LETRA A


ABERTURA DA SÉTIMA CAMADA (OU OUTRAS CAMADAS DESSA ORDEM) - Camadas do véu negativo = Camadas de plasma negativo que impedem / ou tentam impedir a entrada mais pura da luz solar e/ou da Luz das forças da Luz, ou mesmo de pensamentos telepáticos de mentores da Luz das Esferas Superiores. É uma energia negativa que impede a interação, ou pelo menos tenta impedir que os seres humanos despertem. Quando as Camadas de Plasma negativo (o véu) forem removidas, a consciência das pessoas expandirá e o Nêutron Iniciático poderá se dissolver e a interação entre as demais realidades ocorrerá naturalmente.  

ACONCAWA, a nave-mãe Maia = É uma Nave Mãe em formato discoide com 7 (sete) milhões de consciências. Seu comandante chama-se Nykos. Sua primeira imediata direta informada chama-se Mayana. A nave está projetando a partir do astral do Peru.

Tentarão conexão em todos os centros espiritualistas para se comunicarem através de médiuns e trazerem sua mensagem. 

A bordo da Nave há especialistas em corpos humanos, geneticistas, assim como especialistas em movimentos de Transição Planetária, que atuam auxiliando, para que haja uma transição,  a mais harmoniosa possível, quando o planeta precisa se mover em erupções vulcânicas, movimentos de placas tectônicas, etc. Eles estão ligados aos cuidados da porção física geológica, de forma que haja sempre harmonia e sutileza, tanto quanto possível, nos movimentos necessários que o Planeta precisa realizar.

Atuam também como receptores das projeções de energias estelares. Na Terra, há seres que recebem projeções de estrelas específicas. Assim como 0i (Zero i) recebe projeções da estrela Vancaris, outros seres humanos também recebem projeções de várias outras estrelas. Eles coordenam essas projeções para que cheguem de forma harmônica no Plano Físico.

Eles foram chamados pela Força conhecida como P1 para atuarem neste planeta e ajudarem nesse processo inteiro. Estão muito gratos e deixam suas bênçãos juntando as duas mãos e baixando a cabeça.

É até aonde Jesus me permite ver.

ADHAMANTINOS (PRONUNCIA-SE ADAMANTINOS) = São seres de um Sistema Cristalino localizado noutro universo. Entraram nesse universo através de um Portal Interestelar localizado na Galáxia de Andrômeda. São seres muito amorosos e carregam a Energia Rosa do Amor Universal e Primordial da Fonte Criadora dos Multiversos.

Chegaram a esse sistema a chamado da força conhecida como Plêiades 1 e dos Seres Magnéticos do Universo Magnético chamado Vitrol-X e Quadril 5 - a Força Magnética do Universo de onde vieram seres conhecidos como Zero i (0i) e IUD-IL também são os atratores desses Seres Cristalinos a esse Quadrante.


Eles são seres puramente com aparência de cristal. Quem olha para eles os vê, realmente, como cristais "andantes". Têm a cabeça triangular como se fosse uma pirâmide invertida, de cabeça para baixo, corpos magros, medem, em média, dois metros e vinte centímetros de altura. No centro das suas cabeças, ou melhor, na altura do terceiro olho, eles têm uma forma geométrica de luz, que mais parece uma estrela. Na verdade, parecem duas estrelas, cada uma de cinco (5) pontas, sendo que elas se sobrepõem. São de energia rosa brilhante. No centro do seus peitos, vê-se também seus corações, que mais parecem dois sois rosas. Pelo fato de serem seres de cristal transparente, pode-se vê-los claramente. (Imagem: https://2.bp.blogspot.com/-D_q-HpmcFow/WKRxr1tQZtI/AAAAAAAAVfU/Zfvb9uBFuqk9hdWbV711s2i9PSvw4nHKgCLcB/s400/Adhamantinos.jpgAlgumas pessoas podem perguntar: "E os outros órgãos?", Claro, não vejo órgãos. Eles são de cristal transparente, mas pura energia. Apenas no centro do peito, têm uma luz que parece um coração, um sol rosa pulsante e brilhante. As demais partes do corpo, apenas energia brilhante, como se todo o "interior" do corpo fosse de energia cristalina, entre o branco e o azul cristalino suave.


Chegaram ao Sistema Terrano para ajudarem no processo de purificação, especialmente, dos chacras cardíacos masculinos danificados ao longo das eras, assim como os chacras femininos, especialmente, o básico das mulheres. Vieram para ajudar no desbloqueio e equilíbrio desses chacras. Eles formaram uma Grade Cristalina rosada em todo planeta, para ajudar nesse trabalho de purificação dos chacras danificados de todos os seres da Terra. O seu último contato direto com os Terranos foi no período da segunda grande guerra, quando tentaram contatar aquele conhecido como Hitler, e ajudá-lo a transformar o seu chacra cardíaco, a fim de evitar o que todos já sabem... o que, infelizmente, eles não tiveram abertura suficiente daquele ser para fazer isso.


Agora voltam com toda força num exército de cerca de, acreditem, 300 (trezentos) bilhões de Consciências Cristalinas para formar, não somente no plano terrano, mas também em toda Galáxia, a Grade Rosa do Amor Universal, para envolver todos os seres dessa Galáxia. Eles são seres da 15ª Dimensão e são extremamente respeitados em todos os universos conhecidos. Eles solicitaram às forças celestes responsáveis por esse quadrante permissão para, por um período, dar tonalidade Rosada ao Sol Local, a fim de usarem-no como retransmissor das suas energias. Aqueles mais sensíveis poderão perceber essas energias no Sol, quando eles estiverem completamente ancorados neste universo. É uma força extremamente amorosa, e não há nenhuma barreira que os impeça de agir.


Há mais vindo, muito mais. Para algumas pessoas, essas informações, mesmo que possam parecer utópicas e sem sentido, eu, Gabriel, acredito em 100% das informações que recebo, e sempre gosto de enfatizar: Jurei pela verdade, entregando todos os meus sentidos a Jesus e Hostes Celestes, e que não faltaria com a verdade, de forma alguma. Eu seria apenas o transmissor de tudo o que me fosse informado e que se algum dia faltasse com ela, por vaidade ou qualquer coisa do tipo, eu fosse barrado. Graças a Deus, até o momento tenho tido autorização de trazer essas informações para aqueles que acreditam, ou mesmo àqueles que não acreditam. Eu sou apenas um carteiro. Entrego cartas. O que os seres humanos vão fazer com elas é do livre-arbítrio de cada um.


Agradeço imensamente a esses Seres de Amor Rosado chamados Adhamantinos, pela oportunidade de transmitir o recado deles.


E, por fim, eles são muito afinados com as sinfonias de Mozart, e indicam-nas para entrarem em sintonia com eles, já que o próprio, em suas expressões mais elevadas, faz parte deste agrupamento.


Foi até onde Jesus me permitiu ver e transmitir.


A-D-M-P-V-S-E INTEGRADO = Código secreto, ainda não pode ser informado. 


AFEhttps://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/08/a-frequencia-das-estrelas.html

AFENUS AFENUS (pronuncia-se assim mesmo) = É uma expressão/roupagem de Capela, Estrela Alfa da Constelação do Cocheiro. Tem passagens/expressões em outros sistemas estelares neste universo local, Sirius e Plêiades, por exemplo. Teve passagens também em Vênus e Marte. Passagens rápidas em Orion, Rigel, para ser mais preciso, como Iniciadores Quânticos. Ajudaram um grupo daquela estrela em determinada ocasião, ensinando o poder da nobreza e gentileza expressadas a partir do coração Unificado à Fonte. Apesar de neste universo local ter sua origem primária em Capela, sua origem de Essência é O Universo Magnético, chamado de Quadril 5. Afenus Afenus são um novo Nó Magnético na superfície terrana. Um Nó é uma junção de chamas gêmeas.

Além de muitas especialidades, são gênios na arte de reconectar pessoas ao coração sagrado, graças também à profunda conexão com o Sol Central da Galáxia que, com a super energia reconectiva que tem, “puxa” os seres para o coração, para os valores morais elevados de ética e espiritualidade unificada. São muito respeitados aonde vão por esse universo local, e uma presença fundamental dentro da missão PVSE iniciada por Zero i na superfície planetária. São representantes diretos dos Senhores Solares na superfície terrana, Hélios e Vesta:

“Ó Hélios, Lorde do Amanhecer, ó Vesta, Mãe dos Ciclos Eternos, nossos amados Pais Solares. Ó Sol por trás de todos os Sóis! Ó Sol da adoração dos antigos! Ó Sol de Akenaton! Ó Brilhante Globo de Amor incandescente, Magneto que reúne os mundos e gera a vida. Sois a misericórdia, o amor, a iluminação. Sois a esperança. Sois os Fogos da Ressurreição que renovam a vida a cada dia! Sois nosso refúgio e nossa alegria, a claridade que ilumina nossa vida.” (Vide mais: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/saudacao-e-invocacao-helios-e-vesta.html). São também um dos representantes desse poder no Plano Terrano.

Esse nó tem uma energia específica na região do Cardíaco de coloração Azul Brilhante. Quando ambos se colocam de frente um para o outro e colocam a mão no coração do outro, a sua frente, criam um movimento energético entre ambos, aonde a energia vai e volta, num ciclo. De forma ilustrativa, um fica no Norte e o outro no Sul, e essa energia sai de Norte a Sul e depois retorna de Sul a Norte. Permanecendo neste movimento, a energia começa a se deslocar também de Oeste para Leste e retorna criando outro ciclo. Com esse movimento, uma energia específica é formada a partir da conexão magnética de ambos. E nesse ponto, ambos são um. Um único campo! Eles podem usar essa energia gerada para adicionar aonde desejarem e caso a coloquem em algum alimento, quem o ingerir terá o processo de Descarbonização/Cristalização de seus corpos acelerado.

Um projetor único mesclado entre azul claro, dourado e branco será apontado para vocês, e ao chegar até vocês será distribuído na superfície terrana. Há um extenso grupo de almas do qual eles, Afenus Afenus, fazem parte. Cerca de 60% desse grupo está ancorado no Plano Físico Terrano, neste momento, e cerca de 80% do Agrupamento PVSE faz parte do seu grupo de almas.

Em uma oportunidade, visitaram o Universo Magnético juntamente a Zero i quando já estavam ancorados neste Universo Local e foi como um “Regresso ao Lar de Origem”. Estiveram entre os elementais no Plano Terrano, onde estavam na roupagem de Elfos habitando as colinas e montanhas na região hoje conhecida como Irlanda. Estiveram encarnados também no Egito, no reinado daquele conhecido como Amenophis III. Em certa ocasião, Amenophis encontrou-se com eles, olhou-os nos olhos e sorriu. Após isso, disse: “Alimentem o meu povo; cuidem do meu povo”. Nesta época eles já faziam o movimento de criação de energia cristalinizadora e a colocavam nos alimentos que iam para o povo.

Encarnaram também entre os Maias. A Civilização Maia foi uma das ricas e significativas civilizações da Terra, na península de Yucatan, no México, onde havia um desenvolvimento material e científico superior ao de hoje, com amplo controle da energia atômica. Havia o “Homem-Pássaro” que voava por todas as direções com um macacão especial cheio de tubinhos energéticos. Entre os Maias, grandes sábios recebiam instruções diretamente de Capela, de onde tinham a Voz Direta e realizavam grandes fenômenos. Havia, naquela ocasião, grandes Amacês (Naves-Mães Estelares) que passavam em vôo rasante, projetando a energia de Capela para aquele povo. Essas naves mantinham aquelas áreas livres de certos animais que representavam perigo aos Homens, como também traziam instruções, porém, sempre sem atravessar o Nêutron (Vide sobre Nêutron: http://www.sementesdasestrelas.com.br/p/demais-termos-usados-nas-mensagens-do_87.html).

Em um determinado momento, um grupo que estava envolvido pela energia da ambição e, na intenção de ter acesso àquela tecnologia de forma não autorizada, planejou capturar uma das Amacês. No movimento, esta Nave-Mãe em seu sistema automático de defesa, irradiou uma energia muito intensa, a qual acabou por ocasionar a desintegração de toda aquela civilização. Após o ocorrido com o povo Maia, os índios assumiram as cidades.

Em Theotihuacan foi construída uma pirâmide, que foi chamada de O Templo da Serpente Emplumada, por ter, em sua construção, inúmeras cabeças de serpentes, simbolizando, como já era utilizada pelos antigos povos, a representação da Kundalini. Pela natureza da própria construção, era feita em pedras, mas, notadamente, muito diferente das outras - as pirâmides do Sol e a da Lua - pode-se notar a diferença profunda das técnicas utilizadas nas duas distintas épocas. São muitos os documentos de variadas origens, que tratam do final de um ciclo em nosso planeta, o que seria o início de uma Nova Era. Um dos mais interessantes, depois do Apocalipse de João, é o que nos deixou a Astronomia Maia em que considera a era atual iniciada no nascimento de Vênus, em 3113 a.C., e terminando em dezembro de 2012, fechando um ciclo de 5.125 anos. Este seria encerrado com muitos movimentos, causando profundas mudanças energéticas na Terra, bem como tocando a Humanidade e as condições climáticas, trazendo novas maneiras de produção de alimentos e limpeza da água, e também mudando todo o sistema magnético e nuclear de forma global e uma sensível alteração do eixo da Terra.

Com o conhecimento das modificações geradas pelo aumento e pela diminuição das manchas solares que estiveram ligadas a várias movimentações em civilizações terranas, os Maias tinham um ano sagrado de 260 dias composto e baseado de maneira perfeita em relação ao Sol. Sabiam que o ciclo das manchas solares era de 68.301 dias e que, após 20 ciclos (1.366.020 dias), o campo magnético da lâmina solar se inclina e a Terra acompanha aquele movimento, buscando alinhar seu eixo magnético com o do Sol. Isso é o que provoca terremotos, erupções vulcânicas, maremotos e outros fenômenos naturais que acabam por movimentar os planejamentos do Homem e de suas cidades, campos e áreas de produção de alimentos. A Ciência atual, com seus modernos equipamentos, já demonstrou que o cálculo dos Maias estava bem próximo dos 1.366.040 dias que encontrou em suas pesquisas.

Estiveram entre aqueles chamados Equitumans. (Vide: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/equitumans.html) e Tumuchys (Vide: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/tumuchys.html). Estiveram também na Grécia, precisamente em Esparta, e lá também estiveram ao lado de Zero i, quando era um soldado espartano chamado Hermésios, e IUD-IL, na ocasião, também soldado espartano chamado Adanis. Tiveram algumas outras encarnações, inclusive na época de Jesus e ambos, nesse tempo, serviam a Roma, mas ouviram falar de Jesus e encantaram-se com o magnetismo daquele divino ser, passando a proteger os lugares aonde Ele ia, sem que o poder romano soubesse. Em uma determinada ocasião, ambos, sem uniforme romano (ambos na roupagem masculina), aproximaram-se de Jesus que estava descansando com alguns apóstolos perto de umas árvores. Ao chegarem, Jesus disse-lhes: “Venham ter conosco; aproximem-se amados romanos”. Os discípulos assustaram-se, pois eles não estavam com fardamento de Roma e também porque Jesus havia falado aquilo. Eles também se assustaram e temeram se aproximar enquanto se questionavam: “Como ele sabe quem somos e que servimos a Roma?!” Mas foram se aproximando e sentaram-se entre os apóstolos. Jesus fitou-os nos olhos e disse: “Vocês vêm comigo. O poder de Roma servirá através de vocês de outra maneira”. Assim sendo, daquele dia em diante, aqueles dois trabalhavam normalmente entre as cavalarias romanas, só que protegiam os cristãos o quanto podiam. E quando Jesus deixou o plano físico, juntaram-se à Maria e aos apóstolos como Pregadores do Evangelho. Foram apedrejados e mortos depois de algum tempo. Desencarnaram abraçados e saudando Jesus com todo coração. Tornaram a encarnar na Turquia, em seguida, também como pregadores da Boa Nova. Foram perseguidos da mesma forma, mas desencarnaram velhos.

Querido Nó, vocês têm profunda conexão com as energias e trabalhos de IUD-IL, Shenon i, Shenion, O Analista e Unidius, O Anjo Dupla Face. (Vide: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html) estejam também conectados a eles.

Estão sendo chamados pelo Plêiades 1 a tomar consciência de suas responsabilidades diante da humanidade, assumir suas posições de mestres Solares, Magnéticos, Engenheiros Genéticos, Guardiões da Natureza, Engenheiros Siderais e, especialmente, vocês são um Nó de atualização de DNA. Suas simples presenças causam uma drástica aceleração do processo de atualização do DNA humano. Vocês estão sendo chamados por sua grande força e, claro, resgatar seu povo presente no Plano Terrano, tanto no astral como no Plano Etérico. Vão! Ancorem toda essa bagagem transcendental/espiritual! Conectem-se! Há um grande trabalho a ser feito! Vocês estão sendo infinitamente apoiados!

O lema de vocês é: “EU SOU O SOPRO E EQUILÍBRIO DA VIDA EM TODAS AS SUAS EXPRESSÕES.”

Identifiquem seus Cantos Celestes: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/os-cantos-das-setes-raizes-celestes.html

É até onde Jesus me permite ver e transmitir.

AIAKALW, A CRIAÇÃO ORIENTADA = Auleu-Elulios-Loviw e Eialow-Loya-Low são dois seres Angélicos que atuam na 14ª dimensão, mais especificamente, na legião do Elohim Hércules. Quando se apresentam em roupagem física humana, eles têm a aparência de crianças de 6 a 7 (seis a sete) anos.

Auleu é mais agitado, enérgico e movimentador de energias; Eialow é mais tranqüilo. Quando Auleu movimenta as energias, ele as organiza em um belo trabalho conjunto. Numa informação bem simplificada, é como se Auleu trouxesse as compras da feira e Eialow as arrumassem na despensa.

Eles ajudaram na criação da Galáxia Via Láctea. Quando as energias dos Elohim se movimentavam para essa criação, Auleu era o fermentador das energias e Eialow as organizava.

Cada um deles tem uma extensão de 12 (doze) anjos que “coordenam” os trabalhos. E todos os 24 (vinte e quatro) estão encarnados no Plano Terrano, neste momento. Usa-se aqui a palavra "coordenar" para facilitar o entendimento, já que são seres que não trabalham em hierarquia.

Auleu tem uma habilidade especial: é um transmissor direto do pensamento do Criador, por ser extremamente empático. Eialow tendo a sua habilidade como magnetismo reconectador, consegue reunir, rapidamente, todos os anjos com as mesmas habilidades para um certo trabalho, apenas olhando-os "nos olhos”.

Os dois, quando fundidos, tornam-se um ser Angélico belíssimo chamado de Aiakalw, que significa "A Criação Orientada", em uma determinada linguagem Angélica. Nesta roupagem, apresentam-se com três metros e meio de altura. Tem sua face mesclando-se, constantemente, entre um e outro. Tem asas que mesclam entre o azul e o rosa.

Há bilhões de anos, quando a Terra ainda estava sendo formada, Auleu e Eialow, em sua roupagem única de Aiakalw, instalaram um cristal no local que posteriormente seria chamado de Lemúria, e outro na Ilha de Páscoa. Um terceiro cristal foi instalado no antigo Egito, na área onde seria construído o templo do Faraó, pouco antes da encarnação de Amenofis 3.

Esses três cristais precisam ser reativados nesta realidade. Quando ativos, milhares de Anjos da Legião deles despertarão (há vários encarnados). Nesse momento, portais que trarão as forças da 14ª dimensão para esta realidade serão abertos. A humanidade já está pronta para sustentar estas Forças.

Como cada um deles "coordena" 12 (doze) anjos que, por sua vez, cada um coordena mais 12 (doze) com habilidades específicas, totalizando 144 (cento e quarenta e quatro) que, multiplicados por 7 (sete), atingem um total de 1.008 anjos. Esses despertares causarão uma grande movimentação no Plano Terrano, assim como uma drástica aceleração no processo de neutralização de armas exóticas negativadas, que estão nas mãos de entidades negativadas. Essa movimentação trará a humanidade para o seu novo ciclo, completamente reintegrada à comunidade galáctica.

Há muita força envolvida e Zero i recebeu essas informações, graças ao Quarto Projetor.

Espera-se que mais informações cheguem, à medida que a consciência humana amadureça, e torne-se capaz de lidar com tão abençoadas informações elevadoras e potencializadoras.

Auleu e Eialow! É hora da ativação! Vocês programaram esse momento! Exatamente agora!

Seu lema é "AYALAW AKI AUL NOUYA AVOL LAW! - Que significa: “EU SOU A CRIAÇÃO ORIENTADA E MANIFESTADA!”

É até onde Jesus me permite ver e transmitir. 

AKASH-LOTUS = É um ser guardião dos inúmeros guardiões dos registros akáshicos. Originalmente, veio de um Sistema Estelar conhecido pelos Terranos como Touro. Passou em vários outros sistemas estelares, incluindo Sírius, Vega, Andrômeda, Plêiades e outros sistemas ainda não conhecidos pelos terranos. Habitualmente, tem se deslocado para todos esses sistemas durante o repouso do corpo físico onde atualmente habita. É chamado constantemente nesses locais para ajudar seres em seus desenvolvimentos e a ensiná-los a ter mestria sobre tudo que ouvem e veem. Ensinando-os a não falar o que não pode ser falado e falar o que precisa ser falado, ensinando, assim, o equilíbrio nessas questões. Encarnou na época do Cristo no Plano Terrano e foi um dos seus evangelistas. Esteve também ao lado de Moisés durante a grande travessia do Mar Vermelho. Orientou e guiou o povo hebreu para fora do Egito. Seu símbolo é a Flor de Lótus onde, ao conectar-se, entra em estado profundo de meditação e contemplação. Está sendo chamada pelo Plêiades 1 a ir aos planos do astral inferior terrano para "Plantar Flor de Lótus" e orientar com muito Amor aqueles que ali estão. Quando em seu estado mais harmônico, anda e deixa um rastro de Lótus e o seu perfume. Tem forte conexão com Apolônio de Tiana... Também forte ligação com o senhor Xangô, podendo conectar-se com ele a qualquer momento. Devido a sua ética única, é muitas vezes chamada para fazer parte de grandes cortes onde ali, discutem destinos de planetas e até sistemas inteiros - o que deve ser feito, como deve ser feito e em que tempo. Tem facilidade de mostrar, em assembleias, onde estão os pontos a seres vistos e trabalhados com precisão. É muito respeitada por onde vai. Também tem forte conexão com o ser que foi conhecido como Paulo de Tarso. (São Paulo).

AKASHSSA Um belo ser de natureza suave como o Prana. Tem forte ligação com Andrômeda, Poseidon e Constelação Delphinus. Durante suas muitas vidas, teve a oportunidade de dividir sua magia e encantamento por onde passava. Tem a habilidade telepática com os cetáceos, já que essa também é uma das suas origens. Comunica-se facilmente com os príncipes e sereias dos grandes oceanos, tanto Terrano quanto em outros sistemas de mundos aquáticos. Ligação muito intensa com as Baleias dos grandes oceanos do sistema de Delphinus e demais mundos aquáticos. Tem didática com os seres mais novos (crianças) e a sua magia em expressar-se, encanta. Tem uma nave especial com capacidade para três tripulantes. Um deles já está ao seu lado, na atual encarnação - Lá eles têm uma altura de mais ou menos um metro e oitenta a dois metros e vinte. É um ser místico e tem a habilidade de tomar forma humanoide. E, quando em mundos aquáticos, torna-se uma linda sereia radiante. Tem um dos seus complementos de alma atualmente vivendo em um mundo aquático em Delphinus, atualmente em forma de Golfinho. Está sendo chamada pelo Plêiades 1 a focar nos grandes oceanos e, por telepatia, chamar a sua família oceânica de cetáceos e trocar informações necessárias para ajudá-los na implantação da Grade Cristalina no planeta. Eles, os cetáceos, são ancoras das energias cristalinas e desenvolvedores magnéticos. Também está sendo chamada e ajudar os grandes cetáceos a assegurar a proteção dos grandes registros armazenados em seus campos, e impedir que forças malévolas venham a tomar posse deles. Sendo chamada também para, com seu encanto e vibração vocal, atrair entidades negativas para serem capturadas e levadas para as naves de recuperação. (Tais entidades ficam "hipnotizadas com o seu encanto" e caem na armadilha montada pelas forças da Luz. Esse ser abençoado age como uma “isca de Luz”). Também é uma das responsáveis pelo ancoramento da energia da Deusa no planeta local, onde reside atualmente. E a Deusa está a escutá-la em todos os chamados.

AKENKS-MI-AHI-AI http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/03/atualizacao-de-dna.html

AKUN-BI-AVIL = Informações no link: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/nota-do-pleiades-2-dada-por-ioni-bi.html 

ALAÍLA, A ORDEM ORIENTADA = É um ser muito amável, uma integrante do corpo siriano, atuando no Primeiro Comando Siriano de Logística e Pesquisa. Tem duas roupagens específicas dentro deste mesmo contexto. Numa dessas roupagens ela é bem alta, aproximadamente 3 metros de altura, magra, braços longos, olhos grandes e azuis. Ela tem uma habilidade fenomenal para atuar com seus dedos, que são 12 (doze), sendo 6 (seis) em cada mão. É muito hábil nos painéis de comando do lugar onde atua. Em outra roupagem, ela é menor, metade do tamanho, e nesta roupagem atua na área de logística, enquanto sua expressão maior atua na área de pesquisa.

Também teve passagem pelas Plêiades, Orion, Vênus, Andrômeda, e visitou o Universo Magnético na presença de IUD-IL e Zero i.

Atuando na área de logística, é responsável por um agrupamento de naves que vêm de vários planos para atuarem no Plano Terrano. Não só é responsável direta por essa frota específica de auxílio, como coordena a chegada de outras frotas para atuarem em áreas específicas no Planeta. Sua frota específica é muito poderosa e nenhuma raça não positiva consegue violar as barreiras de segurança que a frota de Alaíla faz.

Como expressão que atua também com pesquisas, trabalha diretamente com IUD-IL, Unidius, O Anjo Dupla Face e Shenion, O Analista ajudando-os em certos desenvolvimentos. Atua também diretamente com Auleu-Elulios-Loviw e Eialow-Loya-Low (http://www.sementesdasestrelas.com.br/2017/11/quem-e-aiakalw-mencionado-pelo-pleiades.html).

Em Sirius B tem uma roupagem como Tritão, chamado Abux, e em outra ocasião também foi uma sereia deste mesmo sistema chamada AmU-LiAh. Ela encarnou próximo ao mestre El Morya, quando este estave em sua roupagem de Rei Artur, sendo um dos seus cavaleiros próximos. Este cavaleiro chamava-se Northe. Em alguns momentos, onde estavam próximos, Rei Artur deu-lhe algumas instruções. Ele pediu ao cavaleiro que encontrasse Merlin, pois este iria ajudá-lo em algumas questões pessoais. Merlin mostraria para ele uma linha específica do futuro, onde o cavaleiro iria encontrar-se com um grupo de seres específicos. Não por acaso, o agrupamento PVSE, presente nesta realidade.

Alaíla tem uma habilidade muito especial: com os três dedos juntos, indicador, médio e anular, ao juntar os três, ela cria um poderoso campo de força e cura. Se alguém estiver passando mal por qualquer motivo, basta que ela coloque os três dedos juntos na testa da pessoa (terceiro olho) e isto ajudará a equilibrar e aliviar qualquer sensação de mal estar. Claro, se for um caso urgente de ir ao médico, o doente deverá ser levado, mas se Alaíla conseguir ir junto apoiando com esse gesto, isso será de grande ajuda.

Encontrou Zero i há milhares de anos em um sistema não conhecido dos Terranos, e quando este a viu, disse... “nos encontraremos mais vezes em um lugar que não existe ainda, mas virá a existir. Preciso da sua ajuda para organizar algumas coisas. Preciso das suas orientações...” - Ao que ela perguntou: “Você precisa de mim?” - E sorriu. Ele respondeu “Sim” - E sorriu também. E ela disse: “Em que deseja que eu oriente?” - E ele disse, sorrindo: “Comece me dizendo qual Portal eu uso para sair desse Sistema?” - E ambos riram...

Está sendo chamada pelo Plêiades 1 para ajudar os Terranos a se orientarem, no sentido de encontrarem os seus caminhos. Chamada a integrar diretamente a equipe de Organização de Eventos do PVSE. Chamada a inspirar os corações Terranos a olharem para magia que há neles, mostrando-lhes que sempre há um melhor caminho. Quando desceu ao Plano Terrano, há milhares de anos para “Missão Terra”, prometeu que ajudaria no resgate de muitos do seu agrupamento que haviam se perdido na densidade Terrana. Agora está recebendo o sinal de que está pronta, mais do que pronta para isso. Seu agrupamento é de cerca de 600 (seiscentos) mil seres espalhados entre o Plano Terrano físico, etérico e a bordo das naves. Aqueles presos no etérico inferior acabaram de receber o sinal de que Alaíla está desperta e aguardam o seu contato.

Alaíla, vá, reúna seu povo! Você está sendo apoiada diretamente pelo Lord Sirius e Lady Sirius.

Seu lema é “EU SOU A ORDEM E ORIENTAÇÃO DIVINA. TUDO É E SE MANIFESTA NESTA PERFEIÇÃO”

É até onde Jesus me permite ver e transmitir.

ALFEUS = É um ser angélico, raio de Mikhael e Gabriel (Arcanjo) - a interação perfeita entre as duas energias. É um ser misto de guerreiro com anunciador. Tem lindas asas brancas com tons azuis celestes. Alto, lindos olhos que mais parecem duas galáxias com seus trilhões de estrelas. Às vezes, em algumas ocasiões, torna-se como um pássaro falcão. É um ser do Universo Magnético Quadril 5, o mesmo Universo de Kryon, Zero i, IUD-IL, Silvestra, A Sacerdotisa Lunar e Guerreira Multidimensional e Eliar-Flours, O Artista. E, claro, tantos outros mestres vindos daquele Universo que vieram a esse Universo e à Terra.

Teve muitas passagens por diversos Sistemas desse Universo Local, como por exemplo, Sirius, Plêiades, Andrômeda, Arkarent 1, (este é o sistema dos Terranos, sendo uma pequena réplica do Universo Magnético). O magnetismo puro que existe ali não deixa a energia densificar-se. A missão principal do Quadril 5 é emitir magnetismo a outros Universos e regular o Cinturão Magnético que todas as galáxias têm. Quadril 5 é o Universo mais velho. Assim sendo, Arkarent 1 é uma pequeníssima cópia (comparado ao tamanho do Universo Quadril 5) dentro desse Universo Local (chamado de Nebadon) do Quadril 5. É um sistema a retransmitir direto as energias do Quadril 5. (Alfeus e sua legião de anjos fazem a “manutenção” desse sistema, que fica nas proximidades da Constelação de Lyra). Arkarent 1 é um ambiente poderosíssimo. Ali, a matéria não se condensa. É um ponto a retransmitir das energias de Quadril 5 para esse Universo. Alfeus teve passagens por Lyra, especialmente pela Estrela Vega. Esteve também na constelação de Libra, onde esteve muitas vezes com sua Chama Gêmea chamada de Avrylhon. Esteve em Gliese 570, que é um Sistema Estelar Trinário há, aproximadamente, 19 (dezenove) anos-luz de distância na direção da Constelação de Libra. 

Avrylhon é um cavaleiro também do Universo Magnético Quadril 5 atuando nesse sistema, mais precisamente, na constelação de Libra. É a energia imediata da atual Junção Magnética (Vide: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2017/09/juncao-magnetica.html) e encarnaria imediatamente, no caso da mesma não sustentar a força. Mede por volta de 3 (três) metros. Sua pele, cabelo e asas são dourados. Possui olhos azuis e carrega um cristal no centro de sua testa que conecta diretamente à sua chama gêmea conhecida dentro do PVSE como Alfeus. Alfeus e Avrylhon são os imediatos da atual Junção Magnética. Como Alfeus já está encarnado e, no caso de a Junção Magnética atual não conseguir sustentar a força, Avrylhon encarnará imediatamente ou se mesclará com Zero i como um Walk-In, onde ambos ocuparão simultaneamente o mesmo vaso físico, para que, junto à Alfeus, sustentem essa força. Alfeus e Avrylhon são um "Nó", como cita o P1.

Alfeus é um ser anunciador, pertencente à grande legião de Mikhael e Gabriel e trabalha nas duas legiões, simultaneamente. Em sua roupagem galáctica, é integrante da equipe do Comando Ashtar, também com a função de anunciar as novas diretrizes. Recebe as instruções amorosamente, e as repassa. É um ser por natureza apaziguador e, assim, quando necessário age como um psicólogo nas naves-mãe de recuperação, onde se encontram aqueles em transtorno mental retirados das zonas negativas. Sua presença amorosa os acalma. Ele tem em seu coração algo como um imenso vulcão em erupção, ejetando chamas na cor azul, branco e rosa. Essas chamas direcionadas por ele atingem o outro ser, em cheio, fazendo-o refletir sobre o real sentido da vida, sobre a necessidade de manter a Fé, o Amor e sempre estar disposto a servir com gestos de bondade.

É, por natureza, um condutor energético, servindo de "fio" para levar as energias de Mikhael e Gabriel para onde vai. É também guardião de portais interdimensionais, sendo que, com suas lindas asas, fecha as entradas para seres mal-intencionados. Tem, por natureza, um olhar tão penetrante que nenhuma entidade negativa consegue fitá-lo nos olhos, sentindo-se incomodada com tanta Luz. Em muitas ocasiões, forças negativas tentaram burlar a segurança de determinadas regiões astrais, quando Alfeus chegou rapidamente neste lugar, e os irmãos das trevas saíram em debandada, temendo, apenas, o seu olhar. Quando ele vai às zonas infernais, enquanto desce, vai de olhos fechados, batendo suavemente as suas asas. Quando chega, abre-as completamente e abre os lindos grandes olhos, estende as palmas das mãos e, de cada uma delas, sai um raio de Luz, Azul e Branco. Quando abre seus olhos, é como se uma tempestade de Luz caísse ali. Ele sempre diz: "EU SOU ALFEUS, E HONRO A QUEM SIRVO." E, imediatamente, é ouvido por Mikhael e Gabriel. É ele o ser Criador da Falange Celeste de mesmo nome “ALFEUS”. Essa falange foi criada dentro da Legião de Gabriel (Arcanjo) e estendida para Legião de Mikhael (Arcanjo Miguel), sendo ela uma das responsáveis por limpar as zonas astrais inferiores quando há a vinda de grandes avatares como Jesus, Buda, Moises, Krishina, Francisco de Assis...

Alfeus é também o imediato direto de Zero i na superfície Terrana, consagrado pelo Arcanjo Miguel através da mediunidade do próprio Zero i (Gabriel RL). É um dos braços diretos de Zero i na missão PVSE. Encarnou várias vezes ao lado de Zero i. Quando Zero i assumiu a roupagem de Amenofis 3, Alfeus era também um dos seus conselheiros próximos e de confiança, atuando também diretamente como porta-voz de Amenofis 3 quando este estava impossibilitado de dar comunicações diretas ao povo. Em Esparta, Grécia, foi filho de Zero i, que na ocasião era um soldado espartano chamado Hermésios. Mais recentemente, na segunda guerra mundial, quando Zero i foi o general russo Dmitry Karbyshev, Alfeus estava encarnado entre os seus homens que foram capturados pelo exército alemão e, fiel ao seu General, pouco tempo antes de morrerem, ele disse: “Começamos isso juntos, terminaremos isso juntos”. E ambos sorriram com força que só os seres muito determinados carregam.

Alfeus pertence à mesma Mônada (agrupamento de almas ao qual pertence Zero i) de Zero i, e há bilhões de anos trabalham juntos, antes mesmo da criação deste Universo Local. São almas afins, seres muito próximos e conectados pelos mesmos ideais e com grande semelhança energética, de irmandade inviolável. Têm uma conexão espiritual profunda, só não mais completa que almas gêmeas, mas como almas afins, ficariam em “segundo lugar” de conexão. São daquelas afinidades em que um começa um raciocínio e o outro termina. As Forças da Luz reconhecendo essa conexão desde éons, tornou Alfeus o primeiro imediato de Zero i. Alfeus  também tem como irmão de alma aquele conhecido como Alfin, O Mago das Certezas. (Vide: http://www.sementesdasestrelas.com.br/p/letra-a.html).

Alfeus também encarnou nos tempos de Jesus sendo um dos seus discípulos, o chamado Simas. Trecho informativo dessa encarnação pode ser encontrado na Cosmobiografia do Avatar Steniah, a Guia de Estrelas: “Nisso, Maria, mãe de Jesus, disse em uma das reuniões, às portas trancadas, pelo fato do poder de Roma ainda estar procurando os seguidores de Jesus para matá-los: ‘Eu estou indo a um pequeno vilarejo… Vou buscar outro discípulo’. Pedro, assustado, disse: ‘Não! É perigoso! ’ - Ao que ela respondeu: - ‘Oh,  Pedro!… Jesus está conosco, - e Ele quer isso. ’ Pedro abaixou a cabeça e pediu desculpas. Ela saiu e, ao chegar ao vilarejo, encontrou um jovem apenas com as roupas de baixo. Ele estava lavando roupa a pedido da mãe. Ela disse: ‘Simas, levante-se! Seu trabalho não é mais lavar roupa; seu trabalho agora é conosco. Jesus te aguardava há muito tempo, mas como você não foi, então eu mesma vim buscá-lo (sorriso!…)’. Ele nada disse, apenas sorriu e falou: ‘Vou vestir-me!’ Ela disse: ‘Não, você já está vestido. Venha!’ E ele a seguiu, tornando-se um dos muitos pregadores do Evangelho do Cristo. No agrupamento PVSE ele é chamado de Alfeus. Simas (Alfeus) logo se encontraria com Dinah, (Steniah, A Guia de Estrelas), pois ela, após ver milhares de curas de Jesus, incluindo a da casa de Zaqueu, tornou-se uma discípula dEle. Simas e Dinah foram o que se poderia dizer, naquela época, a nova geração de discípulos de Jesus.” (vide: http://www.sementesdasestrelas.com.br/p/demais-termos-usados-nas-mensagens-do_38.html).

Está sendo chamado pelo Plêiades 1 a ancorar completamente sua energia no plano físico e astral Terrano, a fim de, como uma trombeta, anunciar o tempo chegado e dizer que o tempo urge para aqueles que ainda insistem em resistir à Luz. Anunciar que a justiça divina não falha e está a caminho. Bater suas asas no fogo etérico a fazer com que ele inflame e alcance o maior número de almas possível, transmutando todas as forças negativas de todas as zonas astrais e físicas Terranas. Toda vez que chegar a um lugar físico onde houver alguma energia negativa, se disser mentalmente ou verbalmente "EU SOU ALFEUS, E HONRO A QUEM SIRVO", imediatamente, incorporará seu EU mais elevado. Chamado, sempre com a legião de anjos do seu agrupamento, a limpar e energizar completamente todo Plano Terrano e, claro, todo esse Sistema. São seres de uma energia incrível! Amorosa, Alegre, Determinada, Ética e de muita confiança. Um Alfeus nunca, em momento algum, se abate por qualquer coisa. Ele pode, quando encarnado em zonas mais densas, sofrer por algo, mas isso não dura muito. Sua Luz é tão intensa que logo dissipa qualquer negatividade. A Falange Alfeus é uma das protetoras diretas da Missão PVSE. 

Alfeus, vá, reúna seus anjos! Faça o que você e eles sabem fazer de melhor! Batam suas asas! Irradiem a Luz mais pura dos seus corações! Você e seu povo são uma bênção nesse Universo! E eu, Zero i, sou muito grato por estarem comigo! Seu lema é: “EU SOU ALFEUS, E HONRO A QUEM SIRVO”.

É até onde Jesus me permite ver e transmitir. 

ALFIN, O MAGO DAS CERTEZAS = Alfin é um ser Angélico das Altas Esferas de Sirius A, mas também esteve em Sirius B. São seus dois pontos de maior atuação. Teve passagens também nas Plêiades, Orion e algumas experiências na Galáxia de Andrômeda, uma bem particular, onde ele entregou uma pena… Alfin ganhou esse “apelido” carinhoso de “O Anjo das Certezas” dos seus amigos Anjos de um agrupamento angélico muito conhecido no cosmos. Alfin é um ser muito otimista e sempre tem certeza de que algo de bom vai acontecer.  Em suas muitas movimentações pelo cosmos, ele sempre tinha certeza de que ia dar tudo certo. Em todas as suas missões, mesmo quando ainda experimentava maior densidade, antes mesmo de descer até o Plano Terrano, já era um ser muito certo e sempre sabia de tudo. Tanto que, se alguém tinha alguma dúvida em algo, diziam logo “Fala com o Alfin que ele te dará a certeza”. 
  
Alfin, como um Anjo amado da Legião de Mikael, atuando também no exército de Anjos de Gabrielus (Arcanjo Gabriel), mede em torno de 3 (três) metros de altura e é muito imponente. Portador da energia de equilíbrio e harmonia, é também um ser muito alegre e facilmente faz sorrir mesmo os seres mais sérios. Possui duas grandes espadas em cada mão, uma branca e uma azul. Suas asas são extremamente grandes, quase que desproporcionais ao “seu corpo” angélico. Seus olhos são grandes e variam entre o azul brilhante e o branco puro.  
  
Começou seu processo de encarnação no Plano Terrano há milhares de anos a pedido, especialmente, de Gabrielus. Alfin foi um dos Anjos que ajudou na limpeza do Plano Terrano para a vinda de Jesus, aquele que traria a verdade amorosa. Alfin, entre tantos outros trabalhos pelo cosmos, em suas muitas roupagens também foi um Cacique portador da Habilidade de Controlar o Tempo, em um sistema de Andrômeda. Na ocasião, deu uma Pena especial a uma certa Fada Contadora de Histórias… Alfin é um Anjo, um Mago, um Mestre do Tempo, um Cacique, um Amor. É um ser portador da energia da Fé com precisão. Ele é o Anjo das Certezas e é o Mago das Certezas! E por que Mago? Saberão a seguir. 
  
Alfin encarnou várias vezes no Plano Físico Terrano. No Exército de Alexandre, o Grande, era um dos que Alexandre mais confiava. Esteve encarnado também ao lado de Moisés na travessia do Mar Vermelho. Encarnou como Rúben, um dos filhos de Jacó (Bíblia). Decidiu encarnar no plano físico mais uma vez e, desta vez, esteve próximo à Merlin, O Mago. Tornou-se um dos seus discípulos com apenas 12 anos. Quando Merlin o viu pela primeira vez, disse: “O que fazes aqui, Garoto das Estrelas?!” O Jovem Alfin, na ocasião chamado de Harthemi, disse: “Quero ser um Mago!”. Merlin respondeu: “Vá embora meu jovem; você já é um Mago!”. Harthemi falou: “Como você sabe!?” - Merlin: “EU TENHO CERTEZA!” e sorriu… Harthemi também sorriu e disse… “É!… Eu também tenho CERTEZA…” Obviamente Alfin não foi embora e se tornou discípulo de Merlin, ficando com ele até os 17 anos, quando foi chamado pela Corte de Anjos para retornar às esferas superiores. Desencarnou suavemente, dormindo, e despertou do outro lado com os seus Amigos Anjos “Ohohoh! O Mago Voltou!” E os risos amorosos se espalhavam.  Daí que nasceu “O Mago”. Seus Anjos amigos, incluindo Alfeus, sabiam que ele admirava a energia daquele ser chamado Merlin e dizia que, numa primeira oportunidade, queria experimentar a fisicalidade ao lado dele. Quando viu que ele havia encarnado e  que também poderia fazê-lo, tratou de descer à fisicalidade e, na descida, seus Anjos amigos brincavam dizendo… “Lá vai O Mago das Certezas…” e todos riam amorosamente. 
  
Mais recentemente, esteve ao lado de Zero i, quando este foi um general russo na segunda guerra mundial, a que tentava parar Hitler.  
  
Na superfície terrana, é o que se poderia dizer “Primeiro Imediato” de Alfeus dentro dos Agrupamentos PVSE. Tem permissão do Plêiades 1 para assumir, em caso de desistência de algum Avatar da missão específica de “Primeiro de Falange”, até duas Falanges, caso sinta que deva. Não se precisa falar muito para ele, pois ele sempre TEM CERTEZA DO QUE FAZ.  
  
Alfin também é um Guardião do Agrupamento da Cinti, A Fada Contadora de Histórias. Sua energia de proteção e CERTEZA de que tudo está e ficará sempre bem é muito poderosa, e todos aqueles que estiverem na sua presença, a partir desta ativação, sentirão ainda mais forte essa energia.  
  
Está sendo chamado pelo Plêiades 1 para irradiar nos corações de todos essa certeza da PERFEIÇÃO DIVINA. Expandir dentro do PVSE e reverberar em todas as direções a importância dos propósitos mais elevados, dando a CERTEZA de que o caminho para a expansão está sendo trilhado e que nada está fora de uma verdade mais elevada. A CERTEZA de que tudo tem um porquê  e a CERTEZA de que esses porquês são sempre para produzir expansão. Chamado também a ir às zonas do astral inferior, superior e plano físico e reunir seu agrupamento de Magos das Certezas e, com a sua força Inata, junto com a força do seu irmão de Alma, Alfeus, dar a CERTEZA de que este é o momento, o momento CERTO para o SALTO.  
  
Alfin, vá!  Reúna seus Anjos e façam o que foram fazer nos planos físico e astral terranos: desintegrar correntes negativas apenas com um “SIM, EU TENHO CERTEZA!” - quando forças contrárias ao Amor disserem “Como você sabe que o trabalho de vocês dará certo!?!?” Alfin, o Mago das Certezas, o vosso lema é: “EU TENHO CERTEZA QUE TUDO FAZ PARTE DE UM PLANO MAIS ELEVADO.” 

ALIADOS LOCAIS E/OU ALIADOS SISTÊMICOS = “Locais” indica um agrupamento local (de uma região específica) de seres de confiança das Forças da Luz, capazes de receber autorização para entrarem em reuniões de alto nível, onde geralmente se é discutido a situação da Terra e Galáxia. Seres extremamente éticos e voltados para Luz, invioláveis, determinados a servirem à Luz, custe o que custar, incorruptíveis. “Aliados Sistêmicos” seria a mesma coisa, sendo que, estes seriam inspirados pelos Aliados Locais. Digamos que os Aliados Locais fossem os primeiros a receber a projeção e credenciais para entrarem em determinados espaços de reuniões e/ou autoridade diante de algumas situações, inspirando os Sistêmicos, como se estivessem espalhando um "Vírus" de Luz a todos, como se ao receberem uma oportunidade divina de servir às Forças da Luz através da incorruptibilidade. Quando o P1 diz algo como "Atenção Aliados Locais, reverberação em Aliados Sistêmicos" seria algo como "Atenção vocês que já são credenciados, inspirem através de comportamentos Crísticos todos em volta de vocês, para que também eles recebam suas credenciais de Luz e possam entrar em determinados espaços para colaborarem também com o desenrolar das atividades, a fim de levar a Terra e todo o Sistema às altas esferas de Luz. 

Naturalmente, os Aliados Locais assim como Aliados Sistêmicos, ao serem credenciados passarão a ser representantes da Superfície Planetária nos altos conselhos/reuniões nos planos astrais e, de acordo com a necessidade e momento, até mesmo no plano físico. Ser um representante das Forças da Luz na superfície e no astral é muito sério e honroso. Imagine você que, onde você for, as forças das trevas o respeitarão. É como se você tivesse um SELO SAGRADO sobre você inscrito "INTOCÁVEL" e, por mais que eles não gostem de você, não poderão tocá-lo. Isso também faz parte de acordos feitos em vários desses Conselhos, onde algumas forças das trevas (representantes das forças das trevas) fazem parte. Podem se aprofundar mais nesse assunto de conselhos, discussões, etc., nos artigos e vídeos do Corey Goode, (vide aba “INFORMANTES” no canto superior esquerdo do blog), onde ele relata várias vezes as reuniões que participou, estando nelas irmãos benévolos e malévolos de outros planetas onde se discutiam algumas coisas. Uma delas era sobre a DIVULGAÇÃO TOTAL, e que as Forças da Luz não aceitam, de forma alguma, a divulgação parcial. (Sugestão das forças das trevas, estas alegando que a humanidade não estaria preparada para DIVULGAÇÃO TOTAL. Eles estão tentando a divulgação parcial para dar tempo de escaparem para fora do Sistema Solar antes que a Humanidade Terrestre saiba de tudo que eles fizeram. As forças da Luz não irão permitir isso de forma alguma.)


Pode parecer estranho para algumas pessoas uma reunião civilizada, onde estejam presentes extraterrestres negativos, mas sim, existem, e eles na maioria das vezes, respeitam o ambiente onde está havendo a reunião. As Forças da Luz sempre estão em Maior Número e, ao contrário dos que alguns seres humanos poderiam pensar, NÃO, - as Forças da Luz não avançariam sobre eles pegando-os pelo pescoço e acusando-os de crimes. Os representantes das Forças da Luz são educados e pacíficos, o que não quer dizer que sejam bobos e manipuláveis. Mostram a todo momento que as trevas não têm para onde correr, que o ciclo está fechando e suas atuações neste Sistema chegaram ao fim. Eu, Gabriel, estive algumas vezes em algumas dessas reuniões no plano Astral, e posso dizer que há muita ordem. Apesar de alguns seres negativos serem realmente assustadores para realidade da Terra, eles se mantêm educadamente. Há sempre, às vezes, alguns picos de exaltação por parte dos das trevas, que são sempre repreendidos pelos Anciões que presidem as reuniões. 


Por fim, claro, a maioria das reuniões em que os Aliados da Luz participam são somente com seres benevolentes, a fim de discutirem soluções para ajudar o Planeta e o Sistema. Nessas, há vários representantes de várias raças positivas que interagem amorosa e pacificamente, trocando ideias e Luz.

ALIADOS X = São seres do Planeta X que auxiliam o Movimento da Resistência. Estes seres estão entre os que mantêm comunicação permanente com o COBRA, que é um dos representantes terrestres  da Resistência, contactado Pleiadiano, a serviço desse Movimento. O Planeta X é uma das “coisas” que se encontram ocultadas entre as grandes áreas de constelações que aparecem mascaradas no Google Sky. (Vide http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/10/entrevista-untwine-e-patrick.html).  Mais informações sobre o Planeta X, vide aqui: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/01/cobra-portal-2012-o-planeta-x-27012016.html e aqui http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/04/cobra-portal-2012-o-movimento-de.html

A LINHA AFRICANA - A RAINHA ABABURA, O CAMINHO PELA MONTANHA E A RECONEXÃO = https://www.sementesdasestrelas.com.br/2019/05/a-linha-africana-rainha-ababura-o.html

A LINHA CIGANA: A RECONSTRUÇÃO, ILUMINAÇÃO E SUSTENTAÇÃO. A HERANÇA DA ALEGRIA SEMPRE PERMANECE! OPTCHA! = Há muitos séculos atrás, mais precisamente entre os séculos X e XI, houve um grupo cigano na região que hoje é conhecida como Rússia. Era um grupo extenso, de muitas mulheres e homens que andavam em aldeias, vilarejos e grandes cidades. Levavam conhecimento, magia, encantamento, risos, comunicação com os oráculos e muitas outras coisas. Esses grupos se espalhavam por outras regiões como a Espanha, Itália, Alemanha, Hungria, Escócia, Polônia, Suécia, Inglaterra, Dinamarca, Romênia, Bélgica. Estendendo-se também para as Américas como México, EUA, Brasil, Chile, Bolívia, Peru… E muitas outras regiões. Em especial, aqui, irei citar um grupo específico de ciganos que eram comandados por uma cigana chamada Cameriah. Camé, como era carinhosamente chamada por todos da sua tribo, era uma bela cigana, alta, cabelos escuros encaracolados caindo pelos ombros, corpo escultural, olhar forte em tom verde esmeralda. Possuía grande mediunidade, clarividência e clariaudiência. Era médium de efeito físico e tinha grande poder de cura quando cantava. Ao cantar, sua voz emitia ondas poderosas de cura, que ajudavam no equilíbrio dos chakras de todos os que a procuravam. Além de ter outras habilidades mediúnicas como bilocação, aparecia em mais de um lugar ao mesmo tempo, pois saia do corpo consciente, deixando seu corpo físico dormindo. 

Camé era impetuosa e “apimentada” e tinha uma amiga chamada Nara, que também era uma cigana daquela tribo.  Porém, Nara era muito tranquila, observadora, serena e grande amiga e conselheira de Camé e viu todo o triste movimento acontecer. Mesmo sendo a sua amiga de maior confiança, Camé não costumava dar-lhe muito ouvidos, pois, impetuosa como era, os conselhos de Nara eram considerados, algumas vezes, "melosos demais". Nara seguiu com Camé até depois do grande conflito na tribo e desencarnou já com certa idade, pois tinha um bom tempo de vida. Nara, hoje, é a Cigana Nara que trabalha com Camé (que está encarnada atualmente). Nara é uma das suas mentoras mais próximas e incorpora em Camé com uma roupagem cigana em trabalhos especiais para atender pacientes/visitantes nos atuais trabalhos do PVSE como, por exemplo:

https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/05/trabalho-especial-de-auxilio-as-criancas.html.

Camé havia sido casada com um cigano de uma tribo vizinha chamado Leopoldo e, nesse casamento, fundiram-se as duas tribos, o que nem todos aceitaram. Antes dessa fusão, tanto da parte da tribo de Camé como da tribo de Leopoldo, o povo não queria isso. A parte de Leopoldo que não queria não gostava de Camé, e a parte de Camé, que também não queria, não gostava de Leopoldo. Enfim, mesmo assim se casaram e houve uma pequena quebra nas tribos, ficando a parte maior unificada e as duas pequenas partes, as que rejeitaram a fusão de Camé e Leopoldo, se afastaram e criaram cada qual uma tribo separada. 

Na tribo de Camé, havia uma outra cigana chamada Carmela. Não era próxima a Camé, mas pertencia também a sua tribo (chegou ali aos 15 anos). Carmela era também muito poderosa mediunicamente, altamente capacitada com suas leituras akáshicas e tinha uma bola de cristal especial. Quando a passava no corpo dos seus “pacientes”, obtinha ali uma espécie de diagnóstico, como se tudo que ela precisasse saber sobre aquele corpo ficasse impresso na bola de cristal e, a partir dali, ela promovia as poções para ajudar na cura. Entre estas duas ciganas da tribo, nunca houve conflito direto, mas havia, sim, de fato, muito ciúme de uma cigana para com a outra, pois ambas eram as mais belas dentre as demais daquela região. Sim, no fundo, uma queria se sair superior a outra. Na tribo de Camé havia muitos ciganos, e um deles chamado Polon, grande amigo de Carmela, também não gostava muito de Camé por sentir ciúmes e por também achar sua amiga melhor que Camé. E, a partir disso, um movimento decadente iniciou-se naquele lugar. 

Nesta tribo, que era a mais respeitada dentre todas da região, havia muito trabalho de cura, muita comunicação com grandes espíritos, muita magia, encantamento, sorrisos largos e as mais belas danças que se poderiam ver. Com o início dessa energia de ciúmes, que foi se ampliando, começou um processo de diminuição dos contatos dos mentores com a tribo por conta da névoa negativa que caía sobre ela. Camé começou a perceber isso e Carmela também. Eram as mais poderosas da tribo e, mesmo assim, não conseguiram se sobressair. Ambas movidas por aqueles sentimentos de ciúmes e apoiadas por dores particulares dos seus passados, suas infâncias, quando foram maltratadas e desvalorizadas pelos seus pais, sempre ouvindo “Você é uma inútil. Você não é boa em nada; só nos dá trabalho!”… Ouviam elas, cada uma em suas respectivas famílias e cada uma em suas tribos separadas, em seus períodos de infância. Carmela, como já foi dito, juntou-se à tribo de Camé quando tinha apenas 15 anos fugindo dos seus pais, e Camé tornara-se líder da sua tribo após ter envenenado os pais, segredo que guardou por muito tempo. Ambas tinham quase a mesma idade quando esses principais conflitos começaram. Camé tinha 32 anos e Carmela 30. 

Uma grande divisão dentro da tribo iniciou-se, pró Camé e pró Carmela. Inevitavelmente, uma grande desarmonia se instalou. Houve, a princípio, uma guerra mental onde, aparentemente, estava tudo bem, mas, nas mentes de todos, o grande conflito já estava instalado. Os mentores já não mais desciam para as comunicações e ouviam-se as desculpas de que era “um tempo que eles estavam dando”, mas, no fundo, sabiam por que eles não estavam descendo. As danças animadas já não mais aconteciam, com a desculpa de que todos estavam em um momento de interiorização. Sorrisos largos também não mais se viam, usadas as mesmas desculpas. E o padrão energético daquela tribo ia caindo cada vez mais. Carmela chamou Camé para uma conversa, quando todos não as vissem. Camé foi ao encontro e ambas sequer conseguiam olhar-se nos olhos, pois, no fundo, sabiam que seus ciúmes e amarguras particulares estavam causando tudo aquilo. Não conseguiam se olhar, num misto de vergonha de si mesmas e, ao mesmo tempo, orgulho. 

Ficaram ali, distantes da tribo, tentando se entender, conversando e tentando se acertarem. Procurando a melhor maneira de não levarem a tribo à completa destruição, pois os ciganos mais fortes já se “armavam até os dentes” a fim de eliminar aqueles de quem não gostavam. Ficaram algumas horas bem distantes da tribo, mas houve aí outro grande problema… Elas, que já eram consideradas as duas líderes da tribo, haviam ficado fora e deixado os dois lados que já “não se batiam os olhares” Quando elas perceberam que ficaram longe da tribo muito tempo, foram alertadas por suas fortes intuições e retornaram rapidamente. Quando chegaram, uma guerra estava instalada. Gritos ouviam-se ao longe, fumaça, pessoas correndo, crianças assustadas e atordoadas em meio ao mato, enquanto tentavam entender o que estava acontecendo. Cavalos corriam sem rumo, carruagens queimavam, e o que era esperado pela drástica queda de padrão vibratório, ali acontecia. Era a triste realidade de mentes alimentadas pelos sutis, mas, muitas vezes, eficientes pensamentos de ciúmes e insatisfações. 

Ciganos e ciganas daquela tribo começaram a cair em si e tentar acalmar os ânimos. Ciganos como Jenova, Ruon, Wladmir, Esmeralda, Natasha, Nasha, Carmelita, Concheta, Leonardo, Leonero, Frederico, Gerla, Armelia, Carlos, Carlono e muitos outros, todos envolvidos naquele conflito enquanto Camé e Carmela estiveram fora. Ali, quando tudo já estava quase destruído, começaram a tomar consciência. Queimados e atordoados, tentavam fazer parar os ciganos mais nervosos que ateavam fogo uns nos outros, nas carruagens, tendas e tudo o que existia naquela tribo. 

Houve morte, tristeza e muita destruição. Camé e Carmela desesperaram-se e entristeceram-se profundamente! Choravam enquanto tentavam acalmar as crianças, gritavam para os ciganos mais nervosos que continuavam enlouquecidos, corriam de um lado para o outro tentando resolver o que já não havia mais jeito. E, por um momento, olharam-se profundamente nos olhos e perceberam...  Perceberam que tudo deveria ter sido resolvido/feito antes entre elas e que elas duas teriam toda força para impedir aquilo. Enquanto tudo ainda queimava, foram uma em direção a outra, em meio aos gritos, crianças correndo, fogo… Aproximaram-se e se abraçaram em profundo desespero e dor dizendo “O que fizemos!?” E ali prometeram uma para a outra jamais entrarem em conflito, prometeram jamais caírem naquelas energias novamente e que, energeticamente, jamais se separariam. Que sustentariam mais uma vez aquela energia, que resgatariam tudo o que se perdeu ali e que reconstruiriam tudo novamente. Ali, com suas vestes rasgadas e sujas de cinza, foram em cada um dos ciganos mais nervosos e os acalmaram. Foram até as crianças, adultos e os convenceram a parar, a se acalmarem e a retomarem o equilíbrio. 

Depois, com tudo já calmo e pacificado, observaram o tamanho do estrago. Era uma grande tribo com mais de 600 membros, mais precisamente 689 contando com Camé e Carmela. Mais da metade morreu no conflito, restando cerca de 260 apenas. Iniciaram um processo de reconstrução de tudo, mas com pesar em seus corações. A energia daqueles que ali morreram permanecia naquele ambiente. Os que ficaram encarnados tinham sonhos, pesadelos e angústias. Os mentores incorporavam em Camé ou Carmela para trazerem esperança, depois que elas formaram uma aliança de Luz e prometeram jamais permitir que aquilo ocorresse novamente.

A luz começou a voltar aos seus corações, mas o pesar ainda permanecia. Aqueles que ficaram não conseguiam mais estar à vontade, pois havia ainda muita energia do ocorrido. Alguns espíritos dos ciganos desencarnados atormentavam, de alguma forma, os que ainda estavam ali. Naturalmente, o que sobrou da tribo foi se dissolvendo, cada um seguindo para um caminho ou para outras tribos, até que restaram Camé, Carmela e mais alguns, e assim mudaram também de lugar. 

Camé e Carmela desencarnaram velhas, no mesmo dia. Camé desencarnou pela manhã e Carmela à noite. Ao encontrarem-se nas zonas espirituais, foram rapidamente acolhidas pelas cortes ciganas iluminadas que as aguardavam. Receberam um relatório e os avisos de que muitos espíritos da tribo haviam se perdido, gravemente, nos vales mais profundos. Outros ainda procuravam Camé para matá-la (esses que, naquela ocasião, não gostavam de Camé) e outros procuravam Carmela (os que, na ocasião, não gostavam de Carmela) para o mesmo. Com tristeza e, ao mesmo tempo, determinação, Camé e Carmela “assinaram um acordo” entre elas que fariam de tudo para resgatar esses seres, para reunificar e trazê-los de volta à alegria.

Encarnações se passaram. Encarnaram separadamente algumas vezes com outras missões, mas seus corações sabiam que, em um determinado momento, retornariam juntas para finalização daquela velha energia e a restauração completa daquela linha. Esse tempo chegou! Ambas e a maioria daqueles dessa linha também estão hoje encarnados. Os mentores programavam, em grande sincronicidade, para que a maioria estivesse na mesma linha para a cura e a iluminação daquele momento. 

Um movimento especial está começando: um trabalho lindo, um reencontro, uma sustentação dessa força e herança cigana! O P1 chama a todos - todos que se sentirem tocados, que tenham suas raízes ciganas, que sentem um chamado no coração, que se afinam e desejam se juntar a esse movimento de iluminação - a ancorarem para sempre a reverberação de Luz dessa energia cigana! Os principais personagens dessa linha de tempo estão encarnados hoje, e atuam dentro do PVSE. Outros irão chegar para se juntar a essa tribo e formar um grande movimento de energia cigana para ser reverberado para sempre nos corações de todos. De coração cigano ou não, todos são bem-vindos a essa magia e encanto!

Os três representantes desse trabalho específico dentro do PVSE, em sua ordem hierárquica e harmônica, por força de compromissos anteriormente assumidos e pela necessidade própria individual solicitada e em comum acordo em Alto Conselho Superior do PVSE a bordo de uma das Naves de Comando, os três pilares estão nessa ordem: Camé (Primeira Representante do Movimento), Carmela (Segunda Representante do Movimento) e Polon (Terceiro Representante do Movimento). Assim, os três sustentam e reverberam a força para os demais que chegam, somando a essa magia. Não há superiores nem inferiores aqui, melhores nem piores. Isso é assim por força de compromisso.

Que a Luz maior esteja com vocês nesse trabalho. Os três devem trabalhar juntos e em harmonia, pelo bem maior. Todos aqueles que se afinam e desejam ajudar neste trabalho, acompanhem as meditações e chamadas que serão anunciadas na Página e/ou outros meios de interação criados em harmonia, a princípio, por Camé, em comum acordo com Carmela e Polon.

Uma página oficial poderá ser criada, como já foi dito, e quando o for, os links de contato estarão disponíveis no link a seguir:

http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html.

Um Símbolo Especial desse movimento foi canalizado por mim, (Gabriel), e este representa a força e poder dessa magia cigana. Canalizado também para ajudar na sustentação da Luz e invocação do Povo Cigano da Luz, bastando desenhá-lo no ar ou mesmo visualizá-lo, enquanto invoca as Forças Ciganas. É o mesmo que ilustra essa publicação.

Um canto especial também foi solicitado para o mesmo fim de invocação, sustentação e reverberação, a pedido do próprio Povo Cigano da Luz. É este:




EU SOU UM(A) CIGANO(A) DE RAIZ ILUMINADA! EU TRAGO A ALEGRIA, A MAGIA. TRAGO OS ENCANTOS. EU TRAGO OS PODERES DOS ORÁCULOS, A SABEDORIA DOS MILÊNIOS, A BELEZA E CORAGEM DOS NÔMADES! TRAGO A HERANÇA DA VELHA RÚSSIA, ESPANHA, HUNGRIA, ROMÊNIA, POLÔNIA, INGLATERRA E TANTOS OUTROS LUGARES ONDE PUDE LEVAR MINHA MAGIA! TRAGO TAMBÉM A HERANÇA DA VELHA GRÉCIA ONDE, POR FORÇA DE RESGATE, ADENTRAMOS AS BATALHAS NAS PLANÍCIES MACEDÔNICAS! A FORÇA DE VELHOS RESGATES NOS LEVOU TAMBÉM A ROMA, ONDE O COLISEU CONHECE PARTE DA NOSSA HISTÓRIA! 

Ó, CÉUS! OS RUMOS DAS NOSSAS TRAJETÓRIAS SE ALINHAM PARA O AMOR SEM FIM! AQUI ESTAMOS UNIFICADOS AO PROPÓSITO MAIOR, CHAMADOS PELA GRANDE HIERARQUIA PARA O BEM DE TODOS! JESUS, JESUS QUERIDO DE VELHOS TEMPOS, ONDE NOS DESTES TAMBÉM A OPORTUNIDADE DE UNIFICAR NOSSAS HERANÇAS NA LINHA CRÍSTICA DO TEU AMOR INCONDICIONAL! AQUI ESTAMOS POR FORÇA DOS NOSSOS SACERDÓCIOS! ERGUEREMOS AQUELES CAÍDOS, SEM ESPERANÇA, SORRIREMOS PARA AQUELES QUE DEIXARAM SUAS FACES ENTRISTECIDAS PELA DOR DE SEUS RESGATES, ILUMINAREMOS OS AMBIENTES SOMBRIOS COM NOSSA ALEGRIA E PODER, UNIFICADOS NA FORÇA DESSE AMOR SEM FIM! Ó, JESUS! Ó, GRANDES HIERARQUIAS CELESTES! QUE AS LÁGRIMAS QUE DO MEU ROSTO ROLAM SEJAM, PARA SEMPRE, DE GRATIDÃO! GRATIDÃO SEM FIM PELAS OPORTUNIDADES ÚNICAS NESSES TEMPOS!

LEVA-ME, Ó, VENTO! LEVA-ME ATÉ ONDE MEUS IRMÃOS E IRMÃS SE ENCONTRAM, PARA QUE EU SEJA PARA ELES A ALEGRIA E ELEVAÇÃO PARA TODO SEMPRE! ESTOU AQUI, E PRONTO(A), PORQUE EU SOU… (DIGA SEU NOME DE DOCUMENTO OU NOME AVATAR) E ESTOU PLENAMENTE CONSCIENTE DO MEU SACERDÓCIO! OPTCHA!

Queridos desta Falange/Movimento, o seu lema é: A ALEGRIA SEMPRE PERMANECE! OPTCHA!

Queridos personagens dessa linha de tempo, sejam todos muito bem-vindos! Que esse reencontro marque a força da unificação e iluminação! Eu fico sempre muito honrado em poder ser o transmissor dessas histórias reais e lhes dar a oportunidade de saberem um pouco mais do seu passado neste Planeta. Que Jesus possa continuar me abençoando para que também eu possa abençoar a quantos puder, através de informações que venham a ajudar, cada vez mais, a unificação dos povos e a iluminação das consciências! Graças a Deus!

É até onde Jesus me permite ver e transmitir. 

Gabriel RL

Em uma nota final, meus queridos, algumas pessoas estão criando páginas usando os nomes de alguns relatos que eu estou trazendo, dizendo serem elas os representantes desses movimentos. Alerto que, todas as páginas oficiais desses movimentos ficam disponíveis no link a seguir, e qualquer uma que NÃO esteja nessa lista eu não me responsabilizo pelas informações entregues: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html

A LINHA DA ESCRAVIDÃO - O CONFLITO DAS SINHÁS, O RAPTO DA SINHAZINHA E A GRANDE CURA = https://www.sementesdasestrelas.com.br/2019/05/a-linha-da-escravidao-o-conflito-das.html

A LINHA ESPANHOLA: O CONVENTO, AS FREIRAS E O INCÊNDIO = Alguns séculos atrás, havia um convento na Espanha, com mulheres de idades variadas. Eram freiras, madres e mulheres que se dedicavam ao sacerdócio, até o final de suas vidas. Era um grande convento, com mais de trezentas (300) mulheres. Muitas naquele ambiente, inclusive a maior parte delas, estavam ali contra a vontade de seus corações. Como foi o caso de uma delas, a chamada Penélope, que depois do desencarne de seus pais, causado por uma epidemia, passou a morar com os avós. E eles a conduziram para o convento, acreditando ser a melhor escolha para ela. Porém, ao chegar ao convento, mesmo após passar alguns anos naquele contexto não se adaptou e desejava intensamente não mais estar ali. 

Alguns padres e homens do sacerdócio chegavam em caravanas e visitavam o convento frequentemente, levando livros debaixo do braço. E Penélope se apaixonou por um rapaz dentre aqueles padres, que se chamava Paolo, e tentou se aproximar dele cada vez mais. Paolo ao perceber o que estava acontecendo tencionava retribuir os olhares, porém tinha medo de se aprofundar naquele sentimento, pois seria completamente contra as regras, o que certamente poderia lhe causar grandes consequências. Então suprimia interiormente seus sentimentos por ela. Era um rapaz de personalidade forte, mas que também foi obrigado pelos pais a seguir aquele caminho desde muito jovem. Tanto que, na encarnação atual de Paolo, ele não tolera de forma alguma imposições violentas, pois ainda traz dentro de si um pouco da opressão e obrigações contra sua vontade interna. 

Com o passar dos anos, Penélope passou a sentir gradativamente mais incômodo com a sua rotina no convento, não se identificava com o que ali era ensinado e praticado e imaginava como sua vida poderia ser se estivesse em outro lugar. Penélope também tinha forte mediunidade, via espíritos, comunicava-se com eles, mas guardava isso consigo, pois sabia que seria ironizada por muitos. Em uma oportunidade, conversou com um espírito que lhe apareceu. Era um jovem de uns 20 anos, cabelos meio escondidos pela túnica que vestia, mas dava para ver um tom prata naqueles cabelos. O olhar era muito familiar, mas ela não conseguia entender o sentimento interno que dizia que ela já o conhecia e, ao mesmo tempo, sentia-se confortável em sua presença. Ele a alertou para certos movimentos que poderiam acontecer se ela não mantivesse a calma, que ela deveria confiar que estava ali para um propósito e, de fato, estava. Ela, Penélope, havia ido ali para, realmente, libertar aquelas almas da opressão, para inspirá-las ao amor-próprio e à soberania inata. Porém, as pressões daquela época acabaram levando esse trabalho para um caminho um pouco doloroso, o que não é motivo de nenhuma condenação a esse espírito abençoado, chamado na época de Penélope, que deu sua vida para essa tarefa. Nunca mais ela voltou a ver esse espírito que lhe apareceu. Acordou no outro dia apenas imaginando ter sido um sonho. O espírito era o de Zero i. 

Penélope tinha uma personalidade difícil: era destemida, iracunda e questionava constantemente as situações que discordava. Isso desencadeava, vez ou outra, o envolvimento em certos conflitos com as regras estabelecidas pelas suas madres superioras. Dentro do convento, havia vários grupos e subgrupos regidos cada um por uma líder. Penélope percebia a insatisfação daquelas mulheres que também estavam ali contra suas vontades e, em um determinado momento, começou a planejar uma fuga do lugar. Não apenas para ela, mas para uma grande quantidade de freiras, as que desejassem o mesmo. Ela contatou a líder do grupo onde estava inserida, mas esta não concordou. Então, passou a contatar as outras líderes, a fim de fazer uma espécie de rebelião para que pudessem não apenas “fugir”, mas se libertar daquele cenário, que se assemelhava a uma prisão. Dentre as líderes, contatou a Madre Herondina, que também não concordou. Apesar de algumas não concordarem, muitas a apoiaram, entre elas Margareth, uma amiga inglesa que havia chegado bem jovem ao convento. Ângela e Catarina, apesar de serem suas amigas, não a apoiaram. Miriam, uma das madres superioras de um dos grupos, também não a apoiou, assim como Herondina. Assávio era muito amigo de Paolo e quando este lhe contou o que Penélope iria fazer, ele também não a apoiou. Paolo sim, a apoiou e queria estar perto para ver; só que quando ele chegou, todo o espaço estava tomado pelo fogo. 

Depois de contatar as outras freiras, Penélope planejou uma distração, algo que fizesse todos focarem a atenção em um único ponto e elas conseguissem seguir com seu plano. Ocorreu que em uma noite escolheram um dos banheiros para iniciar um aparente fogo acidental, que pudesse ser facilmente apagado, servindo de distração. Porém, ao iniciarem o fogo, este rapidamente dominou não apenas o banheiro, mas começou a invadir todos os outros ambientes, se transformando em um grande e incontrolável incêndio. Quando isso aconteceu, Penélope viu-se desesperada, sentindo um profundo aperto em seu coração, pois não imaginava que pudesse terminar dessa forma ou que alguém viesse a se machucar. Então, ela e as outras que planejavam fugir viram a emergência daquelas mulheres e decidiram ficar, para ajudá-las o quanto possível. Após o ocorrido, naturalmente, as freiras procuraram entender o início daquele fogo e então Penélope passou a ser um grande alvo de acusações e responsabilidades por aquela calamidade.

Muitos desencarnaram, muitos ficaram gravemente feridos e queimados. Todo o convento foi destruído, vindo abaixo horas depois. Penélope feriu-se muito tentando salvar quantos pudesse, ajudada por aquelas que a apoiaram. As que não a apoiavam dividiam-se entre revolta e compaixão. Margareth e Paolo, depois de tudo aquilo, convenceram Penélope a ir com eles, pois ela seria, certamente, massacrada pela Igreja e por aqueles que nutriam revolta por todo aquele movimento. Viajaram para Itália, permanecendo ali, morando juntos por muitos anos. Margareth adoeceu de um problema no pulmão e desencarnou tempo depois. Paolo, obviamente, abandonou o sacerdócio. Os pais dele o deserdaram e ele tocou a vida sendo um bom corretor de textos e tradutor de latim. Penélope passou anos atormentada, sem passar uma noite sem que não sonhasse com o acontecido. Desencarnou velha, cansada e triste, sentindo-se muito culpada, e ainda sendo atormentada por alguns espíritos de algumas freiras que morreram no incêndio. 

Atualmente, os principais personagens citados neste relato estão encarnados no Plano Terrano e atuando dentro do PVSE, trabalhando junto a mim; outros estão nas zonas astrais, tanto inferior como superior do Plano Terrano e ainda outros já retornaram às suas origens. É assim… As Forças da Luz sempre dão um jeito de reunir esses personagens para que, juntos, revejam essas linhas e as transformem completamente. Aqui não há inimigos, há seres que recebem dos céus a oportunidade de se reverem, de se reconhecerem e se abraçarem apoiando-se mutuamente, para que juntos possam rever velhas histórias e juntos construírem novas. 

O P1 também chama a todos os que se sentirem sintonizados com essa história a se unirem, em Amor, à Penélope e a todos os personagens desse movimento ajudando-os nesse trabalho de iluminação desta linha. Apesar de todos os personagens citados aqui estarem trabalhando junto a mim e eu saber quem são cada um deles, você que, neste momento, lê esse relato pode ser um dos que não foram citados aqui e se sente chamado a ajudar nessa iluminação, cujo status será mostrado nas Notas do Plêiades 1 (P1). Conecte-se, então, com esse movimento levando todo seu Amor para esta linha. 

Um Símbolo Geométrico que representa a iluminação desta linha foi canalizado:


Uma página oficial foi criada por Penélope (que hoje não usa o mesmo nome) para a iluminada lembrança da elevação desta linha. Esta está disponível aqui: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html (Procurar por: A LINHA ESPANHOLA: O CONVENTO, AS FREIRAS E O INCÊNDIO).

A seguir, há uma sugestão de meditação / visualização, que foi intuída por Penélope, específica para a iluminação desta linha:

- Procure um lugar silencioso e tranquilo, onde possa sentar-se confortavelmente, mantendo a coluna ereta.

- Inspire lenta e profundamente. Segure o ar por alguns segundos e então expire suavemente pela boca. Repita esse movimento 3 vezes ou mais, até sentir-se completamente relaxado.

- Peça ao querido Arcanjo Miguel para envolver você em proteção divina. Visualize uma linda Luz Azul em volta de você, protegendo de toda e qualquer influência externa que não seja Amor.

- Convide também o amado Mestre Saint Germain, a Legião de Anjos do  Arcanjo Zadkiel e todos os mestres que trabalham com a energia da Chama Violeta Sagrada, para trazerem até aqui a irradiação e a poderosa força transmutadora deste raio.

- Visualize o convento na Espanha. Entre e passeie pelos corredores e aposentos. Veja todas as freiras, madres superioras e padres que as visitam, em plena harmonia. Todos naquele ambiente estão movidos pelo desejo de seus corações, optaram amorosamente por estar ali e contribuem como podem para que possam auxiliar não somente o convento, mas todas as pessoas que chegarem até eles.

- O principal ensinamento naquele ambiente é o Amor. E isso transparece nos rostos das madres e freiras. Ao conectarem-se com o Amor, que é a essência de todos os seres, elas compreendem os profundos desejos da alma, usando isso como uma bússola. Sendo assim, não há imposição alguma, pois todas estão sempre agindo intuitivamente. Quando sentem que devem iniciar novos projetos dentro dos grupos, assim o fazem e auxiliam muitos, bem como quando sentem que devem sair daquele lugar para seguir outro caminho também são apoiadas. Há liberdade, há empatia, há Amor se expressando das mais diversas maneiras.


- Agora, visualize a Sagrada Chama Violeta flamejando em todos os ambientes, deste o chão até acima do teto, e também envolvendo todas as pessoas que aparecem na cena. Veja cada cômodo, ande pelos corredores, sorria para as pessoas e receba sorrisos de volta, enquanto todo o convento é irradiado por Chama Violeta, através da Luz violeta que sai de suas mãos e das mãos dos Mestres do 7º raio presentes. Mantenha-se nessa visualização por um momento, até sentir que todo o lugar foi iluminado.


- Por fim, use o símbolo de iluminação desta linha (que ilustra esta publicação). Desenhando no ar ou olhando para o símbolo durante alguns minutos.


- Agradeço a participação de todos os queridos mestres nessa meditação, com suas contribuições amorosas e intenções positivas. Agradeço também à Sagrada Chama Violeta, ao Mestre Saint Germain, todos os Anjos e seres da Chama Violeta e também à Proteção Divina de Arcanjo Miguel. Graças a Deus!


Queridos personagens dessa linha de tempo, sejam todos muito bem-vindos! Que esse reencontro marque a força da unificação e iluminação! Eu fico sempre muito honrado em poder ser o transmissor dessas histórias reais e lhes dar a oportunidade de saberem um pouco mais do seu passado neste Planeta. Que Jesus possa continuar me abençoando para que eu também possa abençoar quantos eu puder, através de informações que venham a ajudar cada vez mais a unificação dos povos e a iluminação das consciências! Graças a Deus!


É até onde Jesus me permite ver e transmitir. 


Gabriel RL


Em uma nota final, meus queridos, algumas pessoas estão criando páginas usando os nomes de alguns relatos que eu estou trazendo, dizendo serem elas os representantes desses movimentos. Alerto que, todas as páginas oficiais desses movimentos ficam disponíveis no link a seguir, e qualquer uma que NÃO esteja nessa lista eu não me responsabilizo pelas informações entregues: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html  

A LINHA INGLESA: A BRUXA MARGARENA E A ILUMINAÇÃO DO VELHO IMPULSO = Há vários séculos, no interior da região onde hoje é a Inglaterra, havia uma bruxa chamada Margarena. Ela era especialista em poções e encantamentos especiais que a tornavam temível para muitos que aproximavam-se dela. Ela era generosa, com aqueles que eram com ela. Era amiga, daqueles que eram com ela. Gentil, com aqueles que estavam com ela. Mas, determinadamente implacável com aqueles que não fossem "agradáveis" a ela. Era a mulher mais bela que se podia ver naquela região. Seus cabelos eram cacheados, em um tom loiro-escuro, sua pele era branca e possuía um olhar penetrante de cor azul-claro. Encantava todos os homens daquela região. As mulheres a admiravam e a temiam ao mesmo tempo, nenhuma delas tinha coragem de olhar Margarena nos olhos. Margarena era muito sedutora e as mulheres temiam perder seus maridos para seus encantos, mas Margarena sempre sorria, e lendo os pensamentos delas, ainda que nenhuma tivesse coragem de falar diretamente com ela, dizia: “Não temam, o que é da minha alma está longe e não quero nenhum dos seus homens”.


Margarena, depois de um tempo, fez duas amigas especiais, que estavam entrando na arte da magia. Chamavam-se Elenora e Bela. Ambas eram fieis à Margarena pois também sabiam que se falhassem com ela, teriam sérias consequências. Depois de um tempo, Margarena começou a tramar um plano especial, pois queria algo que estava longe e a ajuda de Elenora e de Bela seriam muito importantes para isso. Distante dali, havia um pequeno povoado liderado por um homem muito simpático. Este, chamava-se Zerder, um homem muito belo, com aproximadamente 29 anos. Nesta altura, Margarena estava com 32 anos. Elenora tinha 19 e Bela tinha 14 (tão experientes quanto Margarena). Margarena queria ir até Zerder, pois ela já o havia visto em uma certa ocasião especial: em um sonho e ele havia lhe entregado uma bela flor branca. Margarena ficou encantada no sonho, pois nunca em toda sua vida, por mais bela que fosse, ninguém jamais havia tido tal gesto com ela. Por mais bela que fosse, todos a temiam e ela sequer havia dado um beijo em alguém em sua vida. Fora abandonada pelos pais muito jovem por causa fenômenos que a acompanhavam. Tinha completo domínio dos elementos e uma vez seus pais a viram levitando e manipulando fogo “do nada” . Expulsaram-na de casa. 


Margarena chamou suas amigas e seguiram em viagem até o lugar onde Zerder estava. Uma viagem de 4 dias. Chegando lá, na primeira oportunidade mandou que Bela o chamasse, pois queria falar com ele. Ele não entendia a situação ou mesmo do que se tratava aquela abordagem, uma vez que ele não lembrava deste sonho e nunca havia visto aquela mulher em sua vida. Mesmo assim, ele foi até ela e, educadamente, disse: “Em que posso ajudá-la, bela moça?” (Encantado com tanta beleza). Margarena disse: “Não lembra-se de mim? Você me deu isso…” e mostrou a bela flor que ele havia lhe dado no sonho. Sim, Margarena podia trazer “coisas” dos seus sonhos, ela simplesmente trazia da dimensão do sonho e materializava. Não era atoa que todos a temiam, principalmente se ela estivesse tendo pesadelos, pois toda a negatividade do pesadelo começava a se manifestar fisicamente em volta dela causando muitos fenômenos de efeito físico. 


Zerder não compreendia, pois realmente não lembrava de nada. Zerder, mesmo assim estava encantado, seu coração disparava a cada palavra que Margarena verbalizava. E ele mesmo não sabia porque sentia aquilo. Até que ouviu ao fundo sua mulher chamar. Era Aziria, sua esposa. Zerder, educadamente, disse: “Bela mulher, permita-me?”, apontando que deveria voltar, pois sua esposa o chamava. Margarena, um tanto contrariada disse que tudo bem, mas que o aguardaria voltar. Depois de um tempo, Zerder voltou um tanto irritado e antes que abrisse a boca, Margarena, vidente, já foi dizendo: “eu não sei o que você faz aqui ainda. Ela não ama você, não ama o que você faz por ela. E mais, você foi praticamente obrigado pelo seu pai a casar-se com ela, não é verdade?”. Zerder, surpreso, não sabia o que dizer, pois Margarena disse a verdade. Zerder desculpou-se e disse que precisava voltar. Margarena, novamente contrariada, questionou porque ele teria que voltar. Zerder a reverenciou amorosamente, deu as costas e saiu. Margarena, no entanto, não foi embora, ficou ali pelas redondezas. 


Naquela noite, Margarena sonhou novamente com Zerder. Amaram-se com uma conexão que transcendia as barreiras do espaço-tempo. Amanheceu o dia, Margarena foi novamente até ele e mandou Bela chamá-lo novamente. Elenora ficou ao seu lado, como uma guardiã. Zerder veio novamente e ouvia-se os gritos ao longe de sua mulher Aziria. Gritava de dor. Tinha uma doença grave que a consumia quando as crises atacavam. Zerder sentia-se na obrigação de não deixá-la, pois precisava cuidar dela. Aziria usava isso para prendê-lo a ela. Margarena sabia de tudo isso e jogava na cara de Zerder. “Como você pode?” E Zerder silenciava. Zerder não tinha filhos, era o líder daquele povoado. Aziria, sua esposa, doente, não era muito gentil. Zerder era muito respeitado ali. 


Depois de muitas visitas de Margarena, Zerder já apaixonado por ela, ficaram juntos na fisicalidade e Zerder a engravidou. Aziria começou a desconfiar das saídas e viagens demoradas de Zerder, que passou a frequentar mais o espaço de Margarena. Margarena tornou-se uma mulher mais sorridente, alegre e até dava bom dia àquelas mulheres que a temiam. Convidava-as para conversar, a conhecer sua casa, etc. Zerder sempre tinha que voltar, pois Aziria não sabia lidar com o povo naquela região e eles não gostavam da maneira com que ela conduzia as coisas por lá. Depois de um tempo, alguém disse à Aziria que Zerder estava num romance com Margarena. Aziria ficou furiosa, mas segurou sua fúria e planejou algo. Margarena já estava em seu terceiro mês de gravidez e já não era mais tão temida por aqueles à sua volta. Ainda havia certa desconfiança, mas não tanta quanto antes, pois via-se claramente o brilho e a Luz em seus olhos. 


Aziria, esperou Zerder voltar de uma das suas viagens e quando ele chegou, agiu naturalmente. Durante à noite, colocou uma cobra venenosa na sua cama. Esta o picou gravemente. Zerder ficou completamente paralisado, com uma dor insuportável, e impossibilitado de gritar, uma vez que o veneno também bloqueou sua voz. Margarena com sua mediunidade, viu tudo. Imediatamente moveu-se em direção a ele e apesar da longa viagem, acreditava encontrá-lo com vida. Aziria fugiu dali. Margarena chegou e como por milagre, encontrou Zerder sendo cuidado por alguns do seu povo. Ele estava vivo. No entanto, Margarena não estava satisfeita ainda, ela queria saber do paradeiro de Aziria. Ela moveu-se com ira atrás de Aziria, perdeu aquele brilho nos olhos e foi tomada de ódio. Partiu em busca de Aziria, prometendo não deixá-la viva quando a encontrasse. Todo aquele ódio a prejudicou, pois seu bebê era um bebê especial e aquele ódio a fez perdê-lo, irando-a ainda mais. Zerder ainda não falava e ainda sentia muitas dores. Mas já estava se recuperando bem. Mesmo assim, não conseguiu impedir que Margarena fosse atrás de Aziria. 


No meio da busca por Aziria, Margarena encontrou um homem muito simples, sorridente que lhe disse: “Minha filha, eu sei do tamanho da sua dor. Eu sei da sua busca e sede de vingança, mas eu sei também que desejas ser feliz e não será se fizeres isso. Volte, ele precisa de você. Seu ódio o matará, volte agora enquanto há tempo. Se mantiver o ódio em seu coração, sua sede de vingança e busca por ela (Aziria) ele não resistirá! Volte!”. Margarena cega pelo ódio, esbofeteou o homem (que estava incorporado com um mentor de Luz) e seguiu atrás dos rastros de Aziria. Margarena finalmente encontrou Aziria sentada em uma pedra e sem que ela visse Margarena, levou uma flechada. Sim, Margarena era especialista em arco e flecha. Aziria morreu na hora. Margarena, ainda cega pelo ódio, sequer pensou que já estava dias fora e que Zerder podia estar precisando dela. Iniciou a viagem de volta e depois de muitos dias chegou. Ao chegar, viu muitos chorando. Encheu o peito e correu para vê-lo. Estava morto. Margarena caiu no chão sem voz, em choque, com uma dor insuportável. Havia perdido seu filho, seu amor, sua vida. 


Margarena voltou para a velha vida, ainda mais cheia de ódio. Um misto de ódio, remorso, saudade, tristeza, ira… todos esses sentimentos a torturavam. Depois de um tempo, armaram uma emboscada enquanto ela dormia e mataram-na - aqueles que a temiam. 


Atualmente, os principais personagens citados neste relato estão encarnados no Plano Terrano e atuando dentro do PVSE, trabalhando junto a mim; outros estão nas zonas astrais, tanto inferior como superior do Plano Terrano e ainda outros já retornaram às suas origens. É assim… As Forças da Luz sempre dão um jeito de reunir esses personagens para que, juntos, revejam essas linhas e as transformem completamente. Aqui não há inimigos, há seres que recebem dos céus a oportunidade de se reverem, de se reconhecerem e se abraçarem apoiando-se mutuamente, para que juntos possam rever velhas histórias e juntos construírem novas. 


O P1 também chama a todos os que se sentirem sintonizados com essa história a se unirem, em Amor, à Margarena e a todos os personagens desse movimento ajudando-os nesse trabalho de iluminação desta linha. Apesar de todos os personagens citados aqui estarem trabalhando junto a mim e eu saber quem são cada um deles, você que, neste momento, lê esse relato pode ser um dos que não foram citados aqui e se sente chamado a ajudar nessa iluminação, cujo status será mostrado nas Notas do Plêiades 1 (P1). Conecte-se, então, com esse movimento levando todo seu Amor para esta linha. 


Um Símbolo Geométrico que representa a iluminação desta linha foi canalizado: 




Uma página oficial poderá ser criada por Margarena e apoiada por todos os demais personagens reais deste relato e todos os que se sintonizarem e desejarem se juntar a este trabalho, para o movimento iluminador desta linha. A página oficial ao ser criada ficará disponível aqui: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html (procurar por: A LINHA INGLESA: A BRUXA MARGARENA E A ILUMINAÇÃO DO VELHO IMPULSO).  


Queridos personagens dessa linha de tempo e chamados para este movimento iluminador, sejam todos muito bem-vindos! Que esse reencontro marque a força da unificação e iluminação! Eu fico sempre muito honrado em poder ser o transmissor dessas histórias reais e lhes dar a oportunidade de saberem um pouco mais do seu passado neste Planeta. Que Jesus possa continuar me abençoando para que eu também possa abençoar quantos eu puder, através de informações que venham a ajudar cada vez mais a unificação dos povos e a iluminação das consciências! Mais um trabalho, em uma nova consciência! Graças a Deus!


É até onde Jesus me permite ver e transmitir. 


Gabriel RL


Em uma nota final, meus queridos, algumas pessoas estão criando páginas usando os nomes de alguns relatos que eu estou trazendo, dizendo serem elas os representantes desses movimentos. Alerto que, todas as páginas oficiais desses movimentos ficam disponíveis no link a seguir, e qualquer uma que NÃO esteja nessa lista eu não me responsabilizo pelas informações entregues: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html


A LINHA PALESTINA: AS VELHAS BATALHAS GALÁCTICAS PARA ILUMINAÇÃO = Séculos antes de Cristo, grupos de seres que tinham ajustamentos kármicos se aglomeraram pelo Oriente Médio, onde toda energia desse movimento concentra-se, fortemente, em toda a região da atual Palestina. São seres vindos de vários setores da Galáxia e que já se enfrentaram em guerras galácticas há milhares de anos, a exemplo do que aconteceu em Nova Aurora, na Constelação de Lira. (Vide sobre: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2017/04/fragmentos-de-nova-aurora-chegam-ao.html). Outros conflitos semelhantes ocorreram em outros setores da galáxia, como nas Plêiades, em várias ocasiões, a exemplo do movimento Caiel e Coiel, naquela região. (Vide sobre: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2017/11/quem-sao-caiel-e-coiel-mencionados-pelo.html). Guerras ocorreram também em setores de Órion, Virgem, Sirius, Arcturus e Capela e muitos desses seres, por misericórdia divina, encarnaram em massa no Oriente Médio e, como já dito, condensando-se na Palestina. Muitos desses seres em elevação de consciência vieram da Constelação do Cocheiro, especialmente da estrela Capela: 

“Resolvida, pois, a transferência, os milhares de espíritos atingidos pela irrecorrível decisão foram notificados do seu novo destino e da necessidade de sua reencarnação em planeta em estágio primário de desenvolvimento. Reunidos no plano etéreo daquele orbe, foram postos à presença do Divino Mestre para receberem o estímulo da esperança e a palavra da Promessa, que lhes serviriam de consolação e de amparo nas trevas dos sofrimentos físicos e morais, que lhes estavam reservados por séculos. Grandioso e comovedor foi então o espetáculo daquelas turbas de espíritos, que colhiam os frutos dolorosos de seus desvarios, segundo a lei imutável da eterna justiça. Foi assim que Jesus recebeu, à luz do seu reino de amor e de justiça, aquela multidão de seres em processos dolorosos. Com a sua palavra sábia e compassiva exortou aquelas almas desventuradas à edificação da consciência pelo cumprimento dos deveres de solidariedade e de amor, no esforço regenerador de si mesmos. Mostrou-lhes os campos de lutas que se desdobravam na Terra, envolvendo-os no halo bendito de sua misericórdia e de sua caridade sem limites. Abençoou-lhes as lágrimas santificadoras, fazendo-os sentirem os sagrados triunfos do futuro e prometendo-lhes a sua colaboração cotidiana e a sua vinda no porvir. Aqueles seres desolados e aflitos, que deixavam atrás de si todo um mundo de afetos, não obstante os seus corações empedernidos na prática do mal seriam transformados na face do planeta Terra. Por muitos séculos não veriam a suave luz de Capela, mas trabalhariam na Terra acariciados por Jesus e confortados na sua imensa misericórdia.” - Capítulo 8 do Livro “Os Exilados de Capela”.

Outra parte veio de Nova Aurora, outra do Sistema Estelar Harmitiano e outros em menor quantidade vieram de Órion, Arcturus, Plêiades, Sirius e Virgem, todos com ajustamentos kármicos de guerras entre si e dentro de suas próprias regiões estelares. (Evidentemente há seres de outras estrelas encarnados naquela região, mas esses aqui citados são os que ali encarnaram com maior freqüência e que possuem ajustes kármicos entre si. E também não se deve generalizar dizendo que todos os conflitos na região se deva, exclusivamente, a esse movimento energético específico, mas boa parte da energia de guerra e conflitos deve-se à condensação de pensamentos bélicos, ancorados e materializados por esses seres estelares ainda motivados pela vingança, dominação e poder trazidos de velhos tempos galácticos). Essa energia está ali há milhares de anos e muitos seres com pensamentos pacíficos desejaram encarnara ali para ajudar a equilibrar e a promover a paz na região. 

Antes que movimentos de paz e serenidade pudessem ter grande influência na região, seres negativados líderes do plano etérico dessas regiões trataram de mover as coisas para que qualquer um que ali descesse a fim de promover a paz fosse massacrado mortalmente e não tivesse voz alguma para desfazer sua fonte de energia e sustentação, a guerra e os conflitos em todos os sentidos. Muitos seres iluminados decidiram ali encarnar e ancorar Luz, independente das ameaças das forças negativas, e iniciar os movimentos de paz. Porém, foram perseguidos de todas as formas, atormentados com problemas físicos, psicológicos, obsediados, torturados e uma séria de outras formas que os irmãos negativados encontravam para expulsar daquela região esses agentes da Luz. Determinadamente, os Seres de Luz continuavam encarnando ali antes da chegada de Cristo, intencionando a limpeza do ambiente para a chegada do Mestre do Amor. Alguns seres que estão encarnados atualmente e trabalhando junto a mim dentro do PVSE atuaram dos dois lados da força e, claro, muitos que estão lendo essas informações. 

Movimentos de perseguição aos Agentes da Luz encarnados se espalharam através de encarnados influenciados pelos líderes negativos do plano etérico inferior. Ocorreram perseguições de todas as maneiras aos seres que desejavam a Paz. Dentre os perseguidores estava Khaled Monoten, um especialista em estratégia. Este criava planos para emboscar e aprisionar os Agentes da Luz curadores e empoderadores. Todas as vezes que se encontrava com um deles, Khaled era surpreendido com frases como: “Você é um dos nossos, que fazes deste outro lado?” E Khaled atormentava-se profundamente, pois não conseguia compreender o motivo de estar perseguindo aquele povo de bom coração. Junto a Khaled estava Aziz, também estrategista e mercenário desta época (bem antes de Cristo). Aziz não gostava de perseguir ninguém nem torturar, tanto que não o fazia, mas recebia moedas de ouro para descobrir onde certas pessoas estavam e as entregava. Sempre fazia isso, mas com peso no coração. Aziz também era um excelente tradutor de línguas e, por conhecer várias delas, era usado pelos “poderosos” para traduzir o que prisioneiros estrangeiros diziam. Assim como Khaled e Aziz, outros como Jamil, Amin, Samira, Anena e Abil também estavam encarnados nesta época, e todos eles atualmente estão trabalhando junto a mim dentro do PVSE. (Obviamente todos com uma consciência elevada ou mais elevada que antes). 

Em algumas oportunidades, quando esses seres promovedores da Paz eram perseguidos, um ser com aspecto de mendigo aparecia para alguns desses perseguidores. Apareceu algumas vezes para Khaled e dizia: “Está cansado, meu filho? Eu sei que está… Você não precisa mais fazer isso. O tempo quando tudo isso terminará está chegando, e chegará com uma Luz que, como um Raio, descerá do Céu! (Falava da encarnação de Jesus, futuramente). Todas as perseguições talvez não cessem, talvez até aumentem, mas cessará a sua perseguição a essas pessoas, pois quando essa Luz descer do Céu e estiver entre nós, você se reconhecerá como um desses que persegue, e não mais tornará a fazê-lo. Você pode iniciar cessando agora, enquanto falo a você.” Khaled confuso perguntou àquele mendigo quem era ele. O mendigo apenas sorriu e disse: “Nós somos amigos, e nos encontraremos de novo…”. E, de fato, se encontrariam mais adiante, quando Jesus encarnasse. O mendigo era Zero i, que encarnou também nos tempos de Jesus e após trazer algumas mensagens a esses perseguidores e também aos perseguidos, não mais apareceu. Ele foi se preparar para a descida com o grupo de seres que viria a encarnar nos tempos de Jesus, futuramente. 


Muito tempo de perseguições, conflitos, dor e sofrimento mantiveram a aura da região muito pesada, mas graças aos esforços determinados dos Guerreiros da Luz, viu-se uma suavidade na região e o Mestre do Amor pode encarnar com grande aparato. Muitos personagens desses tempos passados de perseguições voltaram a encarnar na região no tempo de Jesus e em outros tempos posteriores. Alguns desses citados aqui encarnaram no tempo de Jesus, como dito acima, e tiveram oportunidades grandiosas de renascimento. Khaled, voltou a encarnar como Síru e Aziz como Zaqueu:

“Ali Khaled era um homem que andava muito com aquele conhecido como Tomé, que viria a ser apóstolo de Jesus. Quando Tomé conheceu Jesus e posteriormente foi chamado para o apostolado, ele falou de Jesus para Síru. Síru ficou interessado em saber mais sobre aquele homem, Jesus. Na casa de Zaqueu, quando Jesus estava presente, Síru, em uma oportunidade, conseguiu se aproximar dele e perguntar: ‘És Tu… és Tu o homem de quem Tomé me fala… Certamente que és!…’. Ao que Jesus com seu olhar amoroso e falar firme disse: ‘És tu, homem, que tem o domínio dos quatro elementos?’ Ele não sabia do que Jesus estava falando, obviamente. Então, Jesus convidou-o, em particular para, em outro momento, irem a um determinado lugar. Combinaram, então. Três dias depois, Síru estava em um lugar mais deserto, esperando por Jesus. Síru viu Jesus vindo em sua direção e ficou nervoso, pois mesmo que, naquele momento, conscientemente, não soubesse quem era Aquele Homem, o seu interior sabia e gritava quem ele era. Jesus chegou e, rapidamente,  disse:  ‘Feche seus olhos, Síru... Agora erga suas mãos.’ - Continuou ele. Jesus pegou um punhado de Terra e colocou-o nas mãos de Síru dizendo: ‘Segure’. Síru segurou com as duas mãos e, como por encanto, aquela porção de terra transformou-se em água. Síru desesperou-se tentando entender o que estava acontecendo. Jesus o acalmou e disse: ‘Síru, você pode fazer isso e muito mais. Basta que permita que isso flua de você.’ Síru já sabendo dos milagres de Jesus, disse: ‘Senhor, tu mesmo poderias ter feito isso…’ E Jesus disse: ‘Não só poderia como posso, mas isso foste tu que fizeste’. E Jesus continuou: ‘Quando eu deixar este Reino estarás com José de Arimatéia e ele te ensinará muitas coisas, pois ele é como tu…’. Terminando ali, Jesus pediu que Síru fechasse os olhos, e assim ele fez. Quando abriu, segundos depois, Jesus não estava mais ali. Uma hora depois, Síru chegou a um povoado e, para sua surpresa, Jesus estava ali, sentado em meio àqueles homens e mulheres falando justamente sobre os quatro elementos.” (Excerto da Cosmobiografia de Antheera, a Nona Guardião do Vrill - o mesmo ser que foi Khaled) - Vide Glossário, letra A: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/10/o-pleiades-1-informacoes-e-glossario.html).


Amin também esteve encarnado nesta época como um essênio. Samira, Anna e Abil também. Todos em busca de uma expansão de consciência e de garantir que movimentos do passado não voltassem a ocorrer. Zero i também esteve encarnado nessa época, quando foi Timóteo. E como havia prometido a Khaled naquela encarnação passada que se encontrariam novamente, encontraram-se. Agora Zero i como Timóteo e Khaled como Síru, Timóteo disse a Síru: “Eu disse que nos encontraríamos…” Síru não entendendo nada apenas sorriu, e Timóteo continuou: “Tanto que daqui em diante nos encontraremos mais, pois é nosso plano trabalharmos juntos tanto lá em cima como cá embaixo” (referindo-se ao apoio mútuo, tanto dos planos espirituais como dos encarnados). Síru continuou sem entender e Timóteo concluiu: “Importa que seu coração esteja renovado e dar-te-ei, num futuro, as lembranças de tudo isso mais claramente, para que não tenhais dúvidas do teu sacerdócio divino”. 

Foram muitos movimentos para tratar dessas energias nessa região. Muitos trabalhos e entregas profundas de seres determinados a tratarem seus movimentos kármicos e uma série de situações que, de um modo geral, viriam a ajudar em todo o processo de libertação das cargas pesadas nesta região. Seres de vários sistemas estelares reunidos ali. Seres com muitas heranças kármicas e conflitos galácticos, determinados a continuarem com os conflitos e outros a terminarem entrando numa era de paz. Até mesmo muitos daqueles que entravam desejando a paz acabavam se deturpando segundo uma velha ideia de que “para termos paz temos que ir à guerra” e, novamente, mais dor, mais sofrimento, e os ajustes kármicos naquela região se estendiam ainda mais. 

Mesmo depois da descida de Cristo, algumas décadas após, cerca de duas a três gerações posteriores, havia um grupo de pessoas, descendentes dos fariseus. Eles participavam de um movimento que tinha como principal objetivo perseguir os cristãos. Recebiam dinheiro dos romanos para isso. Infiltravam-se entre os cristãos, para que pudessem observar atentamente e identificar aqueles que tinham uma maior predisposição a se tornarem profetas, a fim de tirá-los de cena. Novamente, agora com menos força que antes, graças a Luz de Jesus ancorada na superfície e irradiada intensamente naquela região, perseguições ainda ocorriam, desta vez mais direcionada: destruir os seguidores de Jesus para que “a doença não se alastrasse mais”, diziam os representantes dos poderes de Roma e aqueles que se afinavam com essas ideias. 


Alguns destes personagens aqui citados novamente estavam encarnados, outros não; outros ainda viriam a encarnar bem depois. De qualquer forma, os corações daqueles que perseguiram os colaboradores do Cristo antes mesmo da sua descida, agora também eram colaboradores dessa força amorosa. Agora ajudavam os Cristãos a escaparem do poder perseguidor romano, mesmo que fossem de denominações religiosas da época, que não tinham Jesus como um profeta verdadeiro. Muitos cristãos e não cristãos morreram e morrem até hoje por disputas e velhas rixas naquela região. O campo mórfico (Vide sobre ambiente mórfico: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2017/11/salusa-os-campos-morficos-e-os-saltos.html) ainda reina ali de épocas passadas e o P1  chama a todos os que se sentirem sintonizados com essa história a se unirem, em Amor a todos os personagens desse movimento, ajudando-os nesse trabalho de iluminação desta linha. Apesar de todos os personagens citados aqui estarem trabalhando junto a mim e eu saber quem são cada um deles, você que, neste momento, lê esse relato pode ser um dos que não foram citados aqui e se sente chamado a ajudar nessa iluminação, cujo status será mostrado nas Notas do Plêiades 1 (P1). Conecte-se, então, com esse movimento levando todo o seu Amor para esta linha. Aquela região tem importantes vórtex de Luz que precisam ser ativados, fato que garantirá que a Paz definitiva chegue ali o mais rápido possível. Como ali o campo mórfico ainda é muito intenso, é naquela região que as forças negativas, ou melhor, o que resta delas no planeta, estão se concentrando na tentativa de continuarem na Terra alimentando-se do medo, dor e desespero gerados ali e/ou escaparem usando os portais interestelares que ali existem. (Vide sobre os Portais: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/04/relatorio-da-frota-prateada-portais-na.html). Uma concentração de mentes poderosas como essas que estão lendo esse relato visualizando o ambiente completamente iluminado e todos sorrindo felizes e radiantes, acelerará esse processo de Paz definitiva e ajudará na remoção dos resquícios de trevas que ainda estão ali. Espalhem esse texto em suas redes sociais, criem vídeos / meditações especiais, façam imagens daquela região iluminada, estejam com o coração aberto e reverberante! Aquela região faz parte da nossa história! A maioria de nós passou por lá e é mais uma missão nossa trabalhar pela iluminação daquela Terra que é, de fato, Sagrada. (Por isso que é tão perseguida).


Um Símbolo Geométrico que representa a iluminação desta linha foi canalizado: 



Uma página oficial poderá ser criada por Khaled/Síru em companhia de Aziz/Zaqueu (primeiros responsáveis por este movimento dentro do PVSE) e apoiados por todos os demais personagens reais deste relato e todos os que se sintonizarem e desejarem se juntar a este trabalho, para o movimento iluminador desta linha. A página oficial ao ser criada ficará disponível aqui: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html (procurar por: A LINHA PALESTINA).


Queridos personagens dessa linha de tempo e chamados para este movimento iluminador, sejam todos muito bem-vindos! Que esse reencontro marque a força da unificação e iluminação! Eu fico sempre muito honrado em poder ser o transmissor dessas histórias reais e lhes dar a oportunidade de saberem um pouco mais do seu passado neste Planeta. Que Jesus possa continuar me abençoando para que eu também possa abençoar quantos eu puder, através de informações que venham a ajudar cada vez mais a unificação dos povos e a iluminação das consciências! Mais um trabalho, em uma nova consciência! Graças a Deus!

É até onde Jesus me permite ver e transmitir. 


Gabriel RL

Em uma nota final, meus queridos, algumas pessoas estão criando páginas usando os nomes de alguns relatos que eu estou trazendo, dizendo serem elas os representantes desses movimentos. Alerto que, todas as páginas oficiais desses movimentos ficam disponíveis no link a seguir, e qualquer uma que NÃO esteja nessa lista eu não me responsabilizo pelas informações entregues: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html.

A LINHA PERSA: OS PRÍNCIPES E A BATALHA DOS SETE DIAS Xéles, O Príncipe Persa vestia-se elegantemente com roupas que possuíam adereços de ouro. Seu olhar cobrava respeito e admiração. Ele tinha um espaço amplo onde produzia diversos armamentos para batalhas. Muitos homens trabalhavam nesse lugar fabricando objetos como machados, lanças, espadas, arcos e flechas, bem como grandes dispositivos com alavancas para arremessar pedras, etc. O Príncipe Xéles não costumava participar de guerras; apenas produzia as armas e as vendia. Também tinha uma esposa que amava muito, com a qual teve um filho e um amigo muito próximo, um general, chamado Égea.

Xéles dominava muitas áreas daquela imensa região e tinha poder sobre muitos outros reinos e ninguém ousava desafiá-lo até então. Havia um outro reino, um reino específico, cujo príncipe era o comandante dos exércitos e não apenas construtor de armas. Um príncipe que exalava arrogância e prepotência, achando-se sempre muito superior a todos, um príncipe chamado Menau. Menau já teria ouvido falar de Xéles e não gostava dele mesmo sem, ao menos, o conhecer. Algo já o fazia torcer o nariz para ele. Isso era uma velha lembrança de batalhas nas estrelas, nas Plêiades… Lá, eles já haviam se enfrentado e não vem ao caso trazer detalhes sobre este ponto aqui. 

Menau, com arrogância, expandia seu exército vindo da região de Sogdiana (https://pt.wikipedia.org/wiki/Sogdiana) em direção à Pasárgada (https://pt.wikipedia.org/wiki/Pas%C3%A1rgada). Apesar da expansão de todo o Império Persa e, pela lógica, todos estarem “unidos pelo mesmo propósito”, havia mais arrogância e prepotência do que a simples lógica do “unidos somos mais fortes”, provocando assim, conflitos entre eles mesmos em alguns pontos, levados pela energia de superioridade e egos exacerbados. Xéles ficou sabendo pelos seus “observadores” que havia um exército em aproximação às suas zonas de dominação e enfureceu-se questionando “quem teria tamanha arrogância de entrar em seus domínios a este ponto?” Sim!… Menau teria. 

Xéles sabia que seu exército era poderoso e, apesar de nunca ter entrado em batalhas, pois apenas fazia as armas para tal, sabia que o seu momento de “ir a campo” se aproximava. Sabia também que o exército de Menau era grande e tão forte quanto o dele. Duplicou a carga de trabalho dos seus servos obrigando-os a forjarem mais armas para a batalha. No calor desses dias agitados, quando o exército de Menau se aproximava, soube que seu filho chamado Alian estava doente, uma doença muito grave, que ameaçava pôr em risco sua vida. Xéles, ao saber dessa condição, foi inteiramente tomado por preocupação e angústia. Mas carregava esperança de que algo poderia ser feito para salvar a vida de seu filho. Então, mesmo não tendo uma crença religiosa específica, mergulhou-se em orações, promessas e pedidos para os céus, a fim de ser ouvido pelos seres que ele conhecia ou até mesmo desconhecia, na expectativa de que fizessem algo para reverter a doença e ver seu filho saudável novamente. Em suas orações prometeu que, caso seu filho sobrevivesse, deixaria para sempre de produzir armas, assim como tentaria a paz com o exército que se aproximava, prometendo não entrar em batalha e tentar resolver com diplomacia o que quer que fosse. 

Porém, como para tudo o que acontece, sempre há um plano espiritual por detrás, mesmo que os envolvidos não compreendam os movimentos; as expectativas do Príncipe não foram atendidas. Xéles foi surpreendido com o desencarne de seu filho e reagiu com muita incompreensão e revolta. Passou a ter completa descrença, decidindo não mais parar o que estava fazendo. Com o pensamento de: “Se não teve um Deus para salvar o meu filho, não terá para me impedir o que eu vou fazer”. Ampliou ainda mais a carga de trabalho dos servos aumentando a produção de armas para a batalha que se aproximava. Tomado pela grande dor de ter perdido seu primogênito, ele ardia em fúria e arrogância, e nem a doçura da sua esposa Miania era capaz de acalmar seus ânimos alterados, “apimentados” ainda mais pelo seu general Égea, que dizia que ele estava “fazendo a coisa certa”. 

O exército de Menau aproximou-se mais, e Xéles preparou seus homens, mesmo com tantos pedidos da esposa para que honrasse a memória do seu filho e não fosse para a batalha, pois ele nunca havia ido antes. Xéles apenas dizia: “O que temes? Que eu morra? Eu já estou morto!…”- Referindo-se à dor de ter perdido seu filho. Os dois exércitos se encontraram na região de Pasárgada, próximo a uma montanha. A batalha durou sete dias com muitas mortes e feridos. Menau e Xéles apenas observavam da sua segurança maior enquanto seus homens digladiavam-se ferozmente. Quando anoitecia, os exércitos iam se afastando um do outro e procurando ambientes mais seguros, deixando sempre as suas sentinelas de plantão. Não houve nenhum diálogo entre os dois príncipes. Ali no meio de todo aquele movimento, havia muitos seres que estão encarnados hoje dentro do PVSE e em outros ambientes naquela batalha e encontram-se agora para os ajustes amorosos necessários para a elevação desta linha.


Alguns exemplos daqueles que estavam ao lado de Menau: o primeiro general de Menau, chamado de Útilas, um guerreiro do Exército de Menau, seis membros do PVSE, todos estes guerreiros de Menau.


Guerreiros do Exército de Xéles: além de Égea, seu primeiro general, estavam seis guerreiros, todos encarnados hoje no PVSE, e a esposa de Xéles chamada de Miania, obviamente estava também com ele.

A batalha findou em sete dias, sendo que nenhum deles saiu vencedor de nada, apenas perderam muitas vidas, muito sangue foi derramado e houve profunda tristeza. Ao final dos sete dias, os guerreiros restantes não aguentavam mais erguer suas espadas, pois não havia mais força para jogar uma lança nem atirar uma flecha. Havia apenas uma vontade de que aquilo acabasse e aqueles que ficaram pudessem ir embora. E assim aconteceu. Naturalmente, os exércitos se afastaram e voltaram para seus ambientes pessoais profundamente abatidos. Começaram a perceber que aquilo não valia a pena, e que havia uma oportunidade para recomeçarem. Xéles teve outro filho chamado Margo, que começou a amolecer seu coração novamente. Menau permaneceu ainda com sua arrogância e sentimento de superioridade, mas sabia que não iria mais para batalhas como aquela, pois ali perdeu grandes amigos, inclusive seu primeiro general Útilas. 

Como já dito, atualmente os principais personagens citados neste relato estão encarnados no Plano Terrano e atuando dentro do PVSE, trabalhando junto a mim. Outros estão nas zonas astrais, tanto a inferior como a superior do Plano Terrano, e ainda outros já retornaram às suas origens. É assim: As Forças da Luz sempre dão um jeito de reunir esses personagens para que, juntos, revejam essas linhas e as transformem, completamente. Aqui não há inimigos, há seres que recebem dos céus a oportunidade de se reverem, de se reconhecerem e se abraçarem apoiando-se mutuamente, para que juntos possam rever velhas histórias e, juntos, construírem novas. 

O P1 também chama a todos os que se sentirem sintonizados com essa história a se unirem em Amor com todos os personagens desse movimento ajudando-os nesse trabalho de iluminação desta linha. Apesar de todos os personagens citados aqui estarem trabalhando junto a mim e eu saber quem são cada um deles, você que, neste momento, lê esse relato pode ser um dos que não foram citados aqui e se sente chamado a ajudar nessa iluminação, cujo status será mostrado nas Notas do Plêiades 1 (P1). Conecte-se, então, com esse movimento levando todo o seu Amor para esta linha. 

Um Símbolo Geométrico que representa a iluminação desta linha foi canalizado:


Uma página oficial poderá ser criada por Xéles, O Príncipe Persa, e quando o for, os links de contato estarão disponíveis no link a seguir: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html - O trabalho será liderado por Xéles, e com o seu primeiro imediato de trabalho, Menau que, obviamente, hoje tem outro nome assim como Xéles.

Queridos personagens dessa linha de tempo, sejam todos muito bem-vindos! Que esse reencontro marque a força da unificação e iluminação! Eu fico sempre muito honrado em poder ser o transmissor dessas histórias reais e lhes dar a oportunidade de saberem um pouco mais do seu passado neste Planeta. Que Jesus possa continuar me abençoando para que eu também possa abençoar quantos eu puder, através de informações que venham a ajudar cada vez mais a unificação dos povos e a iluminação das consciências! Graças a Deus!

É até onde Jesus me permite ver e transmitir. 

Gabriel RL 


Em uma nota final, meus queridos, algumas pessoas estão criando páginas usando os nomes de alguns relatos que eu estou trazendo, dizendo serem elas os representantes desses movimentos. Alerto que, todas as páginas oficiais desses movimentos ficam disponíveis no link a seguir, e qualquer uma que NÃO esteja nessa lista eu não me responsabilizo pelas informações entregues: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html 



A LINHA PIRATA: ABARBA, EDWAR E A BATALHA CONFUSA NO MAR DOS TUBARÕES = Há alguns séculos na região das Ilhas Britânicas (https://pt.wikipedia.org/wiki/Ilhas_Brit%C3%A2nicas) e Caribe, havia um grupo de piratas amantes do mar, descobertas e diversão. Vários grupos se organizavam nessas regiões. Esses grupos, em especial cerca de dezesseis deles, eram comandados por um pirata chamado Abarba Morg (não conhecido dos livros da história, mas estou aqui para contar) que era temido, implacável contra seus adversários, determinadamente impetuoso e amante do mar, tesouros e ser bajulado. Havia, na época, um código assinado pelos piratas, um código de ética deles. “O Código de Conduta dos Piratas”  era seguido pelos bucaneiros, piratas da região do Caribe, que disciplinavam o comportamento a bordo dos navios, a divisão dos tesouros e saques e a compensação para os feridos. As regras variavam de acordo com o navio, com a viagem e com o capitão, mas todos os membros deveriam cumprir juramento e assinar os artigos do Código. O primeiro código pirata foi proposto pelo pirata português Bartolomeu Português. Um dos códigos mais conhecidos é o de Morgan e Bartholomew, que foi editado em 1720.” (https://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%B3digo_de_conduta_dos_piratas) Esse código de ética estendia-se também para as ilhas citadas aqui. E mais: o código informava que jamais, em hipótese alguma, se atacariam em terra, não importando o grau de rivalidade. Respeitavam-se mutuamente em terras firmes, mas os céus testemunhavam as mais ferozes batalhas em alto-mar. 

Abarba Morg dava ordens aos seus comandados para fazerem o que quisessem no mar, não importasse o quê, mas levantassem os tesouros dos “tubarões gordos”, que era como chamavam as embarcações cheias de ouro e joias preciosas. Dentre os muitos piratas habilidosos, havia outro que era inimigo e concorrente direto de Abarba, Edwar, mais jovem, ainda mais impetuoso e corajoso. Este era um escocês de muita agilidade e capacidade estratégica. Abarba, um inglês mais velho, mais cansado, mas que o orgulho não lhe permitia nem ao menos se sentar para descansar as pernas, e nunca foi visto pelos seus comandados sentado, no máximo, escorado, mas sempre de pé. Para dormir, aguardava todos dormirem para dar-se a oportunidade de deixar seu corpo mais à vontade. 

Muitas batalhas em alto-mar aconteceram entre eles e, até o momento, em nenhuma delas havia saído um vencedor propriamente dito, pois sempre eram “separados” pelas tempestades que, curiosamente, se formavam em cima deles quando um estava para “finalizar” com o outro. Em terra, se cumprimentavam, apertavam-se as mãos com tanta força que quase quebravam os ossos e, com um sorriso sarcástico, sempre diziam um para o outro … “Foi por pouco, bicho do mar…”, referindo-se assim quando quase se finalizavam em alto-mar. E sempre diziam também… “Oportunidades não faltarão, escárnio!” - Eram os únicos diálogos deles. Nada mais que isso, enquanto seus homens olhavam-se com ira, mas continham-se devido ao código entre eles. 

Houve um serviço especial em que Abarba fora contratado para desempenhar junto aos seus homens. Eles tinham que impedir a aproximação de determinadas embarcações que chegariam a um determinado lugar. Receberam muito ouro em troca do serviço. Abarba reuniu seus homens, “armou-se até os dentes” e foram para a zona do mar mais perigosa naquela região, pois era tomada de tubarões e fortes agitações de águas. Dezesseis embarcações aguardavam a aproximação do “inimigo”. Do outro lado, Edwar e seus comandados também haviam sido contatados pelo mesmo empregador que contratou Abarba, para os mesmos fins. Detalhe: Quem os contratou o fez sem um saber do outro, sem deixar vazar informações que ambos haviam sido contratados. E mais: este que os contratou sabia das suas rixas e que ambos “não se bicavam”. E também, esse contratante fez isso “por debaixo dos panos”, sem ninguém saber. Aliás, ninguém poderia saber. Ele era uma espécie de prefeito/líder/governador político daquela região. Quando este falou com Abarba enchendo-o de ouro, disse que as embarcações que estavam vindo traziam doenças, perigo e morte… Da mesma forma, disse a Edwar. Enfim, contou-lhes uma história que os inspirasse a fazer o trabalho. Se bem que nem precisaria contar nada; bastava dar-lhes o ouro. Enquanto Abarba e Edwar saíam do escritório deste líder, (que não me foi informado quem é ele na minha clarividência), este pensava consigo… “acabarei com esses dois vermes e, de quebra, com aquela doença…”

Seguiu Edwar para a mesma coordenada marítima onde estava Abarba. Abarba chegou primeiro. Depois de meia hora, chegaram os navios de Edwar. Ao longe já se avistaram, reconheceram-se e enfureceram-se, assim como as próprias águas daquele lugar. Nunca, jamais se viu águas tão furiosas como aquelas. Parecia que elas assumiam as personalidades daqueles nos navios. Os tubarões rondavam também aquela região, tão agitados como as próprias águas. Parece que sabiam o que aconteceria… Prepararam-se. Quando iam se atacar, avistaram ao longe novas embarcações vindo. Muitas, mais de 30. Quem seriam? Sim, era “o inimigo”! Ficaram confusos, pois... Por que ambos estariam ali e por que ambos atacariam aquelas embarcações? “Será que fomos contratados para fazer o mesmo?” Sequer passava isso na cabeça deles tomadas de fúria e rodeados das energias mais densas. 

Foram na direção daquelas embarcações, cada um de um lado, ao mesmo tempo, olhando-se sem se atacar, mas desconfiados. Iniciaram os ataques dos mais ferozes possíveis contra as embarcações. Ouviam-se gritos e desespero a bordo. Não houve nenhum contra-ataque, pois não eram piratas e não tinham quaisquer intenções violentas. Eram como se fossem imigrantes de uma outra região que se deslocavam para aquela ali, em busca de recomeçarem suas vidas. Várias pessoas, crianças, adultos, senhores, senhoras, idosos… Muitas pessoas. Aquele líder não os queria em sua cidade, não queria “aqueles doentes…”. Esse líder havia sido informado que esse grupo estava vindo, pois o local de onde vinham havia sido contaminado por uma doença e eles fugiam dessa doença, quando muitos já haviam morrido. Esse líder temeu, não pelo seu povo, mas por si mesmo e para manter o status do seu slogan “Cidade limpa e cuidada”. Não era cuidado; era vaidade pessoal. Aproveitou-se das baixas frequências movimentadas por Abarba e Edwar, que também somente tolerava, mas não gostava nem um pouco deles. E sabia que se fizesse algo com eles, teria grandes problemas, pois, apesar de tudo, todos ali gostavam deles e, de alguma forma, poderiam descobrir que fora esse líder que havia “dado cabo” deles. Mas, articulou esse plano e, em sua cabeça, pensava… “Eles vão sair a serviço, ninguém sabe qual, nem onde. São piratas, malditos piratas que não se toleram. Encontrar-se-ão ao mesmo tempo em que os “doentes” estiverem chegando. Tirarão do caminho os “doentes” e depois se matarão. No máximo, pode ser que um deles sobreviva, mas será menos um para eu resolver…” - Pensava. 

As embarcações com os imigrantes foram destruídas restando apenas algumas que, inevitavelmente, não sobreviveriam por muito tempo nas águas. Abarba e Edwar tinham concluído seu trabalho, ainda sem entenderem direito o que estava acontecendo e por que ambos estavam ali. Viraram-se uns para os outros e começou entre eles uma batalha sem fim. Ambos, com pouca ou quase nada de armamento, foram chocando suas embarcações umas nas outras, enquanto ouviam-se risos sarcásticos de “será que a sua aguenta!!!??? Hahahahahah!”-  Numa velha briga de vaidade e arrogância. 

Quase todos mortos! Navios destruídos! Nessas alturas, as tempestade castigavam ainda mais aquela zona do mar, ainda mais bravio. Restaram poucos, muito poucos de ambas as tripulações. E, novamente, a tempestade “separou a briga”, e iniciaram a trajetória de volta. Chegaram em terra ambos vivos. Foram um na direção do outro e, pelo código, não se atacaram, mas desta vez conversaram tentando entender o que havia acontecido. E “a ficha foi caindo…” E foram se enfurecendo mais ainda, não um com o outro agora, mas com quem os mandou ali. Foram juntos até o escritório daquele líder. Ao se aproximarem, ao longe foram avistados por ele que, imediatamente, saiu em fuga do local, pois sabia que teria grandes problemas… Não o encontraram naquele dia, mas não desistiram. Prepararam uma emboscada e, em um determinado momento, conseguiram pegá-lo e o fizeram falar tudo, absolutamente tudo o que havia acontecido: Por que ele mandou ambos para o mesmo serviço, quem eram as embarcações inimigas, etc… E ele, sob pressão e medo de morrer, contou tudo pedindo desculpas, dizendo que fez aquilo somente pelo bem da cidade, etc., etc., etc… Furiosos e muito, muito angustiados por terem matado inocentes, iraram-se com ele, pegaram-no e o levaram até a mesma zona da batalha e jogaram-no aos tubarões. 

Com pesar e, ao mesmo tempo, um sentimento de esperança, prometeram nunca mais se atacarem, fosse na terra fosse no mar. Uniram as suas tripulações. Deixaram a vida de pirataria, pegaram todo ouro que tinham e montaram negócios na cidade, onde todos gostavam deles, mas até o fim das suas vidas carregaram o peso daqueles acontecimentos.

O tempo chegou para unificação e iluminação desta linha; o tempo chegou para reconstrução, para a cura no Amor, a cura de todos os envolvidos, inclusive dos imigrantes. Muitos daqueles envolvidos estão encarnados hoje, no plano físico Terrano e terão a oportunidade agora de se juntarem em Amor nesta linha de iluminação. Neste belo trabalho que está sendo trazido pelo PVSE para unificar as nações piratas. Unificar no Amor e Unidade. Qualquer um de vocês que se sinta tocado em fazer parte desse movimento - seja muito bem-vindo, certamente já teve uma vida pirata e é muito provável que esteve encarnado e presente neste movimento citado. Dentre os homens de Abarba, nos que ele mais confiava estavam piratas como Jerry, Francis, Edward, Bonny, Wesley e Richard. Entre os homens de Edwar, os que ele mais confiava eram Wallace, Ronald, Logan, Boow e Keith. 

Os três representantes desse trabalho específico dentro do PVSE, em sua ordem hierárquica e harmônica, por força de compromissos anteriormente assumidos e pela necessidade própria individual solicitada e de comum acordo em Alto Conselho Superior do PVSE a bordo de uma das Naves de Comando, os três pilares estão nessa ordem: Abarba (Primeira Representante do Movimento), Edwar (Segundo Representante do Movimento) e Jerry (Terceiro Representante do Movimento). Assim, os três sustentam e reverberam a força para os demais que chegam, somando a essa reconstrução. Não há superiores nem inferiores aqui, melhores nem piores; isso é por força de compromisso. Que a Luz maior esteja com vocês nesse trabalho. Os três devem trabalhar juntos e em harmonia pelo bem maior. Todos aqueles que se afinam e desejam ajudar neste trabalho, acompanhem as meditações e chamadas que serão anunciadas na página e/ou outros meios de interação criados em harmonia, a princípio, por Abarba, em comum acordo com Edwar e Jerry. (Os nomes destas encarnações atuais não irei citar por uma simples questão de ética, a menos que eles mesmos desejem se revelar. Estão encarnados e trabalhando junto a mim dentro do PVSE.) 

Uma página oficial poderá ser criada, como já foi dito, e quando o for, os links de contato estarão disponíveis no link a seguir: 

Um Símbolo Especial desse movimento foi canalizado por mim, (Gabriel), e este representa essa reconstrução. Canalizado também para ajudar na sustentação, equilíbrio e harmonia pirata, bastando desenhá-lo no ar ou mesmo visualizá-lo enquanto invoca as forças das suas heranças espirituais - sua sabedoria e inteligência pirata, para ser usada agora em novas frentes. É este símbolo que ilustra essa publicação:


Queridos, todos vocês que mais se sintonizarem lendo esse relato já tiveram mais de uma vida pirata, no mínimo três, e se chegaram até aqui, foi por um motivo. Sejam bem-vindos a sua herança, parte da sua história. Gratidão pela oportunidade de servir, entregando-lhes essas linhas que, não com intuito de trazer culpa ou qualquer mal estar, mas para enfatizar seus poderes de recriação, pois como diz o querido Pai Seta Branca: A culpa é a inconsciência da sua capacidade de refazer as coisas. Assim, trago a vocês esta linha para enfatizar a sua CAPACIDADE DE REFAZER AS COISAS! Refaçam com todo seu Amor ancorado até aqui! Sejam todos muito bem-vindos! Que esse reencontro marque a força da unificação e iluminação! Eu fico sempre muito honrado em poder ser o transmissor dessas histórias reais e lhes dar a oportunidade de saberem um pouco mais do seu passado neste Planeta. Que Jesus possa continuar me abençoando para que também eu possa abençoar a quantos puder, através de informações que venham a ajudar, cada vez mais, a unificação dos povos, e a iluminação das consciências! Graças a Deus!

É até onde Jesus me permite ver e transmitir. 

Gabriel RL

Em uma nota final, meus queridos, algumas pessoas estão criando páginas usando os nomes de alguns relatos que eu estou trazendo, dizendo serem elas os representantes desses movimentos. Alerto que, todas as páginas oficiais desses movimentos ficam disponíveis no link a seguir, e qualquer uma que NÃO esteja nessa lista eu não me responsabilizo pelas informações entregues: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html

A LINHA ROMANA: A FUSÃO BRASIL / ROMA PARA ILUMINAÇÃOO Império Romano estendeu-se por muitos e muitos séculos (https://pt.wikipedia.org/wiki/Imp%C3%A9rio_Romano) e muitos seres dessa época envolveram-se em diversos conflitos ampliando seus carmas e, nisso, processos dolorosos se desenrolaram. Aqui, esta escrita tratará especialmente de uma iluminação da somatória carmática, se assim se pode dizer, de muitas almas desta época de império, quando muitas encarnaram, desencarnaram e tornaram a encarnar ali, novamente, nesta mesma energia e sintonia particular. 


Depois de séculos de encarnações e reencarnações envolvendo-se energeticamente com os domínios de imperadores e políticos como Constantino, Tibério César, Nero, Marco Aurélio, Augusto, Marco Antonio, Júlio César e alguns outros, almas participantes desses movimentos começaram o seu trabalho de regresso aos seus estados de plenitude e amorosidade. Muitas dessas almas desses tempos passados começaram suas encarnações em várias partes do mundo, até mesmo em Roma, depois do Império, na energia de resgatarem seus processos particulares e suas iluminações. Especialmente agora, no Brasil, está a maior parte das almas desses velhos tempos de Roma e um grande resgate acontece, nesse momento. Dentre muitas dessas almas desses tempos, três, em especial, estão encarnadas, e Jesus me dá a oportunidade de escrever citando-as, de alguma forma, nesta canalização / orientação de iluminação: Tibério César (https://pt.wikipedia.org/wiki/Tib%C3%A9rio), Filipo César, um velho Senador Romano e Claudius, um assistente direto do Imperador Constantino. 

Este último, Claudius, havia acabado de encarnar próximo a Jesus, como primo de Matheus. E lá sempre foi alguém muito “duvidoso” (cético) das coisas. O plano de alma dele era imprimir junto a Constantino a Consciência da Verdade Crística. Era ajudar Constantino a ter discernimento e expandir essa consciência Crística, pois já carregava essa informação em seu DNA, a partir da encarnação que acabara de ter próximo a Cristo. Mas acabou envolvendo-se em energias dissonantes com esse plano de alma, tornou-se apoiador de energias não alinhadas com a Consciência Crística e entrou na “descrença” que Constantino trazia. Com essa atitude, gerou um movimento cármico direto com os Cristãos. Esse é o motivo que traz Claudius à linha de Iluminação da Roma. Seu protocolo era exatamente impedir que Constantino fizesse alguns movimentos e, por fim, acabou apoiando aquilo que veio impedir. Claudius atuou ao lado de Constantino como Estrategista Intelectual. Ele usou suas experiências prévias em campos de batalha e em guerras para auxiliá-lo a chegar aonde queria. Agia como conselheiro político a fim de identificar quem atendia ou não aos interesses de Constantino. Identificava quem cederia às pressões políticas, quem era leal e quem não era. Montava planos de ação visando o cumprimento desses objetivos políticos de Constantino. Em reuniões importantes, como observador exímio que era, identificava os aliados e inimigos, e então reportava tudo ao seu Imperador.

Filipo César, senador impetuoso, ali conquistou muito amigos da mesma sintonia, mas muito mais inimigos. Era um exímio estrategista, especialista em comandos mentais e persuasão. Não admitia não ser ouvido em suas vontades, e favores eram cobrados dos seus amigos, constantemente, com a promessa de poder no Senado. Promessas nunca cumpridas, dinheiro pego a empréstimo nessas mesmas promessas e nunca devolvido e cumprido levaram Filipo a uma somatória de desafetos que o perseguiram por várias encarnações. 

Claro, outros grandes resgates aconteceram e têm acontecido ao longo da história e, a pedido das Forças da Luz, estes três especialmente citados estão encarnados e atuando dentro do PVSE. Hoje, como mestres abençoados, trazem suas bagagens de sabedoria e reconhecimento da necessidade de restaurar e iluminar tempos passados na mestria de hoje. 

Gostaria também de falar sobre os tantos outros que estão atualmente também encarnados e em resgate dessa Linha Romana, e/ou já resgataram seu passado, como o velho Imperador Nero, já informado por mim (Gabriel RL) aqui: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/11/reencarnacao-do-imperador-nero-no-brasil.html - Muitos brasileiros - esse povo abençoado - estiveram em Roma com várias missões especiais. Alguns se perderam devido à intensa atração que o poderio romano inspirava. Outros morreram pela espada de velhos soldados romanos e, desejando vingança, ficaram presos nesses ciclos viciosos. Outros compreenderam a importância da própria paz de espírito, prometendo a si mesmos que dariam essa oportunidade às suas próprias consciências de elevação e compreensão maior dos fatos passados, aceitando novas reencarnações ao lado de velhos soldados romanos, imperadores, senadores e todos aqueles desses velhos tempos opressivos, para que os resgates finais pudessem ocorrer. 

Ainda há, por incrível que pareça, soldados romanos daqueles tempos que estão presos em lapsos temporais, ainda empunhando suas espadas, montados em seus cavalos e com seus elmos de puro aço polido, vagando pelos planos astrais em busca dos seus velhos líderes, amigos, desafetos e qualquer um que esteja sintonizado nesta velha energia, para lhes alimentarem ainda mais seus ímpetos incontroláveis. 

Roma, ó velha Roma… De tantas torturas no velho Coliseu, de tantos rituais tenebrosos em subsolos considerados santos, como por exemplo, o Vaticano. Aí, nas máximas da Igreja, eis que também velhos resgates batem à porta. Velhos padres, bispos, cardeais (como, por exemplo, o Cardeal de Richelieu - https://pt.wikipedia.org/wiki/Cardeal_de_Richelieu, chefe de um grupo de espíritos violentos ainda atuantes nos vales das sombras). Papas (como Peter Hans Kolvenbach) - que foi o cérebro por detrás do 11 de setembro - Torres Gêmeas, bem como do ataque de falsa bandeira de 11 de março - Fukushima, e a principal força de engenharia por detrás do conflito da Síria, (convenientemente, viveu no Líbano, muito perto da fronteira da Síria). Adolfo Nicolás, Joseph Ratzinger / Papa Bento XVI e tantos outros que representam e representaram as velhas forças do Velho Império Romano, replicando as velhas torturas, perseguições e tanto mais para conseguirem as energias necessárias para seus próprios sustentos, e tantos ali reunidos, representando os velhos tempos, ainda assessorados por espíritos perturbados e inspiradores de torturas e assédios morais e físicos. O resgate de tudo isso bate à porta e todos, sem exceção, envolvidos direta ou indiretamente, assistentes e sustentadores da velha energia romana, estejam no plano físico ou não, estão, neste momento, sendo chamados ao resgate. 

Todos aqueles que lerem esse relato têm ajustes antigos da Velha Roma para serem finalizados, de uma forma ou de outra. Claro, há vários que não chegarão a ler, mas, com certeza, todos os que aqui lerem estão sendo convocados para esse trabalho de iluminação dessa velha linha, onde a maioria dos seres responsáveis pela iluminação dela encontra-se no Brasil, atualmente. Uma MAGIA para ser utilizada na iluminação desta linha é dizer, em voz alta, o código abaixo:

AMINOTEN-AMINOAK’TIS 

TITONS’TST

(Significa: Eu recrio, eu atualizo, eu ilumino e Abençoo)

Atualmente, como já foi dito, os três principais personagens citados neste relato (Tibério César, Filipo César e Claudius) estão encarnados no Plano Terrano e atuando dentro do PVSE, trabalhando junto a mim; outros estão nas zonas astrais, tanto inferiores como superiores do Plano Terrano, e ainda há outros que já retornaram às suas origens. É assim… As Forças da Luz sempre dão um jeito de reunir esses personagens para que, juntos, revejam essas linhas, e as transformem, completamente. Aqui não há inimigos; há seres que recebem dos céus a oportunidade de se reverem, de se reconhecerem e se abraçarem apoiando-se mutuamente, para que juntos possam rever velhas histórias e, juntos, construírem novas. 

O P1 também chama a todos os que se sentirem sintonizados com esse trabalho a se unirem em Amor com todos os personagens desse movimento ajudando-os nesse trabalho de iluminação desta linha. Apesar de os três personagens citados aqui (Tibério César, Filipo César e Claudius) estarem trabalhando junto a mim e eu saber quem são cada um deles, você que, neste momento, lê esse relato pode ser um dos que não foram citados aqui. Caso se sinta chamado a ajudar nessa iluminação, cujo status será mostrado nas Notas do Plêiades 1 (P1), conecte-se, então, com esse movimento levando todo o seu Amor para esta linha. 


Um Símbolo Geométrico que representa a iluminação desta linha foi canalizado. É este que ilustra essa publicação:



Os três representantes desse trabalho específico dentro do PVSE, em sua ordem hierárquica e harmônica, por força de compromissos anteriormente assumidos e pela necessidade própria individual solicitada e em comum acordo em alto Conselho Superior do PVSE a bordo de uma das Naves de Comando, os três pilares estão nessa ordem: Filipo César, Claudius (sendo seu primeiro imediato) e Tibério César como sustentador harmônico do movimento e primeiro imediato de Claudius. Os três devem trabalhar juntos e em harmonia pelo bem maior. Todos aqueles que se afinam e desejam ajudar neste trabalho, acompanhem as meditações e chamadas que serão anunciadas na Página e/ou outros meios de interação criados em harmonia, a princípio, por Filipo César, em comum acordo com Claudius e Tibério. (Os nomes destas encarnações atuais não irei citar por uma simples questão de ética, a menos que eles mesmos desejem se revelar). 

Uma página oficial poderá ser criada, como já dito, e quando o for, os links de contato estarão disponíveis no link a seguir: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html
  
Queridos personagens dessa linha de tempo, sejam todos muito bem-vindos! Que esse reencontro marque a força da unificação e iluminação! Eu fico sempre muito honrado em poder ser o transmissor dessas histórias reais e lhes dar a oportunidade de saberem um pouco mais do seu passado neste Planeta. Que Jesus possa continuar me abençoando para que também eu possa abençoar a quantos puder, através de informações que venham a ajudar, cada vez mais, a unificação dos povos e a iluminação das consciências! Graças a Deus!

É até onde Jesus me permite ver e transmitir. 

Gabriel RL

Em uma nota final, meus queridos, algumas pessoas estão criando páginas usando os nomes de alguns relatos que eu estou trazendo, dizendo serem elas as representantes desses movimentos. Alerto que todas as páginas oficiais desses movimentos ficam disponíveis no link a seguir, e qualquer uma que NÃO esteja nessa lista, eu não me responsabilizo pelas informações entregues: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html 

ALUMI 1 = O  Alumi 1 é um novo Projetor do P1 instalado nesse Sistema Solar no mesmo setor de Júpiter (Setor Júpiter 1), mas numa dimensão não física, e tem a função de cobrir a Nova Fase do P1 que se inicia a partir dessa data, 03.04.2019. Esta é uma Fase em que o P1 pode entregar algumas mensagens textuais mais simples, quando necessário, dentro das suas Notas diariamente canalizadas. Isso é possível porque, por muitos anos, o P1 preparou o canal Transmissor Gabriel RL - que canaliza as Notas - para trazer esse movimento a ser também reverberado em outros pontos, onde outros também reconhecerão a vibração que chegou com essa Nova Fase. Assim, o P1 pode projetar o Alumi 1 , que é o seu  Maior Projetor (para este sistema) para a Terra, que equivale ao planeta Júpiter do Sistema Solar. Muitos se perguntam o porquê da complexidade dos códigos do P1 entregues em linhas, até o momento. Sobre isso, o P1 explicou via canalização: “Saibam que assim se faz necessário. Esse trabalho também foi iniciado para que ajudasse também a todos vocês em sua ampliação de campo intelectual. Demos mais explicações sobre isso em nosso Glossário. Nós também nos apressamos em dizer que não somos Pleiadianos propriamente ditos; somos consciências vindas através de um Portal existente no setor das Plêiades. Vejam nosso Glossário, por favor: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/10/o-pleiades-1-informacoes-e-glossario.html. Nós também precisamos, por muitas vezes, usar um linguajar especial, também para que um outro protocolo fosse cumprido, e assim foi. A todos aqueles que nos têm acompanhado nesses anos, temos algo a dizer: vocês também estarão recebendo novos pacotes. É um prazer falar com vocês.”



ANDINOS = Na Idade Média, há alguns séculos, havia um grupo de jovens chamado de Andinos e eles andavam de povoado em povoado levando palavras de conforto, luz, sabedoria e amor. Eram moças e rapazes muito jovens, que haviam perdido seus pais por guerras, fome, doenças ou, simplesmente, foram abandonados. Moravam nas ruas e iam se reunindo uns com os outros por afinidade energética, já que nos planos espirituais haviam se programado para isso, e sabiam tudo que passariam quando encarnassem. À medida que iam ficando sozinhos e morando nas ruas, os Guias de Luz inspiravam caminhos para que eles se encontrassem, e assim ia acontecendo.  Assim um grande grupo foi sendo formado. Era os Andinos, nome dado por um ser de Luz que apareceu aos primeiros jovens que se reuniram. Ele apareceu no meio deles e lhes disse: “Esse grupo crescerá. É bom que se mantenham muito unidos. Vão! Inspirem os povos. Curem os enfermos. Deem alegria aos tristes, esperança aos aflitos e Luz aos que estiverem nas sombras. Deem tudo de vocês, e TUDO DO TODO VOCÊS TERÃO. Serão chamados de Andinos. Alguns os abençoarão, outros os amaldiçoarão, entretanto, nada os abalará ou os envaidecerá.” E desapareceu. (Nota do Gabriel RL: Através da minha vidência não consigo distinguir quem era esse ser, precisamente, mas acredito que era Jesus.)

Eles andavam nos povoados, nos campos de guerras após o final das batalhas, nos lugares onde havia moradores de rua e levavam para lá seus cantos divinos, alegria, paz e as maravilhas que possuíam em seus corações. Nos campos de guerra, em especial, quando acabavam as batalhas, socorriam os guerreiros feridos dando-lhes amparo, curando seus ferimentos e inspirando-os a uma vida de Paz e Amor. Muitos daqueles guerreiros choravam com seus corações profundamente tocados por aqueles jovens tão cheios de amor, que nem sabiam de onde vinham e porque cuidavam deles. Muitos desses guerreiros, já sem família, parentes ou amigos, quando tocados em seus corações, deixavam aquela vida e se juntavam aos Andinos tornando-se guardiões deles, impedindo que a eles chegasse qualquer tipo de violência física.

Os Andinos comiam e bebiam o que lhes davam. Dormiam tendo o céu estrelado como teto, as pedras como travesseiros, as folhas das árvores como cobertores, e eram muito felizes. De seus corações irradiava muita doçura e pureza. Quando estavam nos seus ambientes particulares, reuniam-se em cavernas para cantar e ancorar as forças para o dia seguinte.  Ou se estavam no meio das florestas, sempre algum Ser de Luz se manifestava através da mediunidade de algum deles, dando-lhes palavras de conforto e inspirando-os a continuarem seu lindo trabalho, garantindo assim que estariam sendo assistidos, continuamente, pelos Céus. E de fato estavam…

Muitos Andinos eram enxotados dos povoados, pois eram muito simples. Alguns líderes de povoados achavam-nos perigosos para os seus familiares, pois muitos desses jovens eram poderosos magos e lidavam com grandes energias espirituais, produzindo fenômenos mediúnicos que assustavam pessoas. Muitas vezes, em rituais de cura, quando eles chegavam a algum povoado e iam ajudar alguém muito doente, entoavam cânticos divinos desconhecidos daquelas pessoas. À medida que entoavam, podiam-se ver luzes aparecendo “do nada” em volta deles e da pessoa doente, assim como ventos soprarem, inesperadamente, sobre eles e barulhos como se fossem objetos (naves extraterrestres) sobrevoando-os. Isso assustava muitas pessoas e à medida que boatos desse grupo de jovens iam se espalhando, alguns queriam conhecê-los e outros os queriam longe. Esse grupo de jovens tinha contato direto com os Pleiadianos, que os inspiravam e os ajudavam em suas curas e fenômenos transformadores. Aonde eles iam, naves Pleiadianas os acompanhavam invisíveis aos olhos da maioria das pessoas, e até mesmo desse grupo de jovens, os quais eram dotados de muita mediunidade, em todas as suas expressões. 

Espalhavam-se notícias desse grupo de jovens em vários povoados e reinos e alguns jovens príncipes e princesas de reinos próximos ficavam encantados com as histórias que ouviam sobre os Andinos. Alguns desses príncipes e princesas fugiam dos seus reinos e se juntavam a eles. Passavam a ter uma vida junto aos Andinos, despojando-se de todas as regalias de um reino de riquezas materiais e conforto, para terem uma vida mais simples ao lado daqueles jovens. Não por acaso, esses príncipes e princesas também faziam parte desse grupo de espíritos que viriam para a missão “Andinos”, e não seria um reino de riquezas e conforto (não que ter riqueza e conforto seja problema) que iria fazê-los recuar de suas missões, já que seus corações sabiam muito bem o que tinham que fazer.

Temos um grande exemplo de Francisco de Assis, que abandonou tudo o que tinha e seguiu seu coração. Eles, esses príncipes e princesas, faziam o mesmo. 

Dentre esses muitos príncipes e princesas, havia uma princesa Celta chamada Arkhéra, a princesa de uma tribo de Batavos (https://pt.wikipedia.org/wiki/Batavos). Era uma princesa considerada rebelde, pois não admitia a conduta dos seus pais, que ela julgava extremamente desumana para com alguns prisioneiros de batalhas. Eles prendiam, maltratavam os presos e ela ia lá e os soltava, dava comida e os mandava ir embora. Sempre agia indo contra qualquer coisa que os pais - ou qualquer outro que fosse - determinassem, caso considerasse não estar em uma energia e conduta amorosa. Rebelde, como era chamada pelo seu pai Agérus, enfrentava com cabeça erguida qualquer um que considerasse desumano, desleal, covarde e estúpido, a ponto de muitas vezes “apanhar feio” por isso. Era uma linda moça de 16 anos, mas com a cabeça dos velhos espíritos veteranos desse Planeta Terra. Mesmo apanhando, não abaixava a cabeça e, mantendo-se firme enquanto apanhava, dizia: “O que diz meu coração é o que devo seguir e nenhum homem ou mulher, por mais próximo a mim que esteja - seja este até você, meu pai (o que batia nela naquele momento) - me fará desviar do que sinto no meu ser”. 

Chegaram aos ouvidos de Arkhéra as histórias dos Andinos, e ela ficou encantada, já planejando ir encontrá-los. Seus pais souberam e ficaram furiosos dizendo que jamais ela sairia dali. Oh… dizer isso para ela era o mesmo que nada, pois quando ela queria algo, ninguém jamais a impedia. Custasse o que custasse, ela iria encontrar-se com eles. Na primeira oportunidade, abandonou o reino e foi ter com eles e, sendo muito bem recebida, tornou-se um dos Andinos. Era uma médium de efeito físico e transmissora de mensagens dos céus (médium de incorporação), recebendo em seu aparelho mediúnico muitos Seres de Luz que desejavam deixar suas mensagens, assim como também, recebia em seu aparelho irmãos mergulhados nas trevas para serem amorosamente instruídos e elevados aos Reinos de Luz. Arkhéra passou toda a sua vida com eles. Seus pais tentaram ainda pegá-la de volta, mas quando chegavam próximos ao local, eram tomados por uma energia que os deixavam tontos e sem rumo. Eles perdiam-se completamente. Ficavam desorientados sem saber o que estavam fazendo e porque estavam ali. Voltavam para casa todas as vezes, confusos, até tentarem ir atrás dela de novo, quando acontecia sempre a mesma coisa. 

Arkhéra tornou-se uma das líderes dos Andinos. Foi sempre muito amada por todos eles, prometendo que estaria com eles pelas eras sem fim, e assim tem feito, deste então. Os Andinos são seres que vieram de vários pontos da Galáxia e além. Por afinidade energética, se buscam constantemente e, estejam onde estiverem, eles se acham pela vibração e pelas ideias muito semelhantes. Arkhéra, vendo em muitos príncipes e princesas essa mesma afinidade, sempre vestia suas roupas de princesa que levou consigo para junto dos Andinos e usava-as para entrar nos palácios. Como pessoa muito respeitada, sua entrada era permitida. Ela ia ter com os príncipes e princesas e convidava-os a se juntarem a ela e seu grupo, o que eles nem pensavam duas vezes: fugiam com ela. Arkhéra também foi muito perseguida por sua personalidade forte, mas era sempre protegida pelas forças superiores e pelos guerreiros que haviam se juntado ao seu grupo.

O grande movimento “ANDINOS” está sendo criado e ancorado na Superfície Terrana e Arkhéra, a Princesa Celta que está encarnada neste momento e trabalhando junto a mim dentro da equipe Sementes das Estrelas, neste momento, e atuando dentro do PVSE, está sendo chamada para, como a primeira dessa Falange/Agrupamento, reunir todos aqueles Andinos que, por muitos séculos, se perderam devido à intensa negatividade do Plano Terrano. 

Uma Falange será criada por ARKHÉRA, A PRINCESA CELTA, e quando o for, os links de contato estarão disponíveis no link logo abaixo:


É até onde Jesus me permite ver e transmitir.

Gabriel RL 

ANGÉRIUS, O PRÍNCIPE TEMPLÁRIO = O REI ANELOTIS, ANGÉRIUS, O PRÍNCIPE TEMPLÁRIO E O REI PRÓSPERO .

Há muito tempo atrás, nos tempos do Rei Arthur, na região da Europa, havia muitos reinados e povoados. Alguns com seus castelos, outros mais simples. Ali, bem próximo, onde atuavam grandes mestres como Merlin (O Mago) e Arthur (O Rei) e seus Cavaleiros, havia um reino. Um reino que ora estava muito bem, ora estava envolvido em guerras e conflitos. A maioria do povo deste reino era de pessoas muito boas e prestativas. Apesar disso, como foi dito, este reino estava sempre, uma hora ou outra, em meio a conflitos, graças ao seu líder, o rei Anelotis.

Anelotis, mesmo possuindo muita riqueza, seus cavaleiros e o povo que cuidava, começou a deixar a ganância subir em seu coração, após saber que em um reino próximo havia muito ouro, serviçais bons, mulheres bonitas e bons cavaleiros. Começou a articular em sua cabeça a invasão daquele reino, desejando anexá-lo ao seu. Seus cavaleiros, assim como todos os exércitos, atendiam a todas as suas ordens. Ele tinha o seu comandante em quem confiava muito, que fazia sempre tudo o que o rei ordenava. Certo dia, o rei chamou este comandante e ordenou que reunisse os seus homens e invadisse, roubasse e subjugasse todos naquele reino próspero que havia descoberto. O comandante ficou em dúvida entre servir o seu rei, servir a hierarquia, e não servir. Ficou em silêncio. Pensou muito sobre o que iria fazer. A princípio, ele aceitou e disse que o faria, mas após a conversa, ficou pensativo e isolado. Todo o seu exército começou a estranhar o seu comportamento, já que ele costumava ser alegre e comunicativo. Alguns de seus soldados começaram a questioná-lo sobre o motivo da sua mudança.

O outro reino estava em paz, e o seu rei comandava tudo com muita harmonia e generosidade. Este outro reino era um dos mais prósperos da época. Havia muito trabalho mediúnico ocorrendo ali, trabalhos de cura e profundas conexões com as dimensões mais elevadas. Porém, o rei Aneloti estava sendo fortemente influenciado por forças negativas. Estas sabiam que aquele outro reino estava movimentando muitas energias positivas e desintegrando correntes negativas com aqueles trabalhos de Luz. Mas como tudo é uma grande experiência e tem um motivo, tudo se desenrolou como foi. Angérius já estava, há algum tempo, expandindo a sua consciência, pois sempre que dormia, era levado para a zona astral daquele outro reino e recebia instruções diretas daquele rei. Eram instruções elevadas e que também já o preparavam para o que aconteceria. Depois de uma noite de sono, em retorno ao corpo, Angérius veio determinado a seguir o seu coração. Revelou, então, o pedido do rei aos mais próximos do seu exército. Deixou claro que não era sua vontade invadir aquele reino. A conversa começou a se espalhar entre todos os seus cavaleiros e ocorreu uma divisão interna nas suas tropas. Uma parte dos cavaleiros concordava com seu comandante em não invadir o outro reino e a outra parte concordava com a invasão. O comandante, após muito pensar, seguiu seu coração e não acatou a ordem do rei. A sua decisão causou um problema muito grande, pois a parte do exército que apoiava a invasão quis subjugá-lo. A notícia se espalhou por todo o reino e uma guerra aconteceu ali mesmo. Angérius manteve a sua palavra de não atacar o outro reino. Houve, então, uma batalha interna em seu próprio exército que causou muitas mortes. E ele prometeu resgatar todos aqueles envolvidos nesta guerra, trazendo-os para perto de si, quando pudesse. Prometeu curar as feridas de alma dos envolvidos, principalmente do seu rei, o principal causador daquele movimento. Angérius prometeu encarnar quantas vezes fossem necessárias para resgatar o seu povo. 

O espírito que anima a personalidade de Angérius é uma expressão / roupagem vinda de um Sistema Estelar de Sirius.  É um ser muito belo, de expressão masculina. Cabelos de tamanho médio em tonalidade ruivo-escuro, tendo suas vestes em tom prateado-escuro com o símbolo do Comando no peito. Tem olhos grandes em tom de azul-claro. Sua energia e aura irradiam uma luz azul-claro e tons de dourado, lindíssimos!  Suas botas têm um lindo tom de azul, semelhante a sua vestimenta. Possui um lindo cinto azul-escuro na cintura com alguns dispositivos. Mede cerca de 2 metros de altura. Ser de personalidade amorosa, gentil, atenciosa, diplomática, estratégica e muito focada. Seu tom de pele é um moreno-claro. É um ser com um dom inato de diplomacia, inteligência e estratégia. Sua aparência é jovial nos seus 30 anos. É um ser de raciocínio muito rápido. Não por acaso, o nome que usa nesta personalidade galáctica também é Angérius, acrescentando apenas o “N” no final, ficando “AngériusN” onde o “N” significa “NoC”. Esse código é a representação de um Sistema Estelar onde Angérius atuou ajudando a parar ali uma guerra galáctica. E ali ele foi consagrado como guardião daquele sistema e recebeu em seu próprio nome esta representação. 

Angérius é também comandante de uma Frota Estelar de Guardiões e tem atuado no Plano Terrano há milhares de anos. Sua vinda à Terra ocorreu quando acontecia a finalização da experiência dos dinossauros, vindo ele com as Frotas Estelares que cuidariam de finalizar aquela experiência. Angérius era um dos comandantes de uma dessas naves. Muitos da sua tripulação, então, começaram a se preparar para atuar na Terra, pois um chamado maior havia sido feito para isso, e o próprio Angérius desceria também. Assim, cerca de seis mil membros daquela tripulação, contando com Angérius, começaram seus processos de descida e a se fundirem ao campo energético da Terra, colocando-se à disposição de Gaia na missão. Destes seis mil, muitos faziam parte tanto do reinado de Anelotis como dos cavaleiros da tropa de Angérius, naquela época, como também alguns que estavam encarnados no outro reino, este que Angérius recusou-se a invadir. Tudo segue um plano, tudo está conectado. Nada ao acaso! 

Assim, atualmente os principais personagens citados neste relato estão encarnados no Plano Terrano e atuando dentro do PVSE, trabalhando junto a mim (Gabriel RL); outros estão nas zonas astrais, tanto inferior como superior do Plano Terrano, e ainda há outros que já retornaram às suas origens. Outros vão chegar, pois Angérius veio também para reunir novamente seus cavaleiros e curar as feridas do velho passado, como havia prometido. É assim: As Forças da Luz sempre dão um jeito de reunir esses personagens para que, juntos, revejam essas linhas e as transformem, completamente. Aqui não há inimigos; há seres que recebem dos céus a oportunidade de se reverem, de se reconhecerem e de se abraçarem apoiando-se mutuamente para que, juntos, possam rever velhas histórias e construírem novas. 

Angérius tem passagens / expressões em inúmeros outros sistemas estelares além de Sirius, como, por exemplo, as Plêiades, Andrômeda, Vênus, Draco, Aldebaran, Capela, Arcturus, Alfa Centauri, Tau Ceti, Vega, NoC (sistema não conhecido dos Terranos), Marte, Canopus, Virgem, Libra, Sagitário, Capricórnio e em vários sistemas conhecidos e não conhecidos dos Terranos. Angérius também participou de guerras galácticas nos Movimentos de Recuperação de sistemas inteiros devido a essas guerras, ajudando também na recuperação de muitos seres traumatizados, usando habilidade de determinação e coragem, unificação de povos e reconexão dos seres a sua divindade inata. Angérius também é um dos grandes missionários do movimento “Missão de Paz, de Zero i” (Vide: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/12/a-iluminacao-da-linha-galactica-velha.html).

Angérius encarnou em vários pontos do Plano Terrano, chegando no tempo dos dinossauros para auxiliar na finalização daquela experiência (ficando muito tempo nas zonas astrais, em preparação). Encarnou mais precisamente 524 vezes, estando na Lemúria, Atlântida, Suméria, no Egito em reinados de faraós, como Amenophis III. (Neste tempo de Amenophis III, Angérius chamava-se “Assalém”. Este liderou um pequeno exército e marchou contra Amenophis III, porém, foi capturado pelos soldados do faraó ao se aproximar da cidade. Amenophis III já estava à espera do seu ataque, pois foi avisado por uma médium que trabalhava ao seu lado. O faraó pediu que levassem Assalém até ele para uma conversa. Assalém justificou o ataque dizendo que quando seu povo precisou da ajuda de Amenophis III, o faraó impediu a entrada deles em sua cidade e, com isso, muitas pessoas morreram. Amenophis III, sabendo do que tinha feito e reconhecendo seu erro, ajoelhou-se diante de Assalém e pediu perdão. Ofereceu-lhe um lugar em seu exército e autorizou que ele trouxesse seu povo para a cidade onde reinava. Assim, Assalém tornou-se um integrante da guarda de Amenophis III). Assalém esteve na Europa medieval e moderna, Itália, França, Inglaterra, Alemanha, Portugal, Irlanda, Grécia, Espanha, Holanda, Polônia, Bélgica, Bulgária, Escócia, Suécia e alguns outros pontos da Europa. Também na India e pontos do Oriente Médio como Israel, Irã, Iraque e Turquia. Esteve nos tempos de Jesus. Esteve em vários outros pontos do planeta, como América do Sul, Norte e Central, como EUA, Argentina, Chile, México, Canadá, Peru, Guianas e Brasil e alguns outros pontos dessas regiões, assim como na Oceania, África e Ásia como, por exemplo, na China, África do Sul, Congo, Angola e Austrália. Esteve também entre os Incas, Astecas e Maias, como Yucatan:

“A Civilização Maia foi uma das mais ricas e significativas civilizações da Terra, na península de Yucatan, no México, onde havia um desenvolvimento material e científico superior ao de hoje, com amplo controle da energia atômica. Havia o “Homem-Pássaro”, que voava por todas as direções com um macacão especial, cheio de tubinhos energéticos. Entre os Maias, grandes sábios recebiam instruções diretamente de Capela, tinham a Voz Direta e realizavam grandes fenômenos. Haviam, naquela ocasião, grandes amacês (Naves-Mães Estelares) que passavam em vôo rasante, projetando a energia de Capela para aquele povo, essas naves mantinham aquelas áreas livres de certos animais que representavam perigo aos Homens, como também traziam instruções. Porém, sempre sem atravessar o Nêutron. (Vide mais sobre Nêutron aqui: http://www.sementesdasestrelas.com.br/p/demais-termos-usados-nas-mensagens-do_87.html).

Em um determinado momento, um grupo que estava envolvido pela energia da ambição e na intenção de ter acesso àquela tecnologia de forma não autorizada, planejou capturar uma das amacês. No movimento, esta Nave-Mãe em seu sistema automático de defesa, irradiou uma energia muito intensa, a qual acabou por ocasionar a desintegração de toda aquela civilização. Os índios, após o ocorrido com o povo Maia, assumiram as cidades. 

Em Theotihuacan foi construída uma pirâmide, que foi chamada de O Templo da Serpente Emplumada, por ter, em sua construção, inúmeras cabeças de serpentes, simbolizando, como já era utilizada pelos antigos povos, a representação da Kundalini. Pela natureza da própria construção, em pedras, mas notadamente muito diferente das outras - as pirâmides do Sol e a da Lua - pode-se notar a diferença profunda das técnicas utilizadas nas duas distintas épocas. São muitos os documentos, de variadas origens, que tratam do final de um ciclo em nosso planeta, o que seria o início de uma Nova Era. Um dos mais interessantes, depois do Apocalipse de João, é o que nos deixou a Astronomia Maia, em que considera a era atual iniciada no nascimento de Vênus, em 3113 a.C., e terminando em dezembro de 2012, fechando um ciclo de 5.125 anos, que seria encerrado com muitos movimentos, causando profundas mudanças energéticas na Terra. Bem como tocando a Humanidade e as condições climáticas, trazendo novas maneiras de produção de alimentos e limpeza da água, bem como mudando todo o sistema magnético e nuclear de forma global e uma sensível alteração do eixo da Terra. 

Com o conhecimento das modificações geradas pelo aumento e pela diminuição das manchas solares, que estiveram ligadas a várias movimentações em civilizações terranas, os Maias tinham um ano sagrado de 260 dias composto e baseado de maneira perfeita em relação ao Sol. Sabiam que o ciclo das manchas solares era de 68.301 dias e que, após 20 ciclos (1.366.020 dias), o campo magnético da lâmina solar se inclina e a Terra acompanha aquele movimento, buscando alinhar seu eixo magnético com o do Sol, o que provoca terremotos, erupções vulcânicas, maremotos e outros fenômenos naturais que acabam por movimentar os planejamentos do Homem e de suas cidades, campos e áreas de produção de alimentos. A Ciência atual, com seus modernos equipamentos, demonstrou que o cálculo dos Maias estava bem próximo dos 1.366.040 dias que encontrou em suas pesquisas.” - Trecho adaptado de Relato de Tia Neiva - Vale do Amanhecer. (Sobre Tia Neiva vide: https://pt.wikipedia.org/wiki/Tia_Neiva e http://valedoamanhecer.org/category/tia/).

Angérius também esteve com aqueles agrupamentos chamados de Equitumans (vide mais sobre: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/equitumans.html), e depois com os Tumuchys. (Vide: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/tumuchys.html).

Em muitas das suas vidas já foi xamã, alquimista, frei, freira, bispo, madre superiora, cigana, cigano, curandeira, construtora, cientista, astrônomo, inventor, feiticeiro branco, bruxa, conselheiro, juiz, promotor, conde, condessa, enfermeira, sacerdote, sacerdotisa, arquiteto, amazona, orador, pescador, estrategista, monge, abolicionista, senhor de escravos, escrava, senhora de escravos, templário, espião, druida, eremita, nômade, celta, artesão, bibliotecária, guia, pirata, escritor, feiticeiro, filosofo, médica, maia, inca, asteca, pirata, guerreiro persa, político, soldado romano, rei, guerreiro medjai e muitas outras personalidades neste planeta e fora dele, sempre vivenciando as experiências necessárias para sua expansão de consciência. (Lembrando que algumas dessas vidas / experiências podem ter ocorrido em outros Sistemas Estelares, não necessariamente na Terra. Eu vou vendo as profissões que vão aparecendo em minha tela mental e/ou o mentor sopra diretamente em meu ouvido e as coloco aqui.)

*Em uma vida especial, Angérius encarnou também como príncipe templário. Era filho de um rei e deixou o reino para servir junto aos templários. Jovem, poderoso, impetuoso e determinado abandonou seu reino para se juntar a força templária. Ali, junto à corte de templários, já havia muitos do seu grupo que fizeram parte dos seus soldados nos tempos do rei Anelotis. Angérius começou ali a ancorar toda a força para as próximas encarnações até que chegaria a essa, em especial, quando receberia seu nome avatar/cosmobiografia e, com isso, a oportunidade de cumprir sua missão de resgatar a todos, como prometeu. E aqui está este momento manifesto. 

Sua chama-gêmea é da Civilização do Sol Central e chama-se Eie Toty. Este é um ser que tem um corpo de humano, mas a cabeça é de ave (águia), com previsão de encarnação na Terra em 2430 e, nessa época, Angérius, que se encontra hoje na superfície, estará também encarnada.

Está sendo chamado pelas Forças da Luz para receber essas informações com muito amor e simplicidade, de forma a não se permitir cair em vaidade, pois assim dificultaria o processo de ancoragem dessa expressão no Plano Físico Terrano. Chamado a conectar-se em muito amor com as Esferas Superiores, pedindo que todas essas informações reverberem de forma positiva em seu coração, que possam vir a ser fontes de inspirações divinas e irradiarem em seu ser, abrindo canais para maiores conexões, desbloqueando campos e conduzindo a um elevado estado de ser na superfície terrana. Chamado a todos os dias sintonizar-se com o seu Canto e emiti-lo em um determinado horário, sempre que for possível e, caso esteja algum ambiente que não possa se ausentar para um lugar mais tranquilo, fazê-lo mentalmente. Isso criará um Momentum de disciplina muito poderoso que ajudará no descortinar dos véus.

Chamado para iniciar esse movimento de novamente reunir seu exército, focado na Luz e na boa vontade, como prometeu. Chamado a todos os dias às 17h, por pelo menos 5 minutos (isso vale para você, Angérius, e qualquer um outro que faça parte da sua Falange), entrar em estado meditativo. Foi exatamente neste horário que você tomou a decisão final de não invadir o reino do rei próspero. Chamado a criar sua Falange e mantê-la ativa, pois, por aí o seu povo chegará. Chamado a, nesta mesma sintonia, continuar como guardião de reinos benévolos, sejam estes quais forem. Chamado a levar seu olhar para as zonas da Terra onde haja conflitos e ali, com seu exército, enviando as melhores projeções de Luz, ajudar na dissipação da negatividade naquela região. Você é um mestre da lealdade, então também está sendo chamado a receber um Projetor Especial desta força. Um projetor ESPECIAL de Lealdade estará irradiando-o, e você redistribuirá essa energia por todos os pontos da Terra, apenas com o seu pensamento amoroso. Se você vir alguém que não esteja sendo leal a alguém ou a alguma coisa e sentir que deva projetar fortemente ali, faça-o, pois terá motivo. Essa energia fará com que a pessoa reflita profundamente e reavalie-se. Claro, isso não é um momento para mudar uma pessoa, mas para levá-la à reflexão. E claro, a Lealdade não está somente ligada a ter que estar apoiando e sendo fiel a alguém, mas principalmente, antes de qualquer coisa, ser leal a sua divindade, a bondade, que é nosso estado natural de ser. Esse Projetor que você sustentará ajudará as pessoas a olharem mais para elas mesmas reconhecendo a necessidade de serem leais a si próprias antes de tudo. 

Angérius, seu lema é: “EU SOU A LEALDADE MANIFESTADA. EU SOU A VERDADE MANIFESTA. EU SOU O IMPULSO DA PAZ.” 

É até onde Jesus me permite ver e transmitir.

Identifique seu Canto Celeste: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/os-cantos-das-setes-raizes-celestes.html

Uma página oficial poderá ser criada por Angérius, como já dito, e quando o for, os links de contato estarão disponíveis no link a seguir: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html.


ANÍLONN, O PLEIADIANO E A LINHA PERSA = Xéles, O Príncipe Persa e a Iluminação da Linha de Anílonn, O Pleiadiano - é uma narrativa que trata de uma encarnação deste Ser (Anílonn) na velha Pérsia, cuja linha de tempo está sendo trazida para ser iluminada. Devido à importância desta linha e a urgência em ser trabalhada, os mentores solicitaram que o nome desta encarnação viesse primeiro do que o nome Avatar e, consequentemente, sua origem. Xéles tem seu nome Avatar - Anílonn - que é expressão / roupagem das Plêiades. Anílonn é um ser muito belo, de expressão andrógina. Cabelos de comprimento médio, um pouco abaixo da nuca, em tons de loiro escuro, vestindo macacão perolado escuro com o símbolo do Comando Pleiadiano no peito. Tem olhos grandes em tom de azul claro radiantes. Sua energia e aura irradiam uma luz azul claro e tons de dourado claro, lindíssimos!  Suas botas têm tom prateado e perolado. Possui também um lindo cinto prateado com detalhes em dourado na cintura, com alguns dispositivos. Mede cerca de dois (2) metros e trinta (30) de altura. É um Ser de personalidade forte, muito ético, amoroso, gentil, colaborador e justo, extremamente determinado. É um ser com dom inato da paz. Aonde chega, faz irradiar uma paz tranquilizadora e que suaviza tensões, caso o ambiente esteja desarmonizado e tenso. Outro ponto a ser falado sobre Anílonn é que ele carrega uma energia de “Sucção”. Qualquer ser que tenha negatividade guardada, estando na presença dele, sentirá alguns movimentos internos, pois ele tem o dom de fazer vir para fora a negatividade para ser iluminada. Anílonn é uma espécie de vórtex poderoso que arrasta tudo que não esteja numa vibração elevada para dentro para ser trabalhado e ajustado para frequências ELEVADAS. 

Anílonn sabe exatamente quais são os pontos a serem trabalhados naquele ser. Ele fixa o olhar, vê e, automaticamente, coloca-se à disposição para ajudar no processo de purificação das energias e linhas de tempo que estejam prolongando a elevação daquele ser às altas esferas. Um abraço de Anílonn é muito intenso, pois nesse abraço imediatamente ele se conecta com toda negatividade a ser trabalhada e começa o processo. Mesmo que esteja encarnado e não esteja plenamente consciente dessa sua capacidade (pelo menos, até este momento, pois quando receber essa cosmobiografia saberá disso, claramente). Anílonn possui um lindo cristal azul na altura do peito/coração e esse cristal garante essa conexão de forma que ele possa fazer o trabalho sem se envolver emocionalmente nem venha a se prejudicar e/ou macular o processo, pois também, muitas vezes, é chamado às zonas do astral inferiorpara lidar com seres psicopatas, agressivos e sem nenhuma empatia. Sua presença nesses ambientes é solicitada pelo fato de ser um grande especialista em cura e transformação desses seres e seus comportamentos desalinhados. Muitas vezes, nas naves de tratamento, Anílonn é colocado em uma sala especial e um ser de energia desalinhada é colocado à frente dele. Eles ficam ali um tempo e, por mais que o ser desalinhado seja violento, em alguns momentos Anílonn consegue entrar em seus campos e ajudá-lo a destravar e a reconhecer sua Luz interior.

Anílonn também é chamado para ajudar aqueles “super soldados” que são treinados e psicologicamente violados para serem servos de outros seres, tornando-se “robôs” e com vários traumas emocionais graves. Anílonn é especialista em ajudar esses casos, tirando-os das programações impostas e desbloqueando suas emoções, trazendo de volta a empatia e o sentimento de que o seu semelhante deve ser cuidado e amado. Muitos desses seres são pegos desde criança e violentamente agredidos de todas as formas, colocados em vários programas como o PROGRAMA SolSuper-2/BASE NORTE (Vide: http://www.sementesdasestrelas.com.br/p/p3-pleiades-3-e-uma-somatoria.html). Nem sempre é um processo fácil, mas Anílonn e todos aqueles que trabalham com ele em seu agrupamento são especialistas nisso. 

Anílonn é uma expressão muito elevada atuante na 5ª, 6ª e 7ª dimensões. Desceu aos planos mais densos há milhares de anos, experimentando a densidade em sua mais profunda realidade. Quando decidiu descer para muitas experiências no Plano Terrano, foi avisado de que se esqueceria de tudo e que seria violentamente bombardeado pelas forças negativas que no Plano Terrano já existiam, pois elas sabiam da grandiosidade daquele ser que estava encarnando e fariam de tudo para afastá-lo da Luz. Anílonn teve muitas encarnações difíceis, mas não menos importantes, apesar das dores e desamores que foram experimentados tanto por ele quanto por aqueles que conviveram com ele nessas muitas vidas. Ele encarnou desde o início das civilizações no Plano Terrano estando na Lemúria, Atlântida, Egito Antigo - no reinado do Faraó Amenophis III - sendo um dos seus especialistas em linguagem e ótimo transmissor de energias e curador, (uma espécie de reikiano da época). Esteve também em Jerusalém nos tempos de Jesus, sendo um dos seus jovens discípulos, não dos chamados “12”, mas de um grupo de jovens que passou a seguir Jesus desde o começo do seu ministério. Encarnou também em vários outros pontos do Oriente Médio e o mais importante será tratado nas linhas mais abaixo. Esteve também em vários pontos da Europa Medieval e Moderna, como na França, Inglaterra, Portugal, Alemanha, Rússia (sendo um dos seguranças do General Dmitry Karbyshev, encarnação de Zero i na ocasião: https://en.wikipedia.org/wiki/Dmitry_Karbyshev). Esteve também na Holanda, Polônia, Itália (no Império Romano, sendo cavaleiro romano em duas ocasiões), Grécia e alguns outros pontos dessa localidade. Teve muitas encarnações na América do Sul, Central e Norte, como nos EUA, Canadá, Brasil, México e Argentina. Na Ásia e Oceania teve poucas passagens, assim como na China e Austrália. Algumas passagens, também, na África. Esteve também entre os Maias e em algumas ocasiões em Yucatan, no México. 

Em muitas das suas vidas já foi padre, xamã, frei, freira, cigana, cigano, curandeiro, curandeira, construtor, cientista atômico, matemático, filósofo, astrônomo, inventor, feiticeiro branco, conselheira, juiz, médico, enfermeiro, pintor, músico, sacerdote, sacerdotisa, arquiteto, orador, arqueiro, pescador, estrategista, monge, abolicionista, senhor de escravos, escravo, senhora de escravos, sinhazinha, druida, eremita, celta, nômade, mago branco, artesão, bibliotecária, bibliotecário, guerreiro medieval, guia, pirata, fazendeiro, escritor, feiticeiro, conde, barão, professora mística, príncipe, princesa, rei, soldado, gladiador, psicanalista, psiquiatra, escritor, feitor e muitas outras personalidades neste planeta e fora dele, sempre vivenciando as experiências necessárias para sua expansão de consciência. (Lembrando que algumas dessas vidas / experiências podem ter ocorrido em outros Sistemas Estelares, não necessariamente na Terra. Eu vejo as profissões que vão aparecendo em minha tela mental e/ou o mentor sopra diretamente em meu ouvido e coloco-as aqui.)

São muitas as suas experiências e Anílonn está em processo de relembrar a sua origem estelar, a sua grandeza e especialidades, pois, apesar de estar encarnado atualmente e de ter experimentado vidas difíceis como a que citarei a seguir, quando sai do corpo vai direto à sua nave de comando se atualizar e receber o ABRAÇO da sua família do espaço, onde é sempre recebido com aplausos por sua força e coragem por assumir todas as experiências e ter conquistado muito conhecimento e sabedoria. Assim,  está sendo chamado pelo Plêiades 1 para esse reconhecimento e mestria, para que possa também tomar conhecimento da Linha Persa quando, há muitos séculos atrás, foi um príncipe, e velhos movimentos daqueles tempos precisam ser curados. Há muitos persas encarnados e desencarnados desta época esperando o “sinal” para o início deste trabalho de iluminação, assim como muitos do seu agrupamento especial de trabalhos na 5ª, 6ª e 7ª dimensões, como Anílonn. As Forças da Luz juntam esses dois movimentos para que a fusão iluminada aconteça e todos sejam beneficiados ao mesmo tempo. Anílonn, eis a sua vida na Pérsia; eis a sua personalidade conhecida como Xéles:

XÉLES, O PRÍNCIPE PERSA E A LINHA A SER ILUMINADA: OS PRÍNCIPES E A BATALHA DOS SETE DIAS

Vestia-se elegantemente com roupas que possuíam adereços de ouro. Seu olhar cobrava respeito e admiração. Ele tinha um espaço amplo onde produzia diversos armamentos para batalhas. Muitos homens trabalhavam nesse lugar fabricando objetos como machados, lanças, espadas, arcos e flechas, bem como grandes dispositivos com alavancas para arremessar pedras, etc. O Príncipe Xéles não costumava participar de guerras; apenas produzia as armas e as vendia. Também tinha uma esposa que amava muito, com a qual teve um filho e um amigo muito próximo, um general, chamado Égea.

Xéles dominava muitas áreas daquela imensa região e tinha poder sobre muitos outros reinos e ninguém ousava desafiá-lo até então. Havia um outro reino, um reino específico, cujo príncipe era o comandante dos exércitos e não apenas construtor de armas. Um príncipe que exalava arrogância e prepotência, achando-se sempre muito superior a todos, um príncipe chamado Menau. Menau já teria ouvido falar de Xéles e não gostava dele mesmo sem, ao menos, o conhecer. Algo já o fazia torcer o nariz para ele. Isso era uma velha lembrança de batalhas nas estrelas, nas Plêiades… Lá, eles já haviam se enfrentado e não vem ao caso trazer detalhes sobre este ponto aqui. 

Menau, com arrogância, expandia seu exército vindo da região de Sogdiana (https://pt.wikipedia.org/wiki/Sogdiana) em direção à Pasárgada (https://pt.wikipedia.org/wiki/Pas%C3%A1rgada). Apesar da expansão de todo o Império Persa e, pela lógica, todos estarem “unidos pelo mesmo propósito”, havia mais arrogância e prepotência do que a simples lógica do “unidos somos mais fortes”, provocando assim, conflitos entre eles mesmos em alguns pontos, levados pela energia de superioridade e egos exacerbados. Xéles ficou sabendo pelos seus “observadores” que havia um exército em aproximação às suas zonas de dominação e enfureceu-se questionando “quem teria tamanha arrogância de entrar em seus domínios a este ponto?” Sim!… Menau teria. 

Xéles sabia que seu exército era poderoso e, apesar de nunca ter entrado em batalhas, pois apenas fazia as armas para tal, sabia que o seu momento de “ir a campo” se aproximava. Sabia também que o exército de Menau era grande e tão forte quanto o dele. Duplicou a carga de trabalho dos seus servos obrigando-os a forjarem mais armas para a batalha. No calor desses dias agitados, quando o exército de Menau se aproximava, soube que seu filho chamado Alian estava doente, uma doença muito grave, que ameaçava pôr em risco sua vida. Xéles, ao saber dessa condição, foi inteiramente tomado por preocupação e angústia. Mas carregava esperança de que algo poderia ser feito para salvar a vida de seu filho. Então, mesmo não tendo uma crença religiosa específica, mergulhou-se em orações, promessas e pedidos para os céus, a fim de ser ouvido pelos seres que ele conhecia ou até mesmo desconhecia, na expectativa de que fizessem algo para reverter a doença e ver seu filho saudável novamente. Em suas orações prometeu que, caso seu filho sobrevivesse, deixaria para sempre de produzir armas, assim como tentaria a paz com o exército que se aproximava, prometendo não entrar em batalha e tentar resolver com diplomacia o que quer que fosse. 

Porém, como para tudo o que acontece, sempre há um plano espiritual por detrás, mesmo que os envolvidos não compreendam os movimentos; as expectativas do Príncipe não foram atendidas. Xéles foi surpreendido com o desencarne de seu filho e reagiu com muita incompreensão e revolta. Passou a ter completa descrença, decidindo não mais parar o que estava fazendo. Com o pensamento de: “Se não teve um Deus para salvar o meu filho, não terá para me impedir o que eu vou fazer”. Ampliou ainda mais a carga de trabalho dos servos aumentando a produção de armas para a batalha que se aproximava. Tomado pela grande dor de ter perdido seu primogênito, ele ardia em fúria e arrogância, e nem a doçura da sua esposa Miania era capaz de acalmar seus ânimos alterados, “apimentados” ainda mais pelo seu general Égea, que dizia que ele estava “fazendo a coisa certa”. 

O exército de Menau aproximou-se mais, e Xéles preparou seus homens, mesmo com tantos pedidos da esposa para que honrasse a memória do seu filho e não fosse para a batalha, pois ele nunca havia ido antes. Xéles apenas dizia: “O que temes? Que eu morra? Eu já estou morto!…”- Referindo-se à dor de ter perdido seu filho. Os dois exércitos se encontraram na região de Pasárgada, próximo a uma montanha. A batalha durou sete dias com muitas mortes e feridos. Menau e Xéles apenas observavam da sua segurança maior enquanto seus homens digladiavam-se ferozmente. Quando anoitecia, os exércitos iam se afastando um do outro e procurando ambientes mais seguros, deixando sempre as suas sentinelas de plantão. Não houve nenhum diálogo entre os dois príncipes. Ali no meio de todo aquele movimento, havia muitos seres que estão encarnados hoje dentro do PVSE e em outros ambientes naquela batalha e encontram-se agora para os ajustes amorosos necessários para a elevação desta linha.


Alguns exemplos daqueles que estavam ao lado de Menau: o primeiro general de Menau, chamado de Útilas, um guerreiro do Exército de Menau, seis membros do PVSE, todos estes guerreiros de Menau.

Guerreiros do Exército de Xéles: além de Égea, seu primeiro general, estavam seis guerreiros, todos encarnados hoje no PVSE, e a esposa de Xéles chamada de Miania, obviamente estava também com ele.

A batalha findou em sete dias, sendo que nenhum deles saiu vencedor de nada, apenas perderam muitas vidas, muito sangue foi derramado e houve profunda tristeza. Ao final dos sete dias, os guerreiros restantes não aguentavam mais erguer suas espadas, pois não havia mais força para jogar uma lança nem atirar uma flecha. Havia apenas uma vontade de que aquilo acabasse e aqueles que ficaram pudessem ir embora. E assim aconteceu. Naturalmente, os exércitos se afastaram e voltaram para seus ambientes pessoais profundamente abatidos. Começaram a perceber que aquilo não valia a pena, e que havia uma oportunidade para recomeçarem. Xéles teve outro filho chamado Margo, que começou a amolecer seu coração novamente. Menau permaneceu ainda com sua arrogância e sentimento de superioridade, mas sabia que não iria mais para batalhas como aquela, pois ali perdeu grandes amigos, inclusive seu primeiro general Útilas. 

Como já dito, atualmente os principais personagens citados neste relato estão encarnados no Plano Terrano e atuando dentro do PVSE, trabalhando junto a mim. Outros estão nas zonas astrais, tanto a inferior como a superior do Plano Terrano, e ainda outros já retornaram às suas origens. É assim: As Forças da Luz sempre dão um jeito de reunir esses personagens para que, juntos, revejam essas linhas e as transformem, completamente. Aqui não há inimigos, há seres que recebem dos céus a oportunidade de se reverem, de se reconhecerem e se abraçarem apoiando-se mutuamente, para que juntos possam rever velhas histórias e, juntos, construírem novas. 

O P1 também chama a todos os que se sentirem sintonizados com essa história a se unirem em Amor com todos os personagens desse movimento ajudando-os nesse trabalho de iluminação desta linha. Apesar de todos os personagens citados aqui estarem trabalhando junto a mim e eu saber quem são cada um deles, você que, neste momento, lê esse relato pode ser um dos que não foram citados aqui e se sente chamado a ajudar nessa iluminação, cujo status será mostrado nas Notas do Plêiades 1 (P1). Conecte-se, então, com esse movimento levando todo o seu Amor para esta linha. 

Um Símbolo Geométrico que representa a iluminação desta linha foi canalizado: 



Uma Falange será criada por Xéles, O Príncipe Persa (Anílonn, O Pleiadiano), e quando o for, os links de contato estarão disponíveis no link a seguir: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html - Esta Falange, como também já foi dito, não é apenas para iluminar essa linha Persa, mas também para reunir todos do agrupamento de Anílonn que estão encarnados e desencarnados também, pois o trabalho acontece em vários planos de existência, e juntos fazerem o trabalho já citado acima, de cura e transformação de seres extremamente traumatizados, ajudando a trazer para fora toda negatividade que esteja guardada no interior dos seres para ser iluminada. São dois grandes trabalhos que serão realizados e liderados por Anílonn (Xéles) e com o seu primeiro imediato de trabalho, Menau que, obviamente, hoje tem outro nome. 

Meus queridos, desejo a todos os envolvidos nesta linha, a todos os integrantes desta linda falange de Anílonn / Xéles muitas bênçãos e Luz para a condução iluminada deste lindo trabalho! Vão! Há muitos seres das duas linhas de trabalho os aguardando para fazerem um trabalho em conjunto. Deus Pai/Mãe os abençoe nessa jornada. 

É até onde Jesus me permite ver e transmitir. 

Gabriel RL

Em uma nota final, meus queridos, algumas pessoas estão criando páginas usando os nomes de alguns relatos que eu estou trazendo, dizendo serem elas os representantes desses movimentos. Alerto que, todas as páginas oficiais desses movimentos ficam disponíveis no link a seguir, e qualquer uma que NÃO esteja nessa lista eu não me responsabilizo pelas informações entregues: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html


ALKINA, A FLOR DO TEMPO = Alkina, A Flor do Tempo é um lindo ser de energia dévica, vindo de um reino na Galáxia de Andrômeda. Recentemente, incorporou as energias Pleiadianas, Sirianas e Arcturianas em seu ser, de forma que ela pode usar roupagens dentro desses agrupamentos, como e quando quiser. Por falar nisso, ela tem uma roupagem de cura muito especial dentro da frota siriana. Trabalha canalizando as energias da Natureza e transformando-as em poções de cura. Tem também forte conexão com as energias de Vanula, A Fonte de Poções e Cinti, a Fada Contadora de Histórias.

Alkina, A Flor do Tempo, é uma energia multidimensional e em todas as dimensões onde se manifesta, tem a aparência de uma linda flor com sete pétalas, sendo que cada uma delas está conectada a sete pontos específicos: Sirius, Plêiades, Andrômeda, Fonte de Poções, Cintilante, Reino Dévico e toda a magia do Antigo Egito. É uma linda flor de luz branca cristal, (com mais dois tons...), com as sete pétalas, irradiando energias de todos esses pontos.

Em suas muitas encarnações no plano físico terrano, trabalhou, na grande maioria, com as energias da natureza. Esteve no Antigo Egito quando era Integrante Feminina das Energias de Nefertiti. Na Grande Atlântida, esteve como sacerdotisa de grande conexão com os Cetáceos da época. Esteve também na velha Lemúria, onde foi muito próxima daquele ali conhecido como Numu e, posteriormente, como Juno. Em muitas das outras encarnações foi protetora de segredos místicos, afastando-os dos magos negros mal intencionados, o que, infelizmente, levou-a várias vezes à morte por perseguição destes magos.

Ser de um coração puro e benevolente, toda vez que desencarnava nas mãos de magos negros violentos, ela os olhava nos olhos, profundamente, com tanto amor que, após aquele momento, estes magos negros se convertiam à Luz. Nenhum deles, nenhum ser que a tenha feito mal em alguma vida, conseguiu continuar neste caminho quando teve contato com Alkina, A Flor do Tempo. Alkina é um nome proveniente da Galáxia de Andrômeda, do seu reino de essência. Significa "As sete pétalas que viajam pelo tempo". Isso, porque, ela também pode se manter viajando entre as dimensões e manter-se consciente e, simultaneamente em, pelo menos, sete dessas dimensões. Mais especificamente, em seu estado mais elevado, ela consegue estar consciente em sete planos ao mesmo tempo, em todos eles, estes já citados acima: Sirius, Plêiades, Andrômeda, Fonte de Poções (na dimensão Mestre da Fonte de Poções), Cintilante (na Dimensão Mestre de Cintilante), Reino Dévico e toda magia do Antigo Egito.

Alkina também encarnou na época daquele conhecido como Jesus, sendo também uma das muito próximas daquela conhecida como Maria Madalena. Foi uma das que seguiu pregando o Evangelho do Reino após o desencarne de Jesus. Traz em seu coração a lembrança do encontro pessoal com Jesus, o Mestre do Amor. Quando prevendo o futuro, ele lhe disse... "Em um dia que parecerá noite, em uma noite que parecerá dia (simbolizando ela viajando pelas dimensões de não-tempo), você receberá um chamado, uma chamada de um ser de outro tempo. Ele te entregará parte do que você é. A outra parte você descobrirá por si mesma. Este ser você reconhecerá. O reconhecerá pelo numeral e pela vogal".

É um ser de uma radiação intensa, podendo-se ver nele três tons de energia, simultaneamente: branco cristal, rosa claro e rubi dourado. Há um mestre que tem profundo Amor por ela, por ela ter estado também próxima dele, quando ele assumia a roupagem de um rei. Este Mestre chama-se El Morya, quando este esteve na roupagem do Rei Artur. É um mestre que está sempre à disposição dela e a atenderá em qualquer chamado, assim, poder-se-ia dizer que também é uma representante do raio azul da força e vontade divina, pois recebe poderosas projeções do Mestre El Morya, assim como do Arcanjo Mikael.

Ela tem uma habilidade especial que é o "movimento fermento". Quando ela se aproxima de algum ser, ela faz crescer rapidamente nele o Amor que estava escondido. Assim, a sua aproximação das falanges do Agrupamento PVSE movimentará exponencialmente a força desses agrupamentos. Simplesmente, com sua presença nestes agrupamentos, ela potencializará a ação e a Luz ali manifestadas. Por isso, é convocada a se fazer presente em todos os agrupamentos do PVSE!

A sua flor de conexão com o reino dévico é a bellis sylvestris, assim como é a flor que ela gosta de jogar quando está viajando entre as dimensões, deixando seu rastro amoroso e perfumado.

Está sendo chamada pelo Plêiades 1 a trazer toda sua herança até a superfície terrana, convocando todos aqueles do seu agrupamento para o trabalho específico que é o ancoramento da energia Crística na superfície planetária. Ela, junto com seu agrupamento, são responsáveis por trazer a grade de cor rubi dourado para o planeta. Ela também é chamada e enviar suas projeções à Zona T e transformar aquela região novamente em um paraíso de Energias Crísticas. Sendo chamada a viajar pelas sete dimensões, quando em seus estados meditativos mais profundos e, quando na superfície, ir à espaços mais densos, iluminar e perfumar essas regiões. Há muitos seres nesses reinos mais densos que fazem parte do seu agrupamento, seres de Sirius, Plêiades, Andrômeda que estão presos no tempo e espaço, pois quando vieram à Terra em suas missões específicas, acabaram por ser perder em determinadas situações. Ela tem a autoridade para ir a estes espaços e trazer estes seres novamente à Consciência Unificada, a Fonte. Está sendo chamada também a olhar profundamente nos olhos daqueles seres de coração duro, tanto no astral como no físico terrano, e que tenham o costume de praticar maldades e, neste olhar, transformá-los para sempre! A maioria destes seres transformados por ela passa a fazer parte do seu agrupamento. Chamada também a Unir Forças, em especial, com Fonte de Poções, Cintilante e todos aqueles do Reino Dévico dentro do Agrupamento PVSE para trabalhos conjuntos e, claro, com todos aqueles que sentirem o chamado. E claro, não apenas aos que se sentirem chamados, mas a sua força precisa estar manifestada em todos os agrupamentos PVSE.

Alkina, as sete dimensões são suas para que você esteja conscientemente conectada a elas, e possa trazer à superfície planetária toda sua herança transcendental iluminada. O seu povo aguarda por você. Jesus anunciou sua chegada nesta época. É sua hora. Esteja consciente nas sete dimensões, você trará de lá para cá e levará de cá para lá simultaneamente. O que? Descubra, você está pronta, Jesus disse que estaria. Ele nunca erra.

É até onde Jesus me permite transmitir.

AMA-AHA, O MÍSTICO = Nos tempos do Antigo Egito, havia muitos místicos, capazes de fazer coisas incríveis. Nos tempos do Faraó Amenófis III, havia um chamado Ama-Aha. Alto, cabelos loiros, longos e escorridos, pele bronzeada, olhar forte e penetrante. Usando a maquiagem costumeira da época, era sério, e quase nunca sorria. Mas seu coração ardia como uma tocha brilhante, cheio de Amor e sabedoria.

Era sempre chamado pelo Faraó para desvendar enigmas e sonhos. Era também um curandeiro, dotado de altas capacidades de cura. Muitas vezes, foi visto movendo o vento na direção em que queria, assim como trazendo uma nuvem para o sol escaldante apenas movendo as mãos para o céu, como se afastasse uma nuvem da posição "A" para a posição "B", e esta, por sua vez, cobria o sol.  

Ele também tinha uma habilidade especial: conseguia mudar sua face de homem para uma face feminina. Era realmente um ser maravilhoso. Poucos, na época, tinham as habilidades que ele tinha. Certa vez, em uma situação onde crianças brincavam dentro do palácio, a maioria sendo filhos dos funcionários do faraó, duas delas se desentenderam e começaram a brigar. Ama-Aha viu de longe, e foi se aproximando. Quando chegou, umas das crianças disse "mamãe, foi ele quem começou", apontando para outra criança. A "mãe" disse... "Filho, não importa quem tenha começado. Não façam mais isso. Abracem-se agora! Não quero mais vê-los brigando!" As duas crianças se abraçaram amorosamente e a "mãe" foi saindo de perto e deixando-as novamente a brincar...  Perceberam? Não era a mãe de uma das crianças; era Ama-Aha que tomara a forma de umas das mães das crianças e foi até elas para acalmar os ânimos.

Em outra ocasião, o Faraó estava de cama, com uma intensa febre e delírios, enquanto no seu leito estava o seu conselheiro mais próximo, ouvindo alguns sussurros do seu Faraó. Quando o Faraó entrava nesses estados, profetizava e trazia mensagens das altas esferas para o seu povo. Ama-Aha entrou no quarto e quando o Faraó terminou sua profecia, impôs as mãos sobre ele, e este dormiu profundamente, acordando no outro dia, como se nada tivesse acontecido.

Ama-Aha encarnou várias vezes após esta época. Esteve na época de Jesus, como um dos seus discípulos próximos (não dos 12 mais conhecidos, mas de outros além destes). Numa ocasião, Jesus, ao término de uma conversa com Ama-Aha, disse... "Você precisará voltar várias vezes. Muitas dessas pessoas precisam de você. Não esqueça que estarei com você a cada chamado seu. Eu estarei com você. Olhe! (Jesus apontou para Judas Iscariotes, um dos seus discípulos). Em breve, em um outro tempo, ele precisará de você... Ajude-o. Eu o amo muito". Ama-Aha, na época chamado de João, o de Tebas, (possivelmente não encontrarão informação sobre ele na Bíblia), balançou a cabeça positivamente, afirmando que faria como o Mestre havia solicitado.

Ama-Aha encarnou também por volta do ano de 1.400 d.C. Na época, ele estava entre os Borguinhões, mas, rapidamente abandonou-os e tomou partido por Joana d'Arc, pois fora tocado pela força e doçura daquela camponesa determinada. Ele ajudou-a no que pode; só não conseguiu impedir que ela fosse queimada na fogueira. Quando ele a viu pela primeira vez, ouviu uma voz que veio do mais profundo do seu ser “...ele precisará de você... ajude-o." Não era uma simples voz. Era Jesus! Era a lembrança do que Jesus havia lhe pedido séculos atrás. Sim!... Joana d'Arc é o mesmo Judas Iscariotes completando sua missão de alma.

Ama-Aha também esteve encarnado ao lado de Kuan Yin, como um dos seus discípulos próximos, chamado Astoht-Shi. Lá, também era um poderoso âncora místico, responsável por ancorar a energia da Deusa Mãe na superfície. Kuan Yin, até o presente momento, está ao seu lado apoiando-o, constantemente, em todas as suas movimentações no plano físico.

Por volta do século V, na Velha Europa, foi uma Bruxa Branca perseguida por suas habilidades místicas. Na época, chamava-se Malenah. Era curandeira e conhecia as energias das ervas. Lidava com espíritos revoltados e quando estes atuavam em pessoas, atormentando-as, ela, simplesmente, com uma imposição de mãos, afastava-os e libertava as pessoas. Em tal encarnação, era constantemente auxiliada por Merlin, o Mago (encarnação de Saint Germain), que saía do corpo e aparecia para ela dando certas instruções. Até hoje, Malenah (Ama-Aha) é muito respeitada e amada por Saint Germain (Merlin), podendo chamá-lo a qualquer momento, que será imediatamente atendida. Ama-Aha (Malenah) também tem o dom da vidência, podendo ver o passado, o presente e o futuro desenrolando-se bem à sua frente, bastando erguer a cabeça para cima, olhando um pouco para a direita.

Ama-Aha está sendo chamado pelo Plêiades 1 para trazer completamente à superfície terrana a sua energia mística dos velhos tempos. Chamada a ancorar, também, a força de Malenah e, junto ao seu agrupamento, que há muito tempo aguarda essas movimentações, transmutarem a magia negra em magia branca. Ama-Aha tem um povo - um exército místico - aguardando essa sua movimentação na superfície. Ama-Aha está sustentado em três pilares: Kuan Yin, Saint Germain e Mestra Pórtia. Chamado a formar uma poderosa egrégora de Luz nestes três pilares e movimentar toda a sua herança mística para que todos aqueles que se aproximem dele, neste atual encarnação, sejam curados, libertados e renovados para sempre! Seu povo é em torno de 25 (vinte e cinco) mil almas que estão entre os planos astrais e físicos do plano terrano. A maioria deles está no físico aguardando o chamado para essa união transcendental.

Ama-Aha, seu lema é "EU SOU A CURA E A LIBERDADE E ESTOU ANCORADO NOS TRÊS PILARES SAGRADOS". Vá, reúna o seu povo e traga toda sua força mística para a superfície terrana. Você encarnou nesta época para que, junto ao seu povo, transformem as trevas em Luz. Encarnou para empoderar os desempoderados, curar os enfermos, desobsediar obsediados, fazer sorrir os tristes, mostrar a verdade aos que foram enganados e dar vida àqueles que acham que ela está perdida. Você é e sempre será apoiada pelas altas esferas! Vá! Reúna o seu povo e traga a força mística na Luz Crística!

É até onde Jesus me permite ver e transmitir. 

AMABU = Jesuíta da Inquisição chamado Cornelo. Extremamente rebelde e sem piedade. Tinha um forte ímpeto sexual por todas as pessoas com quem interagia, tanto homens como mulheres, animais, árvores ou qualquer coisa. Ele tinha um desequilíbrio sexual. Ele não conseguia ter ereção e manifestar aquilo como gostaria, então tinha uma enorme frustração consigo. Ele não gostava de ver os casais unidos, muito menos casais do mesmo gênero sexual. Ele tinha um prazer imenso em pegar casais, tanto do mesmo gênero quanto não, para torturá-los e obrigá-los a fazer coisas que pudessem movimentar ainda mais esse desequilíbrio sexual nele. Ele desencarnou. Reuniu um grupo de seres com vibrações semelhantes à dele e trabalha, até o momento, para atormentar conexões amorosas, ainda se baseando na sua frustração. As Forças da Luz estão lhe dando uma oportunidade para que reencontre seu equilíbrio e retorne ao Lar. É um ser de Saturno, muito amado por sua família, que o aguarda com muito Amor. O P1 tem solicitado a todos os Avatares e afins do PVSE para que projetem suas luzes neste irmão querido para que ele regresse ao lar.

AMAPU-INK http://www.sementesdasestrelas.com.br/2017/09/amapu-ink-nos-temos-muito-compartilhar.html 

AMIL22 = É um sistema escalar que fica localizado em Paris, França, especificamente no topo da Torre Eiffel. Sua função é, pura e simplesmente, tentar baixar a vibração das pessoas daquele lugar, por meio de ataques escalares, assim como induzir as pessoas a agressividade e/ou preguiça extrema. Também atua, muitas vezes, como aquele dispositivo anulador de memória, (neutralizador), mostrado no filme MIB, Homens de Preto. Quando há eventos onde a Federação Galáctica faz aparições em massa, lá esse dispositivo é aplicado para que, logo em seguida, as pessoas comecem a ridicularizar, ou simplesmente dizer "ah... isso é imaginação minha" e voltar à vida "normal" ignorando aquilo. Há várias exibições da Federação naquela região. Esse lugar é um importante Ponto de Luz no planeta e ali há vários vórtex de Luz ativados e para serem, ainda, ativados. As Forças da Luz estão em intensiva para desativar completamente esse dispositivo específico. Um chamado está sendo feito a todas as Falanges PVSE e afins para realização de intensivas de Luz. Organizem meditações, invoquem suas forças, se conectem com os Arcanjos, Anjos, Mestres Ascensos, Galácticos e todos os Seres de Luz deste universo e além para, juntos, atuarmos e anularmos os efeitos negativos dessa tecnologia Ashoris3.

AMMUNA-HA / RA-MI-RAHá muito tempo, no Antigo Egito, no reinado do Faraó Djoser (https://pt.wikipedia.org/wiki/Djoser), estava Imhotep, Chanceler do Rei do Egito, Doutor, Primeiro na linhagem do Rei do Alto Egito, Administrador do Grande Palácio, Nobre Hereditário, Sumo Sacerdote de Heliópolis, Construtor, Carpinteiro-Chefe, Escultor-Chefe e Feitor-Chefe de Vasos (https://pt.wikipedia.org/wiki/Imhotep). Com Imhotep havia um grupo de seres, os sacerdotes de Imhotep, que trabalhavam com ele em vários pontos. Um deles era o trabalho sobre a Ressurreição.

Entre esses que estavam com Imhotep, estavam Ammuna-Ha (expressão masculina) e Ra-Mi-Ra (expressão feminina). Na época, eram feitos trabalhos para tentar trazer de volta à vida os corpos já mortos de egípcios, tanto integrantes do Palácio, como não. Nisso, os trabalhos de mumificação ocorriam sempre com rituais especiais para ancorar as energias, a fim de trazer de volta o sopro da vida para aquele mesmo corpo. Eles acreditavam que o espírito poderia voltar, sim, após a “viagem morte” e tentavam fazer com que isso fosse o mais rápido possível usando várias técnicas e rituais para acelerar esse processo. Infelizmente, em muitos desses rituais, os espíritos não conseguiam se desprender dos corpos, ficando presos biologicamente no corpo morto, com a alma aprisionada. Muitas múmias estão até hoje com as almas presas ali e não conseguem se desprender para outros planos.

Durante muitos desses processos, alguns sacerdotes de Imhotep, incluindo Ammuna-Ha e Ra-Mi-Ra,  tentavam conseguir isso de forma mais abrupta e ambiciosa, determinados a conseguir o que  queriam:  ressuscitar os mortos e preservar seus corpos intactos até a volta da “viagem morte”.  Mas era necessário que houvesse uma morte natural para que eles pudessem pegar o corpo e iniciar os rituais de ressurreição e/ou mumificação. Então eles aceleravam esse processo criando movimentos para que os corpos chegassem de forma mais rápida às mãos deles. Nisso, eles contavam com a ajuda de  Nefarini, a Sacerdotisa e chefe de mumificações e rituais de ressurreição que coordenava esses movimentos e garantia que os corpos chegassem até aos dois,  Ammuna-Ha e Ra-Mi-Ra.  

Sacerdotes mais antigos haviam criado uma maldição chamada de Hom-Dai como uma punição reservada  aos piores blasfemos que cometessem crime sexual com a filha e os filhos do faraó e também os piores atos contra a lei do Faraó.  Porém, esse castigo foi usado muito raramente. Os egípcios temiam muito o Hom-Dai.  Foi  tão sério,  que evitarei dar mais detalhes aqui devido à  energia, mas a pessoa era mumificada,  ainda viva,  com muita tortura, semelhante ao que é apresentado no filme “A Múmia” (https://www.youtube.com/watch?v=jVrbRDH4uTM), apesar de o filme não trazer precisamente o que de fato aconteceu, principalmente no que diz respeito à Imhotep, pois a figura “maligna” e vingativa apresentada no filme em relação à pessoa de Imhotep não está correta. Já a parte sobre o Hom-Dai está quase 100% precisa. Apesar de muitos desses novos sacerdotes não terem a devida permissão para aplicarem o Hom-Dai,  eles  o faziam,  muitas vezes,  na tentativa de acelerar,  de alguma forma, o processo de ressurreição e outros.   

Há muitos seres aprisionados na Pirâmide de Quéops, e um trabalho de iluminação de linha precisa ser feito para a purificação completa desses movimentos. Os seres Ammuna-Ha e Ra-Mi-Ra estão à frente deste movimento, como aqueles conhecedores desta linha de tempo e que presenciaram muitos desses movimentos. Juntamente com Nefarini, estão encarnados atualmente no Plano Físico Terrano, e o Plêiades 1 está chamando-os para esse trabalho de iluminação. A presença de Haronn, A Herança Magnética de Akhenaton, Avatar do PVSE, também é convocada para os três poderes iniciais que sustentarão e darão o impulso para esse trabalho. Haronn é, pode-se dizer, a força imediata de Ammuna-Ha e Ra-Mi-Ra, caso eles não sustentem a Força e deem continuidade ao trabalho, assumindo, assim, a responsabilidade de continuar. Caso sustentem, Haronn é aquele que dará o suporte energético direto e ajudará ancorando as forças primárias. Outros Avatares do PVSE que têm conexão com o Egito estão também sendo convocados a fazerem parte imediatamente deste movimento, trazendo suas Forças em somatória, para que a iluminação ocorra o quanto antes.

Haronn esteve também encarnado na época, era um dos Sacerdotes de Imhotep, mas trabalhava ancorando as energias da Ascensão e não estava conectado diretamente aos movimentos acima citados.

Nefarini fará parte desse movimento como aquela que ajudará na ancoragem desses movimentos de iluminação ancorando as energias de Ascensão, Pureza, Esperança, Ressurreição, Plenitude, expandindo a simpatia, generosidade, rapidez de intelecto e de percepção, afetividade, equilíbrio, harmonia, unidade, intuição, correto julgamento, sabedoria, criatividade e beleza. Nos rituais e meditações desse movimento, se possível, deixar flores (Lírio branco, que é um símbolo da Ascensão) em um vaso de vidro no ambiente. Nefarini, você está sendo chamada a trazer as forças do Templo da Ascensão de Serapis Bey, que tem sua localização no Plano Etérico Terrano, sobre Luxor, no Alto Egito. E, claro, você também é uma das “vozes do céu” que poderá trazer orientações acerca do movimento.

Esse trabalho também está sendo aberto tanto aos Avatares do PVSE como aos Avatares exteriores ao PVSE (já que todos somos Avatares) que têm conexão com o Egito e desejam ajudar no processo. Aqueles exteriores ao PVSE que entrarem em contato para participarem, e Ammuna-Ha e Ra-Mi-Ra caso sintam que não estão prontos, imediatamente deverão passar por uma iniciação e preparação especial - movimento energético este coordenado pelos dois, Ammuna-Há e Ra-Mi-Ra, sob o olhar e radiação do apoio amoroso de Haronn, para que possam ser autorizados. 

Contatos foram criados, como e-mail, grupo e página no Facebook para esse movimento: 


Um símbolo sagrado desse movimento também foi canalizado e deve ser usado também como um ponto de Força. É o símbolo que ilustra esse texto.

Queridos seres que estão sendo chamados para este movimento, vocês estão sendo apoiados por outros seres também determinados à iluminação dessa linha: Anúbis, Osíris (Ashtar), Isis, Áton, Akhenaton, Nefertiti, Amenófis III (Zero i), Hórus, Tutancâmon (o mesmo espírito de São Francisco de Assis), o mestre ascensionado Serapis Bey e, claro, Imhotep.

Queridos, há uma grande responsabilidade nas mãos de vocês. É um povo que pertence ao agrupamento de vocês. Há almas que precisam ser resgatadas de suas prisões, tanto internas como as de campos magnéticos. Vocês têm todo apoio do Universo, toda Magia, toda Luz e Amor. Lembrem-se da simplicidade em seus corações para conduzirem esse trabalho, lembrando-se que, quanto mais humildade, mais Luz e Confiança dos Planos Superiores para lhes entregarem missões como essa que, se chegou neste momento às mãos de vocês, é porque estão prontos. Aqui não há melhores, nem piores. Aqui não há mais poderosos e menos poderosos. Aqui é uma Alma subdividida que foi chamada para esse trabalho, e essa alma chama-se AMUN-DEI-A, AMUN-DA, DA-MI-RÁ! (EU SOU A ILUMINAÇÃO, EU SOU A RESSURREIÇÃO E PURIFICAÇÃO). 

Vocês estarão sob projeção de 3 (três) projetores do P1, sendo dois de cor dourada e um de cor branca brilhante. 

É até onde Jesus me permite ver e transmitir.

Gabriel RL

ANCORAGEM = Recebimento/Ancoramento 
 

ANISHRA, A VOZ ROSA = (Recebeu esse carinhoso sobrenome - "A Voz Rosa" - do Arcanjo Samuel). É uma linda expressão / roupagem vinda de Sírius A. Também possui forte conexão com as Plêiades. É um ser muito belo, de expressão feminina. Cabelos de tamanho médio num tom escuro. Olhos grandes em tom azul-claro. Macacão prateado-fosco com detalhes em azul e botas também em um tom de prata. Olhos grandes em tom azul-claro. Em outras oportunidades, também se veste com túnicas lindíssimas radiantes em tons perolados e azul-escuro. Sua energia e aura irradiam uma luz azul intensa, lindíssima! Mede cerca de 2 (dois) metros de altura. É um ser de personalidade sutil, amorosa, observadora e gentil. Possui uma energia de Ordem Divina, equilíbrio, harmonia e precisão. Ser com dom inato de empatia e doçura. É especialista em linguagem e é uma grande psicóloga tanto quando atua a bordo das naves de comando como nos planos astrais Terranos. Como especialista nestas áreas, é sempre chamada pelas Forças da Luz para palestrar em diversos ambientes, dos mais densos aos mais sutis. É também representante do bem amado Arcanjo Samuel, sendo um dos seus raios sutis de energias. Quando na sua roupagem ainda mais elevada que essa é um lindo anjo da legião do Arcanjo Samuel, que irradia uma intensa energia rosa pulsante. Quando nesta roupagem Angélica, chama-se “Áion Ákadi” e é uma expressão Angélica de cerca de 3 (três) metros de altura, com um lindo par de asas rosadas, e segura em uma das suas mãos um imenso arco e flecha de luz rosa.

Nesse agrupamento especial, eles tanto trabalham juntos nessas expressões sirianas como também nas legiões do Arcanjo Samuel. Especialmente quando estão atuando como Anjos dessa legião são muito parecidos, podendo-se confundir um com o outro, com uma única diferença da radiação que distingue suas individualidades. Quando assumem essa roupagem galáctica, também possuem o uniforme e a aparência semelhantes, devido à semelhança de radiação e também porque gostam de se apresentar assim. Anishra e seu agrupamento são extremamente dedicados nas tarefas que lhes são confiadas e Anishra é muito respeitada e amada por todos eles.

O seu agrupamento especial é um grupo de almas que atua equilibrando as energias de todo o Sistema Local levando Amor, paz, sabedoria e despertando a inteligência no coração de todas as almas. É um agrupamento de cientistas e especialistas em Psicologia e Tecnologia, e atuam também desenvolvendo sistemas cada vez mais sofisticados para naves estelares. Anishra é capitã de uma nave chamada “Amador-0r1257” (código especial da nave dentro da frota).  Esta nave possui cerca de 3 (três) mil integrantes. Esse agrupamento específico teve cerca de 600 (seiscentos) membros encarnando junto a Anishra quando esta iniciou seu processo de auxílio direto na superfície Terrana. Depois de um tempo, mais uns 400 (quatrocentos) também encarnaram para ajudar em todo o processo, pois muitos do primeiro movimento de encarnação se perderam na densidade Terrana. Agora, no total, são cerca de 1200 (um mil e duzentos) membros da nave “Amador-0r1257” atuantes no plano Terrano, sendo que uma parte encarnados no plano físico e a outra parte atuando nas zonas astrais, tanto do astral superior como inferior. Anishra está encarnada no plano físico e uma das suas principais missões é o resgate através do Amor vibrante em seu coração. E, como representante do Arcanjo Samuel e Mestra Rowena no PVSE, têm uma intensa projeção do Raio Rosa para esta linda missão.

Falando mais da atuação desse agrupamento, ele é um dos encarregados diretos de resgates de almas perturbadas que desencarnam com grande trauma, assim como de auxiliar diretamente no despertar da missão de muitas Sementes Estelares na superfície Terrana. Atuam como guias para os caminhos missionários traçados e agem, diretamente, quando há comum acordo entre eles e o eu Superior do ser em questão. Quando levam as almas perturbadas e/ou mais diretamente os grupos extraterrestres não confederados a bordo das suas naves de trabalho, iniciam intensos processos para o equilíbrio psicológico daqueles seres, inserindo-os em câmaras cristalinas e ajudando-os, o mais rápido possível, em suas recuperações. Possuem a bordo das naves de atuação grandes Câmaras de Luz Cristalina com intensa radiação rosa do puro Amor incondicional. Também atuam como mediadores, auxiliando muitos processos importantes em reuniões pelos cosmos, muitas delas que tratam, diretamente, do destino da Terra.

Este agrupamento junto a Anishra tem a missão de imprimir no coração dos seres mais endurecidos a sutileza do Amor, ajudando-os a saírem dos abismos que colocaram a si mesmos por força do seu próprio livre-arbítrio. Quando esse agrupamento especial desce aos ambientes mais sombrios, parecem velas de Luz rosa levando suavidade, paz, Amor, benevolência, cura… É como um bálsamo a descer naqueles ambientes, uma brisa leve a suavizar o ardor das feridas da alma naqueles seres. É uma das cenas mais lindas que já vi. Anishra desce na frente segurando uma tocha de Luz rosa que vai clareando o caminho para os demais. Ela vai entoando um mantra especial e esse mantra vai despertando aqueles seres que estão nesses ambientes sofridos e à medida que eles acordam, são socorridos pela comitiva que a acompanha e levados a bordo das naves de recuperação. Anishra tem sua alma gêmea atualmente encarnada no plano Terrano e é de grande ajuda e apoio nesta missão. Anishra é uma das responsáveis diretas pela ancoragem das energias do bem amado Arcanjo Samuel e da querida Mestra Rowena na Ilha Magnética e, nesta missão, contatar pessoas nas demais Ilhas para que sejam, também, representantes diretos e âncoras deste poder nestes outros ambientes.

Há milhares de anos, na Lemúria, Anishra esteve encarnada com um grupo de seres, e eles eram todos integrantes do seu agrupamento. Quando menina, ao se deparar com muitas crianças, já conseguia identificar claramente os membros do seu agrupamento. Desde crianças, formaram uma forte aliança energética e permaneceram juntas ancorando a poderosa força do Amor incondicional do Arcanjo Samuel. Quando chegou aos 15 anos, Anishra começou a se reunir com muitas pessoas e todos os dias entoavam lindos cânticos especiais que facilitavam a ancoragem daquelas forças. Viam-se ali muitos fenômenos espirituais especiais. Curas aconteciam, expansões de consciência e a interação de muitas Frotas Estelares com todos aqueles que ali se encontravam. Todos do seu agrupamento, ali encarnados com ela, sustentavam junto a Anishra toda essa força. Ali, criaram uma irmandade chamada IRMANDADE DO AMOR INCONDICIONAL. Criaram um pequeno templo, construído de forma simples, rodeado de cristais rosa que armazenavam muita energia e muitos dos que tocavam nesses cristais eram beneficiados pelas energias ali ancoradas. Agora, ao receber sua cosmobiografia, você pode, quando meditar, ou em qualquer momento que achar apropriado, rodear em volta de si vários cristais rosa (quartzos rosa) e visualizar as poderosas energias sendo impregnadas nesses cristais. Você poderá fazer isso enquanto medita, por exemplo, que imediatamente será transportada, quanticamente, para a época da IRMANDADE. Vocês, integrantes queridos desse agrupamento, são responsáveis por sustentar a força dessa IRMANDADE DO AMOR INCONDICIONAL. O símbolo de vocês, como já dito, é o cristal de quartzo rosa e as flores de cor rosa.

Outro ponto que pode ser citado aqui é que vocês, integrantes desse agrupamento, sempre se encontram quando saem do corpo. Vocês são palestrantes por todos esses planos espirituais que envolvem a Terra e por toda essa Galáxia. O próprio Arcanjo Samuel é encarregado de tirar vocês do corpo e levá-los aos locais onde multidões os aguardam para ouvir os mantras luminosos que saem das suas bocas através das suas palavras. A radiação rosa que vocês emitem é muito intensa, e é de grande ajuda para todos aqueles que se encontram nas trevas da incompreensão.

Anishra tem passagens / expressões em inúmeros outros sistemas estelares incluindo as Plêiades, Andrômeda, Vênus, Aldebaran, Capela, Arcturus, Alfa Centauri, Tau Ceti, Vega, Marte, Canopus, Virgem, Libra, Sagitário, Órion, Ursa Maior, Sol Local, Sol Central e em vários sistemas conhecidos e não conhecidos dos Terranos. Anishra participou de guerras galácticas nos Movimentos de Recuperação de sistemas inteiros devido a essas guerras, ajudando também na recuperação de muitos seres traumatizados pelas velhas batalhas galácticas, usando toda a sua amorosidade e empatia.

Anishra encarnou em vários pontos do plano Terrano desde o início das civilizações, mais precisamente 495 (quatrocentos e noventa e cinco) vezes, estando na Lemúria, Atlântida, Suméria e Egito em reinados de Faraós como Akhenaton e Nefertiti, sendo uma das sacerdotisas do palácio especialista em comunicação. Quando a comunicação com outros reinos, ou mesmo de pessoas para com pessoas não ia bem, você, Anishra, era chamada como uma mediadora para ajudar a apaziguar os ânimos e facilitar o diálogo. Nesta época, você se chamava Akekmira. Pertencia também a um grupo de sacerdotisas curadoras que atuavam junto ao Faraó e a quem mais precisasse naquela região do Egito. Esteve na Europa medieval e moderna, Itália, França, Inglaterra, Alemanha, Portugal, Irlanda, Grécia, Espanha, Holanda, Polônia, Bélgica, Bulgária, Escócia, Suécia, Holanda e alguns outros pontos da Europa. Esteve também na India, e pontos do Oriente Médio como Israel, Irã, Iraque, Arábia Saudita e Turquia. Esteve também nos tempos de Jesus e, na ocasião, era uma seguidora muito próxima a Maria e Maria Madalena, trabalhando junto a elas no ancoramento das energias de cura para alma humana, chamando-se, na época, de Ámeria. Esteve também nos tempos de Francisco de Assis, sendo uma das Clarissas colaboradoras do movimento franciscano, aí se chamando também de Clara, igual à Clara de Assis. Esteve em vários outros pontos do Planeta  como América do Sul, Norte e Central, como EUA, Argentina, Chile, México, Canadá, Peru, Guianas e Brasil e alguns outros pontos dessas regiões. Esteve em pontos também na Oceania, África e Ásia, como por exemplo, China, África do Sul, Congo, Angola e Austrália. Esteve também entre os Incas, Astecas e Maias, como Yucatan:

“A Civilização Maia foi uma das mais ricas e significativas civilizações da Terra, na Península de Yucatan, no México, onde havia um desenvolvimento material e científico superior ao de hoje, com amplo controle da energia atômica. Havia o “Homem-Pássaro”, que voava por todas as direções com um macacão especial, cheio de tubinhos energéticos. Entre os Maias, grandes sábios recebiam instruções diretamente de Capela, tinham a Voz Direta e realizavam grandes fenômenos. Havia, naquela ocasião, grandes Amacês (Naves-Mãe estelares) que passavam em vôo rasante projetando a energia de Capela para aquele povo. Essas naves mantinham aquelas áreas livres de certos animais que representavam perigo aos Homens, como também traziam instruções. Porém, sempre sem atravessar o Nêutron. (Vide mais sobre Nêutron aqui: https://www.sementesdasestrelas.com.br/p/demais-termos-usados-nas-mensagens-do_87.html).

Em um determinado momento, um grupo que estava envolvido pela energia da ambição e, na intenção de ter acesso àquela tecnologia de forma não autorizada, planejou capturar uma das Amacês. No movimento, esta Nave-Mãe em seu sistema automático de defesa irradiou uma energia muito intensa, a qual acabou por ocasionar a desintegração de toda aquela civilização. Os índios, após o ocorrido com o povo Maia, assumiram as cidades.

Em Theotihuacan foi construída uma pirâmide, que foi chamada de O Templo da Serpente Emplumada por ter, em sua construção, inúmeras cabeças de serpentes, simbolizando, como já era utilizada pelos antigos povos, a representação da Kundalini. Pela natureza da própria construção que era em pedras, mas notadamente muito diferente das outras - as pirâmides do Sol e a da Lua - pode-se notar a diferença profunda das técnicas utilizadas nas duas distintas épocas. São muitos os documentos de variadas origens que tratam do final de um ciclo em nosso planeta, o que seria o início de uma Nova Era. Um dos mais interessantes depois do Apocalipse de João é o que nos deixou a Astronomia Maia. Este considera a era atual iniciada no nascimento de Vênus, em 3113 a.C., e terminando em dezembro de 2012. Fecha, assim, um ciclo de 5.125 anos, que seria encerrado com muitos movimentos causadores de profundas mudanças energéticas na Terra, bem como tocando a Humanidade e as condições climáticas, trazendo novas maneiras de produção de alimentos e limpeza da água, também mudando todo o sistema magnético e nuclear de forma global e uma sensível alteração do eixo da Terra.

Com o conhecimento das modificações geradas pelo aumento e pela diminuição das manchas solares que estiveram ligadas a várias movimentações em civilizações Terranas, os Maias tinham um ano sagrado de 260 dias composto e baseado de maneira perfeita em relação ao Sol. Sabiam que o ciclo das manchas solares era de 68.301 dias e que, após 20 ciclos (1.366.020 dias), o campo magnético da lâmina solar se inclina e a Terra acompanha aquele movimento, buscando alinhar seu eixo magnético com o do Sol, o que provoca terremotos, erupções vulcânicas, maremotos e outros fenômenos naturais que acabam por movimentar os planejamentos do Homem e de suas cidades, campos e áreas de produção de alimentos. A Ciência atual, com seus modernos equipamentos, demonstrou que o cálculo dos Maias estava bem próximo dos 1.366.040 dias que encontrou em suas pesquisas.” Trecho adaptado de Relato de Tia Neiva - Vale do Amanhecer. (Sobre Tia Neiva vide: https://pt.wikipedia.org/wiki/Tia_Neiva e http://valedoamanhecer.org/category/tia/).

Em muitas das suas vidas já foi xamã, alquimista, frei, freira, bispo, madre superiora, cigana, cigano, curandeira, construtora, cientista, astrônomo, inventor, feiticeiro branco, bruxa, conselheiro, político, juiz, promotor, conde, condessa, enfermeira, sacerdote, sacerdotisa, arquiteto, amazona, orador, pescador, estrategista, monge, abolicionista, senhor de escravos, escrava, senhora de escravos, druida, eremita, nômade, celta, franciscana, artesão, bibliotecária, guia, pirata, escritor, feiticeiro, filosofo, médica, maia, inca, asteca, soldado romano, guerreiro persa, paisagista, pintor, oradora e muitas outras personalidades neste Planeta e fora dele, sempre vivenciando as experiências necessárias para sua expansão de consciência. (Lembrando que algumas dessas vidas / experiências podem ter ocorrido em outros sistemas estelares, não necessariamente na Terra. Eu vou vendo as profissões que vão aparecendo em minha tela mental e/ou o mentor sopra diretamente em meu ouvido e as coloco aqui.)

Em uma vida especial, na Pérsia, fez parte de um movimento já anunciado pelo Plêiades 1. Nesta vida foi Miania, esposa de Xéles, O Príncipe Persa:

“Xéles, O Príncipe Persa vestia-se elegantemente com roupas que possuíam adereços de ouro. Seu olhar cobrava respeito e admiração. Ele tinha um espaço amplo onde produzia diversos armamentos para batalhas. Muitos homens trabalhavam nesse lugar fabricando objetos como machados, lanças, espadas, arcos e flechas, bem como grandes dispositivos com alavancas para arremessar pedras, etc. O Príncipe Xéles não costumava participar de guerras; apenas produzia as armas e as vendia. Também tinha uma esposa que amava muito, com a qual teve um filho e um amigo muito próximo, um general, chamado Égea.” (Vide mais aqui: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/06/a-linha-persa-os-principes-e-batalha.html). Seu nome não foi citado, mas você estava apoiando Xéles, no exército dele e está sendo chamada a auxiliar a iluminação desta linha.

Noutra vida especial, atuou como um abolicionista nos tempos de Abraham Lincoln. Esteve em várias reuniões com o presidente americano e você era tido, na época, como um dos mais sensatos abolicionistas. Foi perseguido por aqueles que não queriam a abolição da escravatura, mas se manteve firme para defender todos os escravos, procurando todos os meios para protegê-los. Teve sua família, esposa e filho também perseguidos, na época. Sua esposa e filhos andavam na rua quando foram abordados por homens violentos dizendo que se você não parasse o que estava fazendo vocês teriam problemas (você, sua esposa e filho) e que tinha sido o último aviso. Mesmo assim, você teve o apoio da sua esposa e filho e continuou no seu trabalho, apoiando Lincoln no movimento de abolição. Sua esposa foi assassinada junto com seu filho, o que causou tremenda dor em você e, ao mesmo tempo, mais força para continuar. Pouco antes de Lincoln ser assassinado você também o foi, mas o seu legado foi mantido e muitos se inspiraram em você para continuar o movimento. Ocorreram muitos outros fatos semelhantes com abolicionistas que tiveram suas famílias ameaçadas e foram assassinados, mas isso não impediu que a liberdade aos escravos chegasse naquela região.

Está sendo chamada pelas Forças da Luz para receber essas informações com muito Amor e simplicidade, de forma a não se permitir cair em vaidade, pois assim dificultaria o processo de ancoragem dessa expressão no plano físico Terrano. Chamada a conectar-se em muito Amor com as Esferas Superiores, pedindo que todas essas informações reverberem de forma positiva em seu coração. Que estas possam vir a ser fontes de inspirações divinas e irradiarem em seu ser, abrindo canais para maiores conexões, desbloqueando campos e conduzindo a um elevado estado de ser na superfície Terrana. Chamada a todos os dias sintonizar com o seu Canto* e emiti-lo em um determinado horário, sempre que for possível e, caso esteja em algum ambiente que não possa se ausentar para um lugar mais tranquilo, fazer mentalmente. Isso criará um Momentum de disciplina muito poderoso e ajudará no descortinar dos véus para você.

Chamada para se conectar com sua nave-mãe de comando Amador-0r1257 para receber todas as projeções necessárias a serem reverberadas na superfície Terrana. Chamada a ancorar a Luz das grandes Legiões Arcangélicas de Samuel. Chamada a, através das suas meditações, ancorar essas forças dentro do PVSE e as fazer reverberar daí para todo o Planeta. Como primeira representante do Arcanjo Samuel e da Mestra Rowena no PVSE, chamada a sustentar essas forças e, representando esses poderes, reverberar todo Amor incondicional na superfície e abraçar amorosamente todos aqueles que a procurarem. Chamada a reunir seu povo, seu agrupamento que, no plano Terrano, tem centenas de integrantes, divididos entre plano físico, astral inferior e superior. Chamada a aplicar a aliança de cura e Amor incondicional em todos aqueles necessitados e que sentir que deve. A Aliança de Cura e Amor incondicional é uma magia especial feita com sua mão direita, fazendo um círculo no ar, partindo das 18h no sentido horário até as 20h, cruzando em diagonal para as 14h. O Símbolo Geométrico Sagrado foi canalizado por mim (Gabriel RL) para ilustração e aplicação. Qualquer membro desse agrupamento (ou não) autorizado por você pode usar esse símbolo, pois ele é um símbolo especial codificado à sua energia, e precisa do seu “sim” energético para utilização. Se você, a partir do momento que ler essa cosmo der seu “sim” energético, o símbolo fica liberado para todos:



Uma mensagem dos seus mentores: A Mestra Rowena está presente e ela diz: “É bom poder me comunicar com você, minha querida. É bom poder me comunicar com todos deste agrupamento que está se formando. Agrupamento que há muito tempo tem suas raízes firmadas na amorosidade. Raízes profundas e que asseguram que esse trabalho terá êxito e garantirá a ampliação do campo de Amor incondicional e de cura no PVSE e além. Você, minha amada Anishra, que também está representando o Amor do querido Arcanjo Samuel, deverá fazer meditações semanais com seu povo, para uma sintonia maior com Samuel e seus anjos. Você terá apoio de todos nós! Agrupamento abençoado, Filhos do Amor, abram seus corações para essa verdade, pois dela fazeis parte.”

Anishra, seu lema é: “EU SOU A EXPRESSÃO DO AMOR INCONDICIONAL MANIFESTA. EU SOU A CURA ATRAVÉS DA DOÇURA DO AMOR.”

É até onde Jesus me permite ver e transmitir

Identifique seu Canto Celeste: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/os-cantos-das-setes-raizes-celestes.html

Uma página oficial poderá ser criada por Anishra, para reunir seu agrupamento no plano físico Terrano e quando o for, os links de contato estarão disponíveis no link a seguir: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html

Em uma nota final, meus queridos, algumas pessoas estão criando páginas usando os nomes de alguns relatos que eu estou trazendo, dizendo serem elas os representantes desses movimentos. Alerto que todas as páginas oficiais desses movimentos ficam disponíveis no link a seguir, e qualquer uma que NÃO esteja nessa lista eu não me responsabilizo pelas informações ali entregues: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html

Gabriel RL

ANKA = É o nome de um Ser de Luz, raça reptiliana e de energia feminina, que entregou mensagem através da mediunidade do Gabriel  RL, no dia 31.03.2017. Um ser extrovertido, de energia bem humorada, que pertence a um exército de Órion credenciado pelo P1. Para saber mais sobre Anka, acesse o Glossário Específico do P1 aqui: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2017/04/anka-mensagem-de-uma-reptiliana-da-luz.html 

ANTHEERA, A NONA GUARDIÃ DO VRIL = É uma expressão/roupagem Pleiadiana vinda da Estrela Electra, estando também em Alcyone. É um ser muito poderoso, uma guerreira estelar. Protetora da Alta Magia, Guardiã de muitos segredos místicos e códigos sagrados que só são entregues em mãos puras. É uma das muitas expressões da “Dama do Lago”, que entregou ao Rei Arthur a espada Excalibur. Como poderosa Guardiã, tornou-se uma Guardiã da Força Vril, um dos poderes mais desejados por forças não positivas. 

A energia Vril é uma manifestação da Energia Cósmica Universal. O Vril é a Força da Criação que pode manifestar-se tanto como criadora como também destruidora. Uma vez de posse dos conhecimentos profundos para manipular e usar a Energia Cósmica, o ser está de posse da energia Vril. Com esta energia, pode-se fundir à Física do lugar e moldá-la à sua vontade. Possuindo essa energia em operação, o indivíduo passa a ter o controle do ambiente. Pode-se fazer coisas surgirem “do nada”, assim como fazer desaparecerem quaisquer coisas antes presentes. Pode-se deslocar objetos, não importando sua massa, com grande facilidade, além de poder moldar a matéria com a mesma simplicidade que uma criança teria para moldar uma massa de modelar. Esta é uma energia que, naturalmente, todos os seres em estados expandidos de consciência têm o pleno domínio. Suas civilizações são inteiramente construídas e desenvolvidas com o uso desta energia. No entanto, à medida que os seres vão experimentando formas mais densas de existência, o acesso natural a esses conhecimentos vai sendo bloqueado, uma vez que o ser com sensação de desconexão da Fonte e/ou sentindo dor extrema poderia causar graves danos a si e aos demais à sua volta.

Na Atlântida, a energia Vril foi amplamente utilizada. Os povos que ali estavam, no período áureo, tinham pleno domínio desta Força e usaram-na para construir as grandes pirâmides e templos de cristais. Ela era a forma de energia que sustentava todo aquele continente. No entanto, à medida que algumas energias mais densificadas foram adentrando àquele continente, surgiu a necessidade de proteger os conhecimentos de como usar esta poderosa energia. Círculos de Guardiões do Vril foram formados e esta energia passou a ter seu uso restrito àqueles que tinham o coração puro. 

Algumas civilizações, dentre elas, a Capelina e a Siriana, quando estiveram na Terra  após o Período Atlante, utilizaram-se desta energia para construir os precisos e grandiosos monumentos nas eras primárias das civilizações humanas. A exemplo, temos as grandes pirâmides do Egito e as das Américas, e também os Moai, na Ilha de Páscoa, além de grandes cidades na Terra Interna (Agharta) terem sido construídas, também, com o uso desta energia. A Energia Vril é capaz de abrir portais dimensionais, onde o ser pode deslocar-se facilmente entre os reinos da existência. Pode deslocar-se de forma fluídica entre linhas de tempo e dimensões. Por essa razão, esta energia sempre despertou em alguns seres com sede de poder a vontade de possuí-la.

Na antiga Atlântida, havia um grupo de Guardiões dessa Sagrada Energia. Era um grupo enorme de homens e mulheres dedicados a proteger essa energia das mãos não amorosas. Este grupo de guardiões uniu-se a outros grupos e, juntos, fizeram uma espécie de criptografia desses conhecimentos e impediram o seu acesso pelos magos mal intencionados. Em um desses grupos de magos negros estava aquele que foi conhecido como Hitler. Nas linhas de tempos mais recentes, tinham grande interesse em apoderar-se desses conhecimentos e, para isso, fizeram muitos movimentos. Alguns dos guardiões mais fiéis e invioláveis foram torturados e massacrados, no entanto, permaneceram firmes e não entregaram as chaves para descriptografia nas mãos daqueles magos que tanto as desejavam. 

Antheera foi uma das guardiãs invioláveis dessa força de um grupo muito grande que, com o tempo, devido a muitas pressões, acabou se dispersando. Uns foram mortos por agentes das trevas, como já dito, outros simplesmente se afastaram e deixaram de proteger o Vril por medo de perderem suas vidas e outros por decisão de alinhamento às forças das trevas, seduzidos por suas promessas de dominação e poder. 

Claro, sempre que um guardião do Vril cedia às trevas e/ou deixava de proteger o Vril, o código criptografador quântico de proteção à “caixa/santuário” onde a energia era “guardada” era atualizado. Assim, o Vril continuava protegido de mãos ambiciosas. 

Antheera era uma das primeiras sacerdotisas do Vril e protetoras dessa magia. Fora a nona sacerdotisa consagrada como guardiã do Vril, e uma das poucas que resistiram às investidas das trevas, mantendo-se inviolável com sua energia de guerreira determinada a proteger a magia. Era capturada, torturada, mas não cedia, mantendo-se inviolável. Conseguiu escapar duas vezes das mãos de magos negros. 

Atua no domínio e sintonia dos quatro elementos: água, terra, fogo e ar - sendo uma das guardiãs do Vril. Rapidamente foi identificada como especialista em condução desses elementos, podendo fundir-se a eles tornando-se um deles, quando quiser, tanto que, como Antheera, conseguiu esconder-se dos magos negros muitas vezes, tornando-se uma chama de fogo, ou mesmo desaparecendo no ar. Quando era pega por eles - na verdade, permitia-se ser pega - ela podia escapar quando e como quisesse, usando das suas habilidades de domínios dos quatro elementos, sem contar que dominava 100% a energia Vril - energia profundamente interligada aos quatro elementos, como já foi dito.

Antheera é o mesmo ser chamado Nefarini, a Sacerdotisa do Movimento Ammuna-Ha/Ra-Mi-Ra. (Vide: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/ammuna-ha-ra-mi-ra-chamada-imediata.html).

Além de Guardiã do Vril, é uma âncora das energias da ascensão no Planeta Terra movimentando a Pureza, Esperança, Ressurreição, Plenitude, expandindo a simpatia, generosidade, rapidez de intelecto e de percepção, afetividade, equilíbrio, harmonia, unidade, intuição, correto julgamento, sabedoria, criatividade e beleza.  O Lírio Branco, que é um símbolo da Ascensão, é também um símbolo para Antheera. Aqueles que se sintonizarem com essa Cosmobiografia em suas meditações e ancoragens de energia, se possível, tenham lírios brancos em um vaso de vidro no ambiente. 

Além das Plêiades, Antheera tem passagens/expressões em outros Sistemas Estelares como Sirius, onde é uma Felina Guerreira, que trabalha diretamente com SaLuSa de Sirius, sendo uma das responsáveis junto a ele por garantir que as mensagens/atualizações da Confederação cheguem aos Terranos. Outra tarefa nessa roupagem é proteger as Frotas Estelares que deixam a Terra todos os dias trazendo almas transtornadas por intensos movimentos. Nessa roupagem Siriana, é a guardiã dessas Frotas, garantindo também que estas não sofram retaliações das forças negativas que, ainda que poucas, são existentes no Sistema Solar. É uma Comandante, neste caso, líder de uma linda Frota de Guerreiros da Luz. Tem passagem também por Andrômeda, Orion, Vega, Vênus (por pouco tempo), Arcturus, Escorpião, Virgem, Libra, Antares, Draco e muitos outros sistemas, conhecidos e não conhecidos dos Terranos. 

Encarnou inúmeras vezes no Plano Terrano. Como já foi dito, esteve na Atlântida como Guardiã do Vril, várias vezes. Esteve também na Lemúria, Suméria e entre aqueles chamados de Equitumans, vide, http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/equitumans.html, e sobre os Tumuchys, vide http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/tumuchys.html.

Esteve também no Egito, no reinado do Faraó Amenofis III. O Faraó prezava pela distribuição igualitária das riquezas e farturas daquele reinado para todo o povo. Em algumas situações, esta distribuição não ocorria de forma igualitária, fato deixava o faraó inquieto e desejoso de resolver a situação. Amenophis chamava, então, aquela pequena menina que brincava pelo palácio e pedia-lhe que levasse algumas moedas até determinada pessoa. Ela não ia até a sala do tesouro. Como uma pequenina alquimista, ia fazendo movimentos intuitivos como uma brincadeira, e moedas de ouro iam-se surgindo neles. Esteve também na Grécia, (Esparta), quando na ocasião, era um soldado e ali conheceu Hermésios (Zero i) e Adanis (IUD-IL) que faziam parte do mesmo exército. Voltou a encarnar ali outras vezes.  Também foi uma Bruxa Branca na idade média chamada Marvália, que possuía uma habilidade especial que era a de afastar espíritos negativados das pessoas, com alguns simples movimentos das suas mãos. Também, em Roma, foi um jovem padre que tentou combater a pedofilia, mas fora duramente perseguido por alguns de dentro da igreja. 

Esteve também em muitos pontos do Oriente Médio, como Israel, nos tempos de Jesus. Ali era um homem que andava muito com aquele conhecido como Tomé, que viria a ser apóstolo de Jesus. Quando Tomé conheceu Jesus e posteriormente foi chamado para o apostolado, ele falou de Jesus para Síru (Antheera, na ocasião). Síru ficou interessado em saber mais sobre aquele homem, Jesus. Na casa de Zaqueu, quando Jesus estava presente, Síru, em uma oportunidade, conseguiu se aproximar dele e perguntar: “És Tu… és Tu o homem de quem Tomé me fala… Certamente que és!…”. Ao que Jesus com seu olhar amoroso e falar firme disse: “És tu, homem, que tem o domínio dos quatro elementos?” Ele não sabia do que Jesus estava falando, obviamente. Então, Jesus convidou-o, em particular para, em outro momento, irem a um determinado lugar. Combinaram, então. Três dias depois, Síru estava em um lugar mais deserto, esperando por Jesus. Síru viu Jesus vindo em sua direção e ficou nervoso, pois mesmo que naquele momento, conscientemente, não soubesse quem era Aquele Homem, o seu interior sabia e gritava quem ele era. Jesus chegou e, rapidamente,  disse:  “Feche seus olhos, Síru.... Agora erga suas mãos.” - Continuou ele. Jesus pegou um punhado de Terra e colocou-o nas mãos de Síru dizendo: “Segure”. Síru segurou com as duas mãos e, como por encanto, aquela porção de terra transformou-se em água. Síru desesperou-se tentando entender o que estava acontecendo. Jesus o acalmou e disse: “Síru, você pode fazer isso e muito mais. Basta que permita que isso flua de você.” Síru já sabendo dos milagres de Jesus, disse: “Senhor, tu mesmo poderias ter feito isso…” E Jesus disse: “Não só poderia como posso, mas isso foste tu que fizeste”. E Jesus continuou: “Quando eu deixar este Reino estarás com José de Arimatéia e ele te ensinará muitas coisas, pois ele é como tu…”. Terminando ali, Jesus pediu que Síru fechasse os olhos, e assim ele fez. Quando abriu, segundos depois, Jesus não estava mais ali. Uma hora depois, Síru chegou a um povoado e, para sua surpresa, Jesus estava ali, sentado em meio àqueles homens e mulheres falando justamente sobre os quatro elementos. 

Antheera está sendo chamada pelo Plêiades 1 a trazer as forças do Templo da Ascensão de Serapis Bey, que tem sua localização no Plano Etérico Terrano, sobre Luxor, no Alto Egito. E, claro, ela é também é uma das “vozes do céu” que poderá trazer orientações acerca dos movimentos aos quais esteja envolvida. Também está sendo chamada a iluminar a “língua” das pessoas e iluminar o verbo criador que sai de suas bocas. Está sendo convocada a trazer essa energia purificadora e iluminadora aos Terranos que movimentam energias de contendas, fofocas ou maldizeres contra outros ou contra si mesmos. Está sendo convidada também a descer às zonas do astral inferior terrano e levar purificação aos espíritos que desencarnaram em dor, xingando, propelindo palavrões em todas as direções para que, através de sua energia, possam trazer novamente um verbo criador iluminado. Nessas ocasiões onde alguns dos seres são trazidos para receber as projeções amorosas, você, Antheera, é chamada a colocar sua mão direita na boca desses seres e visualizar uma Luz Dourada partindo de você e tomando lugar dentro da boca do amado ser e, nesse movimento, visualizar a plena transformação  e iluminação daquele mestre. 

Chamada a reunir seus guardiões do Vril na Superfície Terrana e Plano Espiritual. Chamada a resgatar muitos deles que estão perdidos devido a fardos pesados que carregaram, por eras. Há cerca de dezenove mil seres do seu agrupamento, entre encarnados e desencarnados (no astral superior e inferior). Uma meditação foi criada por Antheera para este trabalho:

MEDITAÇÃO 

“Se possível, deite-se ao chão, com a barriga virada para cima, de maneira relaxada e entregue.

Tome algumas respirações profundas… Conectando com o momento presente…

Comece sentir a terra marrom que está embaixo de você. Perceba sua presença que está abaixo de tudo e em todos os lugares. Deixe que seu corpo entregue a esse chão, abra-se energeticamente para receber toda energia que ela carrega. Sinta sua energia e sua força atravessando todo seu corpo, preenchendo-o, por completo. Entregue-se à emoção da integração!

Agora, comece a perceber a presença do ar que em todo lugar está. Sinta-o passando pelo seu corpo. Veja-o em sua tela mental. Olha como ele brinca com você, fazendo ondas, círculos, loopings sobre seu corpo, até que possa sentir a energia que emana e irradia dele. Essa energia começará atravessar seu corpo, com sua permissão consciente! Sinta sua energia alegre, suave, gostosa, preenchendo suas células e todo seu ser. Sim, entregue-se à beleza do sorriso em seu rosto…

Nesse momento, se estiver próximo a um lugar que tenha água, ou deitado em um gramado, ótimo! Se não, tudo bem também, pois a maior parte do nosso corpo contém água. Então, conecte-se com toda essa água que está por toda parte! Comece a imaginar e a sentir sua textura, sua vibração particular… Agora gotas d’ água surgem ao redor do seu corpo e começam a andar por ele. Elas andam em círculos ao redor do seu corpo. Você pode sentir a energia de cada gota em contato com a sua energia, até que se fundam. Você sente sua distinta vibração e funde-se a ela!

Agora, visualize o Sol com todo o seu calor e seu fogo. Sinta a energia dele caindo sobre sua pele! Sinta seu calor! Sinta a energia divina que esse fogo carrega a atravessar sua pele e a adentrar por todo seu corpo. É um calor gostoso que abraça, aquece, irradia e ilumina. Sinta a integração!

Nesse instante, você já pode sentir a integração completa do seu corpo a esses quatro elementos, a essas quatro energias: Terra, Ar, Água e Fogo.

Agora, imagine a energia dos quatro elementos fundida em uma só na cor branca, passando por dentro do seu corpo e alcançando seu coração sagrado. Neste momento, está acontecendo a integração com o quinto elemento (Éter), sua alma, sua conexão com a fonte suprema, com o cosmos e um lastro de cor azul diamante suave se une ao branco. Emane todo seu Amor a essa integração e sinta agora toda essa energia envolvendo todos os seus corpos, físico biológico, espiritual, mental, emocional e causal.

Sinta toda vibração e toda energia gerada. Mexa seus dedos devagar e sinta a energia em suas mãos. Ela chega a ser palpável. Fique assim pelo tempo que desejar. Estais a sentir a união da FORÇA de todos os elementos que, na verdade, estão dentro de você, somente aguardando para serem reconhecidos, conectados com a Verdade, com o Todo e a Fonte Suprema.”

Querida Antheera, seu lema é: “EU SOU A INVIOLÁVEL GUARDIÃ DO VRIL E SUSTENTADORA DAS ENERGIAS DA ASCENSÃO. HONRADA ESTOU, FORÇA SUPREMA, PELA CONFIANÇA SEMPRE DEPOSITADA EM MIM, DESDE ÉONS!”

Identifique seu Canto Celeste: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/os-cantos-das-setes-raizes-celestes.html.

É até onde Jesus me permite ver e transmitir.

Contatos serão criados para comunicação e estarão disponíveis aqui: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html

ANTI-AMOR = Que de alguma maneira não serve à Luz. Esse termo está associado a entidades puramente negativas que trabalham mais no astral. Poderiam ser chamados de draconianos, reptilianos, arcontes...

AQUARIUS = É um Ser que veio de um sistema longínquo, não necessariamente desse universo. Passou pelas Plêiades, Sírius e Andrômeda. É, por natureza, Geneticista Galáctico e integrou nas Plêiades novos dons. É um Mostrador do Caminho. Tem o dom magnético da fala. Sabe-se aqui que é um ser com poder de irradiar com a voz, conduzindo à mansuetude, ao amor e à passividade aqueles ainda em trevas, graças também à habilidade cantante dos cetáceos. É uma expressão do Senhor do Mundo, em alinhamento com o Amor Universal. Sua voz, da mesma forma que suaviza, com mansuetude, estremece as trevas pelo poder transmutador. É um Guardião da Chama dos inúmeros guardiões do exército de Zadkiel. Tem imensa facilidade em comunicar-se telepaticamente com os cetáceos, já que também é uma das suas origens. Está sendo chamado a incorporar definitivamente essa habilidade com os cetáceos para ajudar na harmonização dos oceanos da Terra, desconstruindo bases negativas e impedindo a violação da energia oceânica.


AR (Arcontes - Em Grego: Governantes) = São seres que vieram da Galáxia de Andrômeda e quiseram experimentar a escuridão. Eles recusaram-se a se reconectar com a Fonte. Através de milênios, criaram a raça draconiana e reptiliana através de Engenharia Genética para usá-los como guerreiros escravos para expandir seu império escuro. (Para maiores informações, vide: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2013/02/portal-2012-queda-dos-arcontes.html). 

ARCARO = É um Mestre andromedano que está atualmente sob o poder do grupo chamado pelo Plêiades 1 de Ashoris 3 (Chimera). Ele e seu povo foram escravizados há  aproximadamente 12 mil anos e desde então estão sob o poder do Ashoris 3. Eles pertencem ao um Sistema Andromedano conhecido como ONE1. Este é um sistema de Universidades de Programadores de Realidades “Virtuais”. 

ARCARO e outros 17 mestres encontram-se, neste instante, em uma nave. Eles estão em contato com o PVSE. Eles estavam seguindo ordens diretas do Ashoris 3 para atacar Zero i e os sustentadores do Cristal Magnético e da Ilha Magnética. No entanto, eles foram envolvidos na energia do Lar que, amorosamente, a cada encontro, entregamos a eles através de olhares e blocos  energéticos reprogramadores. No último encontro, ARCARO e seu agrupamento disseram que não mais seguiriam as ordens de ataque que foram ordenados a executar. Eles nos pediram ajuda para se livrarem do Ashoris 3 e, prontamente, a todos que nos esticam a mão em busca de ajuda, a ajuda é dada! Enviem energias amorosas, convidativas e de gratidão a esses grandes Mestres Andromedanos, membros da nossa infindável Família Galáctica Universal!

Obs.: Aproximadamente 3h após a última conversa com Arcaro, este retornou com sua tripulação, somando 18 membros, agradecendo e trazendo algumas informações importantes sobre seus ex-Chefes. Nos avisaram que imediatamente seus ex-Chefes do Ashoris 3 (Chimera), viriam atrás de nós. Todos foram levados para casa em júbilo! Minutos após o ocorrido, um grupo de 3 seres chegaram. Eram os antigos chefes do Andromedanos. Eles estão numa intensiva para fragilizar o mental de Zero i a ponto deste colapsar. Um reforço energético é solicitado de todos aqueles Trabalhadores da Luz determinados a iluminar este Planeta. Como podem ver, as coisas estão muito aceleradas e por ora, muito trabalho está sendo realizado nos bastidores. Somem suas energias aqui, Mestres! Juntos somos mais Fortes!

ARKHADI-MI = Mestre Solar, unificador de nações. Especialista em projeção de Abundancia e Vegetação. 

ARKHÉRA, A PRINCESA CELTA = É uma expressão/roupagem de um ser do Sistema Estelar das Plêiades, especialmente da estrela Electra. É um ser muito belo, de expressão feminina. Ela tem cabelos longos encaracolados de cor escura, vestimentas douradas mescladas com verde e azul claro, parecendo uma linda túnica de luz. Tem olhos grandes em tom de verde escuro. Sua energia e aura irradiam uma luz azul e dourado intenso, lindíssimo! Mede cerca de dois metros e trinta de altura. Ser de personalidade forte, determinada e corajosa. É uma Guerreira Estelar muito poderosa. Na sua mão direta carrega uma lança de Luz que usa para desmantelar as teias de energias negativas quando desce às zonas astrais inferiores. Nessa sua expressão, mostra-se muitas vezes montada em um lindo Unicórnio. O olhar de Arkhéra é muito forte e vê-se ali a sabedoria e força dos grandes espíritos guerreiros. Em uma das suas mais importantes encarnações no Plano Físico Terrano, essa Pleiadiana poderosa foi uma Princesa Celta, líder do movimento Andino.

Na Idade Média, há alguns séculos, havia um grupo de jovens chamado de Andinos e eles andavam de povoado em povoado levando palavras de conforto, luz, sabedoria e amor. Eram moças e rapazes muito jovens, que haviam perdido seus pais por guerras, fome, doenças ou, simplesmente, foram abandonados. Moravam nas ruas e iam se reunindo uns com os outros por afinidade energética, já que nos planos espirituais haviam se programado para isso, e sabiam tudo que passariam quando encarnassem. À medida que iam ficando sozinhos e morando nas ruas, os Guias de Luz inspiravam caminhos para que eles se encontrassem, e assim ia acontecendo.  Assim um grande grupo foi sendo formado. Era os Andinos, nome dado por um ser de Luz que apareceu aos primeiros jovens que se reuniram. Ele apareceu no meio deles e lhes disse: “Esse grupo crescerá. É bom que se mantenham muito unidos. Vão! Inspirem os povos. Curem os enfermos. Deem alegria aos tristes, esperança aos aflitos e Luz aos que estiverem nas sombras. Deem tudo de vocês, e TUDO DO TODO VOCÊS TERÃO. Serão chamados de Andinos. Alguns os abençoarão, outros os amaldiçoarão, entretanto, nada os abalará ou os envaidecerá.” E desapareceu. (Nota do Gabriel RL: Através da minha vidência não consigo distinguir quem era esse ser, precisamente, mas acredito que era Jesus.)

Eles andavam nos povoados, nos campos de guerras após o final das batalhas, nos lugares onde havia moradores de rua e levavam para lá seus cantos divinos, alegria, paz e as maravilhas que possuíam em seus corações. Nos campos de guerra, em especial, quando acabavam as batalhas, socorriam os guerreiros feridos dando-lhes amparo, curando seus ferimentos e inspirando-os a uma vida de Paz e Amor. Muitos daqueles guerreiros choravam com seus corações profundamente tocados por aqueles jovens tão cheios de amor, que nem sabiam de onde vinham e porque cuidavam deles. Muitos desses guerreiros, já sem família, parentes ou amigos, quando tocados em seus corações, deixavam aquela vida e se juntavam aos Andinos tornando-se guardiões deles, impedindo que a eles chegasse qualquer tipo de violência física.

Os Andinos comiam e bebiam o que lhes davam. Dormiam tendo o céu estrelado como teto, as pedras como travesseiros, as folhas das árvores como cobertores, e eram muito felizes. De seus corações irradiava muita doçura e pureza. Quando estavam nos seus ambientes particulares, reuniam-se em cavernas para cantar e ancorar as forças para o dia seguinte.  Ou se estavam no meio das florestas, sempre algum Ser de Luz se manifestava através da mediunidade de algum deles, dando-lhes palavras de conforto e inspirando-os a continuarem seu lindo trabalho, garantindo assim que estariam sendo assistidos, continuamente, pelos Céus. E de fato estavam…

Muitos Andinos eram enxotados dos povoados, pois eram muito simples. Alguns líderes de povoados achavam-nos perigosos para os seus familiares, pois muitos desses jovens eram poderosos magos e lidavam com grandes energias espirituais, produzindo fenômenos mediúnicos que assustavam pessoas. Muitas vezes, em rituais de cura, quando eles chegavam a algum povoado e iam ajudar alguém muito doente, entoavam cânticos divinos desconhecidos daquelas pessoas. À medida que entoavam, podiam-se ver luzes aparecendo “do nada” em volta deles e da pessoa doente, assim como ventos soprarem, inesperadamente, sobre eles e barulhos como se fossem objetos (naves extraterrestres) sobrevoando-os. Isso assustava muitas pessoas e à medida que boatos desse grupo de jovens iam se espalhando, alguns queriam conhecê-los e outros os queriam longe. Esse grupo de jovens tinha contato direto com os Pleiadianos, que os inspiravam e os ajudavam em suas curas e fenômenos transformadores. Aonde eles iam, naves Pleiadianas os acompanhavam invisíveis aos olhos da maioria das pessoas, e até mesmo desse grupo de jovens, os quais eram dotados de muita mediunidade, em todas as suas expressões. 

Espalhavam-se notícias desse grupo de jovens em vários povoados e reinos e alguns jovens príncipes e princesas de reinos próximos ficavam encantados com as histórias que ouviam sobre os Andinos. Alguns desses príncipes e princesas fugiam dos seus reinos e se juntavam a eles. Passavam a ter uma vida junto aos Andinos, despojando-se de todas as regalias de um reino de riquezas materiais e conforto, para terem uma vida mais simples ao lado daqueles jovens. Não por acaso, esses príncipes e princesas também faziam parte desse grupo de espíritos que viriam para a missão “Andinos”, e não seria um reino de riquezas e conforto (não que ter riqueza e conforto seja problema) que iria fazê-los recuar de suas missões, já que seus corações sabiam muito bem o que tinham que fazer.

Temos um grande exemplo de Francisco de Assis, que abandonou tudo o que tinha e seguiu seu coração. Eles, esses príncipes e princesas, faziam o mesmo. 

Dentre esses muitos príncipes e princesas, havia uma princesa Celta chamada Arkhéra, a princesa de uma tribo de Batavos (https://pt.wikipedia.org/wiki/Batavos). Era uma princesa considerada rebelde, pois não admitia a conduta dos seus pais, que ela julgava extremamente desumana para com alguns prisioneiros de batalhas. Eles prendiam, maltratavam os presos e ela ia lá e os soltava, dava comida e os mandava ir embora. Sempre agia indo contra qualquer coisa que os pais - ou qualquer outro que fosse - determinassem, caso considerasse não estar em uma energia e conduta amorosa. Rebelde, como era chamada pelo seu pai Agérus, enfrentava com cabeça erguida qualquer um que considerasse desumano, desleal, covarde e estúpido, a ponto de muitas vezes “apanhar feio” por isso. Era uma linda moça de 16 anos, mas com a cabeça dos velhos espíritos veteranos desse Planeta Terra. Mesmo apanhando, não abaixava a cabeça e, mantendo-se firme enquanto apanhava, dizia: “O que diz meu coração é o que devo seguir e nenhum homem ou mulher, por mais próximo a mim que esteja - seja este até você, meu pai (o que batia nela naquele momento) - me fará desviar do que sinto no meu ser”. 

Chegaram aos ouvidos de Arkhéra as histórias dos Andinos, e ela ficou encantada, já planejando ir encontrá-los. Seus pais souberam e ficaram furiosos dizendo que jamais ela sairia dali. Oh… dizer isso para ela era o mesmo que nada, pois quando ela queria algo, ninguém jamais a impedia. Custasse o que custasse, ela iria encontrar-se com eles. Na primeira oportunidade, abandonou o reino e foi ter com eles e, sendo muito bem recebida, tornou-se um dos Andinos. Era uma médium de efeito físico e transmissora de mensagens dos céus (médium de incorporação), recebendo em seu aparelho mediúnico muitos Seres de Luz que desejavam deixar suas mensagens, assim como também, recebia em seu aparelho irmãos mergulhados nas trevas para serem amorosamente instruídos e elevados aos Reinos de Luz. Arkhéra passou toda a sua vida com eles. Seus pais tentaram ainda pegá-la de volta, mas quando chegavam próximos ao local, eram tomados por uma energia que os deixavam tontos e sem rumo. Eles perdiam-se completamente. Ficavam desorientados sem saber o que estavam fazendo e porque estavam ali. Voltavam para casa todas as vezes, confusos, até tentarem ir atrás dela de novo, quando acontecia sempre a mesma coisa. 

Arkhéra tornou-se uma das líderes dos Andinos. Foi sempre muito amada por todos eles, prometendo que estaria com eles pelas eras sem fim, e assim tem feito, deste então. Os Andinos são seres que vieram de vários pontos da Galáxia e além. Por afinidade energética, se buscam constantemente e, estejam onde estiverem, eles se acham pela vibração e pelas ideias muito semelhantes. Arkhéra, vendo em muitos príncipes e princesas essa mesma afinidade, sempre vestia suas roupas de princesa que levou consigo para junto dos Andinos e usava-as para entrar nos palácios. Como pessoa muito respeitada, sua entrada era permitida. Ela ia ter com os príncipes e princesas e convidava-os a se juntarem a ela e seu grupo, o que eles nem pensavam duas vezes: fugiam com ela. Arkhéra também foi muito perseguida por sua personalidade forte, mas era sempre protegida pelas forças superiores e pelos guerreiros que haviam se juntado ao seu grupo.

Arkhéra tem passagens/expressões por outros Sistemas Estelares. Além das Plêiades e de Sírius, esteve em Andrômeda, Alfa Centauri, Tau Ceti, Órion, Arcturus, Vega, Libra, Peixes, Sol Local, Marte, e muitos outros Sistemas Estelares conhecidos e não conhecidos dos Terranos. Além disso, tem uma roupagem Alfeus, atuando junto ao Agrupamento Alfeus, Avatar do PVSE, (contatos de Alfeus aqui: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html e cosmobiografia de Alfeus aqui http://www.sementesdasestrelas.com.br/p/letra-a.html) na manutenção de Arkarent 1. Arkarent 1 é um “Pequeno Universo Magnético”. A missão principal do Quadril 5, o Universo Magnético de onde veio Kryon é emitir magnetismo a outros Universos e regular o Cinturão Magnético que todas as galáxias têm. Quadril 5 é o Universo mais velho.  Assim sendo, Arkarent 1 é uma pequeníssima cópia (se comparado ao tamanho do Universo Quadril 5) dentro desse Universo Local (chamado de Nebadon) do Quadril 5. É um ponto para a retransmissão das energias de Quadril 5 a esse Universo. Arkarent 1 fica próximo a Constelação de Lyra e é um ambiente poderosíssimo. Ali, a matéria não se condensa. (Vide mensagem de Kryon: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2015/07/a-origem-de-kryon.html). 

Esteve também em muitos outros sistemas conhecidos e não conhecidos dos Terranos, e é um dos pilares sustentadores do agrupamento dos Andinos na Superfície da Terra. Participou de guerras galácticas dos dois lados da Força e de Movimentos de Recuperações de sistemas inteiros. Devido a essas guerras, ajudou na recuperação de muitos seres traumatizados nas batalhas usando sua doçura, gentileza e muita amorosidade para a recuperação desses seres, assim como “emprestando” suas habilidades inatas para garantir a segurança de sistemas em recuperação pós-traumas de guerras, sendo ali, uma âncora das Energias de Electra.

Participou também do movimento Caiel e Coiel como uma das guerreiras ali presentes, defendendo essa Força de qualquer um que fosse contra ela. (Vide mais sobre Caiel e Coiel: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2017/11/quem-sao-caiel-e-coiel-mencionados-pelo.html).

Arkhéra tem várias passagens no Plano Terrano desde o início das civilizações, estando na Suméria, Atlântida, Lemúria, Grécia Antiga, Roma Antiga e muitos pontos do Oriente Médio como Israel, na época de Jesus. Encarnou também no México algumas vezes, na França, Índia, China, muitos pontos da América do Sul e Central, Portugal e muitos outros pontos da Europa Medieval. Esteve na França, Alemanha, Egito Antigo - no reinado do Faraó Amenophis III. Esteve também entre aqueles conhecidos como Equitumans (Vide: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/equitumans.html) e Tumuchys: (Vide: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/tumuchys.html). Também viveu entre os Maias.

A Civilização Maia foi uma das ricas e significativas civilizações da Terra, na península de Yucatan, no México, onde havia um desenvolvimento material e científico superior ao de hoje, com amplo controle da energia atômica. Havia o “Homem-Pássaro”, que voava por todas as direções com um macacão especial, cheio de tubinhos energéticos. Entre os Maias, grandes sábios recebiam instruções diretamente de Capela, pois tinham a “Voz Direta” e realizavam grandes fenômenos. Havia, naquela ocasião, grandes Amacês (Naves-Mães Estelares) que passavam em vôo rasante projetando a energia de Capela para aquele povo. Essas naves mantinham aquelas áreas livres de certos animais que representavam perigo aos Homens, como também traziam instruções. Porém, sempre o faziam sem atravessar o Nêutron (vide Glossário do P1).

Em um determinado momento, um grupo que estava envolvido pela energia da ambição e, na intenção de ter acesso àquela tecnologia de forma não autorizada, planejou capturar uma das Amacês. No movimento, esta Nave-Mãe, em seu sistema automático de defesa, irradiou uma energia muito intensa, a qual acabou por ocasionar a desintegração de toda aquela civilização. Os índios, após o ocorrido com o povo Maia, assumiram as cidades. 

Em Theotihuacan foi construída uma pirâmide que foi chamada de O Templo da Serpente Emplumada que, por ter em sua construção inúmeras cabeças de serpentes simbolizava, como já era utilizada pelos antigos povos, a representação da Kundalini. Pela natureza da própria construção, que era em pedras, mas visivelmente muito diferente das outras - as conhecidas pirâmides do Sol e a da Lua - nota-se a diferença profunda das técnicas utilizadas nas duas distintas épocas. São muitos os documentos de variadas origens que tratam do final de um ciclo em nosso planeta, o que seria o início de uma Nova Era. Um dos documentos mais interessantes, depois do Apocalipse de João, é o que nos deixou a Astronomia Maia. Esta considera a era atual iniciando no nascimento de Vênus, em 3113 a.C., e terminando em dezembro de 2012, fechando assim um ciclo de 5.125 anos, que seria encerrado com muitos movimentos causadores de profundas mudanças energéticas na Terra. Tais movimentos estariam tocando profundamente a Humanidade e as condições climáticas do Planeta trazendo, dessa forma, novas maneiras de produção de alimentos e limpeza da água, bem como mudando todo o sistema magnético e nuclear de forma global, e ainda provocando uma sensível alteração do eixo da Terra. 

Com o conhecimento das modificações geradas pelo aumento e pela diminuição das manchas solares, que estiveram ligadas a várias movimentações em Civilizações Terranas, os Maias tinham seu ano sagrado de 260 dias composto e baseado de maneira perfeita em relação ao Sol. Sabiam que o ciclo das manchas solares era de 68.301 dias e que, após 20 ciclos (1.366.020 dias), o campo magnético da Lâmina Solar se inclina e a Terra acompanha aquele movimento, buscando alinhar seu eixo magnético com o do Sol. Isso provoca terremotos, erupções vulcânicas, maremotos e outros fenômenos naturais que acabam por movimentar os planejamentos do Homem e de suas cidades, campos e áreas de produção de alimentos. A Ciência atual, com seus modernos equipamentos, demonstrou que o cálculo dos Maias está bem próximo dos 1.366.040 dias que encontrou em suas pesquisas.

Arkhéra, em muitas das suas vidas, foi padre, pastor, cobrador de impostos, cigana, curandeiro, senhor de escravos, escravo, explorador de áreas, guerreiro mercenário, construtor, cientista atômico, matemático, filósofo, astrônomo, guerreiro, amazona, inventor, bruxa branca, conselheira, abolicionista, político, herói de guerra e muitas outras personalidades neste planeta, sempre vivenciando as experiências necessárias para sua expansão de consciência. 

Está sendo chamada pelas Forças da Luz para receber essas informações com muito amor e simplicidade, de forma a não se permitir cair em vaidade, pois assim dificultaria o processo de ancoragem dessa expressão no Plano Físico Terrano. Chamada a conectar-se em muito amor com as Esferas Superiores, pedindo que todas essas informações reverberem de forma positiva em seu coração. Que estas venham a ser fontes de inspirações divinas e irradiem em seu ser, abrindo canais para maiores conexões, desbloqueando campos e conduzindo-a a um elevado estado de ser na Superfície Terrana. Chamada sintonizar-se diariamente com o seu Canto e emiti-lo em um determinado horário, sempre que for possível e, caso esteja em algum ambiente pouco favorável, fazê-lo mentalmente. Isso criará um Momentum de disciplina muito poderoso e a ajudará no descortinar dos véus.

O grande movimento “ANDINOS” está sendo criado e ancorado na Superfície Terrana e Arkhéra, a Princesa Celta que está encarnada, neste momento, e atuando dentro do PVSE, está sendo chamada para, como a primeira dessa Falange/Agrupamento, reunir todos aqueles Andinos que, por muitos séculos, se perderam devido à intensa negatividade do Plano Terrano. Chamada a, através de meditações, projetar sua consciência às zonas astrais do Plano Terrano, tanto superior como inferior, e dizer que O MOVIMENTO COMEÇOU, e assim, todos os Andinos que se sentirem tocados a retomarem suas posições de guardiões e âncoras dessas Forças Celestes possam fazê-lo AGORA MESMO. Chamada a sustentar essa energia de amorosidade, lealdade, fé, generosidade, benevolência, bravura, honra, honestidade e tudo de bom que reverbera dos corações Andinos. Chamada a conectar-se com a Luz da sua estrela Electra, no Sistema das Plêiades e ser, também, uma representante dessa Força na Superfície Terrana. Lembre-se, querida Arkhéra, você tem o apoio de todos os Pleiadianos, especialmente os da sua estrela, Electra. Lembre-se sempre da imensa responsabilidade que carrega. Lembre-se da sua ancestralidade, magia e poder de ser uma transmissora dos céus, pois você é uma porta-voz dos céus, podendo, simplesmente, fechar os olhos, sintonizar-se e retransmitir a voz dos Reinos Celestes. Lembre-se de abraçar o seu povo, os Andinos, que há muito tempo a esperava despertar e assumir sua posição de primeira do agrupamento. O momento chegou! Graças! Aleluia! Vá, reúna-os e tomem posse das suas heranças! 

Querido ser, seu lema é: “EU SOU ARKHÉRA, A PRINCESA CELTA (NO CASO DE MEMBROS DA FALANGE FALAR NOME CÓSMICO OU PESSOAL), SOU ANDINO, SOU LEALDADE, FÉ E IGUALDADE! ESTOU PRONTA(O) PARA O SERVIÇO!”

Atualmente esse Avatar/Ser está encarnado e trabalhando junto a mim dentro da equipe Sementes das Estrelas. Quem ressoar com este Avatar, entre em contato diretamente com ele através dos contatos criados por ele mesmo no link mais abaixo. Uma Falange será criada por ARKHÉRA, A PRINCESA CELTA, e quando o for, os links de contato estarão disponíveis aqui: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html.

É até onde Jesus me permite ver e transmitir.

Identifique seu Canto Celeste: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/os-cantos-das-setes-raizes-celestes.html.

Gabriel RL

ARPETROMUS, O GUARDIÃO DA ESTRELA = Um ser muito energético e amoroso. É um verdadeiro vórtex de energia ambulante. Aonde ele vai, movimenta forças muito intensas, somente com sua presença. Tem um poderoso magnetismo capaz de envolver até o mais embrutecido ser das trevas e trazê-lo de volta à Luz. Ser de natureza Siriana, com passagens nas Plêiades, Auriga, Antares, Orion e, mais recentemente, algumas passagens em Vênus. Além de ser também, por natureza, um viajante estelar, é um guardião. Guardião de portais e tesouros da Luz. Nas suas expressões mais elevadas é um guardião dos portais sagrados que levam à terra interna, Agharta. É um ser muito amado por Adama, de Telos.

Este ser, de cerca de dois metros e vinte, não tem forma física definida, mas apenas uma energia branca e azul, que se mesclam em um brilho encantador! Quando assume alguma forma humanoide, aparenta ter esses dois metros e vinte, vestindo um macacão branco perolado, com a imagem de uma imensa espada azul na parte da frente da roupa. Os dois braços da imagem da espada se estendem pelos seus braços humanos abertos e a ponta termina na altura da energia básica (chakra). No centro da testa tem uma estrela azul brilhante e no topo da sua cabeça, 7 (sete) estrelas brancas circundantes, com mais (7) sete sub-estrelas menores azuis que saem dessas 7 (sete) brancas. É um humanoide que tem os olhos azuis razoavelmente grandes, maiores que os tradicionalmente humanos. O cabelo é loiro/dourado, caindo na altura da nuca e chegando até aí, em comprimento. Tem os fios puxados para trás, bem penteados, (como se fossem fixados com uma espécie de gel).

Em uma de suas muitas encarnações esteve ao lado daquele conhecido como Amenophis III, onde, na ocasião, conheceu aquele denominado IUD-IL, um dos conselheiros de Amenophis. E também conheceu Dranu-Aporis, também um dos conselheiros de Amenophis III. Encarnou também ao lado de Osíris, como um dos seus guardiões.

Na época de Jesus, era um soldado romano chamado Julius. Em muitas oportunidades, ia até onde Jesus pregava o evangelho do Amor e, “escondido”, Julius observava as pregações. Em muitas ocasiões, no meio de milhares de pessoas, enganava-se achando que Jesus não o via, e era surpreendido com o olhar dEle a fitá-lo nos olhos. Oh!… Quanto Amor a irradiar do olhar daquele ser Siriano tão amoroso,… Jesus, pois este o conhecia desde Sirius. Muitas situações como essa aconteceram. Julius esteve presente na casa de Zaqueu, quando Jesus curou um paralítico. Ali, também encontrou  aquele conhecido hoje como Eliar Flours. Jesus, em uma dessas oportunidades, chamou-o e, amorosamente, disse: “Meu amado, Julius! Chegou a hora de você abandonar o velho poder romano e unir-se a mim. Minha amada Maria precisará de você. Eu terei que deixar este mundo em breve, (deixar o mundo físico), e você precisará acompanhá-la em sua missão.” Julius estava extremamente emocionado,   como se soubesse que cada palavra daquela já havia sido dita por Jesus. O que, de fato, já havia, pois Julius fora um velho conhecido de Jesus e Maria Madalena, e já haviam discutido os planos de encarnação antes da missão evangelizadora de Jesus, quando ainda estavam nos Reinos da Luz da estrela Sirius.

Chegado o dia do desencarne de Jesus, Julius, completamente iluminado pela Luz do seu Sol interior, já tinha acatado o pedido do Mestre do Amor e encontrava-se próximo à Madalena e já estava a cuidar dela e a protegê-la. Ajudou em sua missão, também como evangelizadora e na travessia de um grande mar, quando esta levava uma criança no colo. Alguns romanos ainda perseguiam Maria, sabendo que ela era a tão amada de Jesus e carregava um tesouro daquele Amor. Julius, como um poderoso guardião, invocava as forças de Sirius a todo momento, e poder-se-iam ver naves prateadas cruzando os céus e projetando neles, naquela viagem em alto-mar, ou mesmo nas viagens em terra. Chegando ao Egito, tratou de, imediatamente, arrumar abrigo para Maria e a criança. Julius, em nenhum momento, abandonou Maria. Certa vez, em uma das suas saídas para buscar pão e vinho, encontrou um mendigo no meio do caminho, sujo, com feridas pelo corpo, e esse mendigo o olhou nos olhos e disse “Me ajude, sei que você é bom!…”. Ao que Julius respondeu: “Bom!… Bom é nosso Criador!…” O mendigo disse: “Toque-me e cura-me…”. Julius respondeu: “Eu não sei se posso… Sou um pecador, um velho soldado romano. Se Aquele que me inspirou essa nova vida estender sua mão nesse instante a mim, certamente poderei curá-lo…” E o mendigo disse: “Que assim seja!” Julius, não entendendo bem a afirmação do mendigo, mesmo assim impôs a mão sobre ele e, imediatamente, as feridas sumiram. Julius, em lágrimas, levantou os olhos e, em choque, viu Jesus, - aquele olhar doce e amoroso …. “Vá, eu estou com você!… A partir de agora, que não reste dúvidas de que você é um curador… Imponha suas mãos nos enfermos, eleve à Luz espíritos perturbados, transforme pedra em pão, guarde os lugares sagrados desta Terra. Eu te asseguro que estarei contigo!…” Nisso, Julius fechou os olhos e, aos prantos, disse: “Que Seja Feita a Vontade do nosso Criador…” E quando abriu os olhos Jesus não estava mais ali. Enquanto voltava para casa, emocionado, ouvia em sua mente… “Guarde minha Estrela…”

Arpetromus, em seu nome multidimensional, é o guardião de todos os avatares do Agrupamento PVSE. Ele guarda toda Estrela de Luz que desce à Terra. É guardião de todas as Sementes Estelares, Missionários da Luz, Mostradores do Caminho, Curadores, Guerreiros da Luz… É um escudo de Luz e um ser inabalável.  Reconhecido em todas as Esferas de Luz, extremamente respeitado em sua expressão mais elevada, foi chamado na presença daquele ser conhecido como Satã. (Este ser não está mais na Terra, já foi elevado às esferas de Luz - Sol Central - desde 1993). Chegando à presença deste, quando ainda na Terra, em sinal de Amor e honra, curvou-se em tremenda humildade, solicitando que não tocasse em nenhum ser da sua Falange de Luz, os Guardiões das Estrelas. Ao que este ser, pela primeira vez, suspirou diante de tanta Luz, e pela primeira vez, viu-se uma Luz em forma de lágrimas cair daqueles olhos endurecidos… O velho anjo caído sentiu os primeiros lampejos do Amor. Não por acaso, esse ser chamado Satã era um Anjo Siriano caído das altas esferas, e graças ao trabalho das Forças da Luz, em uma ação poderosa, foi resgatado e elevado, em meados de 1993.

O velho Julius, Arpetromus, O Guardião da Estrela, este ser maravilhoso, atua no Sistema Solar desde sua criação, há bilhões de anos. Quando tal sistema estava sendo criado, encontrou Zero i, que formava sua equipe de trabalho para atuação no sistema e, especialmente, no plano terrano. O encontrou e disse… “É um prazer imenso estar na sua presença”… Ao que Zero i, simplesmente se curvou e, de cabeça baixa, beijou suas mãos e disse: “Proteja meu agrupamento!...” Arpetromus chorou e disse:  “Sempre!…”.

Está sendo chamado pelo Plêiades 1 a reagrupar seus guardiões e formar um poderoso vórtex de proteção em todo plano Terrano e Sistema Solar para finalizar, definitivamente, a ação das forças das trevas nesse sistema. Há cerca de 70 (setenta) mil guardiões da sua falange espalhados no plano etérico e físico do Planeta. Está sendo chamado a ancorar a energia de Sirius, invocando todos os poderes a ele (Julius) confiados. Chamado a se conectar completamente à energia de Jesus e Maria Madalena, que o assistem desde sempre. Jesus, pessoalmente, estará entregando-lhe essa cosmobiografia em uma das suas saídas do corpo, e todo integrante que chegar a esta falange receberá de Jesus essa consagração. Chamado a, definitivamente, assumir sua roupagem de Arpetromus para magnetizar e desintegrar completamente as trevas da face do plano terrano.

Arpetromus, vá! Reúna seus guardiões, mantenha o que é sagrado sendo sagrado e renove a esperança no coração dos entristecidos. Você não está sozinho. O seu exército o aguarda, tanto no físico, como nas zonas astrais. É a sua hora!

Foi até onde Jesus me permitiu ver e transmitir. 

ÁRPIA - A CRIADORA DE MOMENTOS = É um belíssimo ser de energia cristalina, que não pertence a esse Universo Local. Veio para ele há milhares de anos a fim de ajudar no desenvolvimento das almas dessa realidade. É um ser Angélico pertencente direto da falange angélica do Arcanjo Samuel. Nesse universo, na medida em que ia descendo às dimensões, já que é originário da 14ª dimensão, passou pelas Plêiades, Sirius, Arcturos, Orion e dentro de outros sistemas não muito conhecidos dos Terranos. Especialmente em Sirius, teve uma passagem muito significativa ao participar várias vezes de grandes reuniões, onde esteve aquele que no Plano Terreno iria se chamar, num futuro, de Jesus. Este ser, Árpia, foi um dos que ajudaram a criar o MOMENTO para a chegada de Jesus no Plano Físico Terrano.


Este ser não tem uma forma física definida e se apresenta, quase sempre, apenas como uma bola de luz azul clara ou rosa brilhante, bem intenso. Raras são as vezes em que se apresenta em suas expressões mais elevadas, com uma forma humanóide e, quando o faz, parece feito de porcelana de tamanha perfeição. Seus olhos são como dois sóis rosa e tem todo o corpo reluzente em um lindo cor de rosa com reflexos azul claro.

Encarna no plano físico terrano há muito tempo, desde a Lemúria, onde encarnou diversas vezes como Sacerdote da Luz Rosa. Em uma dessas encarnações, na Lemúria, também fez parte de “A IRMANDADE DO CRISTAL ROSA” onde estavam presentes aqueles chamados pelo Plêiades 1 de Silvestra, A Sacerdotisa Lunar e Guerreira Multidimensional e Norú, O Guardião da Torre. Encarnou, também, várias vezes na Atlântida e esteve próxima, mais precisamente na Corte de Luz daquele conhecido da Grande Fraternidade como Serapis Bey e ajudou-o a conduzir a Chama da Ascensão até Luxor, no Egito. Não por acaso, nas suas expressões mais elevadas, é guardiã do Templo da Ascensão de Serapis Bey - Luxor, Egito. 

A Criadora de Momentos é um ser que, como o nome já diz, cria os momentos apropriados para as almas experimentarem o que elas precisam experimentar. É um ser criador de Sincronicidades. É um criador de movimentos perfeitos para situações necessárias. Digamos: duas pessoas precisam se encontrar em uma vida para tratarem de certos assuntos inacabados. Árpia e sua corte de Anjos Rosa entram em ação para fazer esse MOMENTO acontecer. Se duas Almas Gêmeas precisam se encontrar em uma vida e unificarem seus laços para sempre, depois de uma longa viagem elíptica, Árpia e sua corte de Anjos criam os movimentos matemáticos perfeitos para que esse encontro ocorra. E mais, criam também os movimentos adequados para que não haja interferências no caminho de ambos, ou mesmo criam para que haja, e aquelas almas tirem as lições necessárias. Quando se pede a Árpia e a corte de Anjos Rosa para os ajudarem em alguma situação, dizendo “Querida Árpia e legião de Anjos Rosa, me ajudem a ser mais tolerante,” não se assuste. Se necessário, Árpia poderá criar MOMENTOS para que você exerça sua tolerância e não necessariamente te dará "de mão beijada” essa virtude. Ela não é dada; é conquistada ao longo das experiências de alma. É um amadurecimento natural. Agora, se você pede para ter energia necessária para ser mais tolerante, MOVIMENTOS serão criados, que o fará ter mais força para enfrentar as situações de forma mais empoderada e firme que, naturalmente, virão a desencadear a tolerância interna.

Está sendo chamado pelo Plêiades 1 a reunir todos os seus Anjos Rosa encarnados atualmente na superfície e começarem, imediatamente, a criar MOMENTOS abençoados para a humanidade. Sendo chamado a ir às zonas astrais do Plano Terrano e preparar alguns dos seus Anjos, que estão nas zonas inferiores, “caídos," há muito tempo, e avisá-los de que MOMENTOS oportunos serão criados para que eles encarnem novamente e façam o que vieram fazer no plano terrano: CRIAR SINCRONICIDADES POSITIVADAS. Há cerca de 20 (vinte) mil Anjos dessa legião no planeta, entre as zonas astrais superiores, inferiores e o plano físico. Árpia, vá! Crie MOMENTOS e SINCRONICIDADES oportunas, para que todos eles se reconheçam a si mesmos e uns com os outros e, juntos, possam criar um MOMENTO ÚNICO na humanidade: O MOMENTO DA ASCENSÃO. 

Seu lema é “EU SOU TUDO DE MARAVILHOSO QUE PODE ACONTECER!"

ARTHEMIS, O GUERREIRO DA LANÇA PONTA DE CRISTAL = Arthemis, O Guerreiro da Lança Ponta de Cristal é uma expressão/roupagem do Sol Central Galáctico pertencente direto à Civilização Central, que é uma civilização muito avançada do Sol Central Galáctico e é muito poderosa. Pode-se dizer que é a raça mais antiga e mais poderosa da Galáxia. Esses seres aguardaram, por muitos milênios, que a Raça Humana da Terra alcançasse um nível elevado, onde eles considerassem que poderiam entrar e atuar mais diretamente no Planeta. Eles, então, receberam nos últimos tempos um sinal claro de que a Humanidade da Terra chegou a esse ponto e estão vindo ajudar “pessoalmente” na transição da Terra.

As presenças desses seres da Civilização Central, simplesmente, aumentam consideravelmente a radiação luminosa do Planeta e uma descompressão acontece, causando um efeito rápido e reverberante na humanidade. Os primeiros sinais disso são alívios mentais, onde pensamentos negativos são muito mais facilmente controlados e dissipados. A sensação de separação da Fonte diminui, drasticamente, tornando as pessoas mais calmas, ainda que não compreendam completamente o que está acontecendo, e tendo a certeza de uma integração com algo muito maior sentindo, assim, mais fortemente, a sua conexão com a Fonte. É um processo que tende a melhorar cada vez mais, à medida que - não apenas essa grande civilização se aproxima da Terra, mas tantas outras - estão tendo permissão de entregar seus tesouros à Humanidade Terrana.

Arthemis, em sua expressão mais elevada, é alto, de mais ou menos 1.90m, o corpo definido irradia uma luz branca intensa que mescla com outra dourada. Tem olhos grandes e azuis. Na sua mão direita, carrega sua lança, que é inteira de diamante. Usa-a quando desce às zonas do astral inferior fazendo movimentos com elas, que abre Portais de Luz e dá descargas de energias naqueles espíritos mais rebeldes, a fim de discipliná-los para uma aproximação mais sutil.  Esses espíritos de zonas mais densas são violentos e esses movimentos energéticos que Arthemis faz com sua lança acabam por dar-lhes algumas descargas, acalmando-os e deixando-os reflexivos.

Arthemis é um guerreiro celeste e, aproximadamente há 300 anos antes de Cristo, viveu no Plano Terrano, quando reinava Alexandre, o Grande, com seu imenso exército de guerreiros determinados a conquistas. Ali estava Arthemis, O Guerreiro da Lança Ponta de Cristal.

Sobre o reinado de Alexandre: “Durante sua juventude, Alexandre foi orientado pelo filósofo Aristóteles até aos 16 anos. Depois que Filipe foi assassinado em 336 a.C., Alexandre sucedeu seu pai ao trono e herdou um reino forte e um exército experiente. Ele havia sido premiado com o generalato da Grécia e usou essa autoridade para lançar o projeto pan-helênico de seu pai liderando os gregos na conquista da Pérsia. Em 334 a.C., invadiu o Império Aquemênida, governando a Ásia Menor, e começou uma série de campanhas que durou dez anos. Quebrou o poder da Pérsia em uma série de batalhas decisivas, mais notavelmente as batalhas de Isso e Gaugamela. Em seguida, derrubou o rei persa Dario III e conquistou a Pérsia em sua totalidade. Nesse ponto, seu império se estendia do mar Adriático ao rio Indo.” Wikipédia (https://pt.wikipedia.org/wiki/Alexandre,_o_Grande).

Arthemis era um guerreiro habilidoso, rápido e determinado. Sendo muito próximo a Alexandre, foi um dos seus homens de maior confiança. Arthemis, assim como Alexandre, tornou-se também um dos discípulos de Aristóteles. Arthemis e Alexandre conheciam-se desde crianças e, na adolescência, chegaram a ter um relacionamento afetivo que se estendeu por muitos anos. Havia muita cumplicidade, irmandade e lealdade entre ambos. Tão próximo e confiável como Heféstio era de Alexandre, Arthemis também o era, fato que não está relatado na história.

Arthemis, em muitas ocasiões durante as batalhas que participava, não utilizava a ponta de aço da sua lança para ferir aqueles que ele considerava como homens bons, pois considerava, em julgo próprio, que aqueles homens não mereceriam ser feridos com aço. Estes poderiam ter uma morte mais honrosa na ponta oposta de sua lança, a ponta de cristal.

A lança de Arthemis era a mais bela entre todas as dos guerreiros do exército de Alexandre. A maioria dos guerreiros possuía suas espadas, arcos, lanças, etc.… Mas nenhuma lança se comparava à de Arthemis. Era uma lança com uma ponta de aço, (até aí como as demais), mas a outra ponta era de Cristal. Um verdadeiro diamante pontudo e polido. Lindíssimo. Outro detalhe que destacava sua lança era a cor prata, pois era banhada em prata pura. Por muito tempo, Arthemis usou essa lança em diversas batalhas. Até que, em um determinado momento, teve um sonho que mudaria sua vida para sempre. Arthemis sonhou com uma linda mulher, que era alta, de um brilho mágico e encantador. Nas palavras de Arthemis, que contava o sonho a Alexandre: “É a mais bela expressão feminina que já pude ver. Deitar-me-ia com ela eternamente, e fundir-me-ia a ponto de tornar-me um só com ela”. (Falou isso com lágrimas nos olhos e com profunda pureza no coração). Alexandre riu e perguntou mais a Arthemis. Este disse que estava profundamente tocado. Arthemis não disse tudo desse sonho, pois, nele, essa bela mulher pediu-lhe para guardar sua lança e usá-la somente quando ela solicitasse. Era Palas Athena, A Deusa da Verdade.

Palas Athena, a Deusa da Verdade, é um extraordinário Ser de Luz que personifica a consciência cósmica da Verdade. A chama da verdade tem uma coloração verde-esmeralda, intensa e brilhante. Combina com o poder azul flamejante da vontade de Deus. A presença de Palas Athena no universo é a exaltação da Chama da Verdade vivente. Ela sustenta a verdade em favor das evoluções da Terra, como é membro do Conselho do Carma, onde atua como representante do quinto raio da verdade, da cura, da abundância e da precipitação. Arthemis, nessa sua expressão mais elevada, junto com Athena e todo esse agrupamento da Luz da Verdade sustentam essa energia na Terra há milhares de Anos e, claro, não apenas na Terra, mas em todo esse sistema.

Arthemis guardou sua lança e nunca mais tornou a usá-la como antes, em honra àquele pedido tão poderoso de Athena. Ele ficou tão tocado que não conseguia mais participar das batalhas como antes, tornando-se “apenas” um estrategista, não indo para campo de batalhas. Continuou tendo sonhos com Athena, onde ela lhe entregava orientações profundas acerca da Verdade, Justiça, Força e Lealdade, Abundância, Precipitação e muitas outras coisas. Arthemis tornou-se tão conectado à Palas Athena, que se tornou, já naquela época até o fim da sua vida física, o representante daquela força na superfície. Até hoje, sempre que encarna no Plano Terrano, representa diretamente essa energia da Deusa Athena. Não por acaso, dentro do PVSE é o primeiro representante direto dela, Palas Athena.

Arthemis, além do Sol Central, tem passagens/expressões em outros sistemas estelares como Plêiades, (estando presente em muitas das guerras galácticas, inclusive sendo um dos assistentes diretos de Caiel e Coiel nos movimentos ocorridos ali. Na época chamava-se Aiensks (Vide mais sobre Caiel e Coiel: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2017/11/quem-sao-caiel-e-coiel-mencionados-pelo.html). Esteve também em Sirius, Andrômeda, Orion, Antares, Arcturus, Escorpião, Capela, Sol Local e muitos outros sistemas conhecidos e não conhecidos dos terranos. E por falar novamente em Sol, não por acaso, Arthemis é também um dos representantes dos Senhores Solares na Superfície Terrana, Hélios e Vesta:

“Ó Hélios, Lorde do Amanhecer, ó Vesta, Mãe dos Ciclos Eternos, nossos amados Pais Solares. Ó Sol por trás de todos os Sóis! Ó Sol da adoração dos antigos! Ó Sol de Akhenaton! Ó Brilhante Globo de Amor incandescente, Magneto que reúne os mundos e gera a vida. Sois a misericórdia, o amor, a iluminação. Sois a esperança. Sois os Fogos da Ressurreição que renovam a vida a cada dia! Sois nosso refúgio e nossa alegria, a claridade que ilumina nossa vida.” (Vide mais: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/saudacao-e-invocacao-helios-e-vesta.html).

Um ser Solar simplesmente é um ser gerador da Vida. Sua presença em qualquer ambiente expande a Vida, traz Luz, Amor, Sabedoria e Bem-Estar. É sempre chamado a reuniões estelares para levar até ali sua luminosidade e poder da vida. Os Seres Solares, como Arthemis, são seres invioláveis no que diz respeito a forças negativas. Sua Luz é tão intensa que dificilmente um ser de baixa vibração e/ou pensamentos desempoderadores, tristes ou violentos conseguem se manter muito tempo ali. Ou eleva sua vibração diante do ser Solar ou, simplesmente, se afasta por não suportar a radiação.

Arthemis tem muitas encarnações no Plano Terrano. Muitas delas foram na Grécia. Na Guerra de Tróia, chamava-se Pávaris (não relatado na história) e esteve ajudando Páris (filho do rei Príamo) no movimento do rapto de Helena de Tróia (esposa do lendário rei Menelau), movimento que causou a Guerra.

Sobre isso, vimos que... “Segundo o poeta Homero, a guerra foi causada pelo rapto da rainha Helena (esposa do lendário rei Menelau) por Páris, (filho do rei Príamo). Isso ocorreu quando o príncipe troiano foi à Esparta, em missão diplomática, e acabou apaixonando-se por Helena. Páris havia recebido de Afrodite a recompensa de ter a mulher mais bonita do mundo, que era Helena. O rapto deixou Menelau enfurecido, fazendo com que este organizasse poderoso exército junto a seu irmão Agamenon. O Rei de Micenas, Agamenon, aceitou o pedido de seu irmão para comandar o ataque aos troianos. Através do mar Egeu, mais de mil navios foram enviados para Tróia.” Wikipédia (https://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_de_Troia).

Esteve encarnado também nos tempos de Leônidas, o Rei Espartano. Muito jovem, já era um habilidoso guerreiro e, não por acaso, especialista em lanças. Não foi para primeira batalha chamada A Batalha das Termópilas, onde o Rei Espartano Leônidas foi morto, mas foi na batalha marítima de Salamina. (https://pt.wikipedia.org/wiki/Le%C3%B3nidas_I).

Muito antes disso, já havia estado na Atlântida como sacerdote e âncora do Raio Verde da Verdade junto com Palas Athena, que também encarnou como sumo-sacerdotisa do Templo da Verdade na Atlântida, prestando serviço sob o comando de Vesta. Nessa ocasião, Arthemis chamava-se Ha-vi.

Mais tarde, voltou a encarnar também na Grécia junto à Athena para proteger a chama da Mãe da Verdade, quando aquele templo e sua chama foram transferidos da Atlântida para lá. Enquanto Athena atuava ainda como diretora das virgens e dos oráculos do Templo de Delfos, mensageiros dos deuses e deusas que pronunciavam a Verdade e a sabedoria da Lei para os antigos, Arthemis continuava sustentando a Energia da Verdade Universal, inspirando no coração dos seres da Terra essa força e coragem, dando-lhes a certeza de que A VERDADE É SEMPRE VERDADE, custe o que custar.

Esteve encarnado também nos tempos de Jesus como uma mulher envolvida com política que, ao saber de Jesus, fora atrás dele para curar seu filho que estava doente. Ao encontrar Jesus, disse: “Homem de Deus, eu sei que podes curar meu filho. Faça-o e tornar-me-ei tua serva desde agora à eternidade.” Jesus, muito amoroso, olhou para ela e disse: “A verdade em teu coração é a verdade que curou seu filho. Vá… Ele está curado”. Ela foi correndo e quando chegou em casa a criança estava na porta e, feliz, gritou ao vê-la. Ela tornou-se uma seguidora e pregadora do REINO, como havia prometido a Jesus, mesmo a contra gosto do marido senador.

No Egito Antigo, no reinado do Faraó Amenofis III, era um dos guerreiros da guarda do Faraó, chamado Áres.

Arthemis está sendo chamado pelo Plêiades 1 a assumir sua herança transcendental conectando-se à Palas Athena, trazendo toda sua energia Solar para o Plano Terrano. Sendo chamado a unificar em amor essas linhas de tempo gregas. Chamado para continuar a ancorar a energia da Verdade, conectada a Palas Athena, Hilarion, Arcanjo Rafael e todos os Anjos da Verdade Suprema. Arthemis, há muita luz em você, e Palas Athena a convida para, juntamente com ela, novamente, continuarem ancorando juntos e, ao lado dos Mestres da Verdade, essa energia suprema. Chamado também a mover-se, em astral, para as áreas mais densas da Terra e levar a palavra da Verdade àqueles seres que estão presos por seus próprios padrões mentais. Athena recomenda que, antes de dormir, conecte-se também com ela pedindo a ela que o leve às zonas onde precisa atuar, e ela o fará, para que você os alimente, não com pães, mas com a Verdade.

Chamado a reconhecer sua Energia Solar, ancorando e trazendo-a para o próprio Plexo Solar, alimentando mais ainda a força, e a fazendo reverberar na superfície terrana. Sua presença física, sob essa projeção, é muito importante em vários pontos do Planeta. Portanto, querido ser Solar, leve a sua consciência aos lugares onde existem dores e sofrimento, iluminando ali aquelas mentes, de forma que elas reconheçam o brilho do seu próprio Sol Interior e venham a ajudar na iluminação do Planeta como um todo. Querido Arthemis, você está sendo apoiado por muitos seres! Toda energia Solar está à sua disposição! Você, por natureza, é um doador de Vida! Você é um sopro de vida, então leve essa energia para aqueles que estão desanimados e frustrados por quaisquer motivos. Sua Luz Ilumina, sua Alegria contagia!

Chamado a resgatar os remanescentes dessas linhas de tempo unificando em amor, no amor e verdade do seu coração. Você, querido Arthemis, é o primeiro da Falange de Linhas Gregas dentro do PVSE, responsável direto pela iluminação dessas linhas. Você tem e terá sempre todo apoio do Cosmos. A Civilização Central está com você, grande mestre guerreiro. Palas Athena está com você, apoiando-o agora no uso da sua lança, não mais para derramar sangue dos seus irmãos, mas para levá-los a reflexão e Verdade mais elevada. É para esse fim que agora usas a sua lança, e a usa com Amor, Verdade e Sabedoria.

Seu lema é: “EU SOU ARTHEMIS, A SERVIÇO DA VERDADE! EU RESTAURO E UNIFICO A VELHA GRÉCIA NA NOVA GRÉCIA DE AMOR E LUZ”.

Identifique seu Canto Celeste: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/os-cantos-das-setes-raizes-celestes.html

Contatos de serão criados para comunicação com Arthemis e estarão disponíveis aqui: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/11/pleiades-1-chamada-aos.html

É até onde Jesus me permite ver e transmitir.

Gabriel RL 

ASGHAR = É um ser do Universo Uzon (vide Uzon, no glossário do P1) e está atuando, neste momento, em apoio ao PVSE. Ele é um dos poucos de Uzon que decidiram apoiar o PVSE. Alguns outros não querem, e ainda atuam contra. Uzon é um Universo de Magnético Invertido (um Universo Sombra). (Ainda escreverei mais sobre ele quando conseguir / for autorizado.) Asghar é especialista em disciplina. É persuasivo e determinado. Nunca falhou em nenhuma missão a ele entregue. É um ser de pura energia e nunca encarnou em ambientes físicos, ou mesmo possuiu alguma forma. É apenas energia aleatória. Ao descer para trabalhar no PVSE como um dos guardiões junto a Zens-Om Noen-Nil, outro guardião, tornam-se dois poderosos guardiões do PVSE atuando na disciplina e conscientização dos missionários presentes.

Asghar não tolera falta de respeito com coisas sérias, não tolera indisciplina nem, tampouco, permite que forças negativas invadam espaços onde ele atua. Muitos seres de vibração negativa temeram quando o viram “descer” para trabalhar como guardião do PVSE, pois sabem que, com ele por perto, é muito difícil qualquer investida contra, pois ele tem um campo de força poderosíssimo, e não admite qualquer violação àquele que ele considera “um lugar sagrado”.

Algumas pessoas podem se assustar com a sua aparência, já que ele assumiu uma forma, e agora se pode descrever como ele é para melhor entendimento humano: ele tem cerca de três (3) metros de altura, se veste com uma linda túnica em um tom prata escuro, sendo que o capuz cobre metade do seu rosto, deixando apenas um olho e parte da face de fora. Seus olhos são em um tom prata intenso, um olhar igualmente intenso, e com muito poder. Olhar para ele é como olhar para própria disciplina personalizada. Por debaixo da túnica, acredita-se haver um corpo, mas não. É apenas energia também. A túnica dá forma “àquele corpo”.  A única parte mais humanizada vista é essa parte do rosto onde se vê apenas um pedaço da face e um olho. É um ser que irradia energia prata e também trabalha com as legiões dos grandes Cavaleiros de Luz como um cavaleiro desta legião. É muito “amigo pessoal” daquele conhecido como Chapanã/Aloikaik (http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/02/chapana-aloikaik.html).

Asghar está no Sistema Solar e mais precisamente na Terra desde a queda da Atlântida. Quando o continente afundou há milhares de anos, um grupo específico negativo de Uzon veio em negatividade para ajudar nos movimentos que destruiriam aquele continente. Asghar veio junto com esse grupo, mas “algo aconteceu” e ele voltou-se para Luz e tem atuado deste então, apoiando as Forças da Luz. Foi chamado, recentemente, por Miguel Arcanjo para ser um colaborador e guardião do PVSE, e ele aceitou. Asghar tem outras sete (7) expressões, pode-se dizer. Estas, deste Universo, andam em sete (7) sempre, sendo que cada uma com sua individualidade. Asghar é a personalidade desse grupo de sete (7) que serve à Luz.

Ele está se projetando, completamente, no PVSE, já que foi chamado recentemente para apoiar esse vórtex. Claro, ele não apoiará apenas o PVSE. Ele está disposto a apoiar quem o chamar. É um grande Cavaleiro das Altas Legiões. (http://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/04/os-cavaleiros-de-luz-e-suas-legioes.html).

Asghar não tem planos de encarnar na fisicalidade. Na verdade ele nunca havia se manifestado através de nenhum médium na Terra, nem em nenhum outro sistema. Quando queria falar com alguém, ele ia direto ao ponto aparecendo como aquela energia aleatória em tom prata escuro. Manifestou-se pela primeira vez, recentemente, através de Gabriel RL, comunicando-se através dele por meio de incorporação/psicofonia.

Que toda essa Força que vem de Asghar seja reverberada em apoio a todos do PVSE e afins!

Bem vindo, querido! Muito honrado com sua majestosa e poderosa presença!

É até onde Jesus me permite ver e transmitir.

Gabriel RL 

ATOW E AGRUPAMENTO =  Atow, Agrock, Niniela, Azukrac, Ofeni, Brocks são os integrantes de uma nave que está localizada na Lua local da Terra, neste instante, na Estação 1 - Setor Oculto. Eles entraram em contato com o PVSE em busca de uma possível negociação, junto a Federação Galáctica, para saírem do Sistema Solar local. Tentaram inúmeras vezes sair do Sistema Solar, mas a barreira os impediu em toda elas.

Este é o remanescente de um grupo de 112 engenheiros genéticos, vindos de um Sistema Estelar da Galáxia de Andrômeda, especialista em desenvolvimento de biologia, DNAs, etc. Este grupo realizou algumas experiências não autorizadas nesta Galáxia, Via Láctea. São seres muito altos, entre 4 a 5 metros de altura. Possuem uma pele muito pálida, membros longos e finos. Seus olhos são verticais. Não possuem cabelo nem orelhas. Seus macacões são brancos assim com sua pele. Estão aqui, antes mesmo da formação do Sistema Solar local. Eles possuem uma base na Lua, onde atuavam com os outros 112. Os demais, sentindo a iminência do que viria a ocorrer, saíram deste setor da Galáxia antes da quarentena ser levantada, no entanto este pequeno grupo de 6 não quis deixar para trás o projeto em que estavam trabalhando e resolveram resistir e ficar aqui. Eles faziam experimentos genéticos especialmente com os africanos. Eles estavam trabalhando com pigmentação de pele. 

Houve dois (até esta data 31.05.2018) contatos, em momentos diferentes, e diálogos foram abertos com os membros do PVSE. Em ambos, Atow foi seu porta-voz, fez algumas propostas, criou prazos para respostas e partiu. As negociações continuam e as atualizações poderão ser vistas nas Rápidas Notas sobre a situação. 

É até onde Jesus me permite ver e transmitir.

Gabriel RL

AVALON = Grande Nave-Mãe sob o comando de Valiant Thor (Vide: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/09/contato-duplo-comandante-valiant-thor.html). 

AVENOT (OU SISTEMA AVENOT) = É um sistema de transferência de dados MiD. Um tipo de sistema de segurança para comunicação entre eles por VoIP e Satélite. As Forças da Luz infiltradas nas agências secretas têm hackeado todos esses sistemas para garantir que sempre estejamos cientes dos planos MiD. Quanto mais esses sistemas são hackeados, mais informação acerca das tramas negativas MiD é lançada Internet, a princípio, na mídia alternativa. 


AVRYLHONÉ um cavaleiro do universo magnético atuando neste sistema, mais precisamente na constelação de Libra. É a energia imediata da atual Junção Magnética e encarnaria imediatamente no caso da mesma não sustentar a força. Mede por volta de 3 (três) metros. Sua pele, cabelo e asas são dourados. Possui olhos azuis e carrega um cristal no centro de sua testa que conecta diretamente à sua chama gêmea conhecida dentro do PVSE como Alfeus. Alfeus e Avrylhon são os imediatos da atual Junção Magnética. Como Alfeus já está encarnado e, no caso de a Junção Magnética atual não conseguir sustentar a força, Avrylhon encarnará imediatamente ou, mesclará com Zero i como um Walk-In, onde ambos ocuparão simultaneamente o mesmo vaso físico, para que, junto à Alfeus, sustentem essa força. Alfeus e Avrylhon são um "Nó", como cita o P1. 


AZEGARON = É um grande Cavaleiro das Legiões de Luz responsável por aproximar-se e remover de atuações seres/entidades devotadas às forças obscuras. Ele e sua legião de Cavaleiros de Luz atuam nos planos mais densos da Galáxia e especialmente agora atuam, em massa, no Plano Terrano, removendo chefes dos mundos negros mais profundos. Ele é um ser imenso, medindo mais de 4 metros de altura, de intensa radiação prata. Possui uma grande lança de Luz e uma rede magnética, ambas em irradiação prata. Seus olhos são como dois sóis prateados. Sua energia é de impor respeito e disciplina e nenhuma entidade, por mais negativa que esteja, dá qualquer trabalho a ele. Ele chega ao ambiente onde habitam essas entidades e instala-se ali por “dias”, irradiando o ambiente e removendo todas as correntes negativas que impregnam esses lugares e, por mais que as forças e chefe negativo dali esperneiem, é em vão. Nada o afeta, de qualquer forma. Ele está, neste momento, atuando em todo Plano Terrano, como já dito, e trabalhando especialmente para remoção da entidade chamada Baal  (https://pt.wikipedia.org/wiki/Baal_(dem%C3%B3nio)).

É até onde Jesus me permite ver e transmitir.

AZINU-AVALUR = É a nave mãe que é o centro médico de pesquisa - renovação celular onde Nasha está. Vide link: http://www.sementesdasestrelas.com.br/2016/12/nasha-pleiades-2-nave-mae-azinu-avalur.html 


Demais termos usados nas mensagens do Plêiades 1, são intuitivamente compreendidos pela mente linear, dispensando, assim, maiores explicações aqui. 

--------------------------------------------------------------------

Espero que, de alguma maneira, eu tenha conseguido trazer  elucidações sobre as mensagens da série "UMA RÁPIDA NOTA SOBRE A SITUAÇÃO" - dos nossos amigos de energia esférica Plêiades 1.

PARA ACOMPANHAR AS MENSAGENS "UMA RÁPIDA NOTA SOBRE A SITUAÇÃO", DO PLÊIADES 1, CLIQUE AQUI.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

IMPORTANTE: Antes de finalizar essa exposição, é oportuno explicar que já obtive anteriormente a informação sobre a existência das “esferas de consciência”. Durante o curso que canalizei, “Iniciação/Curso: A Caminho da Multidimensionalidade – tomando consciência das realidades paralelas”, El Morya, o Mestre inspirador desse curso, coloca o aluno em meditação e o conduz ao encontro com essas esferas de consciência, comprovando, dessa forma, a veracidade da informação. Isso está gravado no CD do curso, no ponto 00:30:00 a 00:31:20 do contador. Eis abaixo a transcrição do excerto:

“... o Amor pulsa em seu coração. Rapidamente você é levado a um espaço, um espaço único que não tem limites, que não tem paredes, que não tem teto, que emite apenas, uma radiação branca intensa. E, nesse espaço, você consegue observar outras luzes iguais a você, outras consciências. E, para facilitar o seu entendimento, são esferas como sóis, iguais a você. Não físicas. Apenas energia. São milhares delas!... Milhares de consciências. Bilhões de consciências. Trilhões de consciências!... Ao infinito. E você, completamente em paz, sentindo todo Amor que faz parte do teu ser. Você se unifica a todas elas. Vocês agora, são apenas UMA CONSCIÊNCIA!...” 

AGRADECIMENTOS

A Candido Pedro Jorge e a Pablo Felini, integrantes da minha amada equipe Sementes das Estrelas, pela elaboração prévia dos TERMOS E EXPRESSÕES UTILIZADAS pelo Plêiades 1.

A Tânia Zanelatto de Campos e Solange Yabushita pela revisão textual.

A Davi Aguiar, pela colaboração nas pesquisas.


A Luís Fernando Rostworowski pela produção do vídeo exemplo.

Em amor, bênçãos e Luz,

Gabriel RL (Um pouco mais sobre mim, CLIQUE AQUI)

ENUNCIADOS DO PLÊIADES 1 x FATOS CLIQUE AQUI

INFORMAÇÕES E GLOSSÁRIO ESPECÍFICO, EM INGLÊS, CLIQUE AQUI


INFORMATIONS AND ESPECIFIC GLOSSARY, IN ENGLISH, CLICK HERE