BENJAMIN FULFORD - "ATUALIZAÇÃO SEMANAL" - 11.02.2019



JÁ EM MARÇO TRATADOS SECRETOS SINALIZAM GRANDES MUDANÇAS NO MUNDO

Nos mais altos níveis do poder mundial, intensas negociações estão, agora, em andamento, tanto secretas quanto públicas, concordam várias fontes. Estas, podem resultar em anúncios de mudanças planetárias, já em Março, dizem elas. A luta pelo poder em Washington, DC, também está caminhando para algum tipo de clímax, como pode ser visto pela ameaça do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de declarar uma emergência nacional.

Um grande movimento público foi o anúncio de uma religião mundial única pelo Papa, um importante representante islâmico e representantes de muitas outras religiões. Isso aconteceu depois que o Papa Francisco se tornou o primeiro Papa da história a visitar a Península Arábica, o berço do Islã. O texto do anúncio pode ser visto aqui:


No Sudeste Asiático, fontes da CIA dizem que mudar a sede da ONU de Nova York para o Laos será um grande tema da cúpula de 27 e 28 de Fevereiro entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o poderoso norte-coreano, Kim Jong Un.

As sociedades secretas asiáticas, o complexo industrial militar dos EUA e a realeza europeia estão trabalhando na criação de uma futura agência mundial de planejamento, segundo fontes envolvidas nas negociações. Vários documentos oficiais relacionados a isso já foram assinados, dizem fontes da família real britânica.

Fontes do MI6, Maçons P2, Pentágono e Sociedade Secreta Asiática, também, dizem que há  um forte impulso para que algum tipo de governo mundial seja anunciado. Isso, agora, pode ser feito de uma maneira em que não haja perdedores, apenas vencedores, graças a um equilíbrio raro e quase perfeitamente igual do poder mundial, dizem elas.

O mapa no link abaixo mostra os três grupos de poder, com a Aliança Ocidental em azul, o Agrupamento Eurasiático em vermelho e a Aliança Meridional em cinza. Cada um desses blocos é, aproximadamente, igual em massa de terra e população. Superficialmente, o mapa mostra as visões dos grupos sobre o governo da Venezuela, todavia, na realidade, é uma divisão sobre o controle do planeta.


Na semana passada, o anúncio de um passaporte unificado para todas as nações africanas foi um sinal visível de um movimento em direção a um governo mundial.


Em qualquer caso, a batalha pela Venezuela também pode ser vista como uma tentativa fracassada dos neocons (máfia khazariana) de retomar o controle do sistema financeiro internacional, confiscando as maiores reservas de petróleo do mundo.

Fontes do Pentágono observam que o “fantoche dos EUA na Venezuela não foi reconhecido por organizações supranacionais como a União Europeia, a Organização dos Estados Americanos, o FMI, o Banco Mundial, a União Africana ou a ONU”.

Além disso, a ONU, o Vaticano e a Cruz Vermelha se recusaram a entregar "ajuda humanitária" ao líder fantoche Juan Guaidó, porque seria uma cobertura para as remessas de armas, disseram as fontes. Como resultado, “o golpe na Venezuela foi uma falha épica”, disseram.

Segundo fontes da CIA, o fracasso em se apropriar do petróleo venezuelano, também, pode forçar Trump a declarar uma emergência nacional – ou, talvez, mais precisamente, uma falência nacional.

Fontes do Pentágono e da CIA dizem que isso pode levar à queda de Trump uma vez que ele perdeu muito apoio militar. “A presença contínua de Jared Kushner e John Bolton na Casa Branca, combinada com o golpe amador na Venezuela e a nomeação do criminoso Irã Contras, Elliott Abrams, como enviado especial para o caso venezuelano, estão levando alguns a duvidarem do Presidente”, observou uma fonte do Pentágono.

A disputa entre Trump, Arábia Saudita e o National Enquirer, por um lado e a CIA, Turquia, e Jeff Bezos, da Amazon, por outro, também, pode ser fatal para Trump. Este é um negócio complexo coberto extensivamente por outras mídias de modo que irei abordar apenas alguns pontos-chaves aqui.

Em primeiro lugar porque, imediatamente, depois que o principal agente da CIA na Turquia ser libertado da prisão turca, o assassinato do colunista do Washington Post (de propriedade de Bezos) Jamal Khashoggi, ocorreu dentro da Embaixada Saudita na Turquia. Em segundo lugar, Trump se recusou a condenar o clone saudita Príncipe Mohammed Bin Salman pelo assassinato. Terceiro, o National Enquirer tinha acesso a um orçamento muito além do realista para uma revista de notícias normal, para expor o caso extraconjugal de Bezos, que sugeriu  se tratar de dinheiro saudita. Agora, Bezos, cuja empresa inclui o manuseio de computação em nuvem para a CIA, parece ter capturado o Enquirer em alguma operação.


Também, existe uma dimensão em toda essa saga que falha no meu teste de faro: o chefe do Enquirer se chama Pecker, o investigador de Bezos, também,  se chama Becker e o escândalo envolve uma foto de um pica-pau. Vamos deixar por isso mesmo.

De qualquer forma, as ligações de Trump com a Arábia Saudita (Kissinger + Rockefeller) e seu fracasso em obter petróleo venezuelano podem ser sua queda, porque ele perderá o controle do petrodólar. Nesse contexto, é interessante notar que a UE acrescentou a Arábia Saudita à sua lista de países que financiam o terror e, como tal, estará sujeita a rigorosos controles financeiros. Isso é claramente direcionado aos neocon controladores do petrodólar e sua falsa “guerra ou terror”, com suas frentes terroristas “Al Qaeda” e “ISIS”.


Fontes do Pentágono dizem que na Venezuela “a opção militar não está sobre a mesa”. Isso porque “Rússia e a China enviaram tropas e equipamento militar para a Venezuela e estão realizando exercícios militares juntamente com 15.000 soldados cubanos, enquanto o Congresso e o Conselho de Segurança da ONU se recusam a autorizar o uso da força”, dizem as fontes do Pentágono. “Os perdedores parecem ser neocons, Israel, Chevron [Bush], Halliburton [Cheney] e empresas mineradora de ouro, coltan e companhias mineradoras na Venezuela”, disseram as fontes.

Interesses corporativos (fascistas), também, estão perdendo muito em outros lugares além da Venezuela. Nos EUA, as empresas farmacêuticas estão sendo forçadas a cortar os preços, já que as prisões de executivos da indústria farmacêutica começaram, dizem fontes do Pentágono. Na UE, uma tentativa de fusão entre a Siemens e a Alstom foi interrompida porque teria levado a um monopólio ferroviário de alta velocidade. Além disso, em todo o mundo, a corporação Bayer/Monsanto continua pagando por seus muitos crimes.

De 4 a 9 de Fevereiro, aconteceram operações especiais da Marinha e Exército em Los Ângeles, que visavam “os pedófilos de Hollywood”, dizem fontes do Pentágono. O Departamento de Justiça, também, reabriu sua investigação sobre o “agente pedófilo do Mossad, Jeff Epstein”, observam as fontes.

Essas operações podem ser o motivo pelo qual um membro das famílias que possui (ou possuiu?) o Conselho do Federal Reserve nos enviou uma nota de petição que dizia em parte:

“Como seres humanos amorosos, devemos perceber que certa parte de nossa população não teve tanta sorte quanto eles e que, em vez disso, foram alquebrados e traumatizados pela brutalização satânica, desde seu nascimento, para continuar perpetuando o sistema de maldade que, agora, estamos tentando superar. A única maneira de parar para sempre toda essa loucura do mal escuro insuperável é dando-lhe a chance de encontrar uma saída para a única coisa que eles já conheceram, que é o seu ciclo atual do mal... mas há muitos que foram irreparavelmente feridos e, agora, estão configurados de modo a matar ‘a tudo e todos’ que não estão de acordo com sua ‘programação’. Esses devem ser eliminados e descartados para o bem da humanidade.”

Também, recebemos uma carta manuscrita e um monte de documentos enviados pelo traficante de armas russo Victor Bout, que atualmente está preso em Illinois. Agora, é tarde demais para matar Bout para silenciá-lo. Temos seu depoimento detalhado sobre as arma s nucleares que foram roubadas do submarino russo Kursk em 2000 e usadas no tsunami de Fukushima e no ataque terrorista com assassinato em massa.

Fontes do MI6, da CIA e do Pentágono dizem que a investigação de Fukushima provavelmente resultará na prisão do Primeiro-Ministro japonês Shinzo Abe, da chanceler alemã Angela Merkel, da Primeira-Ministra Britânica Theresa May e de muitos outros líderes mundiais.

Nesta frente, podemos dizer que, de acordo com um comunicado oficial do Departamento de Defesa dos EUA, tribunais militares já começaram na Baía de Guantánamo, em Cuba.


Numa nota final, recebemos uma carta de um leitor japonês, lançando dúvidas sobe as reportagens sobre o curandeiro brasileiro “João de Deus” mantendo escravas adolescentes em fazendas de bebês.


De acordo com esse leitor, “João de Deus” ou João de Faria, foi enquadrado pela máfia farmacêutica porque seu negócio de vitaminas e curas pela fé estava consumindo seus lucros. Faria foi envenenado, depois de ser preso e estava vomitando sangue como resultado, diz o leitor.

Isso me lembrou do fato do xamã Shipibo, que estudei na Amazônia, quando jovem, que foi enquadrado e assassinado pela máfia farmacêutica, por se tratar de  uma competição indesejada.

Além disso, as reclamações das fazendas de bebês foram feitas por uma única ativista que, em seguida, “cometeu suicídio” e que sua família se recusa a mostrar seu corpo às autoridades. Precisamos garantir que o sistema judiciário brasileiro chegue à verdade por trás deste caso e onde quer que isso possa levar.

No entanto, no Brasil, qualquer que seja a verdade, não há como negar que os bebês foram e estão sendo vendidos por seus órgãos, partes e “extratos”.


A classe dominante tem nos tratado como animais de fazenda, para serem mortos à vontade, por tanto tempo que, ainda, não podem acreditar que seu controle está acabando. O planeta Terra está prestes a ser libertado.


Autor: Benjamin Fulford 
Tradução: Sementes das Estrelas / Candido Pedro Jorge
Veja mais artigos do Benjamim Fulford Aqui