background

terça-feira, 30 de junho de 2020

Benjamin Fulford - "Atualização Semanal: Aumento do caos nos EUA e no mundo"



29.06.2020

AUMENTO DO CAOS NOS EUA E NO MUNDO, NA MEDIDA EM QUE A MÁFIA KHAZARIANA SE DESESPERA PARA SOBREVIVER

Nesta semana, gostaríamos de informar aos leitores que nosso boletim está sob ataque sem precedentes e que seu apoio é necessário, agora, mais do que nunca. Uma de nossas principais fontes de inteligência no Sul da Ásia está detida por tempo indeterminado sob condições de risco de vida, com base em evidências plantadas e falsas acusações. Outra desapareceu e, mais uma outra foi envenenada com ricina. Nos últimos dois meses, seu correspondente também foi alvo de nada menos que três tentativas de envenenamento e sobreviveu com a assistência de fontes da NSA e da Sociedade Secreta Asiática. Este trabalho traz riscos que todos entendemos, todavia, não há alternativa a não ser lutar, uma vez que o destino da humanidade está em jogo. 

Além disso, este escritor foi impedido de comparecer numa conferência de imprensa no Clube de Correspondentes Estrangeiros do Japão para ser impedido de perguntar ao Ministro da Defesa japonês, Kono Taro, sobre o evento de assassinato em massa de Fukushima. Obviamente, assédio semelhante está sendo relatado por vários meios de comunicações verdadeiros. 
 
Tudo isso faz parte de uma guerra de propaganda incrivelmente histérica, baseada no chamado coronavírus COVID-19. Estamos vendo portais de notícias falsas, como o New York Times, o Reddit e o Drudge, preenchendo mais da metade de suas edições com histórias falsas. Se encontrar as palavras COVID, Rússia, Trump ou Hong Kong em qualquer uma dessas empresas de mídia ou em mídias relacionadas, certamente estará lendo ficção. No que diz respeito à COVID, qualquer leitor pode visitar hospitais locais e ver o que está acontecendo com seus próprios olhos.

É verdade que, como sempre, pessoas idosas estão morrendo de pneumonia e outras causas. No entanto, agora, os hospitais estão sendo obrigados a contornar os protocolos de tratamento típicos e a colocar os pacientes com qualquer tipo de dificuldade respiratória nos ventiladores, que resultam em fatalidades com suborno de seguro, como incentivo para rotular mortes não relacionadas como COVID. A coisa toda é uma fraude bem organizada e coordenada. Só que, no entanto, está resultando em danos econômicos incríveis e danos pessoais a milhões de pessoas. 

A fonte de notícias falsas por infecção pelo COVID foi investigada pelos Cavaleiros de Malta e Loja Maçônica P3. 

322 novos casos da Covid no Mississippi! 
322 novos casos da Covid em Ohio!  
322 novos casos da Covid em Omã! 
322 novos casos da Covid em Kentucky! 
322 novos casos da Covid no Mississippi!  
322 novos casos da Covid na Armênia! 
322 novos casos Covid no Iraque! 
322 casos Covid em Bangkok! 
322 novos casos da Covid em Juarez! 
322 novos casos da Covid em El Paso! 
322 novos casos da Covid na Cidade do México! 
322 novos casos da Covid em Oaxaca! 
322 novos casos da Covid em  WISCONSIN! 
322 novos casos de Covid em  IOWA 
322 novos casos de Covid em  DELAWARE 
322 novos casos de Covid na Itália 
322 novos casos de Covid em Massachussetts 

(Agradecimentos a Jim Stone por detectar isso).

Onde vimos esse número antes? 


A caveira com os ossos originais podem ser encontrados na Basílica de São Pedro em Roma, uma igreja construída pela mãe do imperador Constantino, fundador do cristianismo romano. 

Citando a Wikipédia: 

“O número ‘322’ aparece nas insígnias Skull and Bones (Caveira e Ossos) e é amplamente relatado como significativo como o ano da morte do orador grego Demóstenes. [19] [26] [5] Uma carta entre os primeiros membros da sociedade nos arquivos de Yale [27] sugere que 322 é uma referência ao ano 322 aC e que os membros medem as datas deste ano e não da era comum. Em 322 AC, a guerra de Lamian terminou com a morte de Demóstenes e atenienses, para dissolver seu governo e estabelecer um sistema plutocrático em seu lugar, pelo qual somente aqueles que possuíam 2.000 dracmas ou mais poderiam permanecer cidadãos.” 


O fato desse número celebrar o triunfo da plutocracia sobre a democracia nos diz exatamente com quem estamos lidando nesta conspiração COVID, as famílias que são donas das 500 empresas de maior fortuna. 

Eles estão fazendo todos os esforços porque sua rede de controle está ameaçada por negociações secretas que estão ocorrendo agora sobre a arquitetura financeira de Bretton Woods, criada após a Segunda Guerra Mundial, segundo membros da família Rothschild. Isso inclui o Banco Mundial, o Fundo Mundial da Dívida, o Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento, o BIS e o FMI, de acordo com essas fontes e fontes do MI6.

As conversações entre representantes de alto nível da Sociedade Secreta Asiática e do Ocidente pretendem substituir a atual arquitetura financeira, baseada na escravidão babilônica por dívida, por um sistema que será iniciado com um jubileu e oferecerá grande prosperidade a todos e não apenas aos 0,1% da elite.

Há muita coisa que não podemos discutir aqui devido à sensibilidade dessas conversas e ao perigo físico muito real que os participantes enfrentam. No entanto, o Pentágono, as Sociedades Secretas da Ásia, a Commonwealth Britânica e muitos outros grupos poderosos estão apoiando as mudanças em discussão.

O principal campo de batalha continua sendo nos Estados Unidos, depois do Presidente Donald Trump ter efetivamente nacionalizado as operações do Federal Reserve Board dos EUA, agora, com o seu presidente se reportando a ele. Esta e não a falsa pandemia do vírus COVID, é a verdadeira razão pela qual os americanos estão sendo proibidos de viajar para a Europa e para tantos outros países, dizem fontes da NSA.

A nacionalização da FRB nos EUA está destruindo muitos paradigmas econômicos. De acordo com o Atlanta Fed, em 05 de Junho, o PIB dos EUA tinha caído até 55%.


Se isto fosse verdade, então o PIB dos EUA, numa base de paridade de poder de compra, ficaria inferior ao da Índia, tornando-o a terceira maior economia do mundo e não a superpotência que conhecemos.

No entanto, os dados deixam passar em branco o fato de que graças ao dinheiro enviado diretamente ao povo da Federação Nacionalizada, a maioria dos americanos não está vendo uma queda de 55% no rendimento e muitos – especialmente perto da base da pirâmide – estão de fato experimentando melhores níveis de vida. Agora, fontes da NSA estão informando que 8 em cada 10 americanos vão receber alívio do pagamento de rendas ou hipotecas. Por outras palavras, uma espécie de jubileu de fato já começou. Não admira que os senhores de escravos babilônicos estejam histericamente atacando Trump e o seu regime.

É claro que principal problema com os EUA, é que a maior parte da indústria nacional foi transferida para o estrangeiro (principalmente para a China) e que levará anos para se reconstruir. Isto está levando à escassez de muitos bens, especialmente das bugigangas da China. É por isso que o Walmart começou a vender artigos usados.

Os europeus, ainda sob controle babilônico, agora, circulando as carroças em torno da líder tribal de linhagem romana, Angela Merkel. Numa entrevista com 5 jornais, amplamente promovida pelos meios de comunicações sociais corporativos, Merkel comentou:

“Crescemos com a certeza de que os Estados Unidos queriam ser uma potência mundial. Se os Estados Unidos desejassem agora se retirar desse papel de livre vontade, teríamos de refletir profundamente sobre isso… Numa crise desta magnitude… O que tem de ser feito neste caso é algo de extraordinário.”


Na entrevista, Merkel fez uma ameaça velada de que a UE se aproximaria da China. Além disso, o fato d a Europa proibir visitantes dos EUA, realmente, significa que temem uma infecção ideológica, porque, como sei pessoalmente de visitas de hospitais, a desculpa do COVID é falsa.

É claro que a batalha dentro dos Estados Unidos está longe de ter terminado, como se pode ver pelos violentos protestos pagos, governadores impondo restrições às pessoas, e lutas internas severas, quase paralisantes, em Washington DC. Esta batalha vai se intensificar durante o Verão. Mas, no final do dia, serão as forças armadas e as agências policiais dos EUA que prevalecerão. Por agora, estão na sua maioria a reunir-se em torno de Trump.

No entanto, o que os combatentes Q que se mobilizam em torno de Trump precisam perceber é que os EUA não são uma ilha. O resto do mundo precisa da ajuda dos militares dos EUA para proteger o planeta. Os povos do mundo, também, estão dispostos a pagar generosamente pelos serviços como a manutenção da paz, a proteção ambiental e a exploração do universo. Estamos perante uma crise planetária de extinção e destruição ambiental e os militares dos EUA têm um papel fundamental a desempenhar.

Aqui está um exemplo do tipo de coisa que acontecerá se as forças armadas dos EUA não protegerem os povos da Terra. Duas das nossas fontes de notícias do Sudeste Asiático foram atacadas e têm um pincel com a morte no hospital, muito provavelmente  para os impedir de relatar um novo genocídio que começou no Camboja. O relatório seguinte veio de uma terceira fonte, que, por razões de segurança pessoal, quer permanecer anônima:

Relatório do Camboja.

Desde as eleições de 2012, Hun S’en e o seu partido vem perdendo poder, o que foi confirmado pelas últimas eleições municipais.

Em resposta, Hun Sen decapitou o partido vencedor da oposição HSD. Em seguida, Hun S’en declarou o partido HSD ilegal. Agora qualquer pessoa que, de alguma forma, critique o governo é colocada na prisão. A liberdade de expressão e de imprensa já não existe. Todas as estações de televisão e jornais pertencem a Hun Sen e aos seus familiares (parece que estão aprendendo com os EUA).

Beneficiou-se de um período de relativa calma, após 5 anos de Khmer Vermelho (Khmer Rough) e após 5 anos de ocupação vietnamita, o povo tinha começado a desfrutar da nova sociedade de consumo.

No entanto, Hun Sen manteve no poder a maioria dos antigos Khmers Vermelhos (Pol Pot), que não evoluíram. Também, perdeu o contato e o apoio dos jovens (60%) que não veem futuro no país.

O crescimento oficial de 6% se deve às fábricas (principalmente chinesas) que queriam se beneficiar de acesso preferencial aos mercados europeus (EBA) e ao setor imobiliário, principalmente para os chineses. Os negócios imobiliários permitem-lhes lavar dinheiro, mas não criam uma economia viável.

Este crescimento tem enriquecido a classe dominante comunista, deixando o povo à margem. Além disso, o país está a ser sujeito à pilhagem sistemática dos seus recursos (madeira, areia de Mekong, etc.).

A crise do Corona está tornando as coisas ainda piores. O turismo está morto, a maioria dos hotéis está fechada, deixando os empregados sem qualquer salário que não conseguem então alimentar as suas famílias no campo. A única comida que cresce no Camboja é arroz para exportação, uma vez que a maioria dos alimentos é importada do Vietnã e da Tailândia, mas uma vez que todas as fronteiras foram fechadas, não há alimentos importados há 3 meses.

Agora, os chineses deixaram o país, a construção está em suspenso e as fábricas estão fechadas, deixando toda a economia precária moribunda. Agravando as circunstâncias, o governo promoveu o uso do microcrédito e, agora com a perda de rendimentos, a maioria dos mutuários não poderá reembolsar os seus empréstimos e perderá o seu dinheiro, casa, ou terra para os chantagistas.

As escolas estão fechadas até 2021, o que provocará a falência da maioria das escolas privadas.

O país está quase totalmente fechado devido às novas restrições impostas à imigração e um depósito de 3.000 dólares é exigido no momento da entrada!

O governo permanece no poder apenas por terror e coerção, dentro de um mês a situação ficará tensa, quando o povo não terá mais reservas. O Primeiro-Ministro está pronto a aprovar legislação de emergência, o que dá à HS e ao seu quadro comunista poder total sem qualquer controle. Em outras palavras, o Camboja está a enfrentar o Khmer Vermelho 2.0.

Estes são o tipo de eventos que terão lugar em todo o mundo, a menos que os Chapéus Brancos se mantenham empenhados.

O acordo atualmente em negociação permitirá aos militares norte-americanos obter um financiamento ainda maior do que o atual. Só que desta vez, eles estarão a defender as pessoas e os seres vivos do planeta, não a roubar recursos para os oligarcas. Dos três grandes centros de poder Ocidentais, Londres tem respondido positivamente. Aguardamos agora respostas de Washington e Roma.

Fim.


Autor: Benjamin Fulford 
Tradução: Sementes das Estrelas / Candido Pedro Jorge
Veja mais artigos do Benjamim Fulford Aqui