos tóxicos em sus composição. Poderia se dizer que essa determinação passou pela cadeia de comando, para não negar o dom do livre-arbítrio do Criador para aqueles que estão por trás da pulverização.

Gaia pediu a Deus para acabar com essa ameaça aos seus moradores, ar, águas e solo; então, Deus autorizou as forças especiais voluntárias, entre vocês, para transformar as toxinas no spray em produtos químicos naturais para a Terra. Assim, as pessoas que encomendaram os chemtrails ainda podem optar por fazê-lo, todavia, todas as trilhas que possam cruzar seus céus são inofensivas.

Matthew, isso é maravilhoso! Mas eles não vão suspeitar de que algo está acontecendo, investigar e colocar toxinas de volta no spray?

Mãe, por favor, digite o que acabou de dizer… Obrigado.

Gostaria que os leitores soubessem que frequentemente conversamos sobre informações enquanto eu as transmito. É natural que façamos isso e, há muitos anos, suas perguntas e comentários fizeram parte das mensagens. Em seguida, alteramos o formato para reduzir o tamanho das mensagens e ainda incluir as informações mais significativas.

Agora, então, esses indivíduos que já são mais do que suspeitos, estão com medo, não só porque supõem que as toxinas no spray foram eliminadas. Estão com medo de todos os outros desenvolvimentos que, também, estão corroendo os fragmentos restantes de seus poderes, investigando alguns de seus subordinados – todos disseram que, se estivessem envolvidos, seriam presos por uso ilegal de produtos químicos tóxicos.

Alguns de vocês perguntaram se Greta Thunberg está representando ou sendo manipulada por alguma organização com uma agenda obscura. Não, ela não está – essa especulação, ou mais corretamente, acusação, foi disseminada por indivíduos com interesses próprios – e sim, a Mãe Terra está voltando para um clima moderado globalmente, todavia, o clima aberrante que hora se apresenta não é sua iniciativa.

Os eventos destrutivos causados pela manipulação tecnológica do tempo e pela extração e poluição causada pelos  combustíveis fósseis estão impedindo os esforços de Gaia. Honramos Greta por sua pureza de propósito, insistindo apaixonadamente para que medidas sejam tomadas em nome do planeta e suas  gerações futuras.

Pergunta: Por favor, explique as diferenças, se houver, entre “Criador”, “Ser Supremo deste Universo” e “Deus”. Essas palavras/nomes, se bem me lembro, apareceram ocasionalmente nas mensagens de Matthew e, mais recentemente, na gentil mensagem de Arnold. Ficaria muito feliz em ter estes  “nomes” esclarecidos, se possível. 

Resposta: Minhas primeiras transmissões que contêm informações sobre Deus e Criador, também, explicam seus começos como invioláveis e independentes almas e de onde vêm suas poderosas habilidades inatas. [O extrato, a seguir, faz parte da seção “Nossa herança cósmica” de Revelações para uma Nova Era].


*****************



Para entender o propósito de nossas vidas, deve haver um entendimento de nosso relacionamento com o Criador, o poder supremo no cosmos. É um relacionamento tão simplesmente declarado quanto o pai e seus filhos, embora, a origem de nossas almas no Criador não possam ser afirmadas tão facilmente. A energia do Criador/Criação – a designação apropriada da Totalidade, Fonte ou Unidade de Tudo – é a pura Luz do Amor que é a força mais poderosa do cosmos. Essa designação, nome, também é a mais descritiva, abrangendo tanto a essência total dessa fonte última, quanto a ação criativa e que, para simplificar a comunicação, geralmente dizemos apenas Criador.

Não havia nada antes do Criador, exceto seu poder adormecido, até Sua primeira autoexpressão de Sua essência. Neste momento, que alguns chamam de “Big Bang”, a fragmentação original do Amor, sabedoria e poder do Criador surgiu como entidades individuais da alma.

Neste contexto, o termo “fragmentação”, não é uma separação ou rompimento do todo; neste caso é a concessão de todas as partes individuais das mesmas propriedades ou elementos que compõem o todo. E, a  partir deste primeiro instante da Criação, essas primeiras almas e tudo o mais que existe por todo o cosmos são inseparáveis do Criador e de uns dos outros. Ao nível da alma, TUDO É UM e sempre será.

Por mais irreverente que essa analogia possa parecer, é a melhor ajuda visual em que consigo pensar, por isso peço que imaginem a hierarquia espiritual do Criador como uma torta. A torta inteira é Alma Criadora: a Totalidade Onipotente, a Fonte de Tudo; que tem a Mente do Criador em seu centro: Onisciência, Todo o Conhecimento. Começando no centro, imagine uma série de anéis concêntricos sobrepostos sobre toda a torta – os anéis são as esferas da hierarquia, as divisões flexíveis do Criador.

Agora, a ajuda visual exige uma perspectiva incomum para uma representação precisa. Imaginem a torta cortada em incontáveis fatias, cujas extremidades mais largas tocam o centro, a mente ilimitada do Criador e se torna mais estreitas, na  medida em que as fatias entram nos anéis sucessivamente mais distantes do ponto médio.

As fatias representam os fragmentos de alma do Criador que, independentemente, experimentam que foram criados ou manifestados ao longo de todo o tempo. Cada porção proporcionalmente contém, exatamente, os mesmos ingredientes que a torta toda e nenhuma parte é separada da outra. O mesmo acontece em toda a Criação.

Agora voltamos ao começo, quando o Criador se dividiu pela primeira vez. Cada um dos fragmentos dentro daquela primeira esfera da perfeita Luz e pureza da hierarquia espiritual tinha os mesmos poderes do Criador. Esta é a esfera da Luz Crística, onde se originou o poder paterno chamado Arcanjo Miguel com os outros arcanjos e onde, por eras desconhecidas, apenas pura consciência existiu.

Então, o Criador deu a todas essas partes de Si Mesmo o presente supremo, o livre-arbítrio, com seu poder inerente de habilidade de cocriação - “cocriação”, porque a fonte de energia para produzir qualquer coisa vem do Criador e as produções vêm das ideias das almas. E foi assim que aqueles anjos mais elevados e o Criador fizeram a segunda esfera angélical. Embora não tão próximas da Mente do Criador como os arcanjos, essas almas mais novas, também, eram compostas de pura Luz, sem forma ou substância.

Depois de refletir por incontáveis eras, os dois reinos angélicos tiveram a ideia de cocriar almas com potencial de forma de vida – tiveram a opção de permanecerem desencarnados, sem forma, ou manifestar uma forma para experiências mais amplas. As cocriações nesta terceira esfera são os corpos celestes dos universos e os deuses e deusas, que poderiam optar por permanecerem desencarnados ou – de alguma maneira, incorporar as formas masculina ou feminina, essas almas são andróginas, o equilíbrio perfeito entre as energias masculinas e femininas.

Pelo que entendemos, as almas que o Criador selecionou para reinar sobre os universos são desencarnadas. Podem manifestar suas presenças como uma luz branca dourada, quase ofuscante, mas seus poderes e ideias de cocriação ilimitados são evidentes em tudo o que existe dentro de seus respectivos universos.

Um desses deuses é o Ser Supremo do nosso universo que, com o Criador, criou tudo dentro dele. Visto que o nosso deus é chamado Deus por algumas religiões da Terra, e sendo assim que vocês pensam como Ele, Mãe é, será assim que vou me referir a Ele. Além disso, Deus é uma mistura perfeita de energias masculina e feminina, onde  Deus Mãe/Pai expressa com precisão Sua essência, na Terra, Ele geralmente é chamado apenas como Pai e com pronomes masculinos.

Isso evoluiu naturalmente, quando as energias masculinas começaram a dominar a natureza das civilizações da Terra, há milênios em seu tempo e, mesmo que a energia feminina, ou deusa, esteja sendo irradiada para o planeta em abundância, simplesmente para facilitar a fala, usarei as designações masculinas mais comuns com as quais vocês estão acostumados.

Agora, então, para experiências cada vez maiores, os seres originais de Deus, chamados almas-raizes, se expressavam em divisões chamadas fragmentos ou centelhas de alma, ou fragmentos ou faíscas de Deus. Da mesma forma e sucessivamente, essas almas se dividiram em centelhas, que se dividiram em subcentelhas. Entidades criadas por fragmentação adicional também são chamadas subcentelhas. A miríade de vidas individuais, independentes e invioláveis de cada alma, em todos os níveis de fragmentação, são chamadas de personagens.

Eu lhes dei essas designações – pode haver outras, também – apenas para mostrar a ordem de linhagem nas inúmeras esferas irradiando para fora da mente do Criador. Nenhuma das designações define o status de evolução espiritual das almas e, simplesmente “alma” é suficiente porque não há diferença na conexão de cada um com o Criador ou na sua composição proporcional.

SEMPRE, a força vital de até mesmo a mais nova das almas é o seu próprio, inviolável e independente Eu e está, inseparavelmente, conectada a Deus e ao Criador, assim como cada célula de seus corpos é uma célula viável e de funcionamento independente e, ao mesmo tempo, é um aspecto inseparável da composição – a pessoa que cada um de vocês é.

Pergunta: Mateus, onde nossa população atual se encaixa nas esferas subdivididas?

Resposta: Principalmente no nível subcentelha, mas lembre-se, mãe, isso NÃO é evolução da alma – é apenas a ordem em que as almas do personagem emergiram para uma experiência independente! Eu acho que sua expressão “velha alma” pertence à parte da evolução e não à ordem da linhagem. Essas podem não ter nada a ver uma com a outra, uma vez que o crescimento espiritual é determinado pelas escolhas do livre-arbítrio de cada alma e não quantas vidas foram necessárias para fazer as escolhas que as elevaram para um nível mais alto de evolução espiritual.

E agora – um tempo sem precedentes, não apenas na Terra, mas no universo! – existem algumas "almas extremamente velhas" em seu planeta para guiar o restante de vocês para a grande iluminação.

Pergunta: Acho que entendi. Obrigado querido. O Criador é o ser supremo do cosmos e Deus é um assistente?

Resposta: Não. Cosmos e universo, geralmente são usados de forma intercambiáveis como termos sinônimos, todavia, cada universo é apenas uma parte do cosmos, que possui vários universos, onde cada um tem seu próprio deus ou deusa como seu Ser Supremo. Como as pessoas na Terra não conhecem outros universos e seus governantes ou a hierarquia espiritual da criação, Deus é o nome que algumas religiões deram ao Criador.

Neste caso, está se usando um termo genérico para um nome formal, algo como nomear uma menina. E não é incomum ou incorreto que Deus seja referido como “nosso criador”, porque Ele é, entretanto, isso apenas acrescenta outro elemento de confusão sobre o Criador, Deus e os nomes.

Não sei como o erro de nome começou. Pode ter sido algum desvio de referência na antiguidade mais distante, quando se sabia que Criador/Criação é a Fonte, Tudo Que É, EU SOU, Todo-Poderoso, Unidade, Totalidade ou outro nome para designar o Criador como Ser Supremo de todo o cosmos. O nome não importa. Quando Amor e reverência são dados ao Criador em nome e a Deus em significado ou vice-versa, a comunhão é honrada em plenitude.

A Trindade das igrejas Cristãs poderia ser interpretada assim: Pai: (Criador: o poder mais alto do cosmos, que é chamado de Deus ou outros nomes em suas religiões). Filho: (Deus, que é a criação, ou o “filho” do Criado e, embora o Ser Supremo seja apenas do nosso universo, geralmente, não é reconhecido na Terra como diferente do Criador). Espírito Santo: (O reino, ou esfera mais próxima do Criador, também chamado reino de Cristo, onde os seres mais elevados são o Amor total expresso como Luz e de onde vêm as almas que encarnam para se tornarem as principais influências espirituais em todo o universo, incluindo Jesus Cristo e Buda, o Cristo na Terra).

Não obstante a diferença de nomes e interpretações, a interligação dessa ordem trina é a mesma. E não há diferença na ordem divina do Todo-Poderoso Onipotente e Onisciente Ser Criador e seus poderes subsequentes, apenas nos nomes, na medida em que eles evoluíram.

Pergunta: Deus e Criador diferem de alguma maneira além do tamanho de sua “jurisdição”?

Resposta: Sim, existem duas diferenças essenciais, mas primeiro deixe-me repetir que qualquer parte do Criador contém TODOS os seus elementos. Portanto, Deus é uma expressão perfeita e não diluída do Criador e, com efeito, é Criador deste universo – mente criadora em conhecimento e sabedoria, coração criador em Amor, poder criador em autoridade e responsabilidade.

Agora, a primeira diferença essencial é a seguinte: A essência principal do Criador é o centro da ordem e da vida no cosmos em que uma função vital dessa essência não é ativa. Algo como o eixo de uma roda fornecendo uma “ancoragem” para as partes moveis, a força estável do Criador permite o movimento constante de Suas outras partes. Se essa estabilidade vier a cessar, a própria vida cessaria. A criação da vida, de alguma forma, requer o ritmo medido das frequências energéticas e, isso requer os aspectos estáveis e ativos do funcionamento do Criador.

Deus é ativo em todos os aspectos. Neste universo, como a força ativa ampliada do Criador. Com a mesma qualidade e extensão do Amor e essência da energia da luz do Criador, Deus inicia todas as formas de vida e toda ordem aqui. Assim como no cosmos, onde a energia mais alta e mais poderosa é a Luz – a essência do Criador – isso, também, é verdade neste universo – a essência de Deus. A luz é um movimento flutuante de expansão e contração, cada vez maior em seu poder de abranger mais capacidade e sensação amorosa.

A Luz pode ser direcionada, mas nunca capturada ou destruída e o Amor é infinito. Essa força da Luz e Amor, que é a mesma energia simplesmente expressa de maneira diferente, é o fundamento das almas individuais que interagem com Deus.

Como a vida em todas as formas em nosso universo vem de Deus, pode-se dizer que os humanos são feitos à Sua imagem, atribuindo a Ele Suas criações humanas. A idéia de uma aparência humana e o material de que os corpos físicos são feitos vieram da mente de Deus.

Com a criação da vida em nosso universo, Ele pôs em movimento o ímpeto imparável das leis que governam tudo, desde a órbita das galáxias, até uma semente que sabe quando emergir de sua cobertura e começar a crescer. Durante o tempo imensurável desde que isso foi iniciado, apenas os refinamentos de direção da, energia, através da tecnologia mudaram o curso original do propósito e movimento divinos da energia. Não pode haver nenhuma mudança na própria energia porque a energia é criação. A chave para a criação é como a energia é aproveitada e usada.

No começo, toda a criação dentro deste universo era perfeita, pura, santa e amorosa. Tudo estava em perfeita harmonia e união e a vida era para ser vivida assim. O Criador pretendia que o livre-arbítrio fosse um presente para todas as almas – é por isso que, pela lei cósmica, governantes de todos os universos são obrigados a honrar as escolhas de livre-arbítrio de todas as almas em seus respectivos domínios.

Mas é possível que esse presente de todos os presentes, a total liberdade de escolha das almas, tenha sido tão abusado e mal utilizado que não possa ser considerado como o presente de ouro que era antes. Em alguns universos, o livre-arbítrio é desconhecido, é o que nos dizem e, mesmo em partes deste universo, as almas absorveram o presente com tanto esplendor que não é mais uma decisão individual, mas uma escolha unificada de miríades de almas coletivas. Contudo, de acordo com a lei do Criador, na Terra o livre-arbítrio é a ordem da vida em que a mão de Deus está sempre presente na observação, todavia, nunca é permitido restringir ou negar as escolhas das almas.

A segunda diferença essencial entre Criador e Deus é a seguinte: Enquanto o Criador está ciente de cada vida individual ao longo do cosmos, não há um padrão para o seu envolvimento na vida das almas ou a interação com elas. Deus, não está apenas ciente da posição de cada alma neste universo, Ele conhece as mágoas de todas as pessoas, sonhos secretos, tormentos, alegrias, medos. TUDO é conhecido por Deus.

Quando o Criador deixou Seu estado de sublime quietude, o objetivo era experimentar através da criação. Como a expressão perfeita do Criador, Deus tem o mesmo propósito e, Seu aspecto sensível está dentro de todas as Suas criações, em qualquer vida encarnada ou desencarnada. Ele sente as mesmas emoções sendo sentidas por todas as almas no espírito ou no mundo físico. Nem por um instante está separado das sensações totais de todas as almas, independentemente de seu status de evolução espiritual e escolhas de livre-arbítrio e isso, também, se aplica a todas as formas de vida nos reinos animal e vegetal.

Num nível muito mais alto, Deus experimenta a angústia da Terra em sua atual turbulência e forte negatividade e as sensações de todos os outros corpos celestes. Não posso afirmar com demasiada frequência a inseparabilidade de Deus de todas as formas de vida em Seu universo e, essa mesma interconexão é verdadeira para cada alma com todas as outras almas em todas as formas de vida.

O termo “Deus pessoal”, que, às vezes, é usado na Terra, é absolutamente preciso, porque Deus É toda pessoa que lá está, assim como qualquer outra alma nos reinos animal e vegetal. Sentir as sensações coletivas de toda a vida na Terra, muito menos as sensações de TODA a vida em todo este universo simultaneamente é impossível para as almas mais altamente evoluídas deste universo poderem imaginar.

Pergunta: Já que o Criador não se envolve em nossas vidas, isso significa que (?!) Não sente a dor física e o sofrimento emocional das almas, como Deus faz?

Resposta: Mãe, “Ele” como pronome para o Criador não é humilhante. Este uso não pode ser comparado com o seu “ele”, indicando uma coisa ou condição e não um ser. Quando aplicado ao Criador, é semelhante ao branco: o branco não tem cores, é a composição de cores. Do branco, todas as cores do universo são refratadas em suas próprias essências onde, em outras partes do universo existem muitos tons magníficos desconhecidos em seu planeta.

Agora, então, o Criador realmente experimenta sentimentos de almas por toda a Criação e, a uma altura muito mais senciente do que a capacidade de seus corpos de terceira densidade, todavia, não se envolve ou dá resposta pessoal à situação de qualquer alma. Deus, por outro lado, constantemente coloca em movimento todas as vias de assistência potencial para Suas almas, dentro de suas opções de acordo de pré-nascimento.

Os braços de Deus, se assim preferirem, abraçam toda e qualquer alma deste universo e, mais rapidamente do que um piscar de olhos, seus emissários respondem ao autorizar suas ajudas as almas em perigo que não estão em seus acordos.

*****************


Obrigado, mãe, por inserir esse material. Amados irmãos e irmãs, vocês são a personificação da inigualável magnificência e poder da energia da Luz amorosa do Criador que os conecta eternamente com todo o resto do cosmos.

________________________

AMOR E PAZ.

Suzanne Ward.

Quem é Matthew Ward? Aqui
Canal: Suzanne Ward -  suzy@matthewbooks.com
Tradução: Sementes das Estrelas / Candido Pedro Jorge
Veja mais mensagens de Matthew Ward Aqui